Posts com a Tag ‘uniformes’

Cruzeiro 2×0 Ceará: No grito da galera e no apito

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Em 3º lugar com 41 pontos, o Cruzeiro pode chegar à vice-liderança se vencer. Perdendo, pode sair do G4.

Wellington Paulista, Marquinhos Paraná, contundidos, são os desfalques do time celeste.

Em 9º lugar com 30 pontos, o Ceará pode subir uma posição. Perdendo pode cair para o 14º lugar.

Dimas Filgueiras contará com todos os titulares e ainda terá o driblador Mizael no banco pra atormentar a defesa celeste em caso de necessidade.

(mais…)

Roupa nova

domingo, 12 de setembro de 2010

Durante a semana, vi imagens do lançamento da coleção de camisas retrô e da linha casual do Cruzeiro. Gostei. Pra colecionadores, é material de primeira. Nesse batidão, em breve todas as camisas históricas estarão no guarda-roupa dos fanáticos.

A linha casual, tanto a feminina quanto a masculina também ficou bonita. Vale a pena comprar suas peças pra usar e presentear.

(mais…)

Cruzeiro 1×0 Corintiãs: Marcou, trancou, faturou

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Em 8º lugar com 21 pontos, o Cruzeiro poderá chegar ao 5º se vencer. Cuca não contará com Leonardo Silva, contundido e Fabrício e Thiago Ribeiro, suspensos.

Em 2º lugar com 31 pontos, o Corintiãs precisa vencer pra não permitir que o Fluminense abra 5 pontos de vantagem.

Adílson Baptista não terá o zagueiro William e ainda não pode escalar o centroavante Ronaldo, fora de forma.

Será a primeira partida do Brasileiro de 2010 no Parque do Sabiá, que receberá público superior a 30 mil pessoas, certamente, com predomínio de corintianos.

(mais…)

Sonho e decepção de um cruzeirense em Curitiba

terça-feira, 8 de junho de 2010

Caro Jorge,
 
Primeiro, muito obrigado pela indicação do bar Aos Democratas em Curitiba. Era ao lado de onde me hospedei e foi ótimo ver o jogo lá. Segue uma sugestão de post para vc avaliar.
 
Abs 
Soalheiro

Sonho e decepção de um cruzeirense em Curitiba
 
Cheguei a Curitiba na última quarta-feira cedo, para conhecê-la e ter  uns dias de descanso, preocupado com o futuro do Cruzeiro. O jogo contra o Santos prometia, por toda a simbologia envolvida e o momento conturbado do clube.
 
Logo na chegada, resolvi visitar a Arena da Baixada, a paucas quadras de onde me hospedei. A fama cultivada pelo Furacão de estádio mais moderno da América do Sul não é por acaso.  Arquitetura linda e pensada para fazer pressão, limpeza impecável, excelente visão do campo em quase todos os lugares, cadeiras personalizadas para cada sócio, infra-estrutura de bares, com até um churrascaria de alto gabarito,  loja oficial linda, visita guiada com muita competência, estacionamento coberto e descoberto, vestiários amplos, sala de imprensa ideme um excelente para eventos do clube como apresentação de atletas e uniformes novos.
 
 Foi impossível não sentir uma ponta de inveja e não pensar em como seria bom que o nosso estádio da China Azul fosse mais do que promessas pouco efetivas usadas para aplacar ânimos em derrotas. Deu para sentir o quanto um estádio próprio fideliza e reforça a identidade de um torcida, além ser uma espécie de templo sagrado para um clube. 
 
À noite, segui uma indicação do Blog e assisti Cruzeiro x Santos no bar Aos Democratas, também bem próximo de onde me hospedei. Lá passam todos os jogos do campeonato em televisões espalhadas pelos três andares e o melhor: ao invés de ouvir as pérolas dos jornalistas esportivos, você assiste ao jogo enquanto rola um samba da melhor qualidade ao vivo. Acho até que vou adotar esse modelo em casa para me livrar dos microfonistas  da vida.
 
Vi um jogo extremamente competente do  nosso time pelas circunstâncias, que merecia ter sido coroado com uma vitória. Sem ver nada após o jogo, fui dormir animado com nossas chances de recuperação no Brasileiro.
 
Acordei cedo na quinta e só após uma extensa programação turística tomei conhecimento da saída de Adilson e do futuro de incógnita que nos aguarda. A decepção foi grande. Como podemos perder um técnico após uma exibição como aquela, após três anos de um trabalho, no geral, bastante exitoso, que por pouco não foi muito melhor em resultados, e de um enfrentamento nunca visto da mídia?

Me lembrei das inúmeras discussões que travei nos últimos meses com dezenas de cruzeirenses, não simplesmente  em defesa do técnico, mas de um trabalho que recolocou o Cruzeiro próximo de seus melhores dias dentro de campo. Concluí que a ignorância e  a  superficialidade de quem só quer vitórias a qualquer custo venceram. E que contra isso é muito difícil lutar.
 
Que o nosso próximo treinador seja muito apoiado por estes que preferiram zombar do antigo. E por todos nós. Espero ter oportunidade de um dia encontrar pessoalmente o Adilson e dizer a ele muito obrigado pela melhor sequencia em clássicos que presenciei em vida, por uma Libertadores memorável, por vários jogos em que o time encantou e, sobretudo, pela coragem de ter dito reiteradas verdades sobre a conduta historicamente equivocada de parte da imprensa esportiva do estado.
 
Esse paranaense levará o mesmo respeito que já tenho por outros conterrâneos dele, como Alex, Levir Culpi, Raul Plassmann e outros que marcaram  história no Cruzeiro.  Essa cidade de Curitiba, aliás, deixará ótimas lembranças na bagagem. Vale mais do que uma visita.
 

Marco Antonio Soalheiro, 29 anos, jornalista, nasceu em Divinolândia de Minas, mora  em Belo Horizonte

Atlético-MG 1×3 Cruzeiro: Vitória do equilíbrio

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Em 3º lugar com 9 pontos, o Cruzeiro continua sem Fabrício, contundido, e não terá Wellington Paulista, suspenso devido ao 3º cartão amarelo recebido na rodada anterior.

No Atlético-MG, 6º colocado, com 5 pontos, não jogam Zé Luiz, contundido, e Cáceres, expulso na rodada anterior.

O jogo vale pouco em termos práticos, pois 8 dos 12 participantes do campeonato vão se classificar para os pleiofes.

Devido à rivalidade, contudo, este RapoCota será duro, disputado na técnica e, principalmente, na tática. Os técnicos jogarão até mais do que os jogadores.

(mais…)

Camisa genérica vende mais

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Vários blogs e sites publicaram uma lista -supostamente elaborada pelo jornal Valor Econômico- das camisas mais vendidas em 2009 no futebol brasileiro.

Não tive acesso à fonte primária, mas publico matéria pra discussão dos distintos leitores do PHD.

(mais…)