Anselmo Ramon fez gol único da partida - Pedro Vale- DIV/ACF
Clube Cruzeiro Esporte Futebol Notícia Profissional Toca 2

Cruzeiro sofre sua primeira derrota na Série B e decepciona torcida – PHD

Cruzeiro leva gol da Chape no início, produz pouco e sofre primeira derrota na Série B
Esse também foi o primeiro revés da Raposa desde o início da ‘era Enderson’

 

O Cruzeiro não conseguiu repetir o poder de reação de outros jogos e sofreu a primeira derrota na ‘era Enderson’. Depois de levar um gol da Chapecoense logo aos 10’, o time celeste controlou a posse de bola, mas sofreu com transições lentas e não conseguiu criar chances claras para empatar ou virar o placar em duelo pela quarta rodada da Série B. Anselmo Ramon, velho conhecido da torcida celeste, foi o protagonista da vitória dos catarinenses, por 1 a 0, no Mineirão.

Com a derrota em Belo Horizonte, o Cruzeiro perde a oportunidade de dar um salto na classificação da Série B do Campeonato Brasileiro e estaciona na 11ª posição. Embora tenha três vitórias, a equipe soma apenas três pontos, uma vez que iniciou a competição com menos seis em função da punição da Fifa pela dívida na contratação de Denilson, realizada em 2016.
Na quinta rodada, o compromisso do Cruzeiro é diante do Confiança. A partida está marcada para as 18h de domingo, na Arena Batistão, em Aracaju, Sergipe. A Chapecoense, por sua vez, medirá forças com Guarani, em jogo marcado para a Arena Condá, segunda-feira, às 20h.

O jogo

Transições lentas, meio-campo inoperante e poucas chances de gol criadas. Assim foi o primeiro tempo apático do Cruzeiro, que entrou em campo desfalcado pelo volante Jadsom, cortado da partida em função de incômodo muscular. O jovem foi substituído por Adriano. Jogando fora de sua posição de origem – como primeiro volante e não segundo, como era utilizado na base -, ele pouco produziu.
Com muita dificuldade na saída de bola, o time de Enderson Moreira viu a Chapecoense abrir o placar logo ao 10’. Anselmo Ramon fez valer a “lei do ex”, finalizou da entrada da área e contou com a sorte, uma vez que a bola desviou em Cacá antes de encobrir Fábio. 1 a 0. Essa foi a única chance dos catarinenses, que tiveram apenas 37% de posse de bola na primeira etapa.
A jogada do gol catarinense foi toda construída no lado esquerdo de ataque, aproveitando os espaços deixados por Giovanni, que retornou ao time. O lateral-esquerdo, inclusive, fez mais um tempo muito ruim, com falhas defensivas, posicionamento errado e nenhuma produção na fase ofensiva.
Na volta do intervalo, Enderson promoveu de uma vez duas mudanças. Tirou Adriano para a reestreia de Henrique e trocou Stênio por Welinton. As alterações tiveram como objetivo tentar dar mais qualidade na saída de bola e buscar profundidade no ataque. Embora tenha conseguido se manter mais no campo da Chape, seguiu encontrando muitas dificuldades para criar chances.
Aos 20’, o treinador trocou Maurício por Arthur Caíke, que estreou pelo Cruzeiro. O camisa 7 foi acionado em algumas oportunidades, especialmente em cruzamentos para a área – foram 53 notal -, mas também não conseguiu marcar. A pouca produção ofensiva da Raposa acabou significando a primeira derrota do clube na ‘era Enderson Moreira’.

ATUAÇÕES

Régis e Maurício, jogadores que poderiam pensar mais o jogo e trazer chances ao time, têm baixo rendimento; Marcelo Moreno luta bastante, mas bola chega pouco.

Régis
Atuação bem abaixo do que o camisa 10 já mostrou ter condições de realizar no Cruzeiro. Boa parte das tentativas não deu certo. No jogo, ficou preso entre as linhas de marcação da Chapecoense e não conseguiu criar. Foi substituído por Roberson. Nota: 3

Maurício
Vem sendo subutilizado atuando pelo lado esquerdo do campo. A tentativa de Enderson, com ele por esse lado, é buscar profundidade e fazer o ‘dois contra um’ com Giovanni, mas o meia vem rendendo pouco neste espaço de campo. Nota: 4

Marcelo Moreno
O atacante luta, luta, luta em campo, mas depende também da ajuda dos companheiros para que essa vontade mostrada seja refletida em boas jogadas e gols. Bola chegou pouco ao atacante que, em alguns momentos, teve que buscá-la para tentar criar alguma jogada de perigo. Moreno, Cabral e Cáceres foram os mais regulares. Nota: 5,5

As notas para os jogadores do Cruzeiro:
Fábio: 5
Raúl Cáceres: 5,5
Léo: 5
Cacá: 5
Giovanni: 3,5
(Patrick Brey: 5)
Adriano: 4
(Henrique: 5)
Ariel Cabral: 5,5
Stênio: 3,5
(Welinton: 4,5)
Maurício: 4
(Arthur Caíke: 4,5)
Régis: 3
(Roberson: 4)
Marcelo Moreno: 5,5

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 0 X 1 CHAPECOENSE
Motivo: 4ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data e horário: 20 de agosto de 2020 (quinta-feira), às 21h
Árbitro: Denis da Silva Ribeiro Serafim (AL)
Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque (AL) e Brigida Cirilo Ferreira (AL)
Cruzeiro – Fábio; Cáceres, Cacá, Leo e Giovanni (Patrick Brey); Ariel Cabral e Adriano (Henrique); Stênio (Welinton), Regis (Roberson) e Maurício (Arthur Caíke); Marcelo Moreno. Técnico: Enderson Moreira

Chapecoense – João Ricardo; Matheus Ribeiro, Joilson, Luiz Otávio e Alan Ruschel; Ronei Gebing (Derlan), Willian, Lucas Tocantins (Vini Locatelli), Aylon (Rone) e Paulinho (Regis); Anselmo Ramon (Roberto). Técnico: Umberto Louzer 

Gol: Anselmo Ramon (aos 10’ 1º T)
Cartões amarelos: Matheus Ribeiro, João Ricardo e Roberto (Chapecoense)
* com material de GEsporte.Com e Portal UAI
Imagem : Pedro Vale DIV – ACF

Ouça o PHDcast com Raposão PHD

Cruzeiro 0 x 1 Chapecoense-SC – 4a Rodada Br´20 (20-08-2020)

PARTICIPE

Promoção PHD #1 – Doe no Meep FIFA e ganhe prêmios

 

Admin_PHD
Raposão PHD Páginas Heroicas Digitais
https://paginasheroicasdigitais.com.br

5 Replies to “Cruzeiro sofre sua primeira derrota na Série B e decepciona torcida – PHD

  1. Que o time vem jogando mal desde o início do ano, todos sabem. Só que ainda não tinha perdido e as vitórias escondem todos os erros e defeitos que este time tem. Senhor Enderson Moreira que trate de melhorar esse time, pois o elenco pra série B não é tão fraco exceto a lateral esquerda, posição que os débeis de internet diziam que qualquer coisa seria melhor que Egídio. Então contentem-se agora com qualquer coisa(Geovane, Brey, Joao Lucas – juntando os 3 nao dá um). Cruzeiro até teve impeto, foi ao ataque, mas sem nenhuma efetividade, poderiam ficar jogando por horas que o gol não sairía. Time não tem repertório, não tem criação pelo meio, laterais não acertam cruzamentos e ainda tem um baita azar de tomar gols como foi do A. Ramon e aquele contra o Guarani. Ainda temos que melhorar muito pra tentar alcançar o G4. A conferir, ontem foi desanimador.

  2. Permita me discordar da nota do Giovanni. Igualar com a atuação do Stênio é uma afronta. O primeiro não aceitou nada, nada vezes nada ontem, além de fornecer contra-ataques o tempo todo. Levava bola nas costas. Quantos aos mais jovens, precisaremos ter paciência, poiS temos que promovê-los para futuras vendas. Difícil vai ser arrumar esse espaço no time com Arthur, Regis, Jean, Henrique, Ariel no meio. O
    Ederson vai ter que dar um jeito para que Adrianoo, Jadson, Maurício joguem.

  3. O time jogou mal como em outras partidas da Série B (Rural não conta!).
    Torcedor que viu “padrão de jogo” para depreciar o Adílson e enaltecer o ENderson ou é mal intencionado ou não tem a mínima noção de futebol.
    Melhor = Ariel
    Pior = Giovanni
    Herói =Henrique
    Vilão =Régis
    Moreno é um empata-phoda.

Deixe uma resposta