Páginas Heroicas Digitais (PHD)

Blog Páginas Heróicas Digitais (PHD) sobre as coisas do Cruzeiro Esporte Clube

Páginas Heroicas Digitais (PHD)

Uruguai 1(4)x1(2) Gana: Eterna Celeste Olímpica

Às 15h30 (Brasília), no Soccer City, em Joanesburgo, Uruguai e Gana decidem quem vai às semifinais com arbitragem do português Olegário Benquerença.

Milovan Rajevac escalará Gana no 4-1-4-1 com o artilheiro Asamoah Gyan exercendo a centroavância e Annan a volância.

Oscar Tabárez escala o time charrua no 4-3-1-2 e sua chave da vitória está no trio avançado, Cavani, Suarez e Forlán.

*****

Reportagem do Ovación, de Montevidéu:

Milagro celeste: ¡Uruguay entre los cuatro mejores del mundo!

Uruguay derrotó a Ghana en una infernal definición por penales 4-2 y se metió entre los cuatro mejores del mundo por primera vez 40 años. Los 90´ reglamentarios y los 30´ de alargue finalizaron igualados 1-1. En los penales, Muslera tapó dos penales y Abreu… ¡picó el último! y metió a la celeste entre los cuatro mejores por primera vez en 40 años. 

Uruguay comenzó mejor que Ghana. 

A los 3´, el “Flaco” Fernández mandó un centro desde la derecha que se cerró y cruzó por delante del arco africano sin que ningún uruguayo pudiera conectar. 

Posteriormente, Luis Suárez tuvo dos grandes ocasiones: la primera a los 10´, cuando se sacó un rival de encima y remató al arco, pero su intentona fue bien conjurada por Kingson, y a los 26´, cuando nuevamente se enfrentaron arquero y goleador, y volvió a salir airoso el africano al mandar al corner con espectacular atajada otro potente tiro con olor a gol del 9. 

Unos minutos antes, Mensah por poco se la mandó a guardar a su guardameta cuando, tras un corner, despejó para el lado equivocado. Kingson volvió a salvar.

Hasta allí, Uruguay era más y no sufría ningún tipo de problemas en defensa. Sin embargo, Ghana encontró la pelota y en base a su velocidad comenzó a generar preocupación. 

A los 30´, el duro Vorsah cabeceó en buena posición tras un corner desde la izquierda, pero su disparo se perdió afuera. No fue gol, pero había sonado la primera alarma.

Sesenta segundos después, Gyan por poco corona una contra letal iniciada a pura velocidad por Boateng en el sector derecho, pero gracias a todos los santos su tiro rastrero se perdió desviado. 

La primera mala noticia para la celeste llegó a los 38´, cuando el capitán Lugano debió retirarse debido a un golpe sufrido algunos minutos atrás, cuando Vorsah se le cayó encima tras un corner a favor de Uruguay. Ingresó Andrés Scotti. 

Ghana seguía insistiendo: Muntari (39´) cabeceó desviado tras un pelotazo cruzado. 

Cuando parecía que la primera mitad se iba sin goles, que era lo mejor que le podía pasar a la celeste en ese momento, Muntari (45´ + 2´) tuvo su revancha y marcó en la jugada, en apariencia, menos peligrosa de los africanos. 

Desde más de treinta metros, remató sin muchas pretensiones, pero la “Jabulani”, para variar, tomó un raro efecto que descolocó a Muslera y se coló en la meta uruguaya. Un gol doloroso. 

Así se marchó la primera mitad. 

Los ghaneses iniciaron mejor el complemento, pero Uruguay-ya con Lodeiro en cancha- rápidamente reaccionó e igualó el tanteador a los 55´, por intermedio de Forlán, quien despachó un fenomenal tiro libre, de esos de su estilo, que descolocó a Kingson para decretar la sufrida igualdad. Uno a uno y pelota al medio. 

Gyan (58´) sacó la cara por los africanos, pero Muslera detuvo, a medias, su rastrero disparo. 

Sin embargo, el gol del empate entonó a Uruguay, que, con mucho amor propio, creció y se acercó cada vez con más y más peligro a la valla rival. 

Suárez tuvo el gol en dos ocasiones: a los 60´ la tiró afuera tras centro de Forlán y a los 70´, luego de buena combinación con Lodeiro, vio como su tremendo zapatazo era enviado al corner por Kingson en espectacular atajada. 

Cinco minutos después, Forlán probó con otro remate libre que pasó cerca del palo izquierdo del arquero africano. 

El maestro Tabárez, viendo que se podía y que anímicamente Uruguay estaba más entero, mandó a Abreu a la cancha (salió Cavani). 

La celeste, con gran corazón, se llevaba por delante a su rival y era más, pero no pudo definirlo y los 90´ finalizaron igualados en un gol. 

El primer tiempo del alargue no modificó las cosas. Un poquito mejor Ghana al comienzo y luego (infructuoso) dominio celeste. Eso sí, el cansancio ya estaba jugando su partido… 

A los 9´ de la segunda mitad del alargue, Forlán gozó de una buena chance, pero su tiro se perdió afuera cuando se encontraba en buena posición dentro del área. Un minuto después, el “Mono” Pereira desbarató una peligrosa jugada ghanesa reventando la pelota al out ball. 

Boateng, faltando dos minutos, cabeceó afuera paralizando el corazón de todos los uruguayos. 

Sin embargo, la jugada que por poco mata a todos los uruguayos fue la última del maratónico partido: Suárez despejó la pelota con la mano en la línea de gol cuando la pelota se metía y el juez portugués cobró penal y expulsó al 9 celeste. 

Asamoah Gyan asumió la responsabilidad, pero su potente remate pegó en el travesaño y se fue afuera. Increíble. Uruguay seguía vivo. 

Así se marcharon los 30´ de alargue y llegaron los penales. 

En esa instancia, Fernando Muslera se vistió de héroe y tapó dos penales, pero el milagro lo completó Abreu picando el último. 

¡Uruguay entre los cuatro mejores del mundo!

Ficha do jogo:

Uruguai 1(4)x1(2) Gana – Estádio: Soccer City (em Joanesburgo). Data: 2/7/2010. Horário: 15h30m. Árbitro: Olegário Benquerença (Portugal). Assistentes: José Cardinal (Portugal) e Bertino Miranda (Portugal). Público: 84.017 – Cartões amarelos: Fucile, Arévalo Rios e Pérez (Uruguai); Mensah, Pantsil e Sarpei (Gana). Cartão vermelho: Suárez, aos 15 minutos do segundo tempo da prorrogação. Gols: Muntari, aos 46 do primeiro tempo; Forlán, aos 10 do segundo. Uruguai: Muslera, M. Pereira, Lugano (Scotti), Victorino e Fucile; Pérez, Arévalo Rios e Fernández (Lodeiro); Forlán, Suáres e Cavani (Loco Abreu). Técnico: Oscar Tabárez Gana: Kingson, Pantsil, Vorsah, Mensah e Sarpei; Annan, Inkoon (Appiah), Asamoah, Prince e Muntari (Adiyiah); Gyan. Técnico: Milovan Rajevac.

0

74 Comments on “Uruguai 1(4)x1(2) Gana: Eterna Celeste Olímpica”

  1. Que curva deu a bola do ganense! Mesmo de longe, pegou o goleirinho no contra pé.. Bonito!

    0
  2. OT e de volta a nosso Cruzeiro: para a novela dos nossos reforços vale a máxima :”much ado about nothing”. Falou-se muito até aqui, mas nada de efetivo. Nada de Riquelme, nada de Montillo, nada de Farias (aun que esto no lo “faria” mucha diferencia)… Enquanto isso, no lado supostamente menos bem administrado da lagoa, mais um veio. Do nosso lado, só muitos foram. Sinceramente, o ZZP está para o Cruzeiro assim como o Zidane esteve para a seleção Francesa. Em um dado momento, figura importante em momentos gloriosos. Mas no final, tá dando cabeçadas por aí…

    0
    • Vai ver que eu não entendo nada e o Cruzeiro vai investir em mais um esporte: a Natação… por que, até aqui, ZZP: NADA…

      0
  3. Bem, quem esperava ver o BRASIL x URUGUAI, caminha pra ver HOLANDA x GANA. Tenho certeza de qeu não é o jogo mais interessante, mas que GANA está achando a jaBOLAni e colocando ela na casinha, está. Fazem muita falta, muito empurrão, o protuga fica só na ameaça, e amarelou um urugauio, mas poderia ter amarelado 3 afros, e nada…

    0
    • É… essa coisa de interpretação na arbitragem do futebol dá nisso.. critérios interpretações que nunca parecem ser equânimes…

      0
      • MARCEL, EU acho que isso que desequilibrou o BRASIL também. No 1.o tempo houve penal em KAKA. O holandez prende o pé de apoio, e a bola é tocada pra fora, mas a falta ocorreu antes. Na frente do bandeira. o cucurutonakara não enxerga no, e vira apenas lateral. Isso, no final, faz diferença. Claro que faz. Filipe Melo não é anjinho, mas não vimos em detalhe as entradas do SCHNIDER nele não marcadas e sem bola. No 1.o tempo, houve strike, pegarma 2 nossos, que foi revide do strike que houve neles. Então, a coisaestava bem descambada do que se “espera” de futebol. se o URUGUAI não chegar na bola, vai embora hoje tb.

        0
      • Artur. Concordo. Há muito tempo que minha “birra” com o futebol vem disso. As arbitragens, mesmo sem erros (ou “erros”) bisonhos, incfluenciam jogos. Concordo plenamente. No primeiro tempo houve penalti sim. Afinal, carrinho é carrinho ou não é??? Quantas vezes reclamamos aqui nos jogos do Brasileirão. Acontece que o futebol é administrado por uma entidade do século III… (a.C.)… Não acho entretanto, que a conta da derrota de hoje vá só nisso. Tem muita coisa… Mas é passado. O que acho que deve ser a briga de quem ama futebol daqui pra frente é que se mude a regra.

        0
      • Na minha mente tenho 3 sonhos que, quem sabe, ainda verei no futebol:
        – que se elimine a possibilidade de interpretação (falta por trás é falta por trás, carrinho é carrinho, bola na mão é bola na mão, paradinha é paradinha)…
        – que se institue o challenge – cada tima teria até 2 possibilidades de reavaliação de um lance polêmico, com análise de meios eletrônicos.
        – que se institua um número máximo de faltas por tempo de jogo, por equipe e por jogador. Passado o número de faltas por equipe, tiro livre direto da marca de entrada da área. Por jogador, vai pro chuveiro, podendo ser substituído.

        0
      • A segunda devia valer pelo menos para Copa do Mundo já que tem pelo menos 200 câmeras nos estádios.

        0
  4. Rapaz, esta vuvuzela dá a impressão que estamos dentro de uma casa de marimbondo. O Walfritz pé-frio vai voltar surdo.

    0
  5. O Muslera foi em todas as bolas, quase pega a segunda e pegou as duas últimas. El Loco foi extremamente frio mas o herói do jogo foi o Suarez.

    0
  6. Podem falar o que quiserem, mas aquela mão do jogador uruguaio no último minuto representa a vontade celeste de vencer. Eles não medem esforços e não pensam nas conseqüências. O árbitro puniu o jogador corretamente mas o sacrifício dele não foi em vão. Jogaço! Parabéns ao Uruguai que se doou. Todos os jogadores corriam, todos marcavam.

    0
      • Você tem razão, Jorge. Mas torço pela recuperação do futebol uruguaio.

        0
    • Também achei. Pelas circunstâncias, pelo penal no último minuto, mereceram vencer mais do que Uruguai. E acho que iriam encarar a Holanda, tenho minhas dúvidas sobre o Uruguai, que também está “nervioso”.

      0
  7. URUGUAY sobrevive ao favoreciemnto luso pró-África. A falta que levou ao penal e a expulsão, não existiu. Castigo, hein? O atacante faz o penal pra salvar o time no último minuto, o GYAN perde no travessão, e nos penais. bye bye GANA… O futebol de GAN é muito bom, mas a quantidade de falta, principalmente as ignoradas, não é pouco. Houve penal não marcado pro URU, e pelo menos uma expulsão que virou amarelo. O URU descontou e também deveria ser expulso. No final, pra mim a armação se explodiu… HOLANDA e URUGUAI vai ser uma boa semifinal. URU também tem seus fominhas, FORLAN golaço, SOAREZ (fominhaço). Bom goleiro, e o distaque VITORINO um excelente zagueiro. destaque tb para o LEsq.

    0
    • O time do Uruguai é esforçado, tem alguns talentos, mas só poderia ganhar do time do Brasil em uma eventual final mesmo, se o time brasileiro perdesse a cabeça, como hoje. Eles perderam de 4 x 0 para a seleção do Dunga em pleno Centenário…

      0
  8. Uruguai (que já foi parte do Brasil, enfim…) terá minha torcida. Não que isso valha muito, mas o jogo hoje ganhou minha simpatia. Que trucidem os cai-cai laranjas.

    0
    • Quero que o Uruguai arrebente a seleção do futebol mais moderno, alegre e serelepe do mundo.

      0
    • Vamos esperar esse Montillo chegar e jogar para podermos fazer uma avaliação melhor. Mas vocês não acham que, na nossa situação, contratar jogador que poderá entrar em campo talvez só no fim de agosto, seja correr risco de ver a vaca ir para o brejo antes? Não tenho nada contra o rapaz, mas o timing de contratações da diretoria do Cruzeiro anda mesmo muito esquisito. Quando estamos numa final de Libertadores, vendemos. Quando estamos na rabeira no Brasileiro, compramos para chegar depois. E burros são os técnicos.

      0
      • Está muito difícil acreditar num segundo semestre melhor. No futebol a verdade se mostra dentro de campo. Mas no papel, nosso rival se preparou bem melhor que nós para a retomada do Brasileiro. Outros como Inter e Palmeiras, nem se fale. Muita preocupação.

        0
      • Vamos aguardar. E sugiro não ficar secando o cara sem ele, pelo menos, mostrar ao que veio…

        0
      • Pois é.. meu temor é o que acontecerá até que ele chegue e mostre a que veio. Cuca está com um elenco enxutíssimo e carente de qualidade.

        0
    • Grande jogador, grande técnico, excelente pessoa! Sou fã do Adilson! Terá sempre meu respeito! Ao contrário de uns imbecis que se acham maiores que os clubes, que saem magoados desejando o mal desse clube, e que dão bananas para a torcida. Esses sempre terão a minha “marcação cerrada”!

      0
  9. Agora, ter o time do Uruguai na frente do time do Brasil e do Chile na classificação é brincadeira. Pontos corridos para a Copa do Mundo! Que venha a Liga Mundial de futebol! 🙂

    0
  10. Que jogão meninos, hein? FINAL INFARTANTE. Agora também estou torcendo em contra do Frede e Elias, hehehehe. Forlán neles!!!!! Boa noite a todos.

    0
  11. Jogaço emocionante, cheio de alternativas, um teste pra cardíaco, realmente.Fico feliz pela recuperação do futebol uruguaio, mas que os ganeses nos penais foram auto-suficientes ao extremo e cheio de pernas , isso foram, nem distância direito eles tomaram.Pagaram pela soberba, se é que isso existe pelos lados da África.
    Abs.

    0
    • Os ganeses começaram a “se achar”, mal de muito jogador por aí… Como dizia o Adilson, tem jogador que tem pouco cérebro…Valeu, Uruguai!

      0
    • Kmp, não achei soberba. Convenhamos, depois do lance do penalti do Gyan, eles ficaram abalados emocionalmente. E, curioso, quem perdeu foram dois veteranos. Em nenhum momento do jogo eles menosprezaram o adversario. Não concordo com esta tese de jeito nenhum.

      0
      • Mauro, tudo bem, pode ter faltado mais tarimba, cancha, principalmente naquele penal no último minuto, em que o ganês quis estufar a rede, podia colocar a bola, mas deu um balaço que explodiu no travessão, aí concordo, o time se abalou psicologicamente.Talvez o termo correto nem seja soberba, mas um pouco mais de equilibrio e competência, o chamado sangue-frio nos momentos cruciais, mas falar isso de longe é muito fácil.
        Abs.

        0
      • O Gyan bateu na bola na disputa final do mesmo jeito com que errou o penal no final do jogo. A diferença é que a bola entrou.

        0
  12. que o futebol africando consiga se livrar dos seus treinadores europeus, essa praga que devasta o continente.

    0