Uma cascata a menos

Por SÍNDICO | Em 13 de abril de 2006

Há tempos eu pensava em escrever sobre uma falácia plantada pelos emplumados e que muitos cruzeirenses, por ignorância, ou pra valorizar a capacidade de superação do clube, aceitaram sem discutir. Refiro-me à cascata de que, antes do Mineirão, Atlético e América tinham a maior torcida do estado.

Clube mineiro pleitear o posto de maior torcida do estado antes do Mineirão parece até brincadeira. Botafogo e Flamengo seguidos, à distância, por Fluminense e Vasco, tinham as maiores torcidas em Minas. OK, não tenho provas, mas o fenômeno era de tal magnitude que dispensaria qualquer pesquisa científica, coisa que, de resto, não se fazia naqueles tempos heróicos e pouco profissionais do futebol.

Em Belo Horizonte e adjacências, sim, reinavam absolutos os três grandes da cidade. E até os vizinhos Villa Nova e Siderúrgica donos de torcidas respeitáveis. Os torcedores do resto do estado, contudo, se deixavam embalar, nas tardes de domingo, pelas transmissões esportivas das cariocas rádios Globo, Nacional e Tupi. 

O Marcos Pinheiro, tão incredulo quanto eu acerca dessa história de que o América tinha mais torcida do que o Cruzeiro antes do Mineirão, vira e mexe, encontra números que corroboram nossa tese. Ontem, ele mandou uma mensagem que, por sua importância, trago para a primeira página e ofereço ao debate dos amigos leitores.  

“Encontrei uma pesquisa feita em 1931 pelo Estado de Minas, sem qualquer critério metodológico de amostragem, sobre as o tamanho das torcidas em Belo Horizonte. Não estou certo se a 3ª parcial foi a definitiva, mas foi a úlitma que encontrei em minha pesquisa.

Eis o resultado:
Atlético – 46,2%
Palestra – 35,9%
América – 10,8%
Villa Nova – 2,9%
outros – 4,3%

Em 62 ou 63 houve outra pesquisa sem qualquer critério científico de amostragem. Não sei os resultados quantitativos, mas qualitativamente deu Atlético em 1º e Cruzeiro em 2º. O que sei é que, no campeonato de 63, os jogos do Cruzeiro tiveram o dobro da renda dos jogos do América. Essas duas “pesquisas” derrubam uma mentira repetida há muito tempo pela imprensa: a de que o América tinha mais torcida que o Cruzeiro antes do Mineirão. A TORCIDA DO CRUZEIRO SEMPRE FOI MUITO MAIOR!

Em 1971, a revista Placar publicou uma pesquisa do Instituto Gallup. Essa informava intervalo de confiança, margem de erro e tudo o mais que se requer de uma pesquisa científica. Deu Atlético com 43%. Em seguida, Cruzeiro com 42% e América com 5%. Entre os menores de 18 anos o Cruzeiro estava na frente: 46% a 44%. De lá para cá todo mundo já sabe. São várias as pesquisas publicadas pelo Ibope, Data-Folha, EM Data etc., todas demonstrando a superioridade da torcida do Cruzeiro.”

Marcos Pinheiro, 34, engenheiro, economista e cruzeirense.

2 comentários para “Uma cascata a menos”

  1. pinna disse:

    Então infante (pelo que me lembro), início dos anos 60, o Siderúrgica tinha mais torcida que o América. E eu era Botafogo, e brigava/discutia com meus amigos pelos times do Rio mais do que os times de acá

  2. Jorge Santana disse:

    Também não chega a ser assim, né Pinna? O América não tinha grande torcida, mas o Suderúrgica, só mesmo em Sabará. O contingente de siderurgicanos em Belo Horizonte era bastante reduzido. Menor até do que o de vilanovenses. Agora, por ter se mantido clube de elite desde a fundação, o América tinha uma particpação desporporcional na crônica esportiva. Assim, como ocorria também com os emplumados. Mas esta é outra história.