Torcida fez a Arena pulsar

Por Jorge Angrisano Santana | Em 24 de setembro de 2010

Atuações dos celestes e seus adversários acerca do Cruzeiro 2×0 Ceará, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2010, em 22set10:

  • Fábio – Pouco acionado, trabalhou mais na reposição de bola. O Ataque do Ceará é fraco e pouco o incomodou. (Naldo Morato)
  • Rômulo – Perdido defensivamente não apareceu bem ofensivamente. Sua melhor jogada foi quando levou uma bolada no nariz. (Walterson Almeida) / Teve oportunidade de substituir o Jonathan, explorar sua velocidade pelas alas, mas não teve bom desempenho. Não apoiou bem, não ajudou a abrir o jogo e a retranca armada pelo Ceará. (Naldo Morato)
  • Leo Simões – Inseguro nas saídas de bola. Quando tem que dar chutão não dá, quando tem que sair jogando não sai. (Silvério Cândido)
  • Gil – Jogou sério. É um becão mal encarado como convém a um time competitivo. Está prgredindo na carreira e ainda será chjamado de A Muralha Azul. Até o Silvercan, o caçador de beques,  ainda baterá palamas pra ele. (Síndico)
  • Edcarlos – Com algumas falhas no 1º tempo, melhorou no 2º tempo. Logo no início do jogo, ficou barato uma falta que ele fez ao chegar atrasado. Nem cartão amarelo recebeu. A zaga do Cruzeiro tem que ser Leo e mais um, que na minha opinião não pode ser o Edcarlos. Prefiro o Gil ou o Caçapa, até que o Leonardo Silva volte. (Chaves)
  • Diego Renan – Está batendo um bolão. Fez o maior número de desarmes do jogo, e, olha que todo mundo fala que ele não sabe defender. Nessa, ponto pro Cuca. (Cláudio Lemos)
  • Henrique – Defendeu bem e ainda foi responsável direto pelo primeiro gol cruzeirense. (Silvério Cândido) / Jogou muita bola. Agora, pra mim, ficou definitivamente provado que o Cruzeiro com três volantes joga mais do que com dois armadores. (Cláudio Lemos)
  • Fabrício – Não jogou tão bem, mas nunca deixa de se dedicar. Sua determinação e vontade, são de impressionar. É mesmo um guerreiro! (Mariana) / Não vive os seus melhores dias. Talvez ainda ressentido do problema que o tirou do jogo passado. Esteve um pouco apagado mas é peça fundamental pro time, e logo, logo, volta a ser o jogador que conhecemos. (Naldo Morato) / Um maestro no meio. Contagia a equipe com sua raça e vontade de vencer. (Silvério Cândido)
  • Roger Galera – Definitavamente não funciona jogando ao lado do Montillo. Não tem futebol nem pernas para barrar o gringo e nem a eficiência de um Marquinhos Paraná para atuar na volância. Embolou o setor “atrapalhando o argentino”. Deveria ficar esperto, e cavar uma vaguinha no banco, pois quando o Gilberto voltar, talvez nem isto. Eu arrisco a dizer que o Gilberto ao lado Montillo pode funcionar. (Naldo Morato) / Quando a marcação do adversário é muito forte no meio, como foi a do Ceará ontem, ele acaba tirando o espaço do Montillo, como ocorreu ontem. Entretanto, discordo que ele definitivamente não sirva para jogar ao lado do Montillo, como disse o Naldo. Também não é por aí. Roger fez algumas boas partidas jogando ao lado do argentino. Eu acho que depende das circunstâncias dos jogos. Mas numa coisa eu concordo: ele não aguenta um jogo inteiro. (Vinícius Cabral)
  • Francisco Everton – Jogou o arroz com feijão que Roger Galera não dá conta de fazer quando é obrigado a volantar. (Síndico)
  • Montillo – Fez outra partidaça. Travou grande duelo com Michel e, se no primeiro tempo foi equilibrado, no 2º levou ampla vantagem. Mais uma vez destruiu o sistema defensivo adversário. / De tanto tentar acabou premiado com a jogada do pênalti que ele mesmo bateu e fez. (Binho) / Pra mim, o melhor do jogo. Não aceitou a forte marcação individual do volante cearense e buscou alternativas para fugir do cerco cerrado em cima dele o tempo todo. Deu muito trabalho ao seu marcador e foi o diferencial. Fez o gol que desafogou o time, cobrando mais uma vez com muita categoria e frieza uma penalidade aos 38 do 2º tempo, daquelas que não se pode errar, fundamental para a vitória. Ele é o cara. (Naldo Morato)
  • Thiago Ribeiro – Não tem jogado aberto pelas pontas, como gosta. Talvez pelo tamanho do campo, mas lutou muito. (Silvério Cândido)
  • Ernesto Farias – É um bom jogador. Presença marcante na pequena área, levou pânico à defesa do Vovô. Chutou uma boa no final do 1º tempo, entrou de cabeça nas travas da chuteira do oponente, perdeu um gol daqueles no início do segundo e não perdeu outra oportunidade clara. Mandou de biquinho prás redes, tranquilizando o final do jogo que estava muito tenso. Ele é parrudo, não foge de divididas nem tem medo de cara feia. É oportunista, como tem que ser quem é do ramo. (Elias Guimarães)  Jogou muito bem, com ele não tem erro se posiciona bem na área, luta pela bola e mais importante faz sempre a opção por jogar em pé e não no chão. Farias novamente o grande dínamo azul. Joga muito o Gringo. (Cláudio Lemos)
  • Wallyson –  Foi muito bem ontem. Partiu pra cima, driblou e pelo menos duas vezes foi a linha de fundo. Numa delas saiu o gol do Farias. Continuo a acha-lo promissor. Ainda vai engrenar e nos dar muitas alegrias. (Binho)
  • Cuca – Simplifica, Stival! Roger Galera é um excelente reserva para o enganche Montillo e um fraco segundo volante com obrigações defensivas. Se errou na escalação inicial, Mestre Cuca saiu-se bem nas substituições. Francisco Everton restituiu o equilíbrio do meio de campo, Wallyson fez grande jogada no 2º gol e Gil cumpriu bem a função de rebatedor. (Síndico)  Errou feio colocando Roger. Disse no boteco, que nós estávamos perdendo o meio campo e que Cuca devia colocar um meia e tirar Roger. Quase fui defenestrado. Me chamaram de AB e falaram que só faltava pedir pra colocar Paraná em campo, o que concordei e lamentei por não ser possível devido a sua contusão. A rádia fez um ótimo serviço. (Binho)
  • Torcida – Nota 10. Conseguiu jogar mais até do que Henrique e Montillo, os melhores dentro das quatro linhas. E o mais importante: cresceu justamente quando o time começou a ratear por falta de fôlego e de inspiração. (Síndico) Nada é perfeito. Foi tudo muito bacana ontem, em relação a torcida, mas se tem um troço que me mata é o grito de “raça”. Pô! Na falta do que gritar, bebe uma água, chupa um picolé, mastiga o rádio…Não dá é pra ver o time se matando em campo pra furar um retranca f.udida e um bando de mongol pedindo raça. Ainda bem que, logo em seguida, o caldeirão inteiro resolveu apoiar de verdade. (Arísio França)
  • Arena do Jacaré – Um alçapão e tanto! Não é campo neutro como o Mineirão. Como se fosse uma Bombonera do Sertão, a Arena do Jacaré pulsa. E o gramado é infinitamente superior ao do Engenhão e -pasmem!- deixa o do Santiago Bernabeu no chinelo. O talentoso Jonathan não sabe o que está perdendo ficando fora de jogos na Arena. E o bocagrande Valdir já devia ter pedido desculpas ao distinto público setelagoano pelas besteiras proferidas após o empate contra o Grêmio. (Síndico)
  • Juiz & Bandeiras – Até 37 do 2º tempo, o trio de arbitragem vinha merecendo 10 com louvor. Nesse momento, o juiz sergipano marcou um pênalti à brasileira. Depois, cometeu equívoco ainda pior anulando gol legítimo de Marcelo Nicácio. Por sorte, Wallyson fez uma jogadaça e Faria, de bico, fez o 2º gol diluindo a responsabilidade do trio pelo resultado. De qualquer foram, registre-se que a tais erros todos os árbitros estão sujeitos, seja em Sete lagoas, seja em Oropa, França e Bahia. (Síndico)
  • Ceará – A defesa inteira se comportou bem. Foi um paredão. Os meio-campistas também marcaram e sairam para o jogo como manda o figurino do hodierno futebol brasileiro. Por pouco o Vozão não leva um, quiçá três pontos de Minas. Taí mais um time que não vai largar o osso facilmente. Te cuida, Cocota! (Síndico) / O toque de bola do Ceará sensacional. A marcação foi quase impecável. Michel fez uma senhora partida marcando o melhor jogador do campeonato. E registre-se que ele poucas faltas fez. Geraldo foi mestre de obras das pirâmides, mas deu uma canseira danada. Lembro que fez um ataque muito bom no Nautico com o Felipe, atualmente no Goiás. (Binho)
  • Síndico – Deve ter enchido a cara antes do jogo, porque só prestou atenção na grama e na torcida. Só olhou pro campo na jogada do Wallyson, no segundo gol. Está para ser nomeado assessor de imprensa (ou porta voz) do sindicato nacional dos árbitros, daí a defesa ferrenha que vem fazendo dos mesmos. (Eduardo Arreguy Campos)

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.