CSA(AL) x Cruzeiro
Centenário Clube Competição Cruzeiro Esporte Futebol O Jogo que eu vi Opinião Profissional

O jogo que eu vi – CSA(AL) x Cruzeiro

O jogo que eu vi

Esta trilha mostrará a perspectiva de um torcedor cruzeirense após cada partida que envolva o Cruzeiro, conforme a descrição da página principal. Assim sendo, o confronto deste texto é: CSA(AL) x Cruzeiro, válido pela 7a rodada do turno no Brasileiro 2021 da Série B.

O treinador Mozart repete a formação com três zagueiros mas mudando os nomes em função de suspensões e preservação de jogadores.

CSA( AL) x Cruzeiro

FICHA TÉCNICA

Motivo: Jogo da 7ª rodada (Turno) do Campeonato Brasileiro 2021 – Série B

Local: Estádio Rei Pelé – Trapichão – Maceió (AL)

Data e horário: 27 de junho de 2021 (domingo), às 20h30

Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF) – CBF/AB

Assistente 1:  Laila Naiara Moreira da Cruz (DF) – FIFA

Assistente 2: Kleber Alves Ribeiro (DF) – CBF/CD

Quarto Árbitro: Márcio dos Santos Oliveira – BAS (AL)

Analista de Campo: Charles Hebert Cavalcante – CBF (AL)

Público: Jogo de portões fechados devido à pandemia

Renda: Sem renda de bilheteria.

Gols: Felipe Augusto (Cruzeiro) aos 5min, Iury (CSA) aos 27min e 28min do primeiro tempo.

Cartões Amarelos: Ramon, Stênio e Marcinho (Cruzeiro), Iury, Cristovam, Fabrício, Geovanne, Gabriel (CSA).
Cartões Vermelhos: Não houve.

CSA 2

Thiago Rodrigues(1); Cristovam(2), Matheus Felipe-30 (Wellington-13 aos 35min do 2T), Lucão-3 e Vitor Costa-6; Geovane-5, Giva Santos-15 (Bruno Mota-22 aos 20min do 2T) e Gabriel-27 (Silas-7 aos 20min do 2T); Yago-19, Iury-99 (Silvinho-11 no intervalo) e Dellatorre-9 (Renato Cajá-10 aos 35min do 2T). Técnico: Bruno Pivetti.

Reservas: Darley-31, Fabrício-4, Nadson-8, Kevyn-16, Marco-21, Ewerthon-28

CRUZEIRO 1

Fábio-1; Ramon-4, Joseph=23 e Weverton-34 (Matheus Pereira-6 no intervalo); Cáceres-2, Rômulo-27 (Adriano-15 aos 16min do 2T), Matheus Barbosa-17, Marcinho-95 (Claudinho-49 aos 16min do 2T) e Felipe Augusto-22; Bissoli-29 (Thiago-18 aos 16min do 2T) e Bruno José-16 (Airton-7 aos 30min do 2T). Técnico: Mozart

Reservas: Vítor Eudes-39, Stênio-19, Ariel Cabral-26, Jadson-88.

CSA(AL) x Cruzeiro – O Jogo

Os torcedores de futebol das Alagoas devem estar, com toda a certeza,  exultantes com a performance de seus times nos dois últimos anos. CRB e CSA fizeram com o Cruzeiro o que nunca devem ter feito com nenhum outro time de fora do Nordeste. O jogo de mais uma rodada pela Série B foi, portanto, outro vexame para a torcida do Cruzeiro acompanhar.

O técnico Mozart manteve a formação com três zagueiros e, a princípio, o mesmo esquema tático com jogadores diferentes. Por outro lado, permanece a indefinição de um consenso sobre o esquema tático. Comentaristas ( torcedor de rede social não conta ! ), contudo, apresentam opções e visões diferentes que até a tática no ” quadro ” fica confusa. (*)

Definitivamente, como escrevi anteriormente, o esquema de três zagueiros não me agrada e ver Joseph, Matheus Barbosa, Rômulo e Felipe Augusto, ao mesmo tempo em campo, é sinal de péssimo futebol.

Vamos ao jogo …

Primeiro tempo

Mais uma jogada de bola parada ( cobrança de escanteio ) e “achamos” o gol. Sempre algum jogador mais defensivo que aparece para finalizar. A partir disso, até os gols do CSA, o Cruzeiro equilibrava posse de bola e abdicou de atacar o adversário. Por outro lado, o CSA não conseguiu transpor a defesa de 3 zagueiros e seis “médios” do esquema de Mozart.

Fim de primeiro tempo e o jogo foi péssimo, o goleiro do CSA foi mero espectador e duas falhas do Cruzeiro determinaram todo o jogo.

Segundo tempo

As duas substituições no intervalo, uma para cada equipe, foram por motivos diferentes. Pelo lado do Cruzeiro, entrou Matheus Pereira e mudou a disposição tática. Pelo lado do CSA saiu Iury, pesadelo do Cruzeiro, contundido, o que poderia ser um alívio.

Não foi nada agradável ver mais de 50 minutos de péssimo futebol, arbitragem ruim e os jogadores do Cruzeiro com muita má vontade. Talvez tenhamos aqui o “dilema Tostines” azul: São ruins porque estão de má vontade ou estão de má vontade porque são ruins e não estão satisfeitos com fatores extracampo?

Resenha

Um jogo horrível, digno de Série C, com jogadores do Cruzeiro em seus piores momentos. Ver cruzeirenses reconhecendo que o Cruzeiro não merecia ganhar, é até compreensível, mas daí a ver méritos no adversário, sem chances.

Até pensei numa resenha maior e desisti ao ver o estupor geral da torcida. Se bem que, ao analisar todo o jogo e pensar nos jogos passados, vi um time pequeno, lutando por uma bola e marcando gols de bola parada pela falta de qualidade do elenco.

É desanimador !

Pérolas

Em jogo ruim, narradores, comentaristas, torcedores, simpatizantes, palpiteiros, enfim, a fauna toda, soltam suas pérolas sem dó.

Somente duas me incomodaram:

  1. Bob Faria abrindo a boca para falar qualquer coisa de futebol
  2. Torcedor do Cruzeiro crucificando Weverton por um erro no meio de campo.

Desisti de comentar além disso, sobre as “pérolas” nesta partida, na partida seguinte voltaremos mais animados com as sandices da patuleia.

Em tempo, não gosto de certos tipos de campanha, mas ” #ForaJJJ ” seria uma hashtag interessante de subir, pelo menos aqui em Minas. Se o cara sair e vier outro narrador, e o time continuar na draga que está, quero ver onde estes babões vão enfiar a viola.

Além do jogo

Ver que  Cruzeiro queria trazer meio time do CSA para a Toca 2 e ver a pouca qualidade da maioria dos jogadores deles, é deprimente.

Ouvir narrador, repórter e comentaristas elogiando jogadores adversários bem mais ou menos, é muito triste e vergonhoso.

Off Side: Tínhamos uma grande chance de nos aproximar do G4. Por exemplo, o gol aos cinco minutos alimentou esperanças de milhões de torcedores nas redes sociais durante 20 minutos. Confesso que não fico empolgado com vejo alguns declaradamente “no mundo da lua”. Enquanto a torcida do Cruzeiro não largar mão de seguir influenciadores do mal não iremos longe.

Arbitragem

Algumas coisas não apenas têm sido repetitivas, são constrangedoras e uma delas é o Cruzeiro não ter um capitão em campo à altura do que o clube representa. Por outro lado, a diretoria, do presidente ao supervisor, perderam qualquer atributo digno para representar o Cruzeiro. A falência moral é muito superior que a falência financeira e entidades como CBF, FMF etc. pisam sem dó com atos e omissões que deixam a gente muito chateado.

Com toda a certeza, esses árbitros são péssimos, os erros deles podem não ser decisivos para o placar final, mas tem prejudicado até a moral e comportamento dos jogadores em campo. O jogo contra o CSA nesta rodada foi somente mais do mesmo.

Atuações

Com toda a certeza, falhas individuais derrubam qualquer time. Entretanto, performances ruins e jogadores com pouca intimidade com a bola, prejudicam quem se apresenta mais para o jogo.

É assustador como torcedor olha erro de um jogador, mas não consegue ver o contexto e a jogada toda. Esta mudança na forma de avaliar atuações é motivada pelas críticas dirigidas ao Weverton, assim como foram feitas ao Paulo.

Se no meio de campo defensivo, tem dois jogadores omissos, que não vão na bola, é provável que a “bomba” sobre para os zagueiros tentarem algo além da capacidade deles. Da mesma forma, se os zagueiros e laterais não cumprem suas funções ou não tem cobertura, sobra para o goleiro. Portanto, nem sempre a jogada, o erro ou falha está contida só naquilo que é narrado ou valorizado.

Melhor em campo – Bruno José

Pior em campo – Rômulo

Herói do jogo – Não houve

Vilão do jogo – Joseph

Bruno José

Foi, sobretudo, mais uma vez, o melhor em campo. Dedicado, empenhado em dar combate, jogar pra frente e o “motorzinho” do time e, portanto, assume a função de armar os raros ataques do time. Sua substituição é inexplicável do ponto de vista tático pois mesmo cansado é mais lúcido do que quem entra em seu lugar descansado. Nota: 6,5

Rômulo

Conseguiu, acima de tudo, repetir as péssimas e apagadas atuações verificadas nas partidas anteriores. Da mesma forma, da atitude omissa e posicionamento ruim em campo, saem as jogadas dos adversários que “matam” todo sistema defensivo e ainda colocam a torcida e narradores com olhos em quem tenta fazer alguma coisa. Enfim, andou e passeou em campo e, além disso, ainda tem torcedor defendendo-o. Nota: 2,0

Joseph

Como se não bastasse as péssimas atuações anteriores, nesta partida reforçou a primeira impressão. Mostrou-se esforçado, se bem que de seus pés nasceu o gol fatal de desempate. No outro gol, igualmente, não conseguiu conter o adversário, além de perder outras disputas de bola. Seus companheiros de defesa, ficam preocupados pois é imprevisível. Nota: 3

Weverton
De fato, sofreu com as críticas dos narradores, comentaristas e influenciadores de redes sociais. Errar no meio de campo pode ser comum e aceitável para vários jogadores, entretanto, se vem da base, é punido com a “forca”. E, mesmo que a  jogada não resultasse em gol seria declarado culpado e ruim de bola. Nota: 4

Fábio
É provável que fatores estranhos tenham tirado aquele ânimo que ele tinha em outras temporadas. Por outro lado, o desânimo pode estar associado com a dupla de zaga que atua. O primeiro gol foi uma falha, era, sem dúvida alguma, uma bola defensável. No segundo gol, inegavelmente, um erro que muitos avaliaram como falha. O próprio jogador adversário admitiu que com o propósito de fazer o cruzamento acertou o gol. Com toda a certeza, Fábio devia estar pouco confiante com o Joseph e preparou-se para o cruzamento. Em suma, a falta de qualidade do atacante adversário mandou a bola direto ao gol e o erro ficou claro.

 

Notas:

Fábio(4), Joseph(3), Ramon(5), Weverton(4), Matheus Pereira(5), Matheus Barbosa(4), Cáceres(5,5), Rômulo(2), Adriano(6), Marcinho(6), Claudinho(3,5), Felipe Augusto(4,0), Bruno José(6,5), Aírton(4,5), Bissoli(4), Thiago(5,5), Técnico: Mozart(3).

CSA(AL) x Cruzeiro – Histórico
Números totais do confronto
Número de jogos 12
Vitórias do Cruzeiro 6
Empates 2
Derrotas 4
Saldo de vitórias 2
Gols do Cruzeiro 18
Gols de CSA 11
Saldo de gols do Cruzeiro 7
Jogo mais recente considerado – CSA 2×1 Cruzeiro – 27/06/2021
Fonte: CruzeiroPedia
Artilheiro

Cleisson (2).

Curiosidade

Embora ainda tenha vantagem de vitórias e gols sobre o CSA, o Cruzeiro não vence o CSA desde 2019.

Surpreendentemente, o Cruzeiro leva vantagem no confronto diante do CSA somente na Copa do Brasil em sistema de mata-mata.

O que vem por aí

Estamos aprimorando a ideia de proposta do projeto “O jogo que eu vi” e, por isso, temos esperado algumas reações imediatas para depois publicarmos cada texto.

Enfim, passadas 7 rodadas, estamos mais perto da zona da degola e os adversários vão apresentando suas ferramentas. Em outras palavras, a situação  está muito pior do que no ano passado e as perspectivas são terríveis, além de termos que continuar com o mesmo treinador.

Afinal, a diferença entre um treinador com convicção de seus propósitos e conhecimento do elenco e um treinador teimoso e mero entregador de camisas é uma linha tênue, ou não?

 

(*) Parece repetido? É repetido. Certamente, as apresentações do Cruzeiro têm sido repetidas no que de pior existe no futebol.

Arte: Romero Marconi

Fontes de pesquisa

Esta edição de “O jogo que eu vi” foi escrita por

Evandro Oliveira

Nota do editor

A trilha ” O jogo que eu vi ” mostra, não apenas, um ponto de vista, e muito mais sobre  determinada partida. Inclui, além disso, uma completa ficha técnica do jogo. Sempre com o propósito de que qualquer torcedor possa descrever o jogo que ele viu.

Desde já, agradecemos quaisquer sugestões, mesmo que sejam críticas e indicações de erros.

Trilhas PHD

Admin_PHD
Raposão PHD Páginas Heroicas Digitais
https://paginasheroicasdigitais.com.br

Deixe uma resposta