Centenário Clube Competição Cruzeiro Esporte Futebol O Jogo que eu vi Opinião Profissional

O jogo que eu vi – Ponte Preta(SP) x Cruzeiro

O jogo que eu vi

Esta trilha mostrará a perspectiva de um torcedor cruzeirense após cada partida que envolva o Cruzeiro, conforme a descrição da página principal. Assim sendo, o confronto deste texto é: Ponte Preta(SP) x Cruzeiro, válido pela 4a rodada do turno no Brasileiro 2021 da Série B.

A primeira partida do técnico Mozart como visitante e marcando o retorno de Giovanni como titular. Acima de tudo, a improvisação de Rômulo como ala direita, pela ausência de Cáceres, e outras mudanças no time formando um esquema 4-1-4-1, foram indicativos de uma atitude diferente.

Ponte Preta(SP) x Cruzeiro

FICHA TÉCNICA

Motivo: Jogo da 4ª rodada (Turno) do Campeonato Brasileiro 2021 – Série B

Local: Estádio Moisés Lucarelli – Campinas (SP)

Data e horário: 16 de junho de 2021 (quarta-feira), às 21h30

Árbitro: Vinícius Gomes do Amaral (RS) – CBF/AB

Assistente 1: Rafael Silva Alves (RS) – FIFA

Assistente 2: André da Silva Bitencourt (RS) – CBF/AB

Quarto Árbitro: João Vítor Gobi – CBF/CD (SP)

Analista de Campo: José Henrique de Carvalho – CBF (SP)

Público: Jogo de portões fechados devido à pandemia

Renda: Sem renda de bilheteria.

Gol: Bruno José, aos 11min do segundo tempo.

Cartões Amarelos: Rômulo e Ramón (Cruzeiro); Viní Locatelli e Ruan (Ponte Preta).
Cartão Vermelho: Não houve

PONTE PRETA 0
Ygor-1, Kevin-25, Ednei-2,, Cleylton-23,  Ruan-4 (Rodrigão-99) e Jean Carlos-26; Dawhan-5, Vini Locatelli-8 (Renatinho-29) e Camilo-10 (Richard-17), Moisés-21 (Fessin-20) e João Veras-45 (Paulo Sérgio-9). Técnico: Gilson Kleina

Reservas: Luan-12, Felipe-2, Pedro-11, Thiago-13, Marcos-15, Fabio-27, João Victor-28

CRUZEIRO 1
Fábio-1; Rômulo-27,  Ramón-4, Eduardo Brock-14 e Matheus Pereira-6 ( Weverton-34 no intervalo); Flávio-30 (Matheus Barbosa-17 aos 19min do 2T);   Bruno José-16, Marcinho-95 (Aírton-7 aos 26min do 2T), Felipe Augusto-22 e Giovanni-28 (Adriano-15 aos 19min do 2T); Sóbis-10 (Bissoli-29 aos 43min do 2T). Técnico: Mozart

Reservas: Lucas França-12, Vitor Eudes-39, Joseph-23, Paulo-33, Ariel Cabral-26, Stênio-19.

Ponte Preta(SP) x Cruzeiro – O Jogo

Cruzeiro e Ponte Preta enfrentaram-se em 28 oportunidades, desde que fizeram o primeiro confronto em 1970. Desse modo, esta foi a 13apartida disputada no Moisés Lucarelli.

Primeiro tempo

O Cruzeiro mostrou de cara que estava não somente escalado mas armado de maneira diferente das partidas recentes. Quinze minutos iniciais terríveis, sem nenhuma finalização a gol. Como se não bastasse, dos 15 minutos aos 40 somente chutes da Ponte Preta, alguns certeiros mas contidos por Fábio. Após os 40 minutos, o Cruzeiro fez duas investidas, mas sem nenhum resultado que levasse perigo ao gol da Ponte.

Primeiro Tempo - Ponte x Cruzeiro - 16jun21 - Fonte: SofaScore
Fonte: SofaScore

As estatísticas do primeiro tempo mostraram um equilíbrio na ruindade que os valores individuais e a duas equipes, até então lanternas, representam.

Enfim, posse de bola, passes certos e outros itens das estatísticas extremamente parecidos, equilibradas e frustrantes.

Algumas atuações na etapa inicial assustaram os torcedores. Eduardo Brock, por exemplo, foi um dos protagonistas de erros que não trouxeram nenhum prejuízo irrecuperável, ainda bem.

Desse modo, viu um primeiro tempo que só de terminar empatado era um alívio para torcedores de ambas as equipes.

O Cruzeiro teve algumas mudanças de jogadores curiosas. Rômulo, por exemplo, era lateral de origem, e muito narrador e torcedor falando em improviso. Como assim?

Enfim, para o cruzeirense, a expectativa era de que alguns jogadores rendessem mais e o técnico substituísse algum jogador que foi inútil nos primeiros 45 minutos.

Segundo tempo

Algumas expectativas que a torcida do Cruzeiro, bem como da imprensa mineira, tinham para a segunda etapa, foram sendo concretizadas. A primeira surpresa foi uma substituição no intervalo, o que não aconteceu na partida anterior. E de forma inusitada, o esquema 4-1-4-1 inicial mudou para um, surpreendentemente, para um 3-2-2-2-1, com a saída do lateral esquerdo e entrada de mais um zagueiro.

 

Final - Ponte x Cruzeiro - 16jun21 - Fonte: SofaScore
Fonte: SofaScore

Assim sendo, o Cruzeiro protagonizou uma mudança completa do panorama de jogo. O “dedo” do técnico Mozart pode ter sido responsável por isso, mesmo com pouco treino. Esta postura refletiu nas estatísticas, bem como na opinião do torcedor que habita as redes sociais.

Embora ainda continuasse com muitas dificuldades e o jogo estivesse aparentemente equilibrado, alguns jogadores do Cruzeiro estavam sobrecarregados e outros continuavam inúteis.

Mozart retomou as substituições e fez o que muita gente que não entendeu, também não tenha gostado. Se algum torcedor aprova a entrada do jogador Matheus Barbosa, deve ter algum motivo que não seja ver o Cruzeiro vencer.

As mudanças foram positivas e a Ponte ficou mais acuada. Marcinho destaca-se pelo posicionamento e num lançamento para Bruno José, que estava sozinho contra 5 adversários, conseguiu mostrar qualidade técnica e fazer a finalização que presenteou a torcida, o time e o técnico com uma importantíssima vitória num jogo de baixíssima qualidade técnica.

Resenha

Estou mais racional com as partidas e menos sentimental com os resultados. Portanto, nesta fase e temporada, só quero três pontos, não me importo com nada antes do apito final dos 90 minutos.

Em outras palavras, não quero nem saber se a vitória é por um a zero com gol do Eduardo Brock, Joseph ou Matheus Barbosa (aliás, artilheiro da temporada, acreditem !).

Não critiquei o Mozart embora seja da opinião que não é e dificilmente vai ser um técnico que eu contrataria para o Cruzeiro. Digo que o torcedor cruzeirense ainda não entendeu muitas coisas e ficar tentando salvar o clube, subir de divisão, recuperar a imagem, pagar as dívidas, não serão conseguidas ao mesmo tempo. E a sequência de se conquistar estas vitórias pode não ser na ordem desejada pelo torcedor. Tampouco fico com o otimismo de alguns que me disseram “… vai saborear a vitória …”. Não consigo ! Ainda tem 34 batalhas a serem vencidas.

Pérolas

Dessa forma, destaco algumas “pérolas”:

  • Com toda a certeza, ler e ouvir certas coisas é um sacrifício enorme. Ouvir ao final do jogo que “o melhor em campo, por que fez o gol” de um profissional da imprensa é fim de linha. Bob Faria, você é tosco e sem noção !
  • Numa rede social a avaliação do Eduardo Brock suscitou a discussão sobre o pior zagueiro da história do Cruzeiro. ” É o pior zagueiro da história do Cruzeiro “, ” a pior dupla de zaga dos últimos 20 anos …”
Além do jogo

O técnico mudou o esquema do time com pouco treinos. Marcinho, por exemplo, que estava para ser dispensado, virou herói e já foi escolhido como melhor em campo.

O afastamento do Cruzeiro da Toca 2 com o propósito de isolar o time da confusão pode ser um benefício. Caso uma apresentação contra o Operário, no sábado, mostre evolução do elenco e até mesmo com uma vitória, vou defender que o time fique longe da torcida.

Enfim, algumas situações e conceitos de torcedores e até mesmo de profissionais da mídia, me deixam irritado. Uma delas é com algumas definições como “assistência“. Desse modo, é até legal incluir isso nas estatísticas individuais dos jogadores. Entretanto, dizer que um escanteio batido ou um “bumba meu boi” para o ataque é assistência, me deixa irado.

Melhorou MUITO

As substituições e mudanças táticas de Mozart deram, contudo, uma outra postura ao time. Se bem que, discordei de algumas substituições e preferia Bissoli entrando como titular e Sóbis jogando os 30 minutos finais.

A frase do técnico Mozart ( “… o sistema de jogo se adaptará às peças …” ), com toda a certeza, me chamou atenção. Agora ela está sendo colocada em prática de fato.

Off Side: Se bem que, ainda como torcedor racional, não vejo este time disputando a Série A e até mesmo alguns adversários da Série B. É provável que muitos torcedores tenham ligado seu modo ciclotímico em velocidade 5, isto não vai dar certo.

Arbitragem

Uma arbitragem inexperiente e querendo mostrar qualidade na condução da partida pode, certamente, dar errado. Além disso, evitou mostrar cartões quando precisava e somente ao final do primeiro tempo mostrou o primeiro cartão.

Se o antijogo é, portanto, uma atitude que tem que ser punida, o árbitro economiza de um lado e penaliza de outro, está sendo incompetente. Jogador de futebol brasileiro deveria preocupar-se mais em jogar bola, bem como a arbitragem deveria atrapalhar menos.

Não tiveram erros capitais mas deixaram o jogo rolar e a indecisão de alguns auxiliares não foi fatal pela ruindade da partida.

Atuações

Muitas substituições prejudicam a avaliação do jogador no contexto da sua atuação e, por isso, ganham notas e análises diferentes. Por outro lado, se um jogador entra e não comete muitos erros ou é melhor do que aquele que substituiu, pode até passar despercebido:

      • Melhor em campo – Marcinho
      • Pior em campo – Sóbis
      • Herói do jogo – Bruno José
      • Vilão do jogo – Eduardo Brock

Notas:

Fábio(6,5); Rômulo-5,  Ramón-5,5, Eduardo Brock-4,5, Matheus Pereira(6),  Weverton(5), Flávio(4,5), Matheus Barbosa(5), Bruno José(7), Marcinho(7,5), Aírton(sem Nota), Felipe Augusto(6), Giovanni(5,5), Adriano(5), Sóbis(4), Bissoli (sem nota). Mozart (6,5).

DESTAQUES

Enfim, o melhor e o pior não devem ter sido citados por 80% dos narradores, comentaristas e torcedores. Marcinho ainda teve algumas citações pela referência do jogo passado no gol de empate. Por isso e pela sua assistência (na realidade lançamento, para Bruno José foi um dos destaques. A movimentação do meia foi igual a de outros jogadores, mas com muito mais efetividade.

Sóbis, mesmo que tenha jogado mais minutos, não conseguiu ser tão participativo e útil. Vários fatores explicam, mas atuar fora de posição piorou sua avaliação final.

Sobis_Marcinho_16junSofsScore
Fonte: SofaScore

Ponte Preta(SP) x Cruzeiro – Histórico

ESTATÍSTICA DOS CONFRONTOS

Números totais do confronto
Número de jogos 28
Vitórias do Cruzeiro 16
Empates 5
Derrotas 7
Saldo de vitórias 9
Gols do Cruzeiro 57
Gols de Ponte Preta 26
Saldo de gols do Cruzeiro 31
Jogo mais recente considerado

Ponte Preta 0x1 Cruzeiro – 16/06/2021 – Fonte: Cruzeiropedia

Artilheiros

Fred (4), Manoel (3).

Curiosidades

Cruzeiro e Ponte Preta só se enfrentaram pela competição chamada Brasileiro com diversos nomes, desde 1970. Enfrentamos a Ponte no Gomes Pedrosa, Copa Brasil, Brasileiro, Copa João Havelange e Brasileiro das Séries A e, surpreendentemente, na Série B por três vezes.

A segunda partida entre Cruzeiro e Ponte Preta foi realizada em 24 de junho de 1978, pelo Brasileiro, então denominado “Copa Brasil“. Dessa forma, ficaram sem se enfrentar por mais de vinte anos, voltando aos confrontos  somente em 5 de agosto de 1998, pelo Brasileiro, já com a nomeação de Brasileirão.

O que vem por aí

Estamos aprimorando a ideia de proposta do projeto “O jogo que eu vi” e, por isso, temos esperado algumas reações imediatas para depois publicarmos cada texto. As três partidas recentes nos dão a certeza de que o torcedor é movido, primordialmente, por resultados e posição imediatista.

Enfim, a primeira da sequência de duas partidas fora de casa foi contra a Ponte Preta, em Campinas(SP), e resultou na primeira do Brasileiro de 2021. Uma vez que no próximo final de semana o confronto é no interior do Paraná, contra o Operário, da cidade de Ponta Grossa, a expectativa da torcida está se elevando.

 

Arte: Romero Marconi

Fontes de pesquisa

Esta edição de “O jogo que eu vi” foi escrita por

Evandro Oliveira

Nota do editor

A trilha ” O jogo que eu vi ” mostra como cada torcedor viu determinada partida e inclui, além disso, uma completa ficha técnica do jogo. Sempre com o propósito de que qualquer torcedor possa descrever o jogo que ele viu.

Desde já, agradecemos quaisquer sugestões, mesmo que sejam críticas e indicações de erros.

Trilhas PHD

Admin_PHD
Raposão PHD Páginas Heroicas Digitais
https://paginasheroicasdigitais.com.br

Deixe uma resposta