Posts com a Tag ‘Rosário’

Questo è il nostro personale, Signore Crossi

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Enquanto aguarda o novo comentarista Crossi Neto se apresentar ao distinto público, com ajuda do filho inteligente do blogueiro,  o veterano Ernesto Araújo apresenta ao novato alguns os antigos comentaristas do PHD:

  1. Jorge Angrisano Santana – É o blogueiro. Semianalfabeto, não passa de um testa-de-ferro do filho, que é o autor dos posts. Seu ídolo no futebol é Maradona. Na MPB, é o Chico Taquara.
  2. King Arthur – Tem pouca escolaridade e por isso acredita que tudo no futebol acontece por acaso e nada é premeditado.
  3. Evans Drawn – É vidente (possui uma bola de cristal), cartomante, joga búzios e é dono do polvo do aquário de Oberhausen, Alemanha. No trato pessoal é ameno. Se contrariado, prefere o silêncio e dá a outra face pra ser batida. Um gentleman.
  4. Victor Hugo – Entusiasta da Seleção Brasileira, sente profunda admiração pelo treinador Dunga e ainda não se recuperou da derrota do Brasil na Copa. No plano interno, seu rival é o Santos.
  5. Mouro Francês – Sabe nada de futebol. Mas vira uma fera e destrói automóveis na periferia de Paris quando a Argélia perde alguma partida de futebol.
  6. Céu, ElizabethSimonalisa, e Marina – Belas torcedoras, que não entendem de bola rolando. Preferem jogador bonito ao joga bonito. São especialistas na estética dos jogadores e não dos jogos. Nesta Copa, elegeram Hamsyk, Calamity James e Lúcio como os mais guapos.
  7. J. Durval Chiado – Novato, virou cruzeirense faz pouco tempo e ainda está se inteirando da história do clube. Vive importunando Evans Drawn perguntando quem foram Polenta, Piorra e Carazo, contemporâneos do veterano comentarista.
  8. Bob Gilliard – Amante do cinema iraniano, do jornalismo venezuelano, em matéria de futebol, teoriza até sobre tiro de meta. É portador de paixão incontida pelo treinador Adílson Baptista, adepto do futebol de resultados inspirado no bicampeão mundial de 82 e 86, Mestre Telê.
  9. Genésio Ubaldo – Torcedor cricri, passa os jogos vaiando o Cruzeiro. Só se acalma quando lê as equilibradas análises de seu ídolo Bob Gilliard.
  10. Romário UolBest of Burden do blog. Enquanto todos assistem aos jogos, ele anota lance por lance da partida pra registrar a história do Cruzeiro ao pé da letra. Em sua homenagem, Keith Richards e Mick Jagger compuseram um disos sucessos dos Stones.
  11. Ché Araújo – Nasceu em Rosário, Argentina, e passou os primeiros 40 anos de vida no lombo de uma motocicleta pelas estradas de nuestrolatinoamérica até descobrir sua vocação de jogador de beisebol em Cuba. É o comentarista deste esporte no PHD.
  12. Nhonho Oliveira – Chefe do Departamento Jurídico do blog, vive às turras com Hall, o antispam.
  13. Ares Française Junior –  Blog commentateur plus sophistiqué, vivre dans la ville Sept Lacs où il gère le stade de l’équipe de rugby Démocrate.
  14. Pedro Vinícius Cabral – Argentino de origem portuguesa, radicado em Formiga, torce pelo Vila,  Leixões e Atlético Rafaela.
  15. Euskadi Garrastazu Bordaberry Arreguy – Espírito radical, nasceu em Bilbao e é torcedor ferrenho do Atlético. O local, obviamente. Em Minas, defende as cores do Demo Black & White Panther. Jurista de renome, é reverenciado pelos demais comentarista do PHD, por ser de poucas palavras e muita ação.
  16. Juan Kimbund – Uruguaio radicado na Bahia, é um ás do rodopio. Gravou um CD com 28 solos de berimbau. Em casa, contudo, só toca gaita de fole pra desespero dos vizinhos.
  17. Frede Sobrinho – Funcionário público durante o dia, à noite é garçom na Choperia Pinguim. É um dos líderes dos torcedores radicais que vaiam o Cruzeiro no 7A do Mineirão. 
  18. Wall Free Dow Jones – Corretor de seguros e ações em Nuiorque, foi um dos responsáveis pela bolha imobiliária. Torcia pelo do Red Bull, embora só ingerisse Budweiser. Expulso dos USA por Barak Obama, vive em Essen, na Alemanha, e torce pelo Duisburg, que derrubou da 3ª para 4ª divisão quando começou a frequentar seus jogos.
  19. Edward Scissorhands– Marqueteiro americano da NBA, que vive podando as iniciativas do Departamento de Marketing do Cruzeiro, considerado por ele um lixo. Seu sonho é suceder o Claret e meter a tesoura nos piratas que dão prejuízo ao clube. ZZP, contudo, diz que se não pentear as melenas, ele jamais será contratado.
  20. AgTo, cineasta coreano, que editou o filme da Copa do Mundo 2010. Para agradar o nanico megalomaníaco que fez a encomenda, ele colocou Coréia do Norte e Brasil na final. E os norcoreanos venceram por 2×1 com gols contra de Felipe Mello.
  21. Viejo Damas – Cantor de tangos portenho, que há 39 anos sai dos estádios antes da volta olímpica. Sempre cantarolando Por Una Cabeza.
  22. Charles Mineiro – Sua mania é mudar de nome. Já foi Libertadores, virou Brasileiro, depois, Copa do Brasil, agora é Mineiro. Mas já está pensando em contratar advogado pra se chamar Charles Bimbo. Só não o fez por oposição da patroa.

Argentina 3×1 México: Montezuma pôs Rossetti e Tévez no caderninho

domingo, 27 de junho de 2010

Às 15h30 (Brasília), no Soccer Stadium, em Joanesburgo, México e Argentina decidem quem enfrentará a Alemanha nas quartas de final da Copa 2010.

Os dois times jogarão no 4-3-3. São fortes no ataque, mas nem tanto na defesa. Resta saber se manterão a disposição ofensiva sabendo-se que o derrotado não terá direito a revanche.

O espanhol nascido em Rosário, Argentina, Lionel Messi, maior nome da Copa, é a grande arma platina. Os garotos Hernandez, Vela e Giovany dos Santos, as esperanças mexicanas.

Roberto Rossetti, italiano que apitou a final da Eurocopa 2008, entre Espanha e Alemanha, será o referee do clássico latinoamericano. (mais…)

Lo que pasó en la Argentina

sábado, 29 de maio de 2010

Encerrada a temporada argentina -torneios Apertura 2009 e Clausura 2010-, apurou-se o ascesso e descenso direto e os jogos de promoção.

Caíram, sem escalas, o Chacarita Juniors, dono da torcida mais belicosa do país, e o Atlético Tucuman (nome é destino).  Eles deram lugar ao Quilmes e ao Olimpo (de Bahia Blanca, terra do Jorge Schulman).

Os confrontos da promoção colocaram frente a frente Rosario Central (que meteu 4xo na Cocota, numa final de Conmebol) contra All Boys e Gimnasia y Esgrima (rival citadino do Estudiantes) contra Atlético Rafaela.

Em Rafaela, o Atlético (nome é destino, como se verá adiante) fez 1xo sobre o Lobo. Em La Plata, levou o troco: 3×1. Marco Perez, goleador colombiano, avaliado em US$5 mi, fez os dois gols da classificação.

Pelo segundo ano, o Gimnasia escapa da queda, jogando em casa. Ano passado, teve de remontar um 0x3 pra se manter na elite. Um dia a casa cai.

Desta vez, o presidente Walter Gisande foi insultado com gritos de “hijo de puta” vindos da tribuna. Pior: vários referentes da equipe não aguentam mais disputar promoções e querem sair.

O treinador Diego Cocca só fica se o clube contratar reforços. Mas com uma dívida fora de controle, é pouco provável que tal aconteça.

Mais do que certa é a saída do artilheiro colombiano Marco Perez e do volante Rinaudo, destaque do time.

Dramático foi o duelo entre o All Boys e o Central. Na primeira partida, empataram, em Floresta, Buenos Aires, por 1×1. Na segunda, Los Blancos venceram por 3×0, no Gigante de Arroyito, em Rosário.

Desatou-se, então, uma crise sem precedentes na história auriazul. Um torcedor suicidou, outros fizeram passeata e sairam no braço com a polícia.

O presidente Horácio Usandizaga, caudilho político, que remodelou o estádio e prometeu o título nacional, renunciou e sumiu do mapa, ameaçado de morte pelos termocéfalos.

Futebol virou coisa de dementes. Pra muitos torcedores ele já não mais um esporte. São tapados que nunca estão preparados pra rebaixamentos e perdas de títulos que têm como conquistados com antecedência.

De tudo o que li, o mais interessante foi esta reflexão de um torcedor do Boca Juniors na área de comentários do La Nacion: 

  • Todo esto me puso a pensar en por qué nos resulta tan dramático irse a la B, y creo que es en primer lugar porque el el futbol nos enferma, no lo podemos ver como solo un deporte y reflejamos en él todas las frustraciones que tenemos viviendo en este país, y en segundo lugar por la mala organización de nuestro futbol, ya que un equipo que se va a la B tiene más solo una categoría por perder, pierde millones por la tv, miles de socios, baja la calidad en sus instalaciones por falta de mantenimiento, la calidad de sus jugadores por no poder pagar sus contratos, en fin terminan haciendo de un club grande (por su gente e historia e infrastructura) un club más como le pasó a los equipos de Córdoba (pienso en Talleres de Córdoba que ni en el Nacional está). A mi me gusta que suban nuevos equipos a primera porque intento pensar en el futbol como algo más democrático, pero deberíamos luchar para que la riqueza que se genera en el futbol de primera también le llegue a los equipos del Ascenso.

Ele está certo. Pra começar a desatar o nó da estupidez, é preciso reduzir a tremenda desigualdade que está transformando clubes grandes em pequenos.

Se algum dia isto for possível, uma passagem pela B será menos dramática. O futebol brasileiro, infelizmente, está na contramão desta proposta.

E a estupidez permanece latente. A começar por aqui mesmo, nestas Páginas Heróicas Digitais, em que a desclassificação nas quartas de final de Uma Libertadores se transformou num dramalhão digno de novela mexicana.

Troperistas, ciclotímicos e termocéfalos consideram a Série B como território privativo de outros clubes. O que é sintoma de oligofrenia. E prenúncio de desatino.

Menos, galera. Futebol, por mais que tenha se transformado em negócio, continua sendo, na essência, um esporte. E, como tal, sujeito a surpresas, a vitórias impossíveis e derrotas inesperadas.

Camisa rosa tem poder!

sexta-feira, 21 de maio de 2010

De uns tempos pra cá, torcedores do Estudiantes incluíram a camisa rosa e a bandeira do Atlético-MG entre seus trapos.

Como todo mundo sabe, os pinchas têm um bruxo, que lhes dá proteção com rezas e despachos antes das partidas.

Pois não é que o tal bruxo foi desmoralizado pela camisa rosa e pela alvinegra bandeira? Camisa rosa tem poder! De estraçaiar quem a veste.

(mais…)