Posts com a Tag ‘sub-20’

Estrelas Negras: organização e sucesso

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Mauro França

A expectativa que havia quanto a um bom desempenho das principais Seleções africanas nesta Copa não se concretizou. Camarões, Costa do Marfim e Nigéria não passaram da fase de grupos. Apenas Gana correspondeu e salvou o continente de um fracasso total.

Ao vencer os Estados Unidos e se classificar para as quartas de final, Gana já igualou as melhores campanhas africanas na história das Copas (Camarões em 90, Senegal em 2002). E pode ir além, se passar pelo Uruguai na próxima sexta-feira.

Seria o sucesso das Estrelas Negras uma obra do acaso? Não é o que parece. A força de Gana se baseia em uma combinação de talento individual, força física e organização dentro e fora dos gramados.

Com efeito, Gana tem sido quase uma exceção em meio à desorganização que grassa na maioria das Federações africanas. E por isso tem colhido resultados significativos nos últimos anos. Na Copa de 2006, já havia sido a única Seleção africana a se classificar para as oitavas de final. Em seguida, foi campeã mundial Sub-20 em 2009 e vice da última Copa Africana de Nações, disputada em janeiro de 2010.

No comando técnico das Estrelas Negras desde agosto 2008, o sérvio Milovan Rajevac desfruta de estabilidade pouco comum nas demais Seleções. Apesar de pouco badalado, este ex-zagueiro conseguiu montar um time consistente, organizado e aplicado.

Gana não pratica um futebol ofensivo, irresponsável, de toques envolventes e malabarismos. No lugar do espetáculo, apresenta força e explosão. Não faz muitos gols –foram apenas quatro neste Mundial, dois de pênalti. Em compensação, se defende muito bem.

A Federação Ganesa impôs um rígido código de conduta aos jogadores, com o objetivo de manter a disciplina e evitar brigas e divisões internas comuns nas Seleções africanas. O badalado Muntari não foi convocado para a Copa Africana por conta de indisciplina. E quase foi cortado da Copa, por ter discutido com o treinador após o empate com a Austrália.

A situação é bem diferente nas outras Seleções. A Costa do Marfim teve cinco técnicos desde 2008. O último deles, o sueco Sven-Goran Eriksson foi contratado apenas três meses antes da Copa. Mesmo contando com grandes talentos individuais, os Elefantes não funcionam como time. Para complicar, brigas internas ocasionaram a divisão do elenco.

A Nigéria já teve seis treinadores desde 2006. O sueco Lars Lagerback assumiu após a Copa Africana e, sem tempo para trabalhar, não conseguiu dar um padrão à equipe. Alguns veteranos expuseram publicamente insatisfação com seus métodos e decisões. Em Camarões, os jogadores chegaram a impor um esquema e a escalação do time ao técnico Paul Le Guen. Houve também racha entre veteranos e os mais jovens.

Na contramão, Gana conseguiu mesclar experiência com juventude e fortaleceu ainda mais o grupo. Treze jogadores estiveram na Alemanha em 2006. Nove fizeram parte da Seleção Sub-20 campeã mundial em 2009.

O ótimo goleiro Richard Kingson (31 anos) e o defensor John Pantsil (29) disputaram os 8 jogos que Gana fez até aqui em Copas. Andre Ayew (20), filho de Abedi Pelé, maior ídolo do futebol ganês, Kevin-Price Boateng (23) e o artilheiro Asamoah Gyan (25), que marcou três dos quatro gols ganeses na Copa, também são destaques.

As opções disponíveis são tantas que jogadores como Sulley Ali Muntari (25), Stephen Appiah (30) e Dominic Adiyah (21), chuteira e bola de ouro do último Mundial Sub-20, são opções de banco. É relevante notar que mesmo com a ausência, por contusão, de Michael Essien (27), considerado o melhor jogador ganês, a equipe manteve um bom nível.

Gana está diante do desafio de alcançar uma inédita semifinal de Copa do Mundo. De acordo com Milovan Rajevac, as Estrelas Negras estão preparados: 

  • “Não vejo pressão alguma. Nós já provamos que podemos competir com os adversários. Não temos nenhuma obrigação de vencer e vamos aproveitar esta oportunidade para fazer o melhor. Estou orgulhoso do que estamos fazendo. É um trabalho duro, mas que está dando resultados.”

Mauro França, 57, cruzeirense, economiário, historiador, nasceu em Sete Lagoas, mora em Belo Horizonte.

Os sócios do Cruzeiro

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Olá, Jorge.
 
Acompanho o PHD há pouco mais de 5 meses e, certamente, é o melhor blog/sítio para discutir sobre o Cruzeiro. Por isso, lhe envio esse e-mail para apresentar uma discussão que poderia esclarecer muitas dúvidas minhas e, acredito, de muitos cruzeirenses. (mais…)

Juniores campeonam outra vez

domingo, 9 de maio de 2010

Pra não ficar sem registro a mais recente conquista dos juinoires celestes, aqui está a matéria João Marcos Dias, do Site Oficial do Cruzeiro sobre a final contra o América.

(mais…)

Hoje, tem Cruzeiro contra os Bafana Bafana

quarta-feira, 17 de março de 2010

Hoje, quarta-feira, 17mar10, às 21h50, no Mineirão, o Cruzeiro enfrentará a Seleção da África do Sul comandada pelo tetracampeão mundial Carlos Alberto Parreira.

Confiram o que diz a imprensa e os jogadores sobre esta partida amistosa:

  1. Bruno Furtado e Aílton do Vale, no Superesportes: Dos 32 jogos do Cruzeiro contra seleções, o Mineirão recebeu apenas o primeiro, com os soviéticos, e o terceiro, frente à seleção da Romênia, em 1970. Nesse, os mineiros venceram por 2×1.O Cruzeiro ainda fez 13 duelos contra seleções na América do Sul, dois na América Central, quatro na América do Norte, nove na Ásia e dois na África, ambos diante da Nigéria. Por isso, a África do Sul será a segunda seleção africana a medir forças com o clube azul.Nos jogos contra seleções nacionais, o Cruzeiro conquistou 17 vitórias, dez empates e foi derrotado cinco vezes. O maior revés foi para o Uruguai, por 4 a 1, em 16 de janeiro de 1977, em Montevidéu. O maior triunfo foi sobre a seleção das Filipinas, por 6×0, em 12 de fevereiro de 1972, em Manila.O Cruzeiro enfrentou 20 seleções diferentes. Os países que mais estiveram pelo caminho foram México, Equador e Colômbia: três vezes.
  2. Gilmar Laignier, no Site Oficial do Cruzeiro: O torcedor que for ao Mineirão assistir ao amistoso internacional entre Cruzeiro e África do Sul, nesta quarta-feira, às 21h50, presenciará uma grande festa. Não bastasse o espetáculo dentro dos gramados proporcionado pelos atletas do Melhor Clube Brasileiro do Século XX e da seleção anfitriã da Copa de 2010, os cruzeirenses ainda participarão de sorteios de brindes e poderão usufruir de benefícios oferecidos pelo departamento de marketing e comercial do clube.Os sócios do futebol serão os mais beneficiados. Além de concorrer à bola do jogo autografada pelos jogadores celestes, os torcedores em dia com a mensalidade poderão levar um convidado ao Mineirão, sem custos. A medida inédita dá a chance de vários cruzeirenses presenciarem a festa e conhecerem melhor as vantagens de ser um Sócio do Futebol. Os sócios mirins também participarão do espetáculo. Foram selecionadas 22 crianças de até 12 anos, todas sócias do futebol, para acompanhar os atletas na entrada ao gramado. Outros 16 garotos, entre 12 e 15 anos, foram escolhidos para segurar as bandeiras de Brasil e África do Sul, que serão estendidas durante a execução dos hinos nacionais dos países. Além dos jovens sócios, os tradicionais mascotinhos também participarão da grande festa em campo. Nas arquibancadas, o espetáculo ficará por conta da China Azul. Serão distribuídos balões verticais azuis e brancos aos torcedores. Na entrada do time em campo, a tradicional queima de fogos abrilhantará ainda mais a festa. No intervalo da partida, haverá sorteio de brindes para os torcedores. Esse benefício será estendido a todos os cruzeirenses presentes ao Mineirão, não somente os sócios. Oito torcedores que participaram da promoção 2010 brindes, promovida pelo Sócio do Futebol, poderão realizar o sonho de cobrar um pênalti em pleno Mineirão, nesta quarta-feira, durante o intervalo da partida.
  3. Antônio Melane, no Estado de Minas: A promessa do Cruzeiro para esta noite, às 21h50, no Mineirão, contra a Seleção da África do Sul, jogo que vai mostrar a equipe celeste para várias partes do mundo – estima-se que haverá transmissão para mais de 70 países – é que a festa será apenas fora de campo. Todos vão dar as boas vindas aos anfitriões do Mundial; Roger cumprimentará Carlos Alberto Parreira, a quem chamou de mestre, sendo um dos principais responsáveis pela sua evolução no futebol, quando o técnico comandava o Fluminense, e o torcedor receberá presentes, já que o marketing do clube vai fazer o sorteio de alguns brindes. Além disso, o sócio do futebol poderá levar um acompanhante.
  4. Bruno Furtado e Aílton do Vale, no site Superesportes: Três dos cinco jogadores do Cruzeiro que foram dirigidos por Carlos Alberto Parreira terão a oportunidade de reencontrar, nesta quarta-feira, às 21h50, no Mineirão, no amistoso contra a seleção da África do Sul, o técnico que lhes deu um empurrão na carreira. O zagueirTrês dos cinco jogadores do Cruzeiro que foram dirigidos por Carlos Alberto Parreira terão a oportunidade de reencontrar, nesta quarta-feira, às 21h50, no Mineirão, no amistoso contra a seleção da África do Sul, o técnico que lhes deu um empurrão na carreira.O zagueiro Caçapa, o volante Fabinho e o meia Roger devem estar em campo contra os anfitriões da próxima Copa do Mundo, hoje comandada pelo treinador tetracampeão mundial pelo Brasil. Já o volante Fabrício e o armador Gilberto vão ficar de fora da festa, pois estão contundidos. Eles também trabalharam com Parreira.
  5. Site Oficial do Cruzeiro: Convocados para o amistoso contra a África do Sul: Fábio, Rafael Monteiro, Jonathan, Marcos, Caçapa, Leo Fortunato, Leonardo Silva, Diego Renan, Fabinho, Henrique, Magalhães, Marquinhos Paraná, Uchôa, Bernardo, Pedro Ken, Roger Secco, Eliandro, Kleber, Thiago Ribeiro e Wellington Paulista.
  6. Carlos Alberto Parreira, no Superesportes: O Cruzeiro tem um time muito bom tecnicamente. É evidente que viemos para aprender, mas queremos deixar uma boa imagem. E vamos aproveitar que jogaremos contra times que têm jogadores tarimbados, como o Cruzeiro e a seleção do Paraguai, adversários mais difíceis dessa série. Queremos que a África jogue com a bola no chão, tenha posse de bola. Lá o futebol não é assim. Eles têm muita qualidade técnica, mas nada melhor do que vir ao Brasil para verem o jeitinho que o brasileiro joga.
  7. Bruno Furtado no Superesportes: A seleção sul-africana veio ao Brasil para um período de preparação sem as suas principais estrelas. o atacante Benni McCarthy, do West Ham (ING); os meias Steven Piennar, do Everton (ING), e MacBeth SIbaya, do Rubin Kazan (RUS); e o zagueiro Aaron Mokoena, do Portsmouth (ING). O amistoso com o Cruzeiro será o primeiro jogo oficial no país. Até aqui, os sul-africanos empataram com o Volta Redonda por 0 a 0, golearam o Fluminense sub-20 por 8×0 e derrotaram o Boavista-RJ por 2×0, sempre em jogos-treinos realizados na Granja Comary, em Teresópolis-RJ.
  8. Benny, The Dog, no Blog do Cruzeirense: O Cruzeirão entrará em campo para enfrentar nada mais nada menos que o anfitrião da Copa do Mundo da África. É mole? Os olhos do mundo inteiro estarão voltados para o Mineirão, milhões de pessoas espalhadas em centenas de paises verão a camisa 5 estrelas mais linda do universo esbanjando raça, talento e tradição. Fragou o tamanho da publicidade?
  9. Welington Paulista, centroavante do Cruzeiro: Quero jogar pra pegar ritmo de jogo, já que fiquei praticamente um mês parado por causa da contusão no tornozelo. Nosso foco está totalmente na Libertadores e no Mineiro. Mas, mesmo sendo amistoso, temos que vencer, não importa quem. Sabemos que vai ser um jogo difícil e a gente espera fazer um bom trabalho, procurar a vitória e entrosar ainda mais a equipe.
  10. Roger Secco Flores, armador do Cruzeiro: Eu tenho como base aquele relacionamento, aquele profissionalismo do Parreira, que trago para a carreira toda. Você tem que pescar sempre o melhor das pessoas com quem trabalha.