Posts com a Tag ‘Nigéria’

Estrelas Negras: organização e sucesso

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Mauro França

A expectativa que havia quanto a um bom desempenho das principais Seleções africanas nesta Copa não se concretizou. Camarões, Costa do Marfim e Nigéria não passaram da fase de grupos. Apenas Gana correspondeu e salvou o continente de um fracasso total.

Ao vencer os Estados Unidos e se classificar para as quartas de final, Gana já igualou as melhores campanhas africanas na história das Copas (Camarões em 90, Senegal em 2002). E pode ir além, se passar pelo Uruguai na próxima sexta-feira.

Seria o sucesso das Estrelas Negras uma obra do acaso? Não é o que parece. A força de Gana se baseia em uma combinação de talento individual, força física e organização dentro e fora dos gramados.

Com efeito, Gana tem sido quase uma exceção em meio à desorganização que grassa na maioria das Federações africanas. E por isso tem colhido resultados significativos nos últimos anos. Na Copa de 2006, já havia sido a única Seleção africana a se classificar para as oitavas de final. Em seguida, foi campeã mundial Sub-20 em 2009 e vice da última Copa Africana de Nações, disputada em janeiro de 2010.

No comando técnico das Estrelas Negras desde agosto 2008, o sérvio Milovan Rajevac desfruta de estabilidade pouco comum nas demais Seleções. Apesar de pouco badalado, este ex-zagueiro conseguiu montar um time consistente, organizado e aplicado.

Gana não pratica um futebol ofensivo, irresponsável, de toques envolventes e malabarismos. No lugar do espetáculo, apresenta força e explosão. Não faz muitos gols –foram apenas quatro neste Mundial, dois de pênalti. Em compensação, se defende muito bem.

A Federação Ganesa impôs um rígido código de conduta aos jogadores, com o objetivo de manter a disciplina e evitar brigas e divisões internas comuns nas Seleções africanas. O badalado Muntari não foi convocado para a Copa Africana por conta de indisciplina. E quase foi cortado da Copa, por ter discutido com o treinador após o empate com a Austrália.

A situação é bem diferente nas outras Seleções. A Costa do Marfim teve cinco técnicos desde 2008. O último deles, o sueco Sven-Goran Eriksson foi contratado apenas três meses antes da Copa. Mesmo contando com grandes talentos individuais, os Elefantes não funcionam como time. Para complicar, brigas internas ocasionaram a divisão do elenco.

A Nigéria já teve seis treinadores desde 2006. O sueco Lars Lagerback assumiu após a Copa Africana e, sem tempo para trabalhar, não conseguiu dar um padrão à equipe. Alguns veteranos expuseram publicamente insatisfação com seus métodos e decisões. Em Camarões, os jogadores chegaram a impor um esquema e a escalação do time ao técnico Paul Le Guen. Houve também racha entre veteranos e os mais jovens.

Na contramão, Gana conseguiu mesclar experiência com juventude e fortaleceu ainda mais o grupo. Treze jogadores estiveram na Alemanha em 2006. Nove fizeram parte da Seleção Sub-20 campeã mundial em 2009.

O ótimo goleiro Richard Kingson (31 anos) e o defensor John Pantsil (29) disputaram os 8 jogos que Gana fez até aqui em Copas. Andre Ayew (20), filho de Abedi Pelé, maior ídolo do futebol ganês, Kevin-Price Boateng (23) e o artilheiro Asamoah Gyan (25), que marcou três dos quatro gols ganeses na Copa, também são destaques.

As opções disponíveis são tantas que jogadores como Sulley Ali Muntari (25), Stephen Appiah (30) e Dominic Adiyah (21), chuteira e bola de ouro do último Mundial Sub-20, são opções de banco. É relevante notar que mesmo com a ausência, por contusão, de Michael Essien (27), considerado o melhor jogador ganês, a equipe manteve um bom nível.

Gana está diante do desafio de alcançar uma inédita semifinal de Copa do Mundo. De acordo com Milovan Rajevac, as Estrelas Negras estão preparados: 

  • “Não vejo pressão alguma. Nós já provamos que podemos competir com os adversários. Não temos nenhuma obrigação de vencer e vamos aproveitar esta oportunidade para fazer o melhor. Estou orgulhoso do que estamos fazendo. É um trabalho duro, mas que está dando resultados.”

Mauro França, 57, cruzeirense, economiário, historiador, nasceu em Sete Lagoas, mora em Belo Horizonte.

Sete pecados capitais e um venial

domingo, 27 de junho de 2010

Estes foram imperdoáveis! Sete erros capitais da Copa, até aqui:

  1. No gol de Heinze (Argentina) contra a Nigéria, Samuel (Argentina) atracou-se com um beque africano configurando falta que nem no rúgbi e no futebol americano é permitida.
  2. Num de seus gols contra a Coréia Democrática, Higuaín (Argentina) estava em claro impedimento.
  3. No tento anulado dos USA contra a Eslovênia, o juiz marcou o famoso perigo de gol. Inexplicável.
  4. O 1º gol da Argentina contra o México foi lance de impedimento absurdo de Carlito Tévez. Havia zero jogador entre o atacante portenho e a risca fatal. Fosse na cancha do Mineirinho, no Alto dos Minérios, o juiz nunca mais erraria. Aliás, nem voltaria pra casa.
  5. No gol de Lampard (Inglaterra) contra a Alemanha, a bola ultrapassou meio metro a risca. Mesmo assim, bandeira e juiz, mandaram o jogo seguir. Erro pra enciclopédia. Está eternizado.
  6. O pênalti seguido de expulsão de Cahill, da Austrália, no jogo contra a Sérvia, foi outro absurdo. Bola no braço. Ali, a Austrália foi posta fora da Copa.
  7. A expulsão de Miroslav Klose (Alemanha), contra a Sérvia, foi pena capital por motivo fútil. 

Além destes, houve também um equívoco. Pecado venial, nada mais:

  1. Alguns insistem ter havido mão dupla no 2º gol de Luís Fabiano contra a Costa do Marfim. Mentira. O Fabuloso não encostou um dedo que seja na pelota.  Antes do primeiro chapéu, ela caiu do firmamento sobre o ombro do centroavante. Após o segundo sombrero, a Jabuani aninhou-se no sovaco dele. Uma punição e tanto. Ou alguém acha que, àquela altura do jogo, o desodorante do atleta já não estava vencido? Anular o gol até que não seria problema para o Brasil. Afinal, ele não foi decisivo. Mas teria sido punição dobrada contra a bola.

Alemanha 1×0 Gana: Teutos tiveram mais gana

quarta-feira, 23 de junho de 2010

às 15h3o (Brasília), no Estádio Soccer City, em Joanesburgo, Gana e Alemanha fazem um jogo de risco.

Gana se classifica com vitória ou empate. Se perder, tem de torcer pra Austrália vencer a Sérvia com moderação.

A Alemanha, só segue em frente com uma vitória. Se empatarem, os teutos terão que torcer pra Sérvia não vencer a Austrália, algo complicado.

Joachim Löw escalará a Alemanha num 4-2-3-1 e este 1 será o brasileiro Cacau, que substituirá Miroslav Klose, expulso contra a Sérvia.

Rajevic também vai escalar Gana no 4-2-3-1. E um dos volantes é Kevin Prince Boateng, que tirou Ballak da Copa.

Ele é irmão do Boateng  alemão, que poderá entrar no decorrer da partida. Que desgradável, hem?

Agradável, será ver o gaúcho Carlos Simon trilar o apito defendendo as cores da arbitragem nacional. Agradável mas, é verdade, um tanto arriscado também. (mais…)

Nigéria 2×2 Coréia D.: Coreanos aprenderam a jogar

terça-feira, 22 de junho de 2010

Às 15h30, no Estádio Moses Mabhida, em Durban, a Nigéria tentará vencer pra se classificar. A Coréia Democrática passa de fase se vencer e a Argentina não for goleada pela Grécia.

O grande nome da Nigéria tem sido seu goleiro Enyema. A Coréia Democrática não tem destaques individuais. Impressiona pelo conjunto.

No apito, estará o português Olegário Benquerença. Que ele seja bem quisto por todos ap[os o fimda partida! (mais…)

Grécia 2×1 Nigéria: Ganhou, mas não levará

quinta-feira, 17 de junho de 2010

No Free Stadium, em Bloemfontein, Nigéria e Grécia jogarão pelo Grupo B, às 11h, horário de Brasileia.

Em CNTP, a Nigéria deve vencer, pois a Grécia é tão ruim de bola que nem o amuleto Kapetanos resolve o problema dela.

E a Nigéria ainda tem Enyeama, o melhor goleiro da rodada incial da Copa (embora a maior defesa tenha sido de Valladares).

Pra cavalgarem no lombo de uma improvável zebra, os gregos terão de quebrar pilhas e mais pilhas de pratos.

O Juiz será o colombiano Oscar Ruiz, garantia que o melhor time continuará em busca da vaga e o pior já pode marcar um safári no Parque Kruger, pois só lhe restará fazer turismo ao final da partida. (mais…)

Argentina 4×1 Coréia Democrática: El Pipa voou

quinta-feira, 17 de junho de 2010

No Soccer City, em Joanesburgo, Coréia Dmocrática e Argentina abrem a 2ª rodada do Grupo B, às 8h30, horário de Brasília.

Verón desfalca a Argentina por causa de uma contusão muscular. Será substituído por Máxi Rodríguez.

Messi, que Maradona diz estar acima de qualquer outro boleiro desta Copa, receberá marcação especial dos coreanos. E El Pipa Higuaín terá que marcar os gols que perdeu na estréia.

Huh Joong-Moo, treinador da Coréia diz ter um plano pra parar o baixim do Barça. Eu tô apostando em alguns golpes de taiquendô… (mais…)

Nigéria 0x1 Argentina: Lance de rugby decidiu

sábado, 12 de junho de 2010

Em Joanesburgo, no Ellis Park, Nigéria 1×0 Argentina. Será que o Billardo não vai preferir perder a copa pros nigerianos?

Galvão e Casão já se declararam argentinos desde niños nesta partida. Eu sou Negão! Ma sem capoeira e berimbau, por favor.

Argentina venceu o 1º tempo com um gol ilegal. Em lance de rugby, Samuel agarrou um nigeriano e Heinze cabeceou sem marcação pra marcar

Galvez Bueno e Cassagrande estão apaixonados por Marafona. Fazem seguidas declarações de amor ao arrentino. Acharam que a barba deu ar senhorial ao técnico-adjunto  do Billardo.

O futebol ficou em segundo plano na Globo.

Terminou 1×0. Messi foi Leandro Lima. Higuain, WP. Thiago Heleno e Gil seriam titulares com os pés nas costas nesse time platino.

A Nigéria foi melhor no 2º tempo, mas não teve pontaria. Pior em campo: Gutierrez. Piores fora de campo: Galvez Bueno e Cassagrande.

Cruzeiro 0x0 África do Sul: Goleiros imbatíveis

quarta-feira, 17 de março de 2010

O treinador Carlos Alberto Parreira trouxe a Seleção da África do Sul pra se preparar para a Copa no Brasil.

Até agora, ela empatou com o Volta Redonda, por 0x0, e venceu o Sub20 do Fluminense, por 8×0, e os profissionais do Boavista, por 2×0, em jogos-treinos realizados na Granja Comary, centro de treiandmentos da CBF, em Teresópolis.

Sem os titulares Benny McCarthy, atacante do West Ham, os meias Steven Piennar, do Everton, e MacBeth SIbaya, do Rubin Kazan, e o zagueiro Aaron Mokoena, do Portsmouth, os bafana bafana querem aprender a tocar a bola e controlar o jogo à moda brasileira.

Para o Cruzeiro, o jogo também vale como treino para o Mineiro e a Libertadores e como oportunidade de divulgar sua marca mundo afora.

Lances + importantes do 1º tempo

  • 20h50 – Torcida mal educada faz barulho ensurdecedor durante a execução dos hinos nacionais.
  • 20h54 – Placar eletrônico dá escalação da África do Sul ao lado do escudo do América-MG.
  • 20h55 – Começa o jogo. Cruzeiro, com camisas e calções azuis e meias brancas, defende o Gol da Cidade. África do Sul com camisas brancas, calções verdes, meias amarelas.
  • 03 – Jogo truncado, com troca de passes nenhuma tentativa de ataque mais consistente.
  • 04 – Roger cobra escanteio pela esquerda, Pedro Ken cabeceia pra fora.
  • 05 – Jonathan cruza da direita, defesa tenta tirar, bola sobra pra Pedro Ken, que chuta. Khune defende.
  • 07 – Cruzeiro marca saída de bola.
  • 09 – Modise avança pela direita, mas é desarmado por Diego Renan.
  • 13 – Tshabalala faz boa jogada pessoal e cava falta na intermediária, que juiz não marca.
  • 14 – Mphela invade a área e chuta por cima do travessão.
  • 15 – Tshabalala pega faz belo lançamento pra Mphela, que domina, avança e chuta cara a cara com Fábio, que faz grande defesa em dois tempos.
  • 16 – Roger chuta de fora da área, bola passa por cima do travessão.
  • 19 – Jonathan recebe na entrada da área e chuta por cima do travessão.
  • 22 – Kleber tabela com Henrique na entrada da área, bola desvia na zaga, Khune defende.
  • 23 – Diego Renan cruza da esquerda, Pedro Ken cabeceia, Khune cai no canto esquerdo e defende com dificuldade.
  • 25 – Jonathan recebe passe de Kleber, na direita, é derrubado por Mdledle, sente o pé direito e é retirado no carrinho-maca.
  • 27 – Jonathan volta a campo.
  • 28 – Roger recebe de Diego Renan na área e chuta forte. Khune defende no reflexo.
  • 29 – Tshabalala cruza da esquerda, Cláudio Caçapa desvia de cabeça impedindo a conclusão de Modise.
  • 33 – Cruzeiro troca passes até Jonathan cruzar, da direita, forte demais.
  • 35 – Gaxa vai ataque, mas recebe lançamento em posição de impedimento.
  • 36 – Cruzeiro pressiona, mas não finaliza. Defesa dos bafana bafana está cerrada.
  • 38 – Jonathan recebe lançamento e cruza. Wellington Paulista cabeceia, Khune faz grande defesa.
  • 40 – Wellington Paulista chuta de fora da área, bola sai à direita do arco sul-africano.
  • 41 – Alto falntes anunciam gol da Universidad de Chile contra o Flamengo, em Santiago. Torcida celeste comemora.
  • 42 – Roger recebe cruzamento de Jonathan e chuta, mas a defesa corta.
  • 43 – Davids se choca com Kleber e recebe atendimento médico em campo.
  • 47 – Termina o 1º tempo. Alto falantes anunciam que, em Chapecó, Cocota foi chacota. Perdeu por 1xo pra Chapecoense, pela Copa do Brasil. Torcida celeste comemora.

Lances + importantes do 2º tempo anunciam o fim a

  • 23h – Começa o 2º tempo.
  • 00 – Fabinho substitui Pedro Ken. Bernardo substitui Riger Secco. Shualky substitui Mbuyane.
  • 02 – Bernardo invade a área e chuta cruzado, por cima do travessão.
  • 03 – Bernardo cobra falta pela esquerda, Khune soca bola pra fora da área.
  • 07 – Kleber chuta de fora da área, bola sai à esquerda de Khune.
  • 10 – Bernardo cobra falta, bola acerta o travessão.
  • 11 – Eliandro substitui Kleber.
  • 12 – Magalhães substitui Diego Renan.
  • 13 – Jonathan cobra falta pela direita, Henrique cabeceia, Khune defende.
  • 14 – Cruzeiro ataca muito, torcida se anima e canta alto.
  • 15 – Bernardo chuta de fora da área, Khune defende.
  • 17 – Marquinhos Paraná comete falta em Tshabalala e recebe cartão amarelo.
  • 18 – Confusão na área celeste. Jonathan limpa o lance e sai jogando.
  • 19 – Jali substitui Davids. Letsholonyane substitui Modise.
  • 20 – Bernardo chuta de fora da área, bola sai á esquerda de Khone.
  • 21 – Jali chuta da entrada da área, Fábio defende.
  • 22 – Eliandro cruza da direita, Mdledle cede escanteio. Bernardo cobra, Leonardo Silva não consegue arrematar de cabeça.
  • 23 – Marcos substitui Marquinhos Paraná. Jonathan vai jogar de volante caindo pela direita para tabelar com Marcos.
  • 24 – Wellington Paulista tenta por cobertura, Khune defende.
  • 26 – Marcos lança Jonathan, que cruza. Zaga alivia o perigo.
  • 27 – Jonathan cruza, Eliandro não alcança.
  • 28 – Khumalo cruza da direita, Mphela cabeceia, bola sai à esqueda de Fábio.
  • 30 – Cruzeiro força o jogo marcando saída de bola, África do Sul contra-ataca.
  • 32 – Khune faz cera e recebe cartão amarelo.
  • 33 – Khumalo cruza, Fábio defende pelo alto.
  • 34 – Magalhães cruza da esquerda, Wellington Paulista cabeceia, Khune defende.
  • 35 – Eliandro invade a área pela direita, por cima do travessão. Wellington Paulista reclama.
  • 39 – Bernardo cobra falta, Caçapa cabeceia, defesa corta.
  • 40 – Cale substitui Tshabalala.
  • 41 – Khumalo cruza da direita, Mphela arremata de voleio, por cima do travessão.
  • 42 – Henrique lança Bernardo na área. Armador cruza, defesa cede escanteio. Bernardo cobra, defesa volta a cortar.
  • 43 – Rádio Itatiaia escolhe Khune como o melhor jogador da partida.
  • 44 – Cale cruza da esquerda, bola sai do lado oposto.
  • 45 – Henrique pisa na bola no meio de campo, Mphela fica com a bola e parte em direção ao arco celeste sendo derrubado por Magalhães na meia lua. Lateral celeste recebe cartão amarelo. Deveria ter recebido o vermelho.
  • 46 – Cale cobra falta, Fábio voa no ângulo direito pra salvar o gol africano.
  • 47 – Cale recebe lançamento e, na cara do gol, arremata forte. Fábio faz defesa milagrosa.
  • 48 – Fim de jogo. Seleção da África do Sul recebe o Troféu Governador Aécio Neves.
  • Bernardo: “Foi uma boa experiência. Estou feliz de poder jogar mais vezes este ano. A África do Sul tem jogadores muito velozes.”
  • Fábio: “A África do Sul toca bem a bola, não tem pressa, chega sempre bem e em condições de marcar gols.”
  • Roger Secco: “Foi um jogo morno, chato de se ver.” 

Cruzeiro 0×0 África do Sul, quarta-feira, 17mar10, 21h50min, Mineirão, Belo Horizonte, Amistoso – Transmissão: Sportv (todo Brasil), Globo Minas (MG, exceto JF), Euro Sports (Europa) e Globo Internacional – Público: 13.496 pagantes, 20.250 presentes – Renda: R$168.990.10 – Juiz: Alício Pena Júnior (MG) – Bandeiras: Helbert Costa Andrade (MG/CBF) e Guilherme Dias Camilo (MG/CBF) – Amarelos: Marquinhos Paraná, Magalhães (Cru), Khune, Gaxa (Afr) – Cruzeiro: Fábio; Jonathan, Leonardo Silva, Cláudio Caçapa e Diego Renan (Magalhães); Henrique, Marquinhos Paraná (Marcos) e Pedro Ken (Fabinho); Roger (Bernardo); Kleber (Eliandro) e Wellington Paulista. Tec: Adílson Baptista / África do Sul: Khune; Khumalo, Siyabonga Sangweni, Mdledle e Gaxa; Lance Davids (Jali), Khuboni, Modise (Letsholonyane) e Mbuyane (Schalkwyk); Siphiwe Tshabalala (Cale) e Katlego Mphela. Tec: Carlos Alberto Parreira – Histórico – Foi o 1º jogo entre os dois times e o 33º do Cruzeiro contra seleções nacionais. O Cruzeiro venceu 17, empatou 11 e perdeu 5. Marcou 59 gols e tomou 29. Antes da África do Sul, a única seleção africana que hhavia enfentado a equipe celeste foi a Nigéria, por duas vezes em 1980 na cidade de Lagos. O Cruzeiro ganhou o primeiro jogo por 1×0 e empatou o segundo em 1×1.

Hoje, tem Cruzeiro contra os Bafana Bafana

quarta-feira, 17 de março de 2010

Hoje, quarta-feira, 17mar10, às 21h50, no Mineirão, o Cruzeiro enfrentará a Seleção da África do Sul comandada pelo tetracampeão mundial Carlos Alberto Parreira.

Confiram o que diz a imprensa e os jogadores sobre esta partida amistosa:

  1. Bruno Furtado e Aílton do Vale, no Superesportes: Dos 32 jogos do Cruzeiro contra seleções, o Mineirão recebeu apenas o primeiro, com os soviéticos, e o terceiro, frente à seleção da Romênia, em 1970. Nesse, os mineiros venceram por 2×1.O Cruzeiro ainda fez 13 duelos contra seleções na América do Sul, dois na América Central, quatro na América do Norte, nove na Ásia e dois na África, ambos diante da Nigéria. Por isso, a África do Sul será a segunda seleção africana a medir forças com o clube azul.Nos jogos contra seleções nacionais, o Cruzeiro conquistou 17 vitórias, dez empates e foi derrotado cinco vezes. O maior revés foi para o Uruguai, por 4 a 1, em 16 de janeiro de 1977, em Montevidéu. O maior triunfo foi sobre a seleção das Filipinas, por 6×0, em 12 de fevereiro de 1972, em Manila.O Cruzeiro enfrentou 20 seleções diferentes. Os países que mais estiveram pelo caminho foram México, Equador e Colômbia: três vezes.
  2. Gilmar Laignier, no Site Oficial do Cruzeiro: O torcedor que for ao Mineirão assistir ao amistoso internacional entre Cruzeiro e África do Sul, nesta quarta-feira, às 21h50, presenciará uma grande festa. Não bastasse o espetáculo dentro dos gramados proporcionado pelos atletas do Melhor Clube Brasileiro do Século XX e da seleção anfitriã da Copa de 2010, os cruzeirenses ainda participarão de sorteios de brindes e poderão usufruir de benefícios oferecidos pelo departamento de marketing e comercial do clube.Os sócios do futebol serão os mais beneficiados. Além de concorrer à bola do jogo autografada pelos jogadores celestes, os torcedores em dia com a mensalidade poderão levar um convidado ao Mineirão, sem custos. A medida inédita dá a chance de vários cruzeirenses presenciarem a festa e conhecerem melhor as vantagens de ser um Sócio do Futebol. Os sócios mirins também participarão do espetáculo. Foram selecionadas 22 crianças de até 12 anos, todas sócias do futebol, para acompanhar os atletas na entrada ao gramado. Outros 16 garotos, entre 12 e 15 anos, foram escolhidos para segurar as bandeiras de Brasil e África do Sul, que serão estendidas durante a execução dos hinos nacionais dos países. Além dos jovens sócios, os tradicionais mascotinhos também participarão da grande festa em campo. Nas arquibancadas, o espetáculo ficará por conta da China Azul. Serão distribuídos balões verticais azuis e brancos aos torcedores. Na entrada do time em campo, a tradicional queima de fogos abrilhantará ainda mais a festa. No intervalo da partida, haverá sorteio de brindes para os torcedores. Esse benefício será estendido a todos os cruzeirenses presentes ao Mineirão, não somente os sócios. Oito torcedores que participaram da promoção 2010 brindes, promovida pelo Sócio do Futebol, poderão realizar o sonho de cobrar um pênalti em pleno Mineirão, nesta quarta-feira, durante o intervalo da partida.
  3. Antônio Melane, no Estado de Minas: A promessa do Cruzeiro para esta noite, às 21h50, no Mineirão, contra a Seleção da África do Sul, jogo que vai mostrar a equipe celeste para várias partes do mundo – estima-se que haverá transmissão para mais de 70 países – é que a festa será apenas fora de campo. Todos vão dar as boas vindas aos anfitriões do Mundial; Roger cumprimentará Carlos Alberto Parreira, a quem chamou de mestre, sendo um dos principais responsáveis pela sua evolução no futebol, quando o técnico comandava o Fluminense, e o torcedor receberá presentes, já que o marketing do clube vai fazer o sorteio de alguns brindes. Além disso, o sócio do futebol poderá levar um acompanhante.
  4. Bruno Furtado e Aílton do Vale, no site Superesportes: Três dos cinco jogadores do Cruzeiro que foram dirigidos por Carlos Alberto Parreira terão a oportunidade de reencontrar, nesta quarta-feira, às 21h50, no Mineirão, no amistoso contra a seleção da África do Sul, o técnico que lhes deu um empurrão na carreira. O zagueirTrês dos cinco jogadores do Cruzeiro que foram dirigidos por Carlos Alberto Parreira terão a oportunidade de reencontrar, nesta quarta-feira, às 21h50, no Mineirão, no amistoso contra a seleção da África do Sul, o técnico que lhes deu um empurrão na carreira.O zagueiro Caçapa, o volante Fabinho e o meia Roger devem estar em campo contra os anfitriões da próxima Copa do Mundo, hoje comandada pelo treinador tetracampeão mundial pelo Brasil. Já o volante Fabrício e o armador Gilberto vão ficar de fora da festa, pois estão contundidos. Eles também trabalharam com Parreira.
  5. Site Oficial do Cruzeiro: Convocados para o amistoso contra a África do Sul: Fábio, Rafael Monteiro, Jonathan, Marcos, Caçapa, Leo Fortunato, Leonardo Silva, Diego Renan, Fabinho, Henrique, Magalhães, Marquinhos Paraná, Uchôa, Bernardo, Pedro Ken, Roger Secco, Eliandro, Kleber, Thiago Ribeiro e Wellington Paulista.
  6. Carlos Alberto Parreira, no Superesportes: O Cruzeiro tem um time muito bom tecnicamente. É evidente que viemos para aprender, mas queremos deixar uma boa imagem. E vamos aproveitar que jogaremos contra times que têm jogadores tarimbados, como o Cruzeiro e a seleção do Paraguai, adversários mais difíceis dessa série. Queremos que a África jogue com a bola no chão, tenha posse de bola. Lá o futebol não é assim. Eles têm muita qualidade técnica, mas nada melhor do que vir ao Brasil para verem o jeitinho que o brasileiro joga.
  7. Bruno Furtado no Superesportes: A seleção sul-africana veio ao Brasil para um período de preparação sem as suas principais estrelas. o atacante Benni McCarthy, do West Ham (ING); os meias Steven Piennar, do Everton (ING), e MacBeth SIbaya, do Rubin Kazan (RUS); e o zagueiro Aaron Mokoena, do Portsmouth (ING). O amistoso com o Cruzeiro será o primeiro jogo oficial no país. Até aqui, os sul-africanos empataram com o Volta Redonda por 0 a 0, golearam o Fluminense sub-20 por 8×0 e derrotaram o Boavista-RJ por 2×0, sempre em jogos-treinos realizados na Granja Comary, em Teresópolis-RJ.
  8. Benny, The Dog, no Blog do Cruzeirense: O Cruzeirão entrará em campo para enfrentar nada mais nada menos que o anfitrião da Copa do Mundo da África. É mole? Os olhos do mundo inteiro estarão voltados para o Mineirão, milhões de pessoas espalhadas em centenas de paises verão a camisa 5 estrelas mais linda do universo esbanjando raça, talento e tradição. Fragou o tamanho da publicidade?
  9. Welington Paulista, centroavante do Cruzeiro: Quero jogar pra pegar ritmo de jogo, já que fiquei praticamente um mês parado por causa da contusão no tornozelo. Nosso foco está totalmente na Libertadores e no Mineiro. Mas, mesmo sendo amistoso, temos que vencer, não importa quem. Sabemos que vai ser um jogo difícil e a gente espera fazer um bom trabalho, procurar a vitória e entrosar ainda mais a equipe.
  10. Roger Secco Flores, armador do Cruzeiro: Eu tenho como base aquele relacionamento, aquele profissionalismo do Parreira, que trago para a carreira toda. Você tem que pescar sempre o melhor das pessoas com quem trabalha. 

27ª CAN, Grupo D: Eto’o, Katongo, Ovono

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Mauro França

Camarões, Gabão, Zâmbia e Tunísia.

CAMARÕES

  • Outra grande potência africana. Vai para a sua sexta Copa, recorde na África. Camarões disputa pela 16ª vez as finais de CAN, sétima consecutiva. Depois de 1982, só ficou de fora uma vez, em 1994. Chegou à final seis vezes, conquistando 4 títulos (1984, 1988, 2000, 2002). Foi vice em 2008, batido pelo Egito. Tem ainda um título de campeão olímpico, em 2000. É o 1º do ranking africano e o 11º do mundial. Camarões tropeçava nas eliminatórias quando o francês Paul Le Guen foi contratado, em julho de 2008. Sob o seu comando a equipe se recuperou, venceu quatro jogos consecutivos e garantiu vaga na Copa. Feito que lhe valeu a renovação do contrato até o final deste torneio. Eto’o (Inter de Milão), em sua sexta CAN, é o grande astro dos Leões Indomáveis, que contam ainda com os experientes Rigobert Song (Trabzonspor), capitão da equipe, e Geremi (Newcastle).  Bassong (Tottenham), contundido, é a ausência mais sentida. A preparação final foi feita em Nairobi, Quênia.

GABÃO

  • Fez boa campanha nas Eliminatórias, a ponto de sonhar com a vaga na Copa, mas foi ultrapassado por Camarões nas duas rodadas finais. Volta à fase final da CAN depois de uma década ausente, na sua quarta participação. Seu melhor resultado foi chegar às quartas-de-final em 1996, que espera ao menos igualar. O Gabão, em conjunto com a Guiné Equatorial, sediará a próxima CAN. Ocupa a 8ª posição no ranking africano e a 48ª no mundial. Desde 2006 o treinador dos Panteras é Alain Giresse, ex-jogador da França, que montou uma equipe sem grandes estrelas, mas forte no conjunto. O atacante Daniel Cousin (Hull City) é o principal destaque, ao lado do experiente goleiro Didier Ovono (Le Mans) e do trio formado pelos irmãos Aubameyang, Catilina (sem clube), Willy (Avellino) e Pierre-Emerick (Lille). No último amistoso de preparação, Gabão venceu Moçambique por 2×0.

ZÂMBIA

  • Em sua 14ª presença em finais de CAN, o objetivo é alcançar ao menos as quartas-de-final. Pode parecer modesto, mas desde 1996, quando foi 3º, Zâmbia não passou da fase de grupos nas cinco edições que participou. Seus melhores resultados são dois vices, em 1974 e 1994. Ocupa o 17º posto do ranking africano, 84º do mundial. O técnico é o francês Herve Renard, desde maio de 2008. O sucesso dos Chipolopolos (Balas de Cobre, no idioma bemba) depende do desempenho dos irmãos Katongo, Christopher (Armenia Bielefeld), atacante, e Felix (Mamelodi-RSA), meia. Outro destaque é o goleiro Mweene (Free States Stars-RSA). Oito jogadores atuam na África do Sul e sete em times de segunda linha da Europa. No último amistoso, Zâmbia empatou com a Nigéria, 0x0, em Durban, África do Sul.

TUNÍSIA

  • A Tunísia teve a vaga na Copa nas mãos. Precisava apenas de uma vitória sobre Moçambique na última rodada, fora de casa, mas perdeu e foi ultrapassada pela Nigéria. Foi a primeira Seleção africana a vencer em Copas, em 1978 (3×1 sobre o México).  Participou de 4 Copas (1978, 1998, 2002, 2006) e chega a sua 14ª final de CAN, da qual foi campeã em 2004, quando sediou pela 3ª vez a competição. Ocupa o 10º lugar no ranking africano e o 53º no mundial. O fracasso nas eliminatórias levou a Federação tunisiana a trocar o português Humberto Coelho por Faouzi Benzarti, treinador do Esperance de Túnis. 16 dos 23 convocados, por sinal, jogam no país. O zagueiro Haggui (Hannover-96) e o meia Darragi (Esperance), são os destaques.