Posts com a Tag ‘Neymar’

17ª da A: Dia de Índio… E da 11ª cepada!

domingo, 29 de agosto de 2010

A 17ª rodada do Brasileiro (28 e 29ago10) começou com o empate entre Vasco e Cruzeiro, dois times de muitos empates e poucos gols, em São Januário. Inter e Santos venceram Bota e Goiás, respectivamente, e transformam o G4 em G4+2. E o Ceará que, aos poucos, vai dando adeus às ilusões garantiu um empate em casa contra o Prudente. Domingo de viradas do Porco sobre a Cocota e do Bugre sobre o Urubu. De vitória do Timão e de empates no jogos da noite. O Tricolor carioca continua na ponta, mas a apenas 3 pontos do Corintiãs.

(mais…)

16ª da A: Fracasso de público e gols

sábado, 28 de agosto de 2010

A 16ª rodada da Série A, disputada em 25 e 26ago10, teve poucos gols e público reduzido. O Flu disparou na liderança após a derrota do Timão para o retrancado Cruzeiro. Cocota e Fla empataram sem gols. Deu pro Rogério Lourenço, mas não pro Luxa, que continua forme em seu projeto emplumado. O Grêmio continua perdendo e o Santos perdeu Paulo Henrique Ganso, o craque do torneio, que estourou os meniscos. O resto pouco acrescentou.

(mais…)

15ª da A: Cariocas foram ao futebol

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

A 15ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro foi jogada em 21 e 22ago10 com bom público nos estádios. Flu e Timão deixam a concorrência comendo poeira. Bota e Ceará se aboletaram no G4. Os luxuosos elencos do St. Pauli e da Cocota apanham feio. Grêmio assusta sua torcida. CAP usa veneno de Pet contra o Fla. Guarani e Palmeiras tiram zero.

(mais…)

Pitacos selecionados

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Alguns comentários sobre posts recentes valem a pena ser lidos (ou relidos), pois vão além da equizofrenia geral. Abordam com humor e pertinência os temas propostos sem resvalarem para a grosseria e o palanquismo típico dos áukicos.

Alguns deles:

Moema Fox, no PHD: Cada cabeça, uma sentença. Tênis é esporte de elite? Pode ser. Era muito mais na minha infância. E eu não tinha dinheiro nem pras munhequeiras. Assistia Ivan Lendl e Steffi Graf e sonhava um dia poder jogar. Ganhei uma raquete usada, daquelas de madeira, de uma vizinha. Aprendi a jogar tênis sozinha, batendo bola na parede do quintal de casa e procurando fazer igual aos profissionais. A primeira vez que joguei em quadra de verdade, já era adolescente, e foi a realização de um sonho. E as coisas foram melhorando, tive aulas, comprei raquetes boas, me diverti à beça com o esporte de burguês. Mas desculpem-me, eu estava enganada. Deveria era ter ficado chutando uma bola no lote baldio perto de casa ao invés de sonhar com coisas melhores. Absurdo!

Daniel Loures, no PHD: Concordo em gênero, número e grau com a Moema. Ao invés de apoiarmos o prática de esportes, seja ele qual for, rotulamos oas modalidades. Chamar um esporte de burguês ou de maricas, tende à estupidez.Temos que incentivar a prática de esportes em todos os meios sociais. Pensar que só o futebol é a salvação é retrogado. E não temos que usar o esporte com o objetivo de lucro, de se dar bem na vida e sim como forma de inclusão social. Se uma quadra de tênis foi criada temos que aplaudir.

Velho  Damas, no PHD: Petequeiro, euuu??? Na minha região de origem, além da tradicional pelada, era chegado numa caixeta, pif, truco e sem dúvida fui um dos mais destacados levantadores do copo Lagoinha. Agora, no rancho do Rio Pilões aqui em New Farm, descobri uma nova modalidade: pesca esportiva etílica. Ainda mais depois que inventaram um barrilzinho verde de 5 litros. Aí foi que o trem ficou bom demais!!! Desse jeito chego aos 90 fácil, fácil!!!

Chaves, no PHD: Eita, como tem gente nervosa e complexada no blog! Uma semana em que a Cleo Pires sai na Playboy e Luciana Vendramini no Paparazzo não tem como ser ruim. E vocês aí reclamando de trabalho, política, futebol… 

Eduardo Arreguy, no PHD: Particularmente, acho tênis realmente um esporte elitista. Não viram domingo, no ipatingão? Só porque um cara resolveu jogar tênis, o povão comeu ele na porrada, o que mostra que além de elista, pode ser também um esporte muito violento. Deve ser por isto que o rapaz queria uma quadra só pra ele.

Matheus Reis, no PHD: Não vi jogos suficientes do Montillo, mas vi os dois jogos contra o Chivas e gostei. Chamou a responsabilidade pra si embora seu time não tenha se classificado. Além disso, é jogador criado. Acho que não corre o risco de se deslumbrar com as belezas etílicas, gastronômicas e femininas de BH. Que a documentação chegue logo e que ele estreie no Domingo.

Elias Guimarães, no PHD: Fiquei impressionado com Montillo desde a primeira vez que o vi jogar, com mais atenção, contra o Fla no Marqaca e no Santa Lúcia. Ele joga de cabeça alta, pensa rápido e tem viradas de bola, passes longos (nem digo lançamentos de tão perfeitos que são). Agora, precisamos recuperar o mais breve possível o Leonardo Silva,que vai cansar de marcar gols de cabeça e se tornar artilheiro do Brasileiro. Sóa não apostam no Montillo yna parcela daa imprensa galinácea louquinha de raiva pela boa contratação celeste e e certos “torcedores” do Cruzeiro, adeptos do fogo amigo, chamados carinhosamente de seca-pimenteiras…

Vinícius Cabral, no PHD: Thiago Heleno jogou quatro temporadas pelo Cruzeiro e tem apenas 21 anos. É muito novo! Ele parecia ter uns 24 ou 25 anos… A que ponto chega a intolerância de alguns torcedores com jogadores da base. Me lembro dele ser vaiado antes de completar 20 anos. Bom, caso seja vendido, desejo a ele toda a sorte do mundo. Acho que terá um futuro brilhante.

Victor Pimentel, no PHD: Nem vou levar em conta o jogo do Montillo contra o Flamengo, porque ali foi jogar contra ninguém. Mas gostei dele no jogo de volta da Libertadores contra o Chivas.

Elias Guimarães, no PHD: Brasile USA foi bom divertimento. E com uma linda bandeira do Cruzeiro ao vivo em HD sendo mostrada para o mundo todo. O bom futebol praticado pelo Brasil resultou no 2×0 d0 1º tempo. Ramires sobrando, com direito a passe primoroso pro 2º gol do Brasil. E ainda teve Neymar, Ganso e Robinho deitando e rolando praá cima dos “cintura dura”…

Maurício Sangue Azul, no PHD: Parabéns Matheus Reis! Aliás, aos dois Matheus. Tanto o Penido quanto o Reis escrevem muito bom. Têm excelente visão do jogo e analism bem as atuações individuais. Acho muito bom a turma ajudar o Sìndico nos posts pra desafogá-lo no dia a dia, e não ficar cansativo pra ele. Por causa da idade avançada, o Homem tem que tirar uma soneca à tarde pra recarregar as pilhas. kkk

Futebol com público

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Dois jogos com a casa cheia. Como não aconteceu ainda no Brasileiro.

No Beira Rio, 48 mil assistiram ao Inter 1×0 São Paulo. O Colorado dominou completamente o retrancado Tricolor, mas só marcou no fim com Giuliano que havia substituído Andrezinho.

Na Vila Belmiro, 14 mil assistiram ao Santos 2×0 Vitória. O rubronegro não jogou. Ramon Menezes conseguiu a proeza de cobrar um escanteio com um chute rasteiro,pra fora. Neymar abriu o placar e desperdiçou um pênalti batido com cavadinha. Na etapa final, DJ trocou Ganso por Marquinhos e o catarina bateu a falta do 2º gol.

Na véspera, no Azteca, 100 mil viram Chivas 1×1 Universidad de Chile. Montillo jogou bem e colocou os azuis a um passo da final.

10ª da A: Flu e Inter mantiveram os clientes

sexta-feira, 23 de julho de 2010

10ª rodada do Morrinhão, disputada em 21/22jul10. Corintiãs caiu do galho, Flu subiu, Ceará mantém-se “engastaiado” no G4, mineiros permanecem clientes de Flu e Inter, Felipão jogou a toalha e o público continua “deste tamaninho,ó!”…

  1. Jacaré, Atlético-MG 1×2 Inter. Público: 4.713. Gols: Diego Souza, 7, Alecsandro, 13 do 1º; Alecsandro, 17 do 2º. Luxa, “um dos três melhores treinadores do mundo”, segundo microfonistas mineiros e seus seguidores, perdeu a 7ª partida em 10. Aguardo explicações.
  2. Morumbi, São Paulo 1×1 Prudente. Público: 9.646. Gols: Washington, 1, Anderson Luís, 20 do 1º.  Hernanes, o cara que ia ganhar a Copa para o Brasil jogou. E não ganhou do Prudente. Aguardo esclarecimentos.
  3. Barradão, Vitória 2×2 Goiás. Público: 9.568. Gols: Rafael Moura, 31, Everton Santos, 33, Ricardo Conceição, 45 do 1º, Soares, 45 do 2º. Descontrolado, Emerson Leão criou a maior fuzarca no final da partida. He Man deu piti e agrediu um repórter. Um vexame total.
  4. Maraca, Fla 1×1 Avaí. Público: 14.051. Gol: Diego Maurício, 3 do 1º; Gabriel, 29 do 2º. Pet tentou várias maldades com a bola parada, mas Renan, de 19 anos, jogou com tranquilidade de veterano e o Avaí segue pontuando.
  5. Olímpico, Grêmio 1×1 Vasco. Público: 4.820 Gols: Nunes, 6, Jonas, 9 do 1º. A cancha do Olímpíco parecia uma lagoa e ninguém vai reclamar. Fosse na Arena do Jacaré, seria o fim do mundo.
  6. Baixada, Atlético 2×0 Santos. Público: 20.001. Gols: Bruno Costa, 2 do 1º; Bruno Mineiro, 2 do 2º. Neymar, outro ex-futuro campeão mundial, apanha pela 3ª vez consecutiva neste Morrinhão. Cartas à redação explicando, por favor!
  7. Serra Dourada, Atlético-GO 3×1 Corintiãs. Público: 17.445. Gols: Robston (p), 21, Iarley (Cor), 34 do 1º; Pedro Paulo, 23 e 34 do 2º. O cara que decidiu o jogo contra o líder foi descontratado pelo Luxa (um dos três melhores treinadores do mundo, segundo microfonistas e seus seguidores). Durma-se com um barulho desses!
  8. Maraca, Flu 1×0 Cruzeiro. Público: 28.479. Gol: Leandro Euzébio 8 do 2º tempo. Cruzeiro jogou como nunca, perdeu como sempre para o Flu.
  9. Brinco, Guarani 1×1 Ceará. Público: 4.585. Gols: Ernandes (Cea), 8, Ricardo Xavier, 29 do 2º. Ceará “engastaiou” no G4.
  10. Pacaembu, Palmeiras 2×2 Bota: Público: 12.107. Gols: Marcos Assunção, 1, Kleber, 12, Jobson, 25, Antonio Carlos, 33 do 2º. Felipão jogou a toalha. Rapidim, não?

Gols: 26. Público: 125.415.  Média: 12.542. G4: Flu, 22, Corintiãs, 21, Ceará, 19, Inter, 16. Z4: Grêmio e Vasco, 10, Atlético-MG, 9, Atlético-GO, 7. Artilheiros: 6 – Alecsandro e Roger / 5 – André, Roberto, Schwenck. / 4 – WP, Caio, Bruno César, Hugo, Fred, Tardelli, Muriqui, Ricardinho, Antônio Carlos, Herrera, Love, Washington, Jonas, Kleber.

Ché Farias, o Tanque de Trenque Lauquen

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Ernesto António Farías, 30 anos, 1m78, nascido em Trenque Lauquen, Argentina, em 29mai80, Altura: 1,78m assinou contrato para defender o Cruzeiro pelos próximos 4 anos.

Revelado pelo Estudiantes, El Tecla (por causa dos dentões), estreou aos 18 anos na equipe pincharrata.

De La Plata. o centroavante se transferiu para o jogou pelo Palermo (2004), River Palte (2007/07) e Porto (2007/10).

Pela Seleção Argentina, ele jogou ao lado de Sorín no Paraguai 1×0 Argentina, em 03set05.

Ao todo, marcou 170 gols em 385 jogos ao longo da carreira.

Considerando-se que jamais foi titular no Porto, muitas destas partidas são incompletas e pode-se esperar dele ao menos 1 gol a cda 2 jogos.

Farias tem 5 títulos no currículo: 2 campeonatos, duas copas e uma supertaça, todos conquistados na passagem pelo Porto.

Centroavante fixo, Ernesto Farias teve sua melhor fase jogando no River, pelo qual marcou 49 gols em 95 partidas (0,51 por jogo).

Bruno Furtado, do Superesportes, recolheu estes depoimentos sobre o novo atacante celeste:

  • Javier Lanza, do Clarín: “No River, ele viveu sua melhor fase. Era titular, marcou muito muitos gols e foi vendido por muito dinheiro. É um típico goleador, que se mete entre os zagueiros para receber os passes. Não é habilidoso. Costuma jogar como pivô. Curiosamente, não é tão alto, mas marca muitos gols de cabeça. Tem muita força nas pernas, salta muito e o jogo aéreo é o seu forte”.
  • Martin Blotto, do Olé: “Farías joga muito bem de costas para o gol, tem bom cabeceio e define com ambas as pernas. Não tem velocidade e bom drible, mas tem muita capacidade de se antecipar aos zagueiros e se posicionar na área. Tem faro de gol. Sua média na Argentina é próxima de 0,5 por jogo.”
  • Norberto Lopes, do Jornal de Notícias, de Portugal: ”É o típico finalizador. Um avançado de área, bom cabeceador, sabe desmarcar muito bem dos zagueiros para ganhar espaço. Não precisa de muitas oportunidades para marcar um gol, porque é muito eficaz. No Porto era dos melhores marcadores da equipe, apesar de ter poucos minutos de utilização. Era o suplente de luxo, arma secreta que o treinador lançava quando procurava resolver o jogo. Jogou pouco na última época porque esteve muito tempo lesionado.”
  • Sérgio Pereira, do portal Mais Futebol, de Portugal: ”Farias é um típico jogador de área. Não tem técnica, não é rápido, não é forte, não é alto, mas sabe estar no lugar certo para fazer gols. Não é um jogador de grandes gols, é um jogador de último toque, de meter a bola dentro da baliza. Acho que o Farías nunca foi jogador para valer o que o Porto pagou por ele (quatro milhões de euros), mas a verdade é que ele fez gols. Foi um ótimo suplente, que entrava quando a equipa estava a precisar de um gol. Nunca foi um jogador titular. Mas acho que se tiver alguma continuidade, pode ser um bom reforço para o Cruzeiro. Depende do que a torcida esperar dele: não podem esperar um craque. Até porque ele esteticamente não é um jogador atraente, não finta, não tem estilo.”

Finalmente, eis como Ernesto Farias se define:

  • “Sou um atacante de área. Posso jogar mais atrás, mas a minha característica principal é de área. Minha intenção é jogar e tentar corresponder às expectativas do treinador. Estou com uma expectativa grande de ganhar títulos no Cruzeiro”.

Agora, resta esperar que as hienas e os termocéfalos não cobrem futebol de Neymar, pois ele está mais pra Alecsandro.

9ª do Brasileiro: Cruzeiro no G5, Cocota no Z5

segunda-feira, 19 de julho de 2010

9ª rodada do Morrinhão 2010, em 17/18jul10.

Hernanes, o volante que, se convocado, teria dado a Copa ao Brasil, segundo alguns mesa-redondistas, não jogou nada. Mas nada mesmo.

  1. Barradão, Vitória 3×2 São Paulo. Público: 11.915. Elkeson, 13, Jean, 38 do 1º;  Schwenck, 2, Ramon Menezes, 12, Fernandão, 16 do 2º. Castigo para os baianos idiotizados pela mídia do Eixo, que foram ao Barradão torcer para o São Paulo.
  2. São Januário, Vasco 3×1 Atlético. Público: 5.976. Jonathan, 19, Nunes, pênalti, 26, Bruno Mineiro, 47 do 1º; Leo Gago, 17 do 2º. O juiz errou marcando pênalti inexistente e expulsando Chico injustamente. O Vasco aproveitou a mãozinha pra tirar o pé da lama.
  3. Farazão, Prudente 2×0 Grêmio. Público: 4.153 . Paulo César (falta), 22 do 1º; Wanderley, 46 do 2º. Qualquer dia desses, o Grêmio ainda põe o Olímpico na cacunda quando sair de Porto Alegre.
  4. Ressacada: Avai 4×2 Palmeiras. Público: 8.329. Gabriel Silva, 11, Caio, 24, Robinho, 38 do 1º; Kleber (pênalti), 9, Caio (pênalti), 45, Roberto, 48 do 2º. Roberto, o melhor jogador do campeonato até agora, desequilibrou mais uma vez.
  5. Beira Rio: Inter 2×1 Ceará. Público: 6.483. Alecsandro; 16 do 1º; Kleber, 2, Michel, 17 do 2º. Saci passou a perna no Vozão. E não caiu. Colorado está chegando.
  6. Jacaré: Cruzeiro 1×0 Goiás. Público: 3.579. Gilberto, 11 do 1º tempo. Faltou bola ao Cruzeiro e competência ao Goiás.
  7. Pacaembu: Corintiãs 1×0 Atlético-MG. Público: 22.163. Bruno César, 35 do 2º. A rádia não deve ter achado a menor graça. Te cuida, Cuca! Não ouse ter sucesso pra nra não sofrer retaliação.
  8. Serra Dourada: Atlético-GO 0x1 Fla. Público: 18.544. Petkovic (pênalti), 36 do 1º. Com a saída dos cascas grossas, Pet tomou conta do pedaço.
  9. Vila Belmiro: Santos 0x1 Flu. Público: 9.193. Alan, 32 do 2º tempo. Neymar e Ganso, que iam dar o título mundial ao Brasil, não deram a vitória ao Santos contra o Flu. Quem explica?
  10. Engenhão: Bota 1×1 Guarani. Público: 7.250. Ricardo Xavier, 40, Danny Morais, 48 do 1º. Joel Santana dá sinais de nervosismo. Com razão. O Bota promete fortes emoções pra sua torcida.

Gols: 26. Público: 97.585.  Média: 9.759. G4: Corintiãs, 21, Flu, 19, Ceará, 18, Cruzeiro e Fla, 15. Z4: Grêmio e Vasco, 9, Atlético, 7, Atlético-GO, 4. Artilheiros: 6 – Roger / 5 – André, Roberto, Schwenck. / 4 – WP, Caio, Alecsandro, Bruno César, Hugo, Fred, Tardelli, Muriqui, Ricardinho, Herrera, Love. / 3 – ACarlos, Jonas, Neymar, Ricardinho, Emerson, Andrezinho, Dagoberto, Ewerthon, Walter, Baier, Allan, Dagoberto, Washington, Wanderley, Emerson Santos.

8ª do Brasileiro: Pipa do Vozão continua empinada

sábado, 17 de julho de 2010

8ª rodada do Morrinhão 2010. Público à brasileira. Avaí foi a sensação vencendo o ricaço St. Pauli em Sampa. Destaque individual foi o goleiro da Cocota autor de um autodrible que terminou em gol do Atlético Goianiense.

  1. Maraca: Fla 1×0 Bota. Público: 19.313. Paulo Sérgio, 33 do 2º. Cheio de gás, Pet jogou o tempo todo e fez a diferença.
  2. Baixada: Atlético 0x2 Cruzeiro. Público: 13.952. Wellington Paulista, 45 do 1º; Robert, 41 do 2º. Na estréia de Cuca, Cruzeiro jogou que nem sanfona, abrindo e fechando.
  3. Castelão: Ceará 0x0 Corintiãs. Público: 44.500. Vozão continua mantendo a pipa empinada.
  4. Morumbi: São Paulo 1×2 Avaí. Público: 7.717. Roberto, 15, Vandinho, 30, Hernanes, 32 do 2º. Hernanes, o volante que os mesa-redondistas queriam na Copa, não salvou St. Pauli no Morrinhão.
  5. Jacaré: Atlético-MG 3×2 Atlético-GO. Público: 3.179. Tardelli, 18, Marcão, 31, Tardelli, pênalti, 35, Ricardo Bueno, 43 min do 1º; Rodrigo Tiuí, 15 do 2º. Torcida do Democrata deu uma forcinha pro Luxa vencer um j0go após 3 meses.
  6. Pacaembu: Palmeiras 2×1 Santos. Público: 9.400. Ewerthon, 12 do 1º; Tinga, 21, Marcel, 37 do 2º. Ganso, meio-bico, Neymar, apagado, deram boas vindas a Felipão. DJ zangou-se.
  7. Maraca: Flu 1×1 Prudente. Público: 28.335. Fred, 16 do 1º; Wesley, 38 do 2º. Aplausos no começo, vaias no fim. Punido pela bola, Tricolor perdeu a chance de liderar.
  8. Serra: Goiás 0x0 Vasco. Público: 11.000. Bernardo correu muito, mas ainda continua devendo.
  9. Olímpico: Grêmio 1×1 Vitória. Público: 7.455. Wallace, 33 do 1º; Egídio (Vit), contra, 30 do 2º. Paulo Silas subiu no telhado.
  10. Brinco: Guarani 0x3 Inter. Público: 2.193. Sandro, 13, Alecsandro, 26, Taison, 46 do 2º. Colorado sonha, Bugre tem pesadelo.

Gols: 21. Público: 168.634.  Média: 16.863. G4: Corintiãs e Ceará, 18, Flu, 16, Santos 12. Z4: Prudente, 9, Atlético-PR, 7, Vasco, 6, Atlético-GO, 4. Artilheiros: 6 – Roger. 5 – André. 4 – WP, Hugo, Fred, Roberto, Tardelli, Muriqui, Ricardinho, Herrera, Love, Schwenck. 3 – ACarlos, Jonas, Neymar, Ricardinho, Emerson, Walter, Andrezinho, Baier, Allan, Dagoberto, Bruno César, Washington.

Los olvidados

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Desempemho dos salvadores da pátria na 8ª rodada do Morrinhão:

  1. Hernanes fez um gol e teve atuação discretíssima na derrota do St. Pauli para o Avaí.
  2. Neymar levou cartão amarelo, ficou longe da área e foi sacado pelo DJ (e reclamou) na derrota do Santos para o Palmeiras.
  3. Ganso entrou no 2º tempo, foi amarelado, e teve atuação discreta na derrota do Santos para o Palmeiras.

Pelo futebol que jogaram, nenhum teria feito o Brasil vencer a Holanda.

E os ex-cruzeirenses?

  1. Dudu foi pouco objetivo no empate do Coritiba contra o Bragantino.
  2. Bernardo correu muito e produziu pouco no empate do Goiás contra o Vasco.
  3. Patric esteve muito bem na vitória do Avaí sobre o St. Pauli.
  4. Kleber, como sempre, brigou muito com a zaga santista e fez duas jogadas pessoais interessantes.

Só o Gladiador ainda seria titular no Cruzeiro.