Juazeirense(BA) x Cruzeiro - Copa do Brasil
Centenário Clube Competição Cruzeiro Esporte Futebol O Jogo que eu vi Opinião Profissional

O jogo que eu vi – Juazeirense(BA) x Cruzeiro

O jogo que eu vi

Esta trilha mostrará a perspectiva de um torcedor cruzeirense após cada partida que envolva o Cruzeiro. Sempre, de acordo com a descrição da página principal. Assim sendo, o confronto deste texto é: Juazeirense(BA) x Cruzeiro, onde falaremos do ” jogo da volta ” ( Second Leg ) pela 3a Fase da Copa do Brasil de 2021.

Uma tragédia anunciada devido aos resultados e fatores extracampo que envolvem o Cruzeiro. A tentativa é ver o jogo além destes fatores que influenciam muito dentro de campo e os resultados.

Portanto, não é fácil falar de uma partida envolta em tantas tragédias, desencontros e visões de um clube que afunda-se cada vez mais.

Juazeirense(BA) x Cruzeiro

FICHA TÉCNICA

Motivo: Jogo de Volta da 3ª fase da Copa do Brasil

Local: Estádio Adauto Moraes – Adautão – Juazeiro (BA)

Data e horário: 09 de junho de 2021 (quarta-feira), às 19h00

Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ) – CBF/AB

Assistente 1: Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ) – CBF/AB

Assistente 2: Thiago Rosa de Oliveira (Rj) – CBF/AB

Quarto Árbitro: Emerson Ricardo de Almeida Andrade – CBF/AB (BA)

Analista de Campo: Vidal Cordeiro Lopes – CBF (BA)

Público: Jogo de portões fechados devido à pandemia

Renda: Sem renda de bilheteria.

Gol: Thauan, aos 40min do segundo tempo.

Cartões Amarelos: Waldir, Clebson, Carlos Rabelo(técnico), Kanu, Eduardo, José Elísio (massagista) e Patrik (Juazeirense); Ramón, Matheus Neris, Matheus Barbosa, Stênio e Weverton (Cruzeiro).
Cartões Vermelhos: Matheus Pereira e Fabrício(Assistente técnico) (Cruzeiro)

JUAZEIRENSE 1(3)

Rodrigo Calaça-1; Lucena-2, Mineiro-3 (Kanu-10), Eduardo-4 (Wendel-14) e Daniel-6; Waguinho-5, Sapé-8 (Waldir-11), Patrik-15 e Clebson-20 (Ian-18); Kesley-23 e Toni Galego-7 (Thauan-19). Técnico: Carlos Rabelo.

Reservas: Bruno Neri-12, Nino Guerreiro-9, Sílvio-13, Jamerson-16, Felipe Santana-17, Carlinhos-21, Maycon-30.

CRUZEIRO 0(2)

Fábio-1; Cáceres-2, Weverton-34, Ramon-4 e Matheus Pereira-6; Matheus Neris-5 (Paulo-33 aos 30min do 2T), Matheus Barbosa-17 (Kaiki-46 aos 36min do 2T) e Rômulo-27; Bruno José-16 (Stênio-19 aos 29min do 2T), Airton-7 (Felipe Augusto-22 aos 29min do 2T) e Guilherme Bissoli-29 (Adriano-15 aos 36min do 2T). Técnico: Felipe Conceição

Reservas: Vitor Eudes-39, Rafael Sóbis-10, Eduardo Brock-14, Marco Antônio-20, Riquelmo-47, Claudinho-49

Juazeirense(BA) x Cruzeiro – O Jogo

Juazeirense(BA) e Cruzeiro foi o segundo confronto da história entre os clubes e  foi a partida que determinou o classificado à fase seguinte da Copa do Brasil 2021.

O torcedor cruzeirense, em função de resultados recentes estava temeroso com mais uma partida ruim. Certamente, não previam uma partida e vitória inquestionável, mas ainda assim acreditavam na classificação.

Como em confrontos anteriores, os temas extracampo como o novo diretor de futebol, as declarações do presidente, a manifestação de Rafael Sóbis ao ser substituído, deram a tônica dos comentários nas redes sociais. A colocação de Rafael Sóbis no banco e a ausência do goleiro Lucas França até entre os que estavam em Juazeiro(BA) dominaram o tom das redes sociais e até de comentaristas profissionais.

Primeiro tempo

Um começo de jogo ruim que daria o tom das performances dos jogadores do Cruzeiro na partida. O Cruzeiro teve na visão de alguns comentaristas um domínio superior ao adversário, o que não se confirma pelos números. No primeiro tempo a Juazeirense teve 62% de posse de bola, levando mais perigo ao gol de Fábio e o Cruzeiro 38% sem nenhuma jogada que fosse digna de destaque.

A insistência de Felipe Conceição em manter Matheus Barbosa, Matheus Neris e Rômulo no meio campo e Bruno José, Bissoli e Aírton como atacantes mas Bissoli isolado, mostrou ser equivocada. Rômulo, talvez o mais lúcido em campo, não conseguiu jogada eficiente no primeiro tempo e o time ficou limitado às bolas paradas de falta ou escanteio.

As tentativas de ligação ao ataque (chutões de volantes, zagueiros ou alas) resultam em pouca efetividade com elevado índice de passe errados. O gramado era ruim para as duas equipes, mas a Juazeirense se viu melhor nos passes e posse de bola. Dessa forma, jogadores adversários, mesmo com qualidade técnica e física inferiores aos dos cruzeirenses, se sobressaíram no primeiro tempo.

Segundo tempo

O técnico Felipe Conceição, mesmo com sua equipe apresentando muitos defeitos e não incomodando o adversário, voltou do segundo tempo sem alterações.

O adversário continuou no segundo tempo com mais passes, número de acertos maiores mas sofrendo com uma pressão inicial do Cruzeiro. Parecia que o Cruzeiro ia conseguir mudar o panorama da partida e algumas jogadas perdidas, finalizações despretensiosas e um gol incrível perdido pelo Aírton, deram a ideia que a classificação era possível.

Mas como na lenda urbana, o pão do Cruzeiro continua caindo com a manteiga pra baixo. O time teve maior volume de jogo do que no primeiro tempo e chances reais de gols perdidas em número superior ao do adversário. Desde os primeiros minutos do primeiro tempo, comecei a me perguntar: será que eles treinaram pênaltis?

O gol inesperado veio aos 40 minutos numa falha de bola aérea – uma deficiência gritante há muito tempo – e que mostrou o desentrosamento do sistema defensivo após as substituições do treinador.

Se não existia organização tática e tranquilidade, se os erros se avolumam, reverter um resultado negativo só piora as coisas. Não teve solução, e nem os possíveis erros da arbitragem, reclamados pelos torcedores aos quatro cantos, evitaram a disputa da classificação nos pênaltis.

Decisão por pênaltis

Houve um tempo em que torcedor do Cruzeiro reclamava que o Fábio não pegava pênaltis. Depois de muito treino, cruzeirenses passaram a confiar no Fábio para ajudar em classificações e títulos. Neste jogo, a esperança de classificação, segundo até profissionais da mídia, residia em alguns milagres do Fábio. Contudo, esqueceram que além de Fábio ter que defender, era necessário os batedores converterem.

Foi triste ver como os batedores perderam três penalidades, logo alguns mais experientes e peças-chave no time. Perderam Rômulo, Felipe Augusto e Matheus Barbosa e pouco adiantou Cáceres e Adriano fazerem o que devia ser feito.

Foi a primeira vez que o Cruzeiro conseguiu ser eliminado numa decisão por pênaltis na Copa do Brasil, sinal dos tempos. O técnico abriu mão de treino tático para treinar, exclusivamente, pênaltis, #DeuRUIM !

Resenha

Um jogo em equipe, com a possibilidade de 5 substituições e o treinador utilizou  muito mal os recursos que teve à disposição, são um claro sinal de que muita coisa vai mal.

Surpreendentemente, os comentários dos torcedores nas redes sociais indicavam que se a classificação viesse com o empate seria muito bom e as críticas poderiam ser diminuídas. Entretanto, o resultado provocou a ira de torcedores e a demissão do técnico. Sou dos poucos que não me agradou com a contratação de Felipe Conceição, por ver que os erros de 2020 se repetiam. Demissão de técnico, na minha visão, nunca resolve problemas estruturais e as demissões de Adílson Batista, Ney Franco e Enderson Moreiras provaram minha teoria. A situação agora vai piorar pois as soluções encontradas e possíveis,  recrudescerão o estado crítico do Cruzeiro.

Ouvir de torcedor que “… temos que ver o lado bom e podemos focar somente na Série B …” é desolador e revela, com toda a certeza, que a maioria da torcida não consegue ver um jogo e entender o contexto.

Durante a partida recebi mensagens como “fora Sérgio Rodrigues“; “treinador burro que não colocou o Sóbis“; “O Marcelo Moreno tá fazendo falta“, “esta defesa é muito ruim” e outros tantos. A maioria não corrobora a visão do jogo como um todo, do trabalho necessário para uma equipe. Desta forma, contribui muito a atitude do presidente e toda a comissão técnica e demais apaniguados envolvidos na estrutura da Toca 2.

Arbitragem

A arbitragem vem prejudicando o Cruzeiro em muitos lances. A ruindade do time, do conjunto, coloca mais pressão sobre árbitros mal formados e mal preparados. às vezes erros comuns e até naturais provocam tragédias para jogadores e torcedores. Os caras estão errando muito, talvez por influência perniciosa de dirigentes da CBF e o Cruzeiro não é respeitado por ninguém. Os árbitros não poderiam ser diferentes, mas são ruins mesmo.

Atuações

Avaliar atuações individuais num esporte coletivo onde dos dezesseis jogadores que atuaram em campo, uns dez não sabiam o que fazer é complicado. Em suma, observando as estatísticas posteriores ao jogo e avaliações em geral, cheguei às seguintes avaliações (sempre somente do Cruzeiro):

      • Melhor em campo – Bissoli
      • Pior em campo – Matheus Barbosa
      • Herói do jogo – Não houve
      • Vilão do jogo – Aírton

Notas:

Fábio(6); Cáceres(6), Weverton(5), Ramon(5,5), Matheus Pereira(6), Matheus Neris(4), Paulo(sem nota), Matheus Barbosa-17(2), Kaiki(sem nota), Rômulo(5), Bruno José(6), Stênio(sem nota), Airton(3), Felipe Augusto(sem nota), Guilherme Bissoli(6,5), Adriano(sem nota). Técnico: Felipe Conceição(2).

Atacantes

Comparação de movimentação de dois atacantes que atuaram quase o jogo inteiro. Teoricamente (não dá para saber o que determinou Felipe Conceição)  Bissoli deveria ficar mais fixo e Aírton ser a ligação em velocidade. Bissoli mostrou mais movimentação do que Aírton e o atacante perdeu um gol que não se deve perder numa decisão.

Fonte: SofaScore – 9jun2021

Cruzeiro x Juazeirense – Histórico

ESTATÍSTICA DOS CONFRONTOS

  • Cruzeiro 1 x 0 Juazeirense(BA) – 3jun2021 – Mineirão – Belo Horizonte(MG) – Copa do Brasil 2021
  • Juazeirense(BA) 1(3) x 0(2) Cruzeiro – 9jun2021 – Adauto Moraes (Adautão) – Juazeiro(BA) – Copa do Brasil 2021

Histórico: 2 jogos, Cruzeiro venceu uma partida e a Juazeirense venceu outra, marcou um gol e sofreu um gol. Na disputa por pênaltis pela partida decisiva para classificação, marcou 2 gols em cinco cobranças e levou 3 gols em quatro cobranças.

Artilharia: Bruno José(1)

Curiosidades

O jogo Juazeirense(BA) x Cruzeiro, caso fosse para os pênaltis, como foi, seria o tira-teima entre duas equipes que nunca haviam perdido disputa de pênaltis na Copa do Brasil. O Cruzeiro foi eliminado ao perder 3 das 5 cobranças.

A Sociedade Desportiva Juazeirense é conhecida como Canção de Fogo ou simplesmente Canção. Seu mascote é o(a) “Canção de Fogo”.

Matheus Pereira recebeu cartão vermelho direto pois, segundo o árbitro, ” Após o final da partida, o mesmo invadiu o campo de jogo, se dirigindo em direção da arbitragem e gesticulando com seu braço de forma acintosa e com o dedo em riste e proferindo as seguintes palavras ´ toda vez vocês erram contra nós e depois vem pedir desculpas, porra você está cego, aqui não tem VAR e você deveria se qualificar melhor`. Após as cobranças dos tiros do ponto penal o mesmo saiu do seu vestiário, invadiu o campo de jogo e se dirigiu a equipe de
arbitragem e proferiu as seguintes palavras de forma exaltada ´ tá vendo ai, fomos eliminados por culpa de vocês, quem vai pagar por isso seus vagabundos`, sendo contido pelos companheiros e policiamento.

Felipe Conceição - Foto: Alan Alencar/AME
Felipe Conceição
Foto: Alan Alencar/AME

 

Fabrício (Assistente do técnico) também levou cartão vermelho direto , após o encerramento da partida, por reclamar da não marcação de um possível gol em que a bola teria entrado.

Cáceres e Adriano converteram suas cobranças de pênalti, enquanto Rômulo, Felipe Augusto e Matheus Barbosa erraram.

O gandula Carlos Eduardo da Silva Santos foi excluído do jogo por retardar a reposição de bola em benefício do time mandante.

Felipe Conceição deixa o comando técnico do Cruzeiro após 19 partidas com a pífia performance de 8 vitórias, 8 derrotas e 3 empates.

O que vem por aí

Os comentários pós-jogo ainda repercutem nas redes sociais. Só não estão mais ácidos porque a demissão de Felipe Conceição foi diminuída pela opção de contratação feita pela diretoria.

Vamos à terceira rodada do Brasileiro e estamos em busca de 3 pontos; Juazeirense(BA) x Cruzeiro e a Copa do Brasil fazem parte do passado. Resta lembrar que, pelo novo regulamento, não podemos trocar de técnico até o final da temporada. A esperança minha e de muitos torcedores esvai-se, e ainda fico surpreso com a quantidade de otimistas nas hostes celestes.

Arte: Romero Marconi

Fontes de pesquisa

Esta edição de “O jogo que eu vi” foi escrito por

Evandro Oliveira

Nota do editor

A trilha ” O jogo que eu vi ” mostra como cada torcedor viu determinada partida e inclui uma ficha do jogo fiel à partida. Sempre com o propósito de que qualquer torcedor possa descrever o jogo que ele viu, com curiosidades e outras informações que não se vê por aí.

Trilhas PHD

Admin_PHD
Raposão PHD Páginas Heroicas Digitais
https://paginasheroicasdigitais.com.br

10 Replies to “O jogo que eu vi – Juazeirense(BA) x Cruzeiro

    1. É como eu disse para um leitor que justificou não falar do jogo…
      quando fica em segundo plano por conta da demissão do técnico e fatores extracampo, é porque ainda falta entendermos muita coisa…
      o CONTEXTO para o próximo jogo daqui uns dias é O MESMO, só que com outro técnico…
      e, SIM … o poço não tem fundo.
      P. S. Eu não entendo o torcedor cruzeirense otimista ou aquele com algum espectro autista (sempre imaginei que eles é que eram assim). Alguns achando que vai melhorar com um novo treinador, que a culpa da fase é do azar, das péssimas arbitragens, do gramado, calção do uniforme, coroa no escudo e por aí vai. Discordo e não entendo este tipo de “mundo de Alice”. Aí os “influencers” e “mídias” vão para as redes pedir PIX, centavos,… não pode ser sério !

      1. Faço coro: o jogo ficar em segundo plano é uma situação muito mais grave do que se pode pensar. A espiral em que o Cruzeiro se afundo vai girando mais rápido conforma descemos, e por consequência, fica ainda mais difícil sair dela. Essa troca de treinador mostra (mais uma vez! Até quando?!) que o que está em vigor é simplesmente mais do mesmo cheio de perfumarias.
        Não tem como achar que tudo está normal, que é fase ou azar. Ponto. A diretoria faz de conta que trabalha, mas sem mudar estatuto e conselheiros… o panorama já aponta o caminho que estamos tomando. Não vejo um pingo de esperança (vejo muita enganação!) porque simplesmente nada mudou (fico impressionando como os envolvidos ainda conseguem tirar proveito dessa situação! São verdadeiros mestres da pilantragem, vendedores de fumaça de ofício!). E como ainda não é tarde, essa direção está fazendo força e tirando as últimas gotas de esperança da torcida.

  1. Há alguns amigos eu já tinha cantado uma pedra: “Napoleão Bonaparte não entregava o comando de suas tropas a Generais que não tinham sorte”. O Conceição pode ser um excelente técnico. Mas no Cruzeiro demonstrou uma falta de sorte homérica. Na situação atual do time, o que interessa é ganhar e não jogar “como academia de futebol”. Não existe mais torcedor raiz que vai ao jogo até de juniores para ver o manto azul e campo. Dito isto, vamos ao jogo: dentro das limitações (táticas, estratégicas e técnicas) o Cruzeiro estava fazendo o que planejou; criou mais e melhores chances que o adversário, mas faltou o beijo da fortuna, da sorte; há muito (desde a eliminação para os cueis) o Cruzeiro está armado errado para este elenco (deveria ser um 4 x 4 x 2); estava sendo escalado jogadores errados (técnico novo que traz o seu ônibus insiste com jogadores que não deram certo ou limitados); abs .urdo o Sóbis não ter entrado na 2a etapa

    1. Rosan,
      Você, suas analogias e “viagens”…
      FC bom técnico? Só na cabeça sua, do Deivid e do SSR. (a propósito, foto sua com SSR em rede social é AGRAVANTE e não a ATENUANTE. e não tem HC que resolva! TAOQUEI?)
      E é isto… falar em sorte ou azar é típico do torcedor que não entendeu o que é TRABALHO e RESULTADOS.
      Olha as declarações que o Fábio tem feito HÁ MUITO TEMPO … nas linhas e entrelinhas…
      Vc falou um monte de ANTES… para com isso!
      Escreveu pouco sobre O JOGO QUE VOCÊ VIU, muito sobre um monte de analogia e abobrinha e hipóteses (“o Sóbis deveria ter entrado”) que NUNCA RESTARÃO provadas. SMJ

      1. Se você não fala em nem saberia. Não tenho relacionamento social com o presidente (a foto ele “furou” espaço naquela roda – risos). Nas circunstâncias do Cruzeiro ele tem feito um trabalho de restruturação financeira muito bom. No futebol ele tem deixado a desejar e eu já o critiquei no fim do ano (deixou de vender o Claudinho em setembro por R$ 18 milhões sendo ele mesmo em entrevista na mídia). Quanto ao técnico, tenho dito que “ele pode até ser bom, mas é um general sem sorte” – alusão a Napoleão Bonaparte que bancava fim de semana dos novos generais em casino para saber se tinha sorte porque não entregava suas tropas para general sem sorte.

        1. Sobre a sua opinião me incomodar?
          Não tenho a mínima ideia de onde você tirou alguma base para concluir isso.
          Pelo contrário, TODAS as opiniões me agradam, NUNCA me incomodam… e acredito que todas as pessoas que colocam opinião em alguma rede social esperam concordâncias e discordâncias…. acredito que a indiferença me incomode muito mais (e eu nem fico sabendo)…
          Você está errado e eu discordo da sua opinião. BELEZA?

Deixe uma resposta