Torcida de Uberlândia, um espetáculo à parte

Por SÍNDICO | Em 10 de setembro de 2010

Atuações dos celestes e seus adversários no Cruzeiro 1×0 Internacional, no Parque do Sabiá, Uberlândia, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2010, em 08set10.

Por Matheus Reis


  • Fábio – Mais uma boa atuação da melhor defesa do campeonato – ao lado de Fluminense e Flamengo – facilitou seu trabalho. Defendeu firme um chute no meio do gol de Leandro Damião e botou pra escanteio um chute de fora da área do Giuliano. A única ressalva, precisa se definir mais rápido quando lhe recuam a bola.
  • Jonathan – A assistência para Franciso Éverton lembrou seus melhores dias de 2009. Muita movimentação caindo pelo meio e subindo pro ataque. Também foi firme na defesa e se deu bem no duelo contra Kléber. Boa partida, mas pode melhorar.
  • Leo Simões – Aos 16’40” do segundo tempo, anotei no meu bloco: “Zagueiro zagueiro”. Jogou muito ontem e, pra mim, foi o melhor em campo. Ganhou todas do ataque colorado. Saindo limpo quando podia e dando bicuda pro mato quando precisava. Vai se confirmando como uma contratação tão importante quanto o Montillo.
  • Gil – Existe uma coisa chamada audição seletiva. Se você está numa festa com muita gente e, no meio da algazarra, alguém diz seu nome, você é capaz de ouvir só o seu nome. Com o Gil, existe a visão seletiva. Nego não vê mais uma grande partida dele – jogando “torto” pela esquerda – e imputa a outros jogadores suas roubadas de bola. Mas quando ele fura num único lance, seu nome brilha no imaginário do torcedor e pronto: dá-lhe tropeiro voando. Se a defesa é a melhor do campeonato, é bom lembrar que o Gil atuou em 17 dos 20 jogos.
  • Diego Renan – O seu jeito de jogar reflete a transição que o próprio time apresenta. É preciso arrumar as coisas lá atrás para depois atacar. Se não é, ofensivamente, o mesmo Diego de 2009; defensivamente também não é. E para o bem. Subiu pouco para não deixar tantos espaços. Teve relativo trabalho com Nei e se saiu bem com a ajuda do Francisco Éverton.
  • Marquinhos Paraná – Outra boa partida. No primeiro tempo, em que o Cruzeiro tomou conta das ações, ficou ali pelo meio rodando, invertendo, desafogando. No segundo tempo, esteve mais preso à frente dos zagueiros e marcou muito bem. Uma observação, abusou dos recuos para Fábio; aos 11 do primeiro tempo já havia recuado a bola 3 vezes para o goleiro.
  • Henrique – Outro que mantém positiva regularidade. Atuando pelo lado direito, não deu muito espaço para Giuliano. Com Éverton em campo, apareceu menos no ataque. Digno de nota, seu vigor físico que o permite jogar quarta e domingo sem as contusões tão comuns em outros jogadores. Não duvido nada que ele jogaria três vezes por semana, se precisasse.
  • Francisco Everton – Pela movimentação no lance do gol, lembrou Ramires. Cruzou uma bola para Farías e esta sobrou para Jonathan. Quando o lateral recebeu, já disparou para área sinalizando onde queria a bola. O chute foi uma homenagem à cena final do clássico Karate Kid: uma finalização à la Daniel San. Correu muito e ajudou a fechar o lado esquerdo celeste. Sua melhor apresentação até aqui. Saiu amarelado para a entrada de Fabinho aos 36 do segundo tempo.
  • Fabinho – Chamou a atenção por conta dos óculos. Entrou pra trancar o time e trancou.
  • Roger Galera – Não confirmou minhas expectativas de que, saindo como titular, poderia atuar no ritmo do jogo anterior. Não foi mal, teve muita vontade, mas não criou muitas jogadas de ataque. Contra o Avaí, terá outra chance de mostrar que não é o jogador para atuar só no segundo tempo, quando o adversário está meio baleado. Saiu cansado para a entrada de Pablo aos 32 do segundo tempo.
  • Pablo – Entrou ligado no jogo para atuar do lado esquerdo quando Éverton dava sinais de cansaço. Não deixou o ritmo cair e deu outra amostra de que será útil ao longo do campeonato.
  • Thiago Ribeiro – Muita movimentação e disponibilidade defensiva. No primeiro tempo, fez boas jogadas pela direita com Jonathan e no segundo teve um impedimento erradamente marcado, em lance que sairia na cara de Renan.
  • Ernesto Farías – Assim como o Roger, não confirmou minhas expectativas, embora não tenha jogado mal. Jogou em pé, ponto pra ele. Não tricotou com o juiz, ponto pra ele. Mas faltou um pouquinho mais de movimentação e talvez tenha sentido a falta de entrosamento porque, jogando quarta e domingo, só dá pra treinar no playstation. Saiu cansado para a entrada de Wallyson.
  • Wallyson – Não teve a costumeira chance cara a cara com o goleiro. Se movimentou na frente, mas quando entrou, o time já estava mais preocupado em garantir a vitória.
  • Cuca – Armou bem o time e não arriscou o esquema de sua preferência colocando o Wellington. Viu o Cruzeiro dominar a bola no primeiro tempo, sem criar tanto, mas sem correr riscos. Com o que tinha em mãos, mexeu bem no time quando percebeu que Roger e Farías estavam esgotados. Trancou o meio com Fabinho e não deixou a vitória escapar. Seu desempenho é uma grata surpresa e digo de coração aberto que ele venceu minha desconfiança.
  • Torcida – Há quem insista em enxer o saco dizendo que o estádio teve bom público nas partidas anteriores por causa das torcidas adversárias. Bando de néscios. Se tem uma coisa que Sete Lagoas nos ensinou é que visita não pode -nem deve- reclamar, nem abrir a geladeira, nem manusear nádegas alheias. Portanto -mais uma vez- parabéns, Uberlândia! Obrigado pelos belos espetáculos e, espero, que voltemos em breve.
  • Juiz & Bandeiras – Bem no quesito disciplinar. O bandeira número um marcou muito mal um impedimento de Thiago Ribeiro. O atacante sairia livre, leve e solto pra marcar. Não houve pênalti de Gil e Leandro Damião.
  • Internacional – Guiñazu, Nei e Kléber foram os meus destaques Os laterais eram as opções em noite apagada de Giuliano. O argentino tem a pegada dos seus compatriotas e é o tipo de jogador que todo mundo queria no time. Tinga bateu até na sombra e Celso Roth surpreendeu tirando um garoto que entrara no intervalo. Acho que o Inter não chega porque, quando a coisa começar a apertar, preocupar-se-á com o Mundial.

Matheus Reis, 25, cruzeirense, doutorando em Filosofia na UFMG, nasceu em Itabira, mora em Belo Horizonte.

Matheus Reis

87 comentários para “Torcida de Uberlândia, um espetáculo à parte”

  1. walfrido disse:

    Ótimo comentário sobre o Gil… ehehehe. Tb reparei que ele se “sacrificou” jogando na esquerda. E foi bem. Os pequenos erros são erros de zagueiro. Não se pode esperar de um zagueiro a qualidade de dominio de bola, de um passe, de um lançamento de um meio campo clássico. Zagueiros falham. Não tem jeito. E mais um dado que escutei do Cuca: além dessa dupla Leo/Gil nunca ter jogado junto parece que nuncatreinaram juntos. Ou seja, palmas pra atuação dos dois.

    • Palmeira. disse:

      Walfrido, o problema do Gil é que tem bola que ele poderia toca-la pela lateral ou para o colega bem colocado, mas ele acaba chutando para a linha de fundo. Neste último jogo teve um lance desses no finalzinho do jogo. Dá um frio na barriga!

      • walfrido disse:

        Dá frio na barriga mas zagueiro é assim mesmo. Lucio, um dos melhores zagiueiros na atualidade, Samuel da Argentina e trocentos outros bambambans fazem isso de vez em quando. São raros os Luizinhos e Juans. Tá ótimo assim. Nossa zaga é a menos vazada mesmo tendo desfalques seguidos. Tá ótimo, gente!

  2. walfrido disse:

    Duvido, ou desconfio, que o Roger não é capaz de fazer muito mais do que fez quando entra de cara e pega o adversário descansado e ele acaba cansando antes dos outros. Achei a atuação dele boa, no ritmo dele, cadenciado. Não acho que se escondeu. Não tinha tão grandes expectativas e o acho um EXCELENTE reserva pro nosso meio ofensivo, talvez nenhum time no Brasil tenha um reserva da qualidade do Roger, que ainda pode entrar nas partidas pra decidir no 2o tempo. E vale ressaltar que parece que ele sacou isso e tá gostando dessa idéia. Talvez seja méritos do Cuca incutir isso na cabeça dele, não sei, só sei que estamos bem.

    • walfrido disse:

      E confio nele contra o Rauái!

    • Walterson disse:

      O Roger confirmou minhas expectativas de que, iniciando como titular, não iria repetir a boa atuação do jogo passado. É jogador de segundo tempo.

      • Dylan disse:

        o problema do Roger é que por ser diferenciado todo mundoe spera que ele faça a diferença sempre. Se ele nao jogar como jogou contra o Plameiras entao tem que ficar na reserva. Enquanto outros jogadores comuns garantem sua vaga por causa de qualquer desarme ou passe de 2 metros. Nao houve nenhum destaque individual na partida, alguém que tenha se sobressaido tão acima dos demais. Eu sempre prefiro ter em campo um jogador como o Roger que num lampejo pode mudar a partida do que um armandinho esforçado que se destaca por nao comprometer.

      • Sobrinho disse:

        Roger tem ser titular absoluto rápido, quem sabe assim o Dylan para falar dele a cada comentário.

      • Vinicius Cabral disse:

        Eu, pelo menos, não esperava tanto assim do Roger. Até mesmo porque nas partidas em que jogou bem e foi decisivo, ele entrou no decorrer. Acho que ele é mais importante para o time entrando no decorrer da partida do que quando começa jogando.

      • Matheus Reis disse:

        Mas para um jogador ser considerado diferenciado deve fazer a diferença na maioria dos jogos, ou não? Acho que não dá pra manter um cara em campo eternamente à espera de um lampejo. Exemplo disso é o Ronaldinho que é capaz de lampejos geniais, mas que está fora de forma e não fica em campo o tempo inteiro.

        Confio no Roger e acho -e espero- que ele possa ser mais decisivo domingo. Mas quando o Montillo voltar, não consigo ver, sinceramente, lugar para Roger no time titular.

  3. Walterson disse:

    Boa análise do Matheus. Só vou discordar com relação à “boa defesa”do Flamelda que, se não tomou muitos gols até agora, ou foi por sorte ou inépcia dos atacantes . O que Cruzeiro e SPFW perderam de gols foi uma grandeza.
    Outra coisa, este Leo, que bom zagueiro! Como é que o Porqueiras liberou este cara e manteve algumas tralhas no chiqueiro? Alguem lá não entende muito de futebol.

  4. Celeste disse:

    Matheus parabéns pelo trabalho. Acredito que o Farias só não foi melhor porque a bola chegou poucas vêzes na área do adversário. O Inter montou um bom sistema defensivo. O Guiñazu mostrou como cercar um atacante na área sem fazer penalty. Perfeito.

    • walfrido disse:

      Tb acho dificil julgar o Farias nesse jogo, a bola chegou mto pouco pra ele. E olha que ele se movimentou o quanto pôde.

    • Vinicius Cabral disse:

      Concordo, Celeste. Também observei isso durante o jogo. O destaque para o Farias, fora o que foi relatado pelo Matheus, foi o fato dele marcar a saída de bola.

  5. Binho disse:

    Paraná recuou várias vezes para o Fábio, devido a forte marcação imposta pelo inter. Não por gosto. E protesto com a mudança de casa do CEC. Uberlândia tem sido determinante nas vitórias. Hot foot, Çangue Açul, tem poder. Sem ele, sua bandeira, seu grito de “óh, Minas Gerais” e sua superstição, na arquibancada, correremos sérios riscos. Fica aqui minha reclamação.

  6. simone b de castro disse:

    E Tinga, além de bater pra caramba, saiu falando que o campo era pesado…Eu juro que ouvi. Alguém confirma?

    • Palmeira. disse:

      Pesada é aquela cabeleira dele que deve pesar uns 5 quilos. correr 90 minutos com aquela juba deve ser complicado.

      • mariana disse:

        kkkk Fiquei o jogo inteiro tentando entender aquele cabelo, e como se pratica algum tipo de atividade física, usando esse tipo de penteado. Troço feio!

      • Palmeira. disse:

        é ridículo. Se pelo menos pudesse tirar para lavar! Imagine como fica aquele troço depois do jogo. O suor vai empastelando e o cara não tem os cuidados higiênicos que deveria ter.

      • mariana disse:

        Olhando por esse lado é ainda pior!

  7. Palmeira. disse:

    Interessante neste ano é a baixa média de gols, quer sejam feitos ou tomados. Não me lembro de outra fase do Cruzeiro com média de gols sofridos inferior à um. Isto é o reflexo do bom trabalho. Lembro-me do tempo do Dorival, quando o time estava vencendo de dois ou tres gols e levava o empate ou até derrota. Tomava goleada de times pequenos. Se o ataque não faz gols em profusão, a defesa segura o tranco. O bom exemplo disso são as várias vitórias por 1 x 0. De gol em gol vamos subindo na tabela.

    • Palmeira. disse:

      enquanto sofremos 17 (0,85 por partida) gols as frangas levaram 35 (1,75 por partida).

      • Dylan disse:

        bobagem. Nennhum time pequeno goleou o Cruzeiro sob comando do DJ. Eu lembro é de exibiçoes de gala contra Flamengo, Corinthians, Vasco, Gremio, Plameiras que levaram o time pra Libertadores.

      • Dylan disse:

        me parece que a ultima goleada que o Cruzeiro sofreu para um time pequeno foi contra o Potosi e o Dj nao era o técnico.

      • Elias disse:

        Putz. Parece um encosto!!!!!!

      • walfrido disse:

        Eh Dylan, tá difícil. Cara, bola pra frente. Que fixação.

      • Palmeira. disse:

        Não? Estava vencendo o paraná no Mineirão por 3 e levou a virada para 3 x 4; perdeu no Mineirão por 3 x 0 para o coritiba; ainda no Mineirão perdeu por 3 x 2 para o Juventude. Tá com memória fraca ou é proteção ao DJ?

      • Walterson disse:

        Aqueles 4×0 para o Santinha não era sob o comando do DJ?

      • Sobrinho disse:

        Memória fraca. Dy jamais protegeria o DJ e atacaria o AB.

      • Dylan disse:

        caramba, o Cruzeiro conseguiu ser goleado pelo Coritiba sem o jogo nunca ter acontecido. O Coritiba nem disputou a primeira divisão em 2007. E perder de 4a 3 e 3 a 2 não é goleada.

      • Dylan disse:

        engraçado, Eu tenho que botar a bola pra frente so porque corrigi uma informação errada do Palmeira? o Cruzeiro não foi goleado por time pequeno com o DJ no comando. Nem por time médio. Isso é fato.

      • Sobrinho disse:

        20/05/2007 Cruzeiro 0x3 Corinthians
        27/05/2007 Cruzeiro 3×4 Paraná
        10/06/2007 Cruzeiro 2×3 Juventude
        07/07/2007 Santos 4×1 Cruzeiro
        31/10/2007 Botafogo 4×1 Cruzeiro

        Para não ter confusão.

      • Dylan disse:

        Cruzeiro 5x Palmeiras 0
        Corinthians 0 x Cruzeiro 3
        Cruzeiro 3x Flamengo 1 (duas vezes)
        Cruzeiro 4 x Fluminense 2
        Cruzeiro 3x Vasco 1
        Atletico 3x Cruzeiro 4

        clásicos que o Cruzeiro ganhou com o DJ fazendo 3 gols ou mais. Pra não ter confusão.

      • Sobrinho disse:

        Uma correção, o Cruzeiro ganhou uma de 3×1 do Flamengo e perdeu a outra pelo mesmo placar. Só para não ter confusão mesmo.

      • Rogério disse:

        Putz, este negócio de não ter confusão está dando uma confusão danada..

      • Vinicius Cabral disse:

        haahahahaha… Eu gosto é do “Dy”, que o Sobrinho usa…

      • simone b de castro disse:

        Memória seletiva. Igual aos atleticanos…

  8. simone b de castro disse:

    Quando a gente reclama do Jonathan, é pq sabe que ele pode jogar muito mais do que o apresentado contra o Palmeiras! Eu sei que pensar em grana embaralha a cabeça dos jogadores, como de qualquer um de nós. Mas quando ele entrar em campo, tem que honrar a camisa do Cruzeiro, e a confiança do técnico que o escalou. Tem que ser 90 min. de concentração total. Aí, fica tudo certo!

  9. Palmeira. disse:

    em que pese a distância e a dificuldade em locomoção, acho que o Cruzeiro não deveria sair de Uberlândia. A adoção definitiva do Parque do Sabiá seria importante nesses próximos anos, até porque se o Cruzeiro chegar novamente à LA, precisará de uma estrutura como a oferecida, tanto pela cidade, quanto pelo estádio. Em relação ao público e renda, estes três jogos tiram qualquer dúvida. É certeza de boa receita. Outro fator é a opinião dos jogadores em relação ao tamanho e estado do gramado. Todos estão elogiando, deferentemente do que ocorre em Sete Lagoas. Sem falar que o Çang azul é o maior pé-quente do pedaço.

    • walfrido disse:

      Nesse tema há um conflito de interesses dos próprios jogadores. Sem dúvida eles vêem elogiando o gramado e o Pq do Sabiá, mas por outro lado reclamam do excesso de viagens, longe da familia, vivendo em hotel, jogando sempre fora de BH. Eu entendo os caras. Acho que dá pra conciliar uns joguinhos em 7 Lakes pros caras evitarem mais aeroporto e avião e hotel, mas o GRAMADO DA ARENA TEM QUE ESTAR BOM. Só o America tem jogado lá, espero que tenham melhorado o gramado. (Lá vem confusão por conta desse comentário, aposto!)

      • Mauro França disse:

        O Arisio já escreveu aqui que o gramado tá melhor.

      • Arísio disse:

        Tá melhor sim. E, vendo pela tv, alguns jogos na Vila Belmiro, Barradão, Engenhão, São Janu e Prudente constato que o gramado da Arena tá é excelente…

      • walfrido disse:

        Que bom. Mas isso tudo não fará o Chaves satisfeito. O problema dele é com a cidade de 7 lagoas e seus simpáticos habitantes. Acho que ele não gosta de sorteio e tá de birra com a cidade por causa disso.

      • Rogério disse:

        O Chaves realmente não gosta dos Setelagoanos, é uma implicancia absurdo com aquele hospitaleiro povo e com aquela magnifica cidade que tem aquele magnifico Estadio que por sua vez tem um magnifico gramado, por mim o Cruzeiro nem teria saído de Sete Lagoas.

      • walfrido disse:

        As frangas não mudaram pra 7 Lagoas? Por mim o Cruzeiro mudava pra 7 Lagoas…. Mas o Chaves tem altos conchavos lá no Cruzeiro, com o Gustavo e tal, e jamais deixaria. Por ele a gente joga lá contra o Guarani e nunca mais aparece por lá. Jamais vou compreender esse ´´odio contra minha querida 7 Lagoas.

      • Rogério disse:

        Mas não adianta o Chaves ficar atacando a cidade e o povo de 7 Lagoas, estarei sempre pronto para defender esta cidade.

  10. Ernesto Araujo disse:

    Um salve pro Matheus Reis por este post. Não é à toa que o garoto tá fazendo até doutorado rsrs !

  11. Bruno Pontes disse:

    Seleção da rodada do Globoesporte: Jefferson (Botafogo) – 8,0, Jonathan (Cruzeiro) – 7,0, Gil (Cruzeiro) – 7,0, Leandro Guerreiro (Botafogo) – 7,5 e Júnior (Goiás) – 6,0; Rudnei (Avaí) – 7,0, Marquinhos Paraná (Cruzeiro) – 7,0, Douglas (Grêmio) – 7,5 e Éverton (Cruzeiro) – 8,0; Loco Abreu (Botafogo) – 8,0 e Washington (Fluminense) – 7,0. Técnico: Joel Santana (Botafogo) – 8,0

    • Palmeira. disse:

      O Cruzeiro emplacou quatro.

    • mariana disse:

      MP apareceu de novo na seleção da rodada, na da semana passada ele tb estava.

    • Sobrinho disse:

      Marquinhos Paraná? Mas ele só faz um desarme de vez em quando de da passe de 2 metros! Esse pessoal que dá nota não entende nada de bola.

      • Walterson disse:

        O interessante é que ele está na seleção da rodada do Sportv mas caiu na cotação do Cartola, da mesma Sportv. Tem alguma lógica?

      • Elias disse:

        Seleção da rodada? Volante que não suja o calção? Que não toma cartão amarelo? Isquisito, não…

      • Sobrinho disse:

        Sim. Os critérios do cartola são bem diferentes e são objetivos. Paraná soh terá boa atuação pelo cartola se roubar um caminhão de bolas.

      • Bruno Pontes disse:

        E no Cartola tem a questão da média. Se um jogador já tem uma cotação alta, esta só sobe se ele manter a média na próxima rodada. Por exemplo: se um jogador joga 2 partidas fazendo 2 gols em cada, e na terceira partida faz 1 gol só, a sua cotação pode baixar.

  12. Sobrinho disse:

    Muito boa a análise do Mateus. E o comentário sobre o Gil vale para todos os jogadores do Cruzeiro, depende do foco da implicância do tropeirista. Eu era mais ou menos assim com o Wagner! 🙂

  13. Naldo disse:

    OT – Este CartolaFC é uma piada. Eles conseguem colocar dois jogadores do Urubu na seleção da rodada e ainda negativa o Maquinhos Paraná.

  14. A torcida realmente foi um espetáculo a parte, que agora em Seven Lakers continue está sintonia, mas que tem de voltar para Berlândia.

  15. Damas disse:

    O que mais me dói é constatar que fui eu quem indicou o Gil por aqui, quando ninguém sabia que ele existia!!!!!

  16. Danilo_VIX disse:

    O Cruzeiro esteve impecável na defesa. Gil e Léo atuaram de maneira soberba, sobraram em relação ao ataque colorado, colocaram no bolso. Não tenho nem palavras para a partida do Jonathan, impecável. Marquinhos Paraná comandou o meio como um xerifão e teve um excelente auxílio por parte do Henrique (perfeita a observação do Matheus para o vigor físico do rapaz). Everton conseguiu se movimentar bastante e apoiou muito o ataque. A parte “ruim” ficou por conta do ataque. Roger foi bem, mas não se destacou, idem Thiago Ribeiro. Farias esteve a maior parte do jogo isolado na frente. Mas têm-se que levar em conta os méritos defensivos do Inter (time trombador), a defesa muito bem fechada e postada, tanto que o gol Azul saiu de uma chegada por trás do Everton, como surpresa…

  17. Danilo_VIX disse:

    Em tempo, também faço coro para a manutenção do Parque do Sabiá. Berlândia é 10! Sangra Azul é 1000! O Cruzeiro precisa desses dois.

  18. mariana disse:

    Além do entrosamento, Farias parece precisar mais de ritmo de jogo. Mas prefiro ele sem ritmo ao Robert. Fico mais tranquila sabendo que, com WP machucado, Farias é que vai tomar seu lugar. Pq se fosse o Robert a assumir essa condição, sei não… Falo isso baseado apenas no que ele mostrou até agora.

  19. Rogério disse:

    Reclamei da atuação do Jonathan contra o Palmeiras e outros jogos anteriores, mas no jogo contra o Inter jogou muito bem, realmente lembrou o Jonathan de 2009, se continuar assim nosso time ficará mais forte ainda, como o Evandro sempre fica repetindo, time para campeonar tem que ter bons laterais, na minha opinião o Cruzeiro tem dois excelentes laterais, mas a fase deles não estava boa, mas vem evoluindo, o Diego Renan já vinha evoluindo a alguns jogos, o Jonathan começou no jogo contra o Palmeiras, tomara que continuem evoluindo.

  20. Rogério disse:

    Gol Daniel Sun foi de lascar ( rs. rs. rs. ), de resto excelentes analises de atuações.

  21. Beth Makennel disse:

    É gente azul 5 estrelas, será sepultado hoje mais um grande Cruzeirense, conselheiro do Cruzeiro; Maurição( assim é como o conhecia ). Esta sendo velado no clube do Barro Preto e será sepultado ás 17:00 horas de hoje. Era um grande Cruzeirense, pessoa simpatíca e que sempre estava presente aos domingos músicais no clube do Barro Preto. Que Deus o recebe de braços abertos e que lá de cima possa continuar a ajudar o nosso Cruzeiro de alguma forma.

  22. Vinicius Cabral disse:

    Matheus Reis, meus parabéns por seus posts sobre as atuações. Você manda muito bem!

  23. matheus t penido disse:

    Ótimos comentários como sempre do xará. E só pra discordar achei o Henrique o melhor em campo, no mais concordo com quase tudo.

  24. walfrido disse:

    OT: “E nesse momento ninguém me procurou para tentar a possibilidade de sair em Janeiro. Para depois de Maio tenho duas propostas em mãos e te garanto que não é do Cruzeiro.” Palavras de Alex10. Leia mais em http://www.cruzeiroeusou.wordpress.com

    • Rogério disse:

      Importante: O Alex Talento não considera o Campeonato Brasileiro um “Morrinhão”.

      • Cuné disse:

        Acredito que ele não volta pro Cruzeiro, afinal, nossa diretoria não entra em leilão. Mas se não vier nos viraremos com Montillo de dez. É lógico que gostaria muito ver o Talento com a azul de novo mas sou realista.
        Além do mais, não me lembro da torcida porcina, nem da urubuzada e nem da coxa branca balançando nota de dois reais e xingando o cara de mercenário.

      • Rogério disse:

        Até lembro que o Alex foi vaiado no Cruzeiro, mas não me lembro de protesto tão contundente como este da nota de dois reais que voce relatou..

  25. jalenito disse:

    É muito legal ver o henrique jogando, o cara é um volante que não reclama que ñ dá butinada que corre o tempo todo, que ñ faz graça pra agradar a torcida emfim o cara jaga muito (pro time).

  26. Sobre as avaliações do Matheus, pra variar, discordo de várias, e quanto mais adjetivos maiores minhas discordâncias. Mas para não escrever muito e não me acusarem de só discordar (tem gente que não gosta que eu discorde!), vou citar como grande discordância a atuação do Gil.
    Usar, para defesa da apresentação do Gil, a analogia da seletividade e, com outros jogadores NESTA MESMA AVALIAÇÂO, usar deste mesmo “defeito” da seletividade, chega a ser extremamente contraditório.
    O Gilnão errou “somente uma furada” como “seletivamente” o Matheus tenta induzir. Errou algumaS e numa delas, se fosse marcado penalti, teria que ser aceito por todos nós.
    Mas escrever que “…Se a defesa é a melhor do campeonato, é bom lembrar que o Gil atuou em 17 dos 20 jogos…” chega a ser enigmatico. Se houver qualquer indício em atribuir ao time, o fato de ser a melhor defesa, à presença do Gil, vai soar muito falso… seria desrespeitar MUITO as atuações dele em cada uma das partidas e desrespeitar atuações do Fábio quando os defensores não se apresentaram bem.
    NO JOGO de quarta… tudo bem… Gil fez uma atuação Nota 7, NO MÁXIMO, na minha opinião… se considerarmos uma nota de partida 6, ele até que foi bem… considerando os erros que ele cometeu… daí a colocá-lo como “responsável pela defesa menos vazada…” VIXE!!!

  27. Para não falarem que eu só critico, com algum atraso emito minhas notas….
    Fábio(7), Jonathan(8), Gil(7), Leo Simões(7), Diego Renan(7), Henrique(7), Marquinhos Paraná(7), Francisco Everton(7), Fabinho(Sem Nota); Roger Galera(7), Pablo(Sem Nota); Thiago Ribeiro(7), Ernesto Farías(6), Wallyson(Sem Nota). Cuca (7).