Posts com a Tag ‘Superesportes’

Choro desentrosado

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

No “Bem, Amigos”, Roger Galera reclamou da falta de estádio, que provoca constantes viagens e não permite a saudável convivência dos atletas celestes com seus familiares.

No Superesportes, Fabrício reclamou do gramado da Arena do Jacaré que, segundo ele, não mudou nada, desde que o time jogou lá pela última vez.

(mais…)

Ché Farias, o Tanque de Trenque Lauquen

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Ernesto António Farías, 30 anos, 1m78, nascido em Trenque Lauquen, Argentina, em 29mai80, Altura: 1,78m assinou contrato para defender o Cruzeiro pelos próximos 4 anos.

Revelado pelo Estudiantes, El Tecla (por causa dos dentões), estreou aos 18 anos na equipe pincharrata.

De La Plata. o centroavante se transferiu para o jogou pelo Palermo (2004), River Palte (2007/07) e Porto (2007/10).

Pela Seleção Argentina, ele jogou ao lado de Sorín no Paraguai 1×0 Argentina, em 03set05.

Ao todo, marcou 170 gols em 385 jogos ao longo da carreira.

Considerando-se que jamais foi titular no Porto, muitas destas partidas são incompletas e pode-se esperar dele ao menos 1 gol a cda 2 jogos.

Farias tem 5 títulos no currículo: 2 campeonatos, duas copas e uma supertaça, todos conquistados na passagem pelo Porto.

Centroavante fixo, Ernesto Farias teve sua melhor fase jogando no River, pelo qual marcou 49 gols em 95 partidas (0,51 por jogo).

Bruno Furtado, do Superesportes, recolheu estes depoimentos sobre o novo atacante celeste:

  • Javier Lanza, do Clarín: “No River, ele viveu sua melhor fase. Era titular, marcou muito muitos gols e foi vendido por muito dinheiro. É um típico goleador, que se mete entre os zagueiros para receber os passes. Não é habilidoso. Costuma jogar como pivô. Curiosamente, não é tão alto, mas marca muitos gols de cabeça. Tem muita força nas pernas, salta muito e o jogo aéreo é o seu forte”.
  • Martin Blotto, do Olé: “Farías joga muito bem de costas para o gol, tem bom cabeceio e define com ambas as pernas. Não tem velocidade e bom drible, mas tem muita capacidade de se antecipar aos zagueiros e se posicionar na área. Tem faro de gol. Sua média na Argentina é próxima de 0,5 por jogo.”
  • Norberto Lopes, do Jornal de Notícias, de Portugal: ”É o típico finalizador. Um avançado de área, bom cabeceador, sabe desmarcar muito bem dos zagueiros para ganhar espaço. Não precisa de muitas oportunidades para marcar um gol, porque é muito eficaz. No Porto era dos melhores marcadores da equipe, apesar de ter poucos minutos de utilização. Era o suplente de luxo, arma secreta que o treinador lançava quando procurava resolver o jogo. Jogou pouco na última época porque esteve muito tempo lesionado.”
  • Sérgio Pereira, do portal Mais Futebol, de Portugal: ”Farias é um típico jogador de área. Não tem técnica, não é rápido, não é forte, não é alto, mas sabe estar no lugar certo para fazer gols. Não é um jogador de grandes gols, é um jogador de último toque, de meter a bola dentro da baliza. Acho que o Farías nunca foi jogador para valer o que o Porto pagou por ele (quatro milhões de euros), mas a verdade é que ele fez gols. Foi um ótimo suplente, que entrava quando a equipa estava a precisar de um gol. Nunca foi um jogador titular. Mas acho que se tiver alguma continuidade, pode ser um bom reforço para o Cruzeiro. Depende do que a torcida esperar dele: não podem esperar um craque. Até porque ele esteticamente não é um jogador atraente, não finta, não tem estilo.”

Finalmente, eis como Ernesto Farias se define:

  • “Sou um atacante de área. Posso jogar mais atrás, mas a minha característica principal é de área. Minha intenção é jogar e tentar corresponder às expectativas do treinador. Estou com uma expectativa grande de ganhar títulos no Cruzeiro”.

Agora, resta esperar que as hienas e os termocéfalos não cobrem futebol de Neymar, pois ele está mais pra Alecsandro.

Tusta enfastiado

terça-feira, 20 de julho de 2010

O tema foi discutido à exaustão no PHD no dia seguinte à final da Copa. Aparentemente, é notícia velha, matéria vencida, assunto datado.

Mas não é. Comentaristas dos canais de esportes não param de recomendar o telecoteco como a solução para os males do fut brasilis.

Prudente, Avaí, Duque, Icasa, Flamengo, Alecrim, Palmeiras, Tupi ou Ananindeua, não importa que elencos tenham, estão intimados ao totó infinito.

Se a moda pega, o futebol ficará intragável. Seremos Suiça ou Espanha. Com bola de pé em pé, de um lado pra outro, sempre na horizontal, todos os jogos terminarão em goleadas de 1×0.

O contra-ataque, embora não tenha agradado ao Tusta, ainda é a saída pra maioria dos times brasileiros. E se bem executado pode tornar o jogo interessante.

Agora o lescolesco improdutivo pode até ser um jogo de segurança máxima para os times poderosos, mas não vai empolgar a torcida. Já pensaram um campeão brasileiro marcando 40 gols em 38 partidas?

Melhor a Seleção tentar uma terceira via. E o treinador de cada time brasileiro imaginar táticas e estratégias compatíveis com seus elencos.

Mas sempre buscando o gol. Caso contrário, o som do clic nas salas vai superar o do grito das galeras nas arquibancadas. 

Coluna do Tostão

Compromisso público

Quanto maior a qualidade dos times e dos atletas, maior a tendência de as partidas serem menos vibrantes

Após assistir, nos estádios, aos primeiros jogos na Copa, percebi que, em relação ao que costumo ver pela TV, no Brasil, as partidas estavam muito frias, lentas, táticas e com excesso de toques curtos e para os lados. Deveria ser o contrário, pela importância da competição e presença da torcida.

Fiquei na dúvida se era porque, na TV, os narradores brasileiros gritam demais, narram como se fosse pelo rádio e transformam qualquer pelada em um jogo emocionante, ou se as seleções na Copa procuravam jogar com mais segurança.

Os jogos do Brasileirão, de todas as séries, são mais vibrantes que os da Copa. Há mais disputas pela bola e mais jogadas de área. Infelizmente, quanto maior a qualidade técnica das equipes e dos jogadores, maior a tendência de as partidas serem frias e lentas. Por terem poucas chances, os craques, cada vez mais, decidem cada vez menos os jogos.

Além disso, os grandes jogadores se tornaram tão ricos, famosos e estrelas, jogando bem ou mal, que a Copa passa a ter menos importância. Cristiano Ronaldo, Messi e Kaká continuam com o mesmo prestígio.

Impacientava-me, ao ver no estádio, um jogador, com grandes chances de driblar em direção ao gol ou de dar um passe decisivo, preferir, por segurança ou falta de talento, tocar a bola para o lado. O grande craque é o que joga como se visse a partida da arquibancada.

O jogo excessivamente técnico e tático, mas com pouca alma, é uma grande chatice. “A bola é um reles, um ínfimo, um ridículo detalhe. O que procuramos no futebol é o drama, a tragédia, o horror e a compaixão. A mais sórdida pelada é de uma complexidade shakesperiana” (Nelson Rodrigues).

A filosofia na Copa foi a de Parreira, de que o importante é não levar o primeiro gol. Se é assim, porque não fazer o gol primeiro?

Uma das maneiras de mudar isso seria um time tentar dominar o outro, pressioná-lo, tentando tomar a bola mais à frente.

A  estratégia atual é o contrário. Criou-se o conceito de que a melhor maneira de vencer é recuar e tentar ganhar em pouquíssimos contra-ataques que raramente acontecem. O jogo fica feio. Essa é uma boa tática para time pequeno.

O novo técnico da Seleção Brasileira deveria assumir um compromisso público, com firma reconhecida em cartório, de que a equipe vai tentar vencer e dar bons espetáculos.

Fonte: Superesportes, em 18jul10

Com e elenco que possui, o Cruzeiro deveria terEspanha, Alemanha ou Brasil como referência?

Cruzeiro 3×0 Tupi: Amistoso de 15 minutos

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Em Sete Lagoas, às 20h15, com transmissão da TV Alterosa e do Portal UAI, Cruzeiro e Tupi, de Juiz de Fora, jogarão amistosamente, com portões fechados.

Será a estréia do treinador Alexi Stival, o Cuca, no comando do time azul-estrelado, que só não terá o zagueiro Leonardo Silva, que passou por cirurgia recentemente. Outro beque, Thiago Heleno, também está contundido..

Lances + importantes do 1º tempo

  • 20h15 – Ônibus do Tupi ficou retido num engarrafamento na BR 040. Jogo vai atrasar.
  • 20:27 – Após viajar mais de seis horas, Tupi chega à Arena do Jacaré e começa o aquecimento.
  • 20h30 – Trezentos alunos de escolas estaduais e municipais assistirão a partida convidados pela Prefeitura de Sete Lagoas.
  • 20h50 – A promessa de 4-3-3 não se concretiza. O Cruzeiro vai jogar no 4-2-2-2.
  • 20h52 – Cruzeiro com uniforme tradicional à direita das tribunas. Tupi todo de branco.
  • 20h53 – Começa o jogo. Cruzeiro dá a saída.
  • 30 seg – Roger Galera, no meia direita,  passa a Jonathan, que entra na área, corta o marcador e chuta rasteiro. Bola entra no canto direito do arco do Tupi. Cruzeiro 1×0.
  • 05 – Wellington Paulista lança Thiago Ribeiro, Rizzo se antecipa e desfaz a jogada.
  • 06 – Wellington Paulista chuta da entrada da área, bola bate na zaga e volta para o centroavante, que acerta uma bomba. Bola entra no ângulo direito do arco do Tupi. Cruzeiro 2×0.
  • 07 – Um dos comentaristas da Alterosa atende pelo nome de Vibrantinho. Meu Deus, como fala besteira! Só consegue repetir lugares comuns de torcedores. E o narrador não sabe o nome dos jogadores do Tupi. A transmissão da Alterosa traz boas imagens, mas vê-se que é improvisada.
  • 11 – Thiago Ribeiro disputa a bola com Fabrício Soares, dentro da área, pela direita, e cruza. O goleiro sai na cobertura do beque e o arco fica vazio. Wellington Paulista, no segundo poste, sobe e cabeceia livre, pras redes. Cruzeiro 3×0.
  • 13 – Vibrantinho comentando nem como piada serve. Dirceu Lopes, embora não tenha bocabilidade de microfonista, ao menos fala com o conhecimento de quem foi um dos maiores jogadores da história do futebol brasileiro.
  • 15 – Gramado da Arena do Jacaré é melhor do que a maioria dos gramados dos estádios sul-africanos nos quais se joga a Copa do Mundo.
  • 18 – Robson desarma Gilberto e chuta da meia lua. Bola passa raspando o travessão.
  • 19 – O locutor da Alterosa não sabe o nome dos jogadores do Tupi. E eu não sei o nome dele. Empatamos!
  • 20 – Roger Galera cruza da direita, defesa corta.
  • 22 – Sidinei chuta de fora da área, Fábio encaixa.
  • 23 – Rizzo dá uma lenhada em Thiago Ribeiro no meio de campo e recebe cartão amarelo.
  • 24 – Faltas: Tupi 4×3.
  • 25 – Thiago Ribeiro divide com goleiro, bola sobra para Diego Renan, que passa a Thiago Ribeiro. Impedido, o atacante toca pras redes. Não vale.
  • 26 – Muller recebe lançamento nas costas da zaga, entra livre na área obrigando Fábio a defender a bola a seus pés.
  • 28 – Michel Lima cruza da direita, Muller cabeceia, Fábio defende.
  • 29 – Robson recebe na entrada da área e chuta por cima do travessão.
  • 30 – Trinta minutos, trinta vezes Vibrantinho citou Adílson Baptista.
  • 31 – Impedimentos: Tupi 4×3.
  • 32 – Thiago Ribeiro lança Jonathan, que é desarmado pela zaga.
  • 38 – Marcel chuta cruzado, Fábio defende.
  • 39 – Michel chuta de fora da área, por cima do travessão.
  • 40 – Finalizações: Tupi 7×6.
  • 42 – Fabrício Soares desarma WP e recua pra Gonçalves que dá um chutão pra fora da área.
  • 43 – Roger Galera cruza da esquerda, Thiago Ribeiro conclui, bola fica nas redes, pelo lado de fora.
  • 45 – André cobra escanteio pela direita, Caçapa desvia pra novo escanteio. Nova cobrança, bola fica com Roger Galera, fora da área.
  • 46 – Fim de 1º tempo. Após 15 minutos de entusiasmo, quando pegou o Tupi desarvorado após a epopéia pra chegar a Sete Lagoas, o Cruzeiro diminuiu o ritmo e o time de Juiz de Fora conseguiu alguns arremates importantes.
  • Fabrício Soares: “O atraso na viagem atrapalhou oi Tupi, mas o amistoso é importante para preparar o time para o jogo contra o Madureira.”
  • Wellington Paulista: “Estava triste, mas não desmotivado. Coma chegada do Cuca, voltei a fazer meus golzinhos.”
  • Cleber Mendes, no PHD: “Opa, o grande Dirceu Lopes, o Dez de Ouros comentando? Já estou acessando o Superesportes só pra ouvir seus comentários. Ver e ouvir o ídolo Lopes comentando na transmissão é emocionante.”
  • Frede Amaral, no PHD: “Depois o povo não sabe por que a Globo é líder de audiência. Que lixo de transmissão!”
  • Diogo Lara, no PHD: “Poxa, a transmissão não está tá tão má. Tem câmera do impedimento e até microcâmera nos gols.”

Lances + importantes do 2º tempo

  • 21h55- Começa o 2º tempo.
  • 00 – Pedro Ken substitui Roger Galera.
  • 01 – Gustavo Sobrinho: “É só o Roger ter uma sequência de 40 jogos que ele pega ritmo de jogo e vai começar a voar em campo.”
  • 04 – Thiago recebe na entrada da área, corta a zaga e chuta à esquerda do arco do Tupi.
  • 05 – Eládio substitui Gonçalves. Leo Salino substitui Michel.
  • 06 – Michel Lima cobra escanteio pela direita, defesa celeste corta.
  • 09 – Denílson passa a Michel Lima que cruza da direita. Cláudio Caçapa cabeceia pra escanteio.
  • 10 – Escanteio cobrado pela direita, não aparece atacante do Tupi pra concluir.
  • 12 – Robert substitui Gilberto.
  • 13 – Maguinho substitui Denílson.
  • 15 – Marquinhos Paraná substitui Henrique. Fabinho substitui Fabrício.
  • 16 – Cassiano substitui Robson.
  • 17 – Jonathan passa a Wellington Paulista, que chuta para o gol mas a bola vai pra lateral da área.
  • 18 – Robert recebe passe de Jonathan, mas não consegue concluir e é desarmado pela bequeira carijó.
  • 19 – Faltas: Tupi 9×7. Udson substitui Muller.
  • 20 – Elicarlos substitui Thiago Ribeiro.
  • 21 – Diego Renan tenta jogada pela esquerda, bola escapa pela linha de fundo.
  • 22 – Javier Reina substitui Diego Renan.
  • 23 – Quem acompanha esse Vibrantinho na Alterosa? Mais de uma hora falando platitudes. Impressionante. Nenhuma análise tática ou técnica.
  • 24 – Michel Lima chuta de longe, Fábio defende.
  • 25 – Robert lança Wellington Paulista, Eládio sai do arco e defende.
  • 30 – Isto não é jogo, não é treino, nem chega a ser uma pelada. É palhaçada. Perda de tempo. Brincadeira de mau gosto.
  • 31 – Rafael Monteiro substitui Fábio. Gilmerson substitui Jonathan. Sebá substitui Wellington Paulista.
  • 33 – Helder substitui Gil. Eber substitui Cláudio Caçapa.
  • 34 – Delano substitui Fabrício Soares.
  • Evandro Oliveira: “Estou na Arena do Jacaré. Houve uns 20 minutos de futebol no 1º tempo. Depois, ficou muito ruim. Tem jogadores no Cruzeiro que não conseguem se explicar. E o time do Tupi é muito ruim!”
  • 37 – Javier Reina chuta de fora da área, bola sai do estádio.
  • 38 – Rodrigo substitui Michel.
  • 40 – Antijogo de futebol. Times completamente desentrosados não conseguem articular jogadas.
  • 41 – Matheus Reis: “Minha nossa! Um internauta pergunta se o Cuca observa as categorias de base. O narrador diz: ‘Ô Sônia, você sabe dizer se o Cuca tem essa visão futurista?’”
    44 – Eber cobra falta do bico da área, pela direita, à meia altura, elo lado da barreira. Eládio defende com dificuldade no canto esquerdo.
  • 46 – Eber invade a área e tenta concluir, mas é abafado por Eládio. Bola sobra para Sebá que, sozinho na cara do gol, chuta no poste direito.
  • 49 – Fim de jogo. Ufa! Deprimente. Fábio voltou da cirurgia pra extrair o apêndice em forma, Jonathan correu bastante e fez um gol, Henrique jogou como se a partida valesse alguma coisa e Wellington Paulista fez dois gols. Foram os melhores do Cruzeiro. Michel Lima com jogadas pela direita e Robson, que deu trabalho à bequeira celeste, foram os destaques do Tupi.
  • Elias Guimarães, no PHD: “De bom: estava com saudades de ver o Cruzeiro jogar. Me pareceu bom o gramado e a iluminação. A torcida fica em cima. De ruim: esse comentarista que nem nome tem, só apelido emprestado do pai. Como dizem aqui no interior: ‘Vai assombrar porco!'”
  • Simone Castro, no PHD: “Ah, segundo tempo muito mexido, totalmente modificado, só para observar e testar mesmo…”
  • Mauro França, no PHD: “Acho que nem pra isso serviu. O Cuca pode observar nos treinos. Testar, só em jogos. Na minha opinião, foi uma tremenda perda de tempo. Uma palhaçada, como o Síndico escreveu. E pra piorar, narração e comentários sem noção.”
  • Cuca, treinador do Cruzeiro, no Superesportes: “Montamos a equipe como a gente imagina. Estivemos bem, fomos compactos, fizemos um bom treino, principalmente pelo começo do jogo, pela grande volúpia, uma vontade de fazer logo o gol. Acabaram acontecendo três em 20 minutos. Aí, lógico, é natural, dar uma relaxada. A equipe adversária também encaixou bem e foi um bom treino. O 1º tempo foi muito bem jogado, foi um bom teste, um bom treino. É lógico que está em ritmo de treinamento e saíram jogadas em velocidade, por um lado, por outro, infiltrações e não tivemos grandes sustos. Foi uma ou outra falha, quanto estivemos atrás, até por mérito do Tupi. A gente sai feliz, contente, porque as coisas estão saindo como imaginamos e a evolução vai acontecer naturalmente. Quarta-feira, estaremos melhores do que hoje e assim  sucessivamente. Lógico que há situações que precisamos melhorar. Podemos corrigir atrás também, passar um pouco mais a linha da bola, pra ficaros um pouquinho mais encorpados. São coisas que naturalmente vão se encaixando. Pra um primeiro treino, em cima de tantos trabalhos que eles estão fazendo, foi muito bom.”

Cruzeiro 3×0 Tupi, sexta-feira, 20h15, Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, amistoso com portões fechados devido às obras do estádio – Transmissão: TV Alterosa e Portal Uai (site Superesportes) – Juiz: Carlos Inácio Vítor (FMF) – Bandeiras: Breno Rodrigues (FMF) e Douglas Almeida Costa (FMF) – Amarelo: Rizzo (Tup) – Gols: Jonathan, 35seg, Wellington Paulista, 6 e 11 do 1º tempo – Cruzeiro: Fábio (Rafael Monteiro); Jonathan (Gilmerson), Gil (Helder), Cláudio Caçapa (Eber) e Diego Renan (Javier Reina); Fabrício (Fabinho) e Henrique (Marquinhos Paraná); Roger Galera (Pedro Ken) e Gilberto (Robert); Wellington Paulista (Sebá) e Thiago Ribeiro (Elicarlos). Tec: Cuca / Tupi: Gonçalves (Eládio); Michel Lima, Rizzo (João Júnior), Fabrício Soares (Delano) e Michel (Rodrigo); Denílson (Maguinho), Marcel (Assis), Sammuel (Leo Salino) e Sidinei (Felipe Santos); Muller (Udson) e Robson (Cassiano). Tec: Jordan de Freitas – Histórico – Foi o 58º Cruzeiro x Tupi. O Cruzeiro venceu 37 partidas, empatou 15, perdeu 6, marcou 137 gols, sofreu 48. Desde 1958, pelo Campeonato Mineiro, em 41 jogos, o Cruzeiro venceu 29, empatou 11, perdeu 1. Os dois clubes jamais decidiram um título entre si.

Sangue Azul contra uma cidade

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Segundo o Superesportes, o Cruzeiro jogará contra Flamengo, Corintiãs e Internacional no Parque do Sabiá, em Uberlândia, pelo Brasileiro.

Isto equivale a vender o mando de campo. Ao menos nos jogos contra paulistas e cariocas que, ao lado do São Paulo, dominam os corações dos torcedores da maior cidade do Triângulo Mineiro.

Melhor seria trazer estes times pra sentirem o bafo da galera na Arena do Jacaré e levar ao Triângulo Guarani, Ceará e outros menos votados por aquelas bandas.

O Cruzeiro receberá alguma compensação financeira para “vender seus mandos de campo” dos jogos contra paulistas e cariocas no Parque do Sabiá?

Se vai, é bom lembrar que mais vale somar pontos do que descolar “algum” e colocar a campanha do time em risco.

Ou será que o Maurício Sangue Azul dá conta de encarar uma cidade inteira pra equilibrar os jogos no grito?

Costa do Marfim 3×0 Coréia C.: Vitória inútil

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Às 11h (Brasília), no Estádio Mbombela, em Nelspruit, Costa do Marfim jogam pela 3ª rodada do Grupo G da Copa 2010.

Para os norte-coreanos, o jogo será amistoso. Eles estão desclassificados. Mesmo assim, jogarão num prudente 5-4-1 pensando em não repetir o vexame do jogo contra Portugal quando perderam por 7×0.

Para a Costa do Marfim, o jogo vale. Ela precisa de uma vitória do Brasil sobre Portugal e de vencer por uma contagem que anule a vantagem portuguesa no saldo que é de 9 gols.

Se o Brasil vencer por 1×0, os marfineses terão de fazer 8×0 nos coreanos.  Isto é possível para um time que, até agora, só mostrou um bom jogador, que é o artilheiro Drogba?

Fermín Martinez, da Espanha, será o juiz. (mais…)

Austrália 2×1 Sérvia: Uma venceu, as duas perderam

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Às 15h30, o Estádio Mbombela, em Nelspruit, a Austrália tenta um pequeno milagre. Vencer e melhorar o saldo contra a Sérvia que pode até se dar bem com um empate.

Com uma vitória, a Sérvia avança, perdendo cai fora. Empatando, terá de sacar a calculadora.

Pim Verbeek escalará a Austrália no 4-2-3-1. Se a vaca estiver a caminho do brejo, ele deve arranjar outros companheiros para o centroavante Cahill. Resta saber quem seriam os tais.

Radomir Antic, porá Sérvia no 4-1-4-1, mas também terá de mudar pra algo mais ofensivo se o empate persistir no outro jogo.

Nosso vizinho Jorge Larrionda, uruguaio, será o juiz da partida. (mais…)

Hoje, tem Cruzeiro contra os Bafana Bafana

quarta-feira, 17 de março de 2010

Hoje, quarta-feira, 17mar10, às 21h50, no Mineirão, o Cruzeiro enfrentará a Seleção da África do Sul comandada pelo tetracampeão mundial Carlos Alberto Parreira.

Confiram o que diz a imprensa e os jogadores sobre esta partida amistosa:

  1. Bruno Furtado e Aílton do Vale, no Superesportes: Dos 32 jogos do Cruzeiro contra seleções, o Mineirão recebeu apenas o primeiro, com os soviéticos, e o terceiro, frente à seleção da Romênia, em 1970. Nesse, os mineiros venceram por 2×1.O Cruzeiro ainda fez 13 duelos contra seleções na América do Sul, dois na América Central, quatro na América do Norte, nove na Ásia e dois na África, ambos diante da Nigéria. Por isso, a África do Sul será a segunda seleção africana a medir forças com o clube azul.Nos jogos contra seleções nacionais, o Cruzeiro conquistou 17 vitórias, dez empates e foi derrotado cinco vezes. O maior revés foi para o Uruguai, por 4 a 1, em 16 de janeiro de 1977, em Montevidéu. O maior triunfo foi sobre a seleção das Filipinas, por 6×0, em 12 de fevereiro de 1972, em Manila.O Cruzeiro enfrentou 20 seleções diferentes. Os países que mais estiveram pelo caminho foram México, Equador e Colômbia: três vezes.
  2. Gilmar Laignier, no Site Oficial do Cruzeiro: O torcedor que for ao Mineirão assistir ao amistoso internacional entre Cruzeiro e África do Sul, nesta quarta-feira, às 21h50, presenciará uma grande festa. Não bastasse o espetáculo dentro dos gramados proporcionado pelos atletas do Melhor Clube Brasileiro do Século XX e da seleção anfitriã da Copa de 2010, os cruzeirenses ainda participarão de sorteios de brindes e poderão usufruir de benefícios oferecidos pelo departamento de marketing e comercial do clube.Os sócios do futebol serão os mais beneficiados. Além de concorrer à bola do jogo autografada pelos jogadores celestes, os torcedores em dia com a mensalidade poderão levar um convidado ao Mineirão, sem custos. A medida inédita dá a chance de vários cruzeirenses presenciarem a festa e conhecerem melhor as vantagens de ser um Sócio do Futebol. Os sócios mirins também participarão do espetáculo. Foram selecionadas 22 crianças de até 12 anos, todas sócias do futebol, para acompanhar os atletas na entrada ao gramado. Outros 16 garotos, entre 12 e 15 anos, foram escolhidos para segurar as bandeiras de Brasil e África do Sul, que serão estendidas durante a execução dos hinos nacionais dos países. Além dos jovens sócios, os tradicionais mascotinhos também participarão da grande festa em campo. Nas arquibancadas, o espetáculo ficará por conta da China Azul. Serão distribuídos balões verticais azuis e brancos aos torcedores. Na entrada do time em campo, a tradicional queima de fogos abrilhantará ainda mais a festa. No intervalo da partida, haverá sorteio de brindes para os torcedores. Esse benefício será estendido a todos os cruzeirenses presentes ao Mineirão, não somente os sócios. Oito torcedores que participaram da promoção 2010 brindes, promovida pelo Sócio do Futebol, poderão realizar o sonho de cobrar um pênalti em pleno Mineirão, nesta quarta-feira, durante o intervalo da partida.
  3. Antônio Melane, no Estado de Minas: A promessa do Cruzeiro para esta noite, às 21h50, no Mineirão, contra a Seleção da África do Sul, jogo que vai mostrar a equipe celeste para várias partes do mundo – estima-se que haverá transmissão para mais de 70 países – é que a festa será apenas fora de campo. Todos vão dar as boas vindas aos anfitriões do Mundial; Roger cumprimentará Carlos Alberto Parreira, a quem chamou de mestre, sendo um dos principais responsáveis pela sua evolução no futebol, quando o técnico comandava o Fluminense, e o torcedor receberá presentes, já que o marketing do clube vai fazer o sorteio de alguns brindes. Além disso, o sócio do futebol poderá levar um acompanhante.
  4. Bruno Furtado e Aílton do Vale, no site Superesportes: Três dos cinco jogadores do Cruzeiro que foram dirigidos por Carlos Alberto Parreira terão a oportunidade de reencontrar, nesta quarta-feira, às 21h50, no Mineirão, no amistoso contra a seleção da África do Sul, o técnico que lhes deu um empurrão na carreira. O zagueirTrês dos cinco jogadores do Cruzeiro que foram dirigidos por Carlos Alberto Parreira terão a oportunidade de reencontrar, nesta quarta-feira, às 21h50, no Mineirão, no amistoso contra a seleção da África do Sul, o técnico que lhes deu um empurrão na carreira.O zagueiro Caçapa, o volante Fabinho e o meia Roger devem estar em campo contra os anfitriões da próxima Copa do Mundo, hoje comandada pelo treinador tetracampeão mundial pelo Brasil. Já o volante Fabrício e o armador Gilberto vão ficar de fora da festa, pois estão contundidos. Eles também trabalharam com Parreira.
  5. Site Oficial do Cruzeiro: Convocados para o amistoso contra a África do Sul: Fábio, Rafael Monteiro, Jonathan, Marcos, Caçapa, Leo Fortunato, Leonardo Silva, Diego Renan, Fabinho, Henrique, Magalhães, Marquinhos Paraná, Uchôa, Bernardo, Pedro Ken, Roger Secco, Eliandro, Kleber, Thiago Ribeiro e Wellington Paulista.
  6. Carlos Alberto Parreira, no Superesportes: O Cruzeiro tem um time muito bom tecnicamente. É evidente que viemos para aprender, mas queremos deixar uma boa imagem. E vamos aproveitar que jogaremos contra times que têm jogadores tarimbados, como o Cruzeiro e a seleção do Paraguai, adversários mais difíceis dessa série. Queremos que a África jogue com a bola no chão, tenha posse de bola. Lá o futebol não é assim. Eles têm muita qualidade técnica, mas nada melhor do que vir ao Brasil para verem o jeitinho que o brasileiro joga.
  7. Bruno Furtado no Superesportes: A seleção sul-africana veio ao Brasil para um período de preparação sem as suas principais estrelas. o atacante Benni McCarthy, do West Ham (ING); os meias Steven Piennar, do Everton (ING), e MacBeth SIbaya, do Rubin Kazan (RUS); e o zagueiro Aaron Mokoena, do Portsmouth (ING). O amistoso com o Cruzeiro será o primeiro jogo oficial no país. Até aqui, os sul-africanos empataram com o Volta Redonda por 0 a 0, golearam o Fluminense sub-20 por 8×0 e derrotaram o Boavista-RJ por 2×0, sempre em jogos-treinos realizados na Granja Comary, em Teresópolis-RJ.
  8. Benny, The Dog, no Blog do Cruzeirense: O Cruzeirão entrará em campo para enfrentar nada mais nada menos que o anfitrião da Copa do Mundo da África. É mole? Os olhos do mundo inteiro estarão voltados para o Mineirão, milhões de pessoas espalhadas em centenas de paises verão a camisa 5 estrelas mais linda do universo esbanjando raça, talento e tradição. Fragou o tamanho da publicidade?
  9. Welington Paulista, centroavante do Cruzeiro: Quero jogar pra pegar ritmo de jogo, já que fiquei praticamente um mês parado por causa da contusão no tornozelo. Nosso foco está totalmente na Libertadores e no Mineiro. Mas, mesmo sendo amistoso, temos que vencer, não importa quem. Sabemos que vai ser um jogo difícil e a gente espera fazer um bom trabalho, procurar a vitória e entrosar ainda mais a equipe.
  10. Roger Secco Flores, armador do Cruzeiro: Eu tenho como base aquele relacionamento, aquele profissionalismo do Parreira, que trago para a carreira toda. Você tem que pescar sempre o melhor das pessoas com quem trabalha. 

Por que escamoteiam?

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

O Walfrido passou bom tempo de sua vida, contando o número de matérias que o Superesportes publicava sobre os rivais belo-horizontinos.

Invariavelmente, a Cocota vencia. Mala que sou, tão logo nosso confrade apresentava os dados da pesquisa, eu os comparava com os do Site Oficial do Cruzeiro.

E descobria que o Superesportes era sempre mais pródigo do que o site oficial com o campeão da Tríplice Coroa.

Volto ao tema, pois vários confrades estão reclamando que a vantagem da torcida celeste na venda antecipada de ingressos para o RapoCota deste sábado não tem sido divulgada pela mídia mineira.

Pois na quarta-feira, à noite, ouvi o Milton Naves, da Itatiaia, destrinchando os números e mostrando a vantagem celeste.

(mais…)

Superclássico: torcida celeste na pole position

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Ainda não saiu no Superesportes, mas a Itatiaia já informou: foram vendidos 13.700 ingressos para o Superclássico. A torcida do Cruzeiro comprou 7,7 mil e a emplumada 6 mil.

O Cruzeiro, ainda segundo a Itatiaia, deve jogar com sua força máxima.

Em termos práticos, o jogo vale pouco. Mas no plano psicológico, é importante. Um bom resultado ajudará na mobilização da torcida celeste para o duelo contra o Colo Colo.

(mais…)