Brasil(RS) x Cruzeiro
Centenário Clube Competição Cruzeiro Esporte Futebol O Jogo que eu vi Opinião Profissional

O Jogo que eu vi – Brasil(RS) x Cruzeiro

O jogo que eu vi

Esta trilha mostrará a perspectiva de um torcedor cruzeirense após cada partida que envolva o Cruzeiro, conforme a descrição da página principal. Assim sendo, o confronto deste texto é: Brasil(RS) x Cruzeiro, válido pela 9a rodada do turno no Brasileiro 2021 da Série B.

O treinador Mozart monta a equipe com estreantes e novidades como o retorno de Lucas Ventura ( ex-Nonoca ) com o propósito de ganhar o meio-campo.

Brasil(RS) x Cruzeiro

FICHA TÉCNICA

Motivo: Jogo da 9ª rodada (Turno) do Campeonato Brasileiro 2021 – Série B

Local: Estádio Bento Mendes de Freitas Caldeirão – Pelotas (RS)

Data e horário: 03 de julho de 2021 (sábado), às 19h00

Árbitro: Rafael Carlos Salgueiro Lima (AL) – CBF/CD

Assistente 1:  Ruan Luiz de Barros Silva (AL) – CBF/AB

Assistente 2: Wagner José da Silva (AL) – CBF/CD

Quarto Árbitro: Francisco Soares Dias – BAS (RS)

Delegado Local: Marco Antônio Pereira Maciel – CBF (RS)

Analista de Campo: José Antônio Franco Chaves Filho – CBF (RS)

Público: Jogo de portões fechados devido à pandemia

Renda: Sem renda de bilheteria.

Gols: Não houve.

Cartões Amarelos: Rômulo e Felipe Augusto (Cruzeiro), Wesley e Thalys (Brasil).
Cartões Vermelhos: Não houve.

BRASIL(RS) 0

Matheus Nogueira-1; Thalys-2 (Gabriel Pierini-18 aos 16min do 2T), Ícaro-3, Héverton-4 e Kevin-6; Rômulo-5, Gabriel Terra-11 (Luiz Fernando-1 aos 22min do 2T), Lucas Santos-10 (Netto-13 aos 32min do 2T) e Wesley-20 (Denilson-15 aos 22min do 2T); Ramon-9 e Fabrício-16 (Júnior Viçosa-17 aos 32min do 2T). Técnico: Cláudio Tencati

Reservas: Marcelo-12, Wesley-20, Bruno-8, Leandro-14, Matheus-19, Alam-21, Igor-22, André-23.

CRUZEIRO 0

Fábio-1; Matheus Barbosa-17 (Bruno José-16 no intervalo), Léo Santos-25 e Ramon-4; Norberto-32, Rômulo-27, Lucas Ventura-35 (Flávio-30 aos 21min do 2T ), Giovanni-28 (Adriano-15 aos 21min do 2T) e Felipe Augusto-22 (Jean Victor-36 aos 21min do 2T); Marcinho-11 e Rafael Sobis-10 (Thiago-18 aos 21min do 2T). Técnico: Mozart

Reservas: Vítor Eudes-39, Aírton-7, Paulo-33, Claudinho-49.

Brasil(RS) x Cruzeiro – O Jogo

O torcedor do Cruzeiro que, inegavelmente, esperava ver um bom jogo, #SQN, ou seja, é um iludido e sem noção.

Em suma, o técnico Mozart não consegue nem demonstrar que a formação que alega ter armado o time é a que vemos em campo. Desse modo, comentaristas ficam completamente perdidos, o que leva torcedores e narradores de redes sociais a falar muita bobagem.

Contudo, a esperança de que o esquema ” funcione “, o time vença e jogue bem é a mesma do torcedor do Íbis ver seu time campeão brasileiro.

Vamos ao jogo, mesmo que tenha sido muito ruim e o resultado poderia ter sido melhor …

Primeiro tempo

Em primeiro lugar, mais uma vez, um primeiro tempo horrível.

5min – Ataque pela esquerda do ataque do Brasil que Matheus Barbosa interrompe para lateral;

17min – Marcinho dá chute de longa distância, na meia direita, para defesa difícil do goleiro adversário para escanteio;

22min – Jogada pela esquerda do ataque do Brasil que no cruzamento finaliza para fora;

Sim, apenas um chute a gol, mesmo com 60% de posse de bola e muita falta de criatividade.

Terrível !!!

Segundo tempo

A substituição de Matheus Barbosa deu, enfim, um sopro de esperança de que Mozart retornasse com um time taticamente decifrável. Ledo engano, com toda a certeza, o que mais ouvi e li foram chutes e achismos sobre o “novo” posicionamento do time.

6min – O Brasil chega ao ataque pelo meio e num chute de longa distância e fraco, Fábio defende.

12min – Marcinho em cobrança de falta perigosa chuta para fora, raspando o travessão.

35min – Marcinho chutou de longe, de maneira idêntica ao primeiro tempo, o goleiro rebate e Bruno José chuta para o bloqueio defensivo de defensor do GEB.

41min – O GEB arrisca pelo setor esquerdo da defesa do Cruzeiro, cruza e o  atacante finaliza sobre o gol de Fábio.

43min – Flávio arrisca de longa distância para outra defesa difícil para escanteio do goleiro adversário.

43min – Marcinho cruza pelo setor esquerdo de ataque e Flávio cabeceia para defesa milagrosa no estilo “Banks”.

44min – Na sequência da jogada a bola sobrou para Adriano que finaliza para fora, de dentro da pequena área.

48min – Atacante do Brasil, avança pela meiaesquerda e finaliza rasteiro, para defesa fácil de Fábio.

Sim, não tem erro de digitação, estas oportunidades aconteceram somente depois das substituições em massa aos 21min do segundo tempo.

Foi quase, ah! se não fosse o goleiro adversário …

Resenha

As partidas do Cruzeiro dependem muito do adversário e das escalações e substituições do Mozart. Parece óbvio, o torcedor pode ficar repetindo estes chavões e frases feitas, mas é complexo.

Mozart escala alguns jogadores de forma inexplicável e as substituições “mexem” muito no entrosamento do time.

O Cruzeiro teve, mais uma vez, um jogador muito lúcido: Marcinho. Por outro lado, teve quatro jogadores que não deveriam estar em campo: Felipe Augusto, Rômulo, Giovanni e Rafael Sóbis. Em outras palavras, não existe time que resista com estes quatro em campo ao mesmo tempo. A não ser que o adversário seja péssimo, como o Brasil-RS.

Burro sem sorte

Mesmo que eu tenha escrito e falado nas redes sociais, vale a pena repetir o quanto me desagrada a escalação de alguns jogadores e a maioria das substituições do Mozart. Entretanto, neste jogo, o que o Mozart fez de melhor foram as peças substituídas. Os lances perigosos após as substituições são uma espécie de prova ou fatos que podem dar razoabilidade à minha opinião.

Enfim, foi ótimo ver as substituições darem certo e a atuação do miolo de zaga mostrar-se firme. E, afinal, se temos que ver a “metade do copo cheio”, vejo que criamos mais oportunidades em 15 minutos do que nos outros 90; que a nossa defesa (a pior da competição) não levou gols; e que passaremos mais uma rodada longe da zona de rebaixamento.

PÉROLAS

De acordo com todos os relatos e opiniões, mais um jogo terrível, que leva os  simpatizantes e torcedores modinha dizerem: ”  vou dormir “; ” quer sofrer, veja o replay de Brasil(RS) x Cruzeiro “; ” não vamos subir ” e outras pérolas, analogamente, ao que dizem alguns profissionais da imprensa tradicional. Não se sabe quem copia quem ( influencer que narra e comenta jogo, com toda a certeza, não conta).

Muitas pérolas devem ser destacadas, não me deixam irado, por outro lado, só fico pensando se este povo entende de futebol.

  1. O Cruzeiro só tem o melhor ataque pois tem a pior defesa ...
  2. Nos poucos minutos, gostei da movimentação. Um meio mais criativo …
  3. O Cruzeiro poderia contratar o Léo Gamalho …
  4. O Rafael Sóbis fez uma assistência no jogo passado … ( P. S. certamente, para aquele torcedor que considera cobrança de falta e escanteio como assistência ).
Comentarista no boteco

Certamente, se algum destes comentaristas estivesse num boteco, ganharia uma sonora vaia e seria muito zoado por algum tempo. Contudo, eles soltam estas pérolas nas redes sociais e ainda são parabenizados.

Além disso, constatamos que alguns não soltam ” pérolas “, apenas dizem ” verdades “.

Reprodução: Twitter
Além do jogo

Por isso e por tantas outras coisas, fico muito irado, como aquele cronista que existia na revista Placar.

        • A quantidade de substituições, bem como quem entra e sai;
        • Falta de entendimento dos torcedores para se expressarem sobre esquemas táticos;
        • Simulações de jogadores brasileiros nas faltas, uma vez que prejudicam a si mesmo, ao jogo e irrita todo mundo;
        • Comentários de narrador de jogo visto que mal conseguem narrar (e.g #ForaJJJ);
        • Torcedor de rede social que acha que falar o que está se vendo (e como se vê) atrapalha.

Off Side: De acordo com a classificação parcial da 9a rodada, estamos ficando mais próximos da Zona de Rebaixamento e mais longe da primeira parte da tabela.

Arbitragem

Surpreendentemente, este sexteto de árbitros não fez muita coisa errada. Talvez tenham cometido um ou outro erro mas que não prejudicou nenhuma das equipes.

É provável que eu tenha curiosidade somente pela inclusão de mais um ” árbitro ” indicado como ” delegado local “. Com toda a certeza, a CBF e seus árbitros são ruins e pouco sérios, é público e notório. Mas o que faz um delegado local, e se ele recebe alguma remuneração? ( pergunta retórica ! ).

Atuações

Indiquei, pouco antes do início da partida, ao ver a escalação, que o Mozart ia jogar para empatar. Se, inesperadamente, ” achasse ” uma bola, ganharíamos, e quase deu certo, o Mozart é burro com falta de sorte. Burro pois escalou errado e substituiu certo. Minha teoria de entrar com jogadores descansados para ser ofensivo, parece que funcionou e o Brasil foi salvo pelas defesas, quase milagrosas, de seu goleiro.

Melhor em campo – Marcinho

Pior em campo – Rafael Sóbis

Herói do jogo – Léo Santos

Vilão do jogo – Rômulo

É provável que o “mapa de calor” de jogadores dê uma dica de quem se apresenta e quem se esconde durante o jogo.

Fonte: SofaScore
Marcinho

Sem dúvida alguma, vem se apresentando como melhor em campo desde a chegada do treinador Mozart. Não apenas corre muito em campo como as suas jogadas são sempre objetivas e de qualidade. Como se não bastasse, faz lançamentos, cobra escanteios e faltas de maneiras diferentes e faz assistências. Se bem que os adversários perceberam estas qualidades, e as faltas sobre ele começam a virar uma constante o que irrita muito.  Nota: 7,5

Léo Santos

A princípio, só de jogar sério e entender o tamanho da encrenca em que se meteu, já merece o título de herói. Mesmo que, eventualmente, marque seus gols, o Cruzeiro precisa de um zagueiro que evite gols e proteja o goleiro Fábio, e ele fez isto com precisão contra o Brasil. Parece ser uma boa contratação, contudo seu ” teste de fogo ” contra o Coritiba(PR) e o Léo Gamalho. Nota: 7,0

Rômulo, Felipe Augusto, Rafael Sóbis e Giovanni

É impossível, portanto, um time com quatro jogadores experientes como os referenciados e atuando tão mal produzir alguma coisa.

Alguns torcedores terão suas explicações, pois torcem para o jogador e para sua própria opinião. Mesmo que alguns torcedores façam críticas a jogadores da base, deveriam apontar os dedinho para jogadores omissos e sanguessugas. Portanto, sigo na minha cruzada quixotesca em defesa de tratamento igual para jogadores da base e contratados com ” etiqueta “.

Por isso, estes jogadores e mais uns dois ou três não podem continuar tendo lampejos a cada 5 partidas e se omitindo durante todo o jogo e os jogadores da base correndo, arriscando e sendo ” responsabilizados ” pelos maus resultados.

Notas:

Fábio(6), Matheus Barbosa(5), Bruno José(5,5), Ramon(6), Léo Santos(7), Norberto(5,5), Rômulo(3), Lucas Ventura(6,5), Flávio(6,5), Felipe Augusto(3), Jean Victor(5),Marcinho(7,5), Giovanni(4), Adriano(5), Rafael Sóbis(2,5), Thiago(4). Técnico: Mozart(3).

Brasil(RS) x Cruzeiro – Histórico
Números totais do confronto
Número de jogos 6
Vitórias do Cruzeiro 3
Empates 1
Derrotas 2
Saldo de vitórias 1
Gols do Cruzeiro 10
Gols de Brasil de Pelotas 4
Saldo de gols do Cruzeiro 6
Jogo mais recente considerado – Brasil 0x0 Cruzeiro – 03/07/2021
Fonte: Cruzeiropedia
Artilheiros

Rafael Sóbis, Tostão II (2).

Curiosidades

Com pouco mais de três minutos de jogo, parte da iluminação do estádio em Pelotas(RS) apresentou problemas e, assim sendo, o jogo ficou paralisado por mais de vinte minutos, uma várzea.

O Cruzeiro tem duas vitórias sobre o GEB em jogos oficiais. Marcou nas duas vitórias oito gols, no entanto é mais um confronto super equilibrado contra equipes pequenas.

A defesa do Cruzeiro não sofria gol há muitos jogos, se não fez, pelo menos não sofreu, mas é a pior defesa da série B.

O que vem por aí

Estamos aprimorando a ideia de proposta do projeto “O jogo que eu vi” e, por isso, temos esperado algumas reações imediatas para depois publicarmos cada texto.

Enfim, após 9 rodadas, estamos, novamente, mais perto da zona da degola. Enfrentaremos o Coritiba e temos que nos preocupar, sobretudo com o atacante que assombrou o Cruzeiro no ano passado: Léo Gamalho.

Mozart tem que começar a pensar em cada adversário e não nas suas convicções, uma vez que é preciso preservar a saúde do torcedor cruzeirense.

 

Arte: Romero Marconi

Fontes de pesquisa

Esta edição de “O jogo que eu vi” foi escrita por

Evandro Oliveira

Nota do editor

A trilha ” O jogo que eu vi ” mostra, não apenas, um ponto de vista, e muito mais sobre  determinada partida. Inclui, além disso, uma completa ficha técnica do jogo. Sempre com o propósito de que qualquer torcedor possa descrever o jogo que ele viu.

Desde já, agradecemos quaisquer sugestões, mesmo que sejam críticas e indicações de erros.

Trilhas PHD

Admin_PHD
Raposão PHD Páginas Heroicas Digitais
https://paginasheroicasdigitais.com.br

Deixe uma resposta