Centenário - Roberto Batata - Placar - Arquivo
Atleta Centenário Clube Competição Cruzeiro Esporte Futebol Notícia Profissional Título

Centenário: Um acidente que apagou a carreira de um gigante – Hoje em Dia

Faltam 28 dias: gigante da ponta direita cruzeirense, Roberto Batata morreu no auge da carreira

 

No dia anterior, o Cruzeiro tinha encaminhado a classificação para a decisão da Copa Libertadores de 1976 goleando o Alianza, do Peru, por 4 a 0, em Lima.
O placar foi aberto pelo ponta direita Roberto Batata. Era o último gol e jogo de um dos maiores craques revelados pelo clube.

No dia seguinte, quando a delegação chegou a Belo Horizonte, ele pegou seu carro e foi direto para Três Corações, ver a sua família que estava na cidade do Sul de Minas.

Sofreu um acidente no Km 182 da Rodovia Fernão Dias e morreu pouco antes de completar 27 anos, pouco depois de iniciar a sua trajetória na Seleção Brasileira, em 1975.

Roberto Batata era um ponta raro. Conseguia aliar a habilidade exigida pela posição na época, com uma grande facilidade para balançar a rede.

Foram 110 gols com a camisa cruzeirense, isso em 285 partidas, média de 0,38, muito boa para jogadores da sua posição.

Pelo Cruzeiro, foi tetracampeão mineiro em 1972, 1973, 1974 e 1975, sempre como titular do time com papel de destaque.

Fazia uma grande Copa Libertadores quando morreu. E logo após a conquista do título, no Estádio Nacional, em Santiago, sobre o River Plate, da Argentina, os jogadores fizeram uma roda no centro do gramado, ajoelharam e rezaram, numa forma de homenagear o companheiro amigo e Roberto Batata.

Seu velório aconteceu na sede do Cruzeiro. A torcida fez longas filas para se despedir e homenagear o ídolo. A FMF decretou sete dias de luto e duas rodadas do Campeonato Mineiro foram adiadas por causa do abalo provocado pela morte de Roberto Batata.

Seu velório aconteceu na sede do Cruzeiro. A torcida fez longas filas para se despedir e homenagear o ídolo. A FMF decretou sete dias de luto e duas rodadas do Campeonato Mineiro foram adiadas por causa do abalo provocado pela morte de Roberto Batata.

A FICHA DO CRAQUE

NOME: Roberto Monteiro
NASCIMENTO: 24 de julho de 1949
LOCAL: Belo Horizonte (MG)
MORTE: 13 de maio de 1976
LOCAL: Belo Horizonte (MG)
ESTREIA NO CRUZEIRO: 20 de janeiro de 1971 – Cruzeiro 0 x 1 Peñarol (Uruguai) – Amistoso – Estádio Centenário – Montevidéu
PERÍODO NO CRUZEIRO: 1971 a 1976
GOLS: 110
JOGOS: 285
TÍTULOS: Campeonato Mineiro (1972, 1973, 1974 e 1975); Copa Libertadores (1976)
OUTRO CLUBE: Atlético, de Três Corações
NA SELEÇÃO BRASILEIRA (jogos oficiais)
ESTREIA: 31 de julho de 1975 – Brasil 4 x 0 Venezuela – Copa América – Estádio Universitário (Caracas)
GOLS: 3
JOGOS: 6

Imagem: Revista Placar/Arquivo

Para comentar, envie e-mail para

raposao@paginasheroicasdigitais.com.br

e faremos seu cadastro.

Admin_PHD
Raposão PHD Páginas Heroicas Digitais
https://paginasheroicasdigitais.com.br

One Reply to “Centenário: Um acidente que apagou a carreira de um gigante – Hoje em Dia

Deixe uma resposta