Posts com a Tag ‘Nelson Mandela Bay’

Alemanha 3×2 Uruguai: O polvo contra Forlán

sábado, 10 de julho de 2010

Ás 15h30 (Brasília), no Estádio Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, Uruguai e Alemanha decidem o 3º lugar da Copa de 2014.

Para os alemães, vale pela tentativa de Miroslav Klose superar Ronaldo Fenômeno como o maior artilheiro de todas as copas.

Para o Uruguai vale pela vontade devoltar ao pódio da Copa após 60 anos.

O jogo será apitado pelo mexicano Benito Archundia e deve ser bem melhor do que a sonífera final de amanhã, pois as duas equipes entrarão em campo menos tensas.

Boa diversão, com certeza.

Alemanha: Neuer; Lahm, Mertesacker, Friedrich e Boateng; Khedira e Schweinsteiger; Müller, Özil e Podolski; Klose.  Tec: Joachim Löw.

Uruguai: Muslera; M. Pereira, Lugano, Godín e Fucile; Pérez, Arévalo e A. Pereira; Forlán; Cavani e Suárez. Tec: Oscar Tabárez. (mais…)

Holanda 2×1 Brasil: Tamancada

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Às 11h (Brasília), no Estádio Nelson Mandela Bay, Brasil e Holanda abrem as quartas de final da Copa de 2010 em jogo que será apitado pelo japonês Yuichi Nishimura.

Dunga manterá seu ortodoxo 4-3-1-2 sem contar com Elano, contundido, e Ramires, suspenso. Com estas ausências, Daniel Alves ganha um lugar na linha de volantes.

Van Marwijk escalará a Holanda num 4-2-3-1, em tese, mais ofensivo. E terá nos meias atacantes Robben e Snejder suas chaves para abrir a defesa brasileira.

Pela campanha e pelos comentários deslumbrados dos mesa-redondistas brasileiros, a Holanda é favorita. Mas pode haver surpresas. Ah, se pode! (mais…)

Uruguai 2×1 Coréia D: Rumo ao penta!

sábado, 26 de junho de 2010

Às 11h, no Estádio Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, Uruguai e Coréia Democrática abrem as oitavas de final da Copa 2010.

Oscar Tabarez escala o time charrua num 3-4-1-2 com Forlan na armação a Suarez e Cavani no ataque. Este é o trio que pode levar a Celeste Olímpica ao pentacampeonato mundial.

Hu Yong, técnico coreano, adota o 4-4-2 e tem em Park Jisung, meia-atacante do Manchester United, o pensador da equipe. Mas é bom os orientais prestarem muita atenção em Chu Yong, um atacante de chute forte.

O juiz será o alemão Wolfgang Stark e o estádio deve receber, no máximo, 2/3 dos 42 mil espectadores que comporta. (mais…)

Inglaterra 1×0 Eslovênia: A conta do chá

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Às 11h (Brasília), no Estádio Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, a Eslovênia joga por um empate pra se classificar e mandar a Inglaterra pra casa.

E promete atuar num 4-4-2 clássico. Ou será que, na hora da onça beber água, Kek não vai botar seu 11 jogadores na defesa pra tirar os espaços da turma de Fabio Capello?

O treinador italiano da Inglaterra, vai num 4-3-3- ultraofensivo, posto que dois de seus volantes, Gerrard e Lampard, também atacam com vontade.

Difícil será acordar o centroavante Wayne Rooney, que tem se arrastado em campo.

Outro problema é torcer pra que o goalkeeper quarentão, James, não desafine debaixo dos três paus.

É jogo pra deixar Sua Majestade com os cabelos em pé e tamborilando nervosamente no braço do trono.

Isto se ela não estiver caçando veados em sua casa de campo pra não se amolar com a malemolência dos súditos boleiros.

No apito, estará o alemão Wolfgang Stark. Que, dizem, é adepto de pelo menos meia hora de açougue em cada partida. (mais…)

Chile 1×0 Suíça: Após 557 min, Suíça leva 1 gol e faz zero pt

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Às 11h, no Estádio Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, Suíça e Chile disputam a liderança do Grupo H.

Ottmar Hitzfeld, treinador da Suíça diz que o Chile é mais perigoso do que a Espanha. É superior em força física e tem um ataque mais insinuante.

O argentino Marcelo Bielsa, treinador do Chile, não comenta os elogios. E escala um potente ataque com Sanchez, Suazo e Beausejour.

Khalil Al Ghamdi, da Arábia Saudita, será o Juiz. (mais…)

Costa do Marfim 0x0 Portugal: Brasil comemora

terça-feira, 15 de junho de 2010

No Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, Costa do Marfim e Portugal abrem o Grupo G com um jogo decisivo. Quem vencer, terá metade do caminho rumo às oitavas de final percorrido.

Carlos Queiroz, treiandor de Portugal, usa o moderno 4-2-3-1 com Cristiano Ronaldo (Real), Deco (Chelsea) e Simão Sabrosa (Atlético Madrid) formando a linha de meias atacantes e o brazuca Liedson (Sporting) como referência metido entre os beques marfineses.

O sueco Erikson arma os elefantes num 4-4-2 clássico com Didier Drogba -ainda não confirmado, após a lesão no braço- e Salomon Kalou, ambos do Chelsea,  no ataque. Na 2ª linha de 4, terá em Yaya Touré (Barça) o volante que sairá pra armar o jogo.

Nosso velho conhecido (e amaldiçoado), o uruguaio Jorge Larrionda apitará a partida. Aqui, tem emoção garantida! Pelos craques e pelo Juiz. A conferir.

*****

Eis como o Estadão viu o jogo:

Sem ‘ketchup’, Portugal só empata com Costa do Marfim por 0 a 0

Em jogo pelo grupo do Brasil, portugueses sofrem com a marcação africana e Cristiano Ronaldo completa mais um jogo sem gol

Faltou “ketchup” para Portugal na estreia na Copa do Mundo. Apontada como uma das forças do Mundial, a equipe de Cristiano Ronaldo sofreu nesta segunda-feira e apenas empatou por 0 a 0 com a Costa do Marfim na abertura do Grupo G, a chave da seleção brasileira. O jogo foi disputado no estádio Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth.

Cristiano Ronaldo até começou bem, mas foi sufocado pela marcação e teve uma atuação apenas regular. O jogador, que havia dito que seus gols sairiam como “ketchup”, completou o 17.º jogo sem marcar pela seleção portuguesa – o último gol do craque do Real Madrid foi em fevereiro do ano passado.

Portugal e Costa do Marfim são os principais rivais do Brasil nesta primeira fase. A seleção marfinense será a segunda adversária dos brasileiros no Mundial. O duelo acontecerá no dia 20, às 15h30, em Johannesburgo. Portugal enfrentará a seleção brasileira apenas na última rodada da chave, no dia 25.

Pelo lado marfinense, o atacante Didier Drogba começou no banco de reservas. O jogador foi liberado pelos médicos e colocou uma proteção especial no braço. Porém, o técnico Sven Goran Eriksson preferiu escalar o ataque com Kalou e Dindane para tentar explorar os buracos nas laterais portuguesas no primeiro tempo.

O jogo começou nervoso e em bom ritmo. Cristiano Ronaldo conseguiu encontrar alguns buracos na entrada da área e deixou os marcadores marfinenses confusos. Aos 7 minutos, o português levou uma entrada violenta de Zokora, que acabou punido com cartão amarelo. Cristiano Ronaldo foi a figura mais caçada em campo.

Danny brilhou nos amistosos de Portugal antes da estreia na Copa, mas sumiu na marcação africana e não foi capaz de dividir a criação das jogadas com os companheiros. Portugal chegou apenas um vez com perigo no primeiro tempo. Aos 10 minutos, Cristiano Ronaldo abriu espaço e soltou a bomba de fora da área. A bola explodiu na trave do goleiro Barry. 

Sven Goran Eriksson percebeu o buraco existente na defesa e reforçou a marcação na entrada da área. A ordem foi clara: Cristiano Ronaldo deveria ser marcado de qualquer maneira. Aos 20 minutos, o português foi derrubado na entrada da área. A falta não foi marcada. Irritado, ele peitou Demel, e recebeu amarelo junto com o marfinense.

A Costa do Marfim aos poucos conseguiu diminuir a diferença na posse de bola. Portugal passou a encontrar problemas no campo, e o brasileiro naturalizado português Liedson pouco fez. Contudo, os marfinenses sentiram a falta de Drogba. Sem uma referência no ataque, os cruzamentos saíram tortos, e a troca de passes morreram por muitas vezes na entrada da área.

Na etapa final, a Costa do Marfim entrou com grande velocidade. Gervinho teve uma boa atuação e encontrou buracos na marcação portuguesa. Aos 7 minutos, o meia recebeu bom passe, mas acabou desarmado no momento certo por Ricardo Carvalho – Portugal voltou a apresentar buraco na cobertura das laterais, o principal ponto explorado pelos marfinenses.

Drogba entrou aos 20 minutos do segundo tempo na vaga de Kalou. O estádio foi ao delírio com a presença do astro. Porém, o atacante ainda sentiu a fratura no braço e não conseguiu se movimentar como antes – perdeu um gol incrível aos 46 minutos da etapa final, ao sair livre dentro da área. O placar no Mandela Bay não saiu do zero.