Posts com a Tag ‘patrocínios’

Nadando em dinheiro

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Mauro França

A revista Placar publica na sua edição de setembro mais um ranking dos maiores salários do futebol brasileiro.

A matéria é assinada pelos jornalistas Bernardo Itri e Ricardo Perrone, também responsáveis pelo levantamento publicado em maio de 2009.

(mais…)

O Eixo quer atropelar

segunda-feira, 29 de março de 2010

Charles Libertadores

O Golpe final está por acontecer. Com o fracasso de público dos estaduais, cariocas e paulitas começam a pensar em acabar de vez com estes torneios.

Após a eleição presidencial do Clube dos 13, o Eixo promete discutir oficialmente o tema.

A CBF incentiva o golpe, desde que fique responsável pelos torneios Rio-São Paulo, Sul-Minas, Copa Nordeste etc.

A Globo, que junto com clubes do Eixo, é quem mais lucrará com a nova ordem, também está gostando.

Se isto acontecer, as cotas de televisão e os patrocínios dos clubes do Eixo só aumentarão em relação a MG e RS. Aguardem!

Charles Libertadores, 30, cruzeirense, analista de visibilidade do entorno das canchas, nasceu em La Plata, mora em Belo Horizonte.

Lei Pelé vai mudar

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

A Lei Pelé (9.615/98) começa a ser modificada com a aprovação do pela  Câmara dos Deputados do substitutivo do deputado José Rocha (PR/BA) ao projeto de Lei 5.186/05, do Executivo. Confiram algumas mudanças:

  1. Jogadores de 14 a 19 anos serão ligados a clubes, não mais a empresários.
  2. Clubes que participaram da formação do jogador, dos 14 aos 17 anos, terão 1% do valor da transferência para cada ano de investimento no atleta dentro desse período.
  3. Clubes que formaram jogadores entre os 18 e os 19 anos terão 0,5% por ano.
  4. Clubes formadores de atletas olímpicos terão repasse de parte do dinheiro de loterias federais atualmente destinado ao Ministério dos Esportes, mas serão obrigados a investir a verba em programas de desenvolvimento, formação de recursos humanos, preparação técnica e na manutenção e transporte de atletas.
  5. Televisões que não detêm direitos de transmissão, poderão exibir até 90 segundos de imagens do evento esportivo, desde que paguem aos clubes e não as exibam associadas a patrocínios, propagandas ou promoções comerciais.
  6. Clubes e jogadores de futebol poderão combinar indenizações contratuais dentro de certos limites a serem definidos em legislação complementar.
  7. Jogador que romper contrato pra se transferir ou voltar a jogar por outro clube brasileiro, em 30 meses, pagará indenização de até 2 mil vezes o valor médio do salário ao clube de origem.
  8. Para as transferências internacionais, não haverá limite.
  9. Rescisão contratual por dívida salarial, dispensa imotivada ou demais hipóteses previstas na legislação trabalhista, obrigará o clube a indenizar o atleta com o total dos salários a que ele teria direito até o término do vínculo.
  10. Dirigentes responderão com seus próprios nomes e patrimônios pelos danos que causarem aos clubes. De “má gestão” esta situação passará a ser denominada “gestão temerária”.

Promessa de Ano Bom

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Agnaldo Morato

Não tenho a menor pressa de ver 2009 pelas costas. O tempo pode andar devagarzinho. Estou com toda a paciência do mundo.

Continuo degustando a reação espetacular que deu o título do 2º turno do Brasileiro e uma vaga pra Libertadores ao Cruzeiro.

Depois, com calma, começarei a pensar em 2010 que, pressinto, será emocionante.

Meu otimismo advém percepção de que o Cruzeiro está se preparando de forma correta para os desafios da próxima temporada.

(mais…)

Mete a mão no bolso, Seu Zé!

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Noite dessas, assisti a uma reprise da mesa-redonda dominical da Iespien do B. Estavam lá Trajano, Juca, Palomino, PVC, Calazans e Guedes.

Discutiam salários de treinadores. Fiquei sabendo que Dorival Júnior recebia R$280 mil por mês no Vasco. Afora um prêmio de R$1 milhão por ter devolvido o clube à Série A.

Pois bem, vencido o contrato, nosso DJ teria pedido 30% de reajuste. Ou seja, queria incorporar o prêmio ao ganhame regular.

(mais…)