Posts com a Tag ‘Moreno’

Recordar é viver

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Pra irritar hienas e atleticanos enrustidos, que tentam empastelar o blog.

  • Atlético-MG 0x5 Cruzeiro, domingo, 27abr08, 16h, Mineirão, jogo de ida da final do Mineiro 2008 – Público: 48.903 pagantes e 51.063 presentes – Renda: R$1.011.000,20 – Juiz: Paulo Cesar Oliveira (SP) – Bandeiras: Maria Eliza Correia Barbosa e Emerson Augusto de Carvalho (SP) – Amarelos: Xaves (Atl); Thiago Heleno, Marquinhos Paraná e Ramires (Cru) – Gols: Moreno, 12, Marcos (contra), 19, e Ramires, 38, do 1º tempo; Guilherme, 21, e Wagner, 33 do 2º – Atlético-MG (com uniforme tradicional, no 4-3-3): Juninho; Gérson (Renan), Leandro Almeida, Marcos e Thiago Feltri (Agustin Viana); Rafael Miranda, Xaves, Márcio Araújo e Danilinho; Marques e Renan Oliveira (Marcelo Nicácio). Tec: Geninho / Cruzeiro (com uniforme tradicional, no 4-3-1-2): Fábio; Charles (Fabrício), Thiago Heleno, Espinoza e Jadílson (Jonathan); Henrique, Ramires e Marquinhos Paraná, Wagner; Guilherme e Marcelo Moreno (Leandro Domingues). Tec: Adílson Baptista.
  • Cruzeiro 5×0 Atlético-MG, domingo, 26abr09, 16h, Mineirão, Belo Horizonte, jogo de ida das finais do Campeonato Mineiro de 2009 – Transmissão: Globo Minas e PFC (pague-pra-ver) – Público: 47.489 pagantes, 49.380 presentes – Renda: R$1.078.742,50 – Juiz: Paulo César de Oliveira (SP) – Bandeiras: Roberto Braatz (PR) e Maria Eliza Barbosa (SP) – Amarelos: Gerson Magrão, Leonardo Silva, Kléber e Wellington Paulista (Cru); Werley (Atl) – Vermelhos: Renan e Leandro Almeida (Atl); Ramires (Cru) – Gols: Kléber, 39 do 1º tempo; Leonardo Silva, 10, Leonardo Silva, 16,  Jonathan, 34, Jonathan, 41 do 2º tempo – Cruzeiro: Fábio; Jonathan, Leo Fortunato, Leonardo Silva e Gerson Magrão; Marquinhos Paraná, Fabrício (Henrique) e Ramires; Wagner; Thiago Ribeiro (Soares) e Kleber (Wellington Paulista). Tec: Adílson Batista / Atlético-MG: Juninho; Werley (Marcos Rocha), Leandro Almeida, Marcos e Júnior; Renan, Rafael Miranda, Carlos Alberto e Márcio Araújo (Kleber); Lopes (Chiquinho) e Diego Tardelli. Tec: Emerson Leão

Quem tem boca vai a Joanesburgo

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Copa se joga um pouco com os pés e muito com a boca. Confiram um pouco do que se disse:

  1. Johann Crujiff, ex-jogador da Holanda, vice-campeão de 1974: “Este Brasil é uma vergonha para o torneio e para os torcedores. Eu não pagaria ingresso pra vê-lo. O time tem talentos, mas joga de maneira defensiva e pouco interessante.”
  2. Maradona, auxiliar técnico de Salvador Billardo na Seleção Argentina: “O erro não foi validar o gol do Tévez, mas permirtir a caçada ao Messi, algo como fez o killer Gentile em 1982.”
  3. Cláudio Gentile, ex-jogador da seleção italiama campeã do mundo em 1982: “Maradona é um palhaço; eu nunca foi expulso por jogada violenta.” [N.B.: Maradona foi expulso na Copa de 1982, após aplicar um coice na barriga do volante Batista, na derroda da Argentina para o Brasil por 3×1].
  4. Dunga, treinador do Brasil: “No Brasil, se a Seleção vence, pedem espetáculo, se vence e dá espetáculo, exigem goleada, se vence, dá espetáculo e goleia, dizem que o adversário é fraco.”
  5. Olé, diário esportivo argentino, referindo-se ao gol de Luís Fabiano contra a Costa do Marfim: “La mano del diablo!”
  6. Pelé, sobre o mesmo gol: “O gol do Luís Fabiano foi de Pelé, pelos chapéus, e de Maradona, pelas mãos”
  7. Wall Free Dow Jones, torcedor brasileiro: “O Brasil, hic!, vai, hic!, campeonar, hic, hic, hic, hurra!”
  8. Maradona sobre Pelé: “Aquele moreno que jogava com a dez, devia voltar pro museu”
  9. Pelé sobre Maradona: “Ele me ama…”
  10. Cristiano Ronaldo, após a derrota para a Espanha: “Por que fomos eliminados? Perguntem ao Carlos Queiróz…”
  11. Cristiano Ronaldo, de cabeça fria: “Estou destroçado, completamente desolado, com uma tristeza inimaginável. E quando disse pra perguntarem ao treinador foi porque, naquele momento, ele estava na conferência de imprensa e eu não me sentia em condições de explicar coisa alguma. Sou um ser humano e tenho o direito de sofrer sozinho.”
  12. Bastian Schweinsteiger, volante da Argentina: “Temos que manter a calma e não cair nas provocações dos argentinos. Todo mundo viu a conduta deles no intervalo da partida contra o México. Reparem na forma e nos gestos com que tentaram influenciar o Juiz. Foi uma vergonha. Mas esta é a mentalidade deles e temos que estar preparados pra isto.”
  13. Vicente Del Bosque, treinador da Espanha: “Nosso estilo é o de nos manternmos fiéis a nosso estilo”
  14. Renato Maurício Prado, comentarista do SporTV: “A Espanha já é semifinalista da Copa.”
  15. Larissa Riquelme, modelo e torcedora paraguaia: “Desque pequena, sempre gostei de de futebol, já fui até atacante, e sou fanática pelo Cerro Porteño…”

O Rei e o pibe

terça-feira, 22 de junho de 2010

Pra fazer média com os sul-africanos, Maradona, um dos melhores jogadores argentinos da segunda metade do século passado, disse que Pelé duvidava da realização da Copa. E tentou exorcizar o fantasma do Rei que tanto o atormenta:

  • “Aquele moreno da camisa 10 tem é que voltar pro museu…”

A resposta veio, agora, quando o gol com o Braço do Cristo feito por Luiz Fabiano causou polêmica. Perguntado sobre o lance, Pelé, foi estraçaiou:

  • “Foi um gol de Pelé e de Maradona. De Pelé, pelos chapéus, de Maradona, pela mão.

Tóóóóóíiiiimmmmm!!!!!

México 2×0 França: Au revoir, Henry!

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Às 15h30 (horário de Brasília), no Estádio Peter Mokaba, em Polokwane, França e México jogarão pra saber quem corre atrás do Uruguai e quem vai consolar o Pé de Uva.

A França virou um balaio de gatos. Jornalistas garantem que o elenco não tá satisfeito com o futebol de Anelka. Nem com o do Malouda.

E o sorumbático Gourcuff enche a paciência até do Capitão Evra, que não consegue se comunciuar com a jovem promessa do Bourdeaux.

Tanta frescura só podia mesmo acontecer nuam seleção francesa. E, pra piorar, Zidane cornetou o treiandor com nome de conhaque, que ele diz não entender bulhufas de futebol.

Já os mexicanos estão concentradíssimos. Ninguém treinou mais do que eles no pré-Copa. E nem esbanja mais confiança, agora que a bola está rolando.

O empenho é tanto que o treinador botou a goleirada pra defender chutes de bola de futebol americano o troço mais parecido com a Jabulani, que os astecas encontraram. (mais…)

Melhor do que a encomenda

terça-feira, 15 de junho de 2010

Tirante os juízes, que estão avacalhando com suas insossas atuações, a Copa está muito boa. Tem de tudo. Bola envenenada, nascida para trair. Retrancas bem montadas, na medida certa pra irritar mesa-redondistas. Vuvuzelas que obrigam os politicamente corretos a sofrerem calados em nome da diversidade cultural.

Copa não é pra torcer. Quem quiser estrebuchar de pânico e ansiedade, que o faça no Mineiro, no Morrinhão ou na Libertadores. Copa é confraternização, é cerveja, salaminho, pão de queijo, tremoços, liguicinha frita na mesa da sala, em meio de semana. Ou churrasco na laje e no quintal, nos fins de semana.

Copa é bolão, já que bolo de linha não tem mais jeito de fazer, pois linha não há mais. Copa é a ocasião certa pra levar mais a sério os comentários da minha tia do que os do Evandrão. Eles regulam idade, mas a minha tia só abre a boca pra falar de futebol de 4 em 4 anos, enquanto meu amigo pontifica sobre o tema diariamente. Voadora também ela só aplica nas copas. Geralmente contra argentinos e  treinadores do escrete canarinho. Já o Evandrão não economiza o golpe. É capaz de mandar um até por conta deste post.

Copa é pausa pra respirar. É pra rir da ira de quem não suporta o narrador argentino Galván Bueno, nem os pitacos do desavisado Casão. É pra constatar que bandeira dos rosas traz maus fluidos. Repararam que foi só pintar uma no Ellis Park pro Brasil tomar gol? E que a bandeira mais bonita do mundo é a de Honduras, aquela terra de homens e mulheres, que escolheram viver em liberdade (lá vem reproche dos Sobrinhos do Coronel!).

Pra finalizar, listo o que vi de melhor até aqui: o ânimo do centroavante comuno-coreano, Robson Crusué, a jaqueta de Pequeno Príncipe do Dunga, os pulinhos do Maradona (Luxa não tem a graça e a leveza do Pibe), o bate boca entre Maradona e o Moreno Que Vestia a Dez, o futebol, quem diria, cheio de telecoteco dos tanques alemães, o ponta-esquerda à moda antiga, Elia, da Laranja, as torcedoras dinamarquesas, o corte de cabelo do goleiro argelino Chouchui (?), a jogada de rúgbi do Samuel no gol argentino, as matérias do Olé e o gol espírita do Maicon.

Prum começo de festa, tá danado de bom, né mesmo?

N.B.: Pra acompanhar a Copa. Pra se solidarizar com o ditador comuno-c0reano, Kim Jong.

Contratações cirúrgicas

sábado, 12 de junho de 2010

Cuca não vai aos USA comandar o Cruzeiro contra o New England Revolution, em Boston e o Red Bull., em New Jersey. Ficará em Belzonte ou Curitiba.

Espero que, ao invés de perder tempo com a Copa, ele assista aos teipes do Cruzeiro, anote as carências do elenco e escolha certo as tais contratações cirúrgicas, que está cobrando.

Algumas sugestões: Maicon, ex-beque imaturo, que está perdido em Portugal, e Réver, se estiver dando bobeira seriam bem-vindos.

Correia, após chutar a torcida da Cocota ajudaria a compor a meiúca, que deve perder algumas peças. Danilo Dias pra ser reserva do Ribeiro, Charles e Moreno também seriam boas pedidas. Hyago e Gil poderiam ser pescados na base.

Agora, Sr. Alex Stival, esqueça Riquelme e demais etiquetas. Clube quebrado não pode enfiar o pé na jaca.

Doze motivos pra se derrubar um treinador

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Eis os doze trabalhos de Adílson Baptista. E também os doze motivos para o ódio que traíras e teleguiados sentem por ele.

  1. Cruzeiro 0x0 Atlético-MG, domingo, 09mar08, 16h, Mineirão, 7ª rodada do Campeonato Mineiro (6ª partida do Cruzeiro) – Público: 54.825 pagantes, 57.242 presentes – Renda: R$869.174,50 – Juiz: Alício Pena Jr. (MG) – Bandeiras: Márcio Eustáquio Santiago e Helbert Costa Andrade – Amarelos: Marcos, Márcio Araújo, Xaves, Danilinho (Atl) Marcinho (Cru) – Atlético-MG: Juninho; Coelho, Leandro Almeida, Marcos e Thiago Feltri; Márcio Araújo, Xaves, Renan e Sidnei (Gérson); Danilinho e Marinho (Marcelo Nicácio). Tec: Geninho / Cruzeiro: Fábio; Jonathan (Elicarlos), Thiago Heleno, Espinoza e Jadílson; Marquinhos Paraná, Ramires, Charles (Sandro) e Wagner; Marcelo Moreno e Guilherme (Marcinho). Tec: Adilson Batista.
  2. Cruzeiro 5×0 Atlético-MG, domingo, 27abr08, 16h, Mineirão, jogo de ida da final do Mineiro 2008 – Público: 48.903 pagantes e 51.063 presentes – Renda: R$1.011.000,20 – Juiz: Paulo Cesar Oliveira (SP) – Bandeiras: Maria Eliza Correia Barbosa e Emerson Augusto de Carvalho (SP) – Amarelos: Xaves (Atl); Thiago Heleno, Marquinhos Paraná e Ramires (Cru) – Gols: Moreno, 12, Marcos (contra), 19, e Ramires, 38, do 1º tempo; Guilherme, 21, e Wagner, 33 do 2º – Atlético-MG (com uniforme tradicional, no 4-3-3): Juninho; Gérson (Renan), Leandro Almeida, Marcos e Thiago Feltri (Agustin Viana); Rafael Miranda, Xaves, Márcio Araújo e Danilinho; Marques e Renan Oliveira (Marcelo Nicácio). Tec: Geninho / Cruzeiro (com uniforme tradicional, no 4-3-1-2): Fábio; Charles (Fabrício), Thiago Heleno, Espinoza e Jadílson (Jonathan); Henrique, Ramires e Marquinhos Paraná, Wagner; Guilherme e Marcelo Moreno (Leandro Domingues). Tec: Adílson Baptista
  3. Cruzeiro 1×0 Atlético-MG, domingo, 04mai08, 16h, Mineirão, jogo de volta da final do Mineiro 2008 – Público: 39.187 pagantes e 41.563 presentes – Renda: R$ 732.420,00 – Juiz: Evandro Rogério Roman (PR) – Bandeiras: Roberto Braatz e Edney Guerreiro Mascarenhas (PR) – Amarelos: Thiago Heleno, Elicarlos (Cru); Coelho, Agustin Viana, R. Miranda (Atl) – Vermelhos: Renan (Atl) 23, Danilinho (Atl), 36 e Charles (Cru), 41 do 2º tempo – Gol: Marcelo Moreno, 30 do 2º tempo – Cruzeiro (com uniforme tradicional, no 4-3-1-2): Fábio; Jonathan, Thiago Heleno, Thiago Martinelli e Jadílson; (Charles); Elicarlos (Henrique), Fabrício (Guilherme) e Marquinhos Paraná; Wagner; Marcinho e Marcelo Moreno. Tec: Adílson Baptista / Atlético-MG (com uniforme tradicional, no 4-3-3): Juninho; Coelho (Xaves); Vinícius, Leandro Almeida e Agustín Viana (Renan); Rafael Miranda, Márcio Araújo e Gérson; Danilinho, Eduardo (Marinho) e Marques. Tec: Geninho.
  4. Cruzeiro 2×1 Atlético-MG, domingo, 13jul08, 16h, Mineirão, 11ª rodada do Campeonato Brasileiro – Público: 37.644 pagantes e ? presentes – Renda: R$698.075,00 – Juiz: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa-SP)- Bandeiras: Helberth Costa Andrade e Jair Albano Felix (MG) – Amarelos: Wagner, Charles, Weldon, Jonathan e Ramires (Cru) – Gols: Danilinho, 33, Martinelli, 35 dp 1º tempo; Ramires, 47 do 2º – Cruzeiro: Fábio; Marquinhos Paraná, Espinoza, Thiago Martinelli e Jadílson (Jonathan); Charles, Fabrício e Ramires e Wagner; Weldon (Rômulo) e Fabinho (Gérson Magrão). Tec: Adilson Batista / Atlético-MG: Edson; Mariano (Castillo), Marcos, Vinícius e César Prates; Serginho, Márcio Araújo, Renan e Petkovic (Marques); Danilinho e Eduardo (Almir). Tec: Alexandre Gallo.
  5. Cruzeiro 2×0 Atlético-MG, domingo, 19out08, 16h, Mineirão, 30ª rodada do Campeonato Brasileiro – Público: 52.884 pagantes – 54.000 presentes – Renda: R$1.008.651,50 – Juiz: Wagner Tardelli (RJ) – Bandeiras: Alessandro A. R. de Matos (BA) e Milton O. dos Santos (RN) – Amarelos: Márcio Araújo, Vinícius, Juninho (Atl), Guilherme (Cru) – Gols: Jonathan, 42 do 1º tempo; Guilherme, de pênalti, 48 do 2º – Cruzeiro: Fábio; JonathanLeo Fortunato, Thiago Heleno e Carlinhos; Marquinhos Paraná, Henrique (Elicarlos, 40, 2º) e Ramires; Fernandinho (Wagner, 21, 2º); Thiago Ribeiro (Camilo, 33, 2º) e Guilherme. Tec: Adilson Batista / Atlético-MG: Juninho; Sheslon, Vinícius, Leandro Almeida, Denílson (Rafael Aguiar, intervalo); Elton (Tchô, 31, 2º), Serginho, Márcio Araújo e Renan Oliveira; Castillo e Marques (Pedro Paulo, 16, 2º). Tec: Marcelo Oliveira.
  6. Cruzeiro 4×2 Atlético-MG, sábado, 17jan09, 16h15, Estádio Centenário, Montevidéu, Uruguai, jogo preliminar da rodada de abertura da Copa Bimbo (Torneio de Verão para a imprensa mineira) – Transmissão: Globo Minas e SporTV 2 – Público: ? – Renda: ? – Juiz: Jorge Larrionda (Uru) – Bandeiras: Walter Rial e Marcelo Gadea (Uru) – Amarelos: Sheslon (Atl); Fernandinho (Cru) – Gols: Renan, contra, aos 17, Diego Tardelli, 36, Fernandinho, pênalti, 39, Ramires, 46 min do primeiro tempo; Diego Tardelli, 22, e Soares, 44 min do segundo – Cruzeiro: Fábio; Jonathan (Jancarlos), Thiago Heleno (Leonardo Silva) e Fernandinho; Marquinhos Paraná, Henrique e Ramires; Wagner (Camilo); Thiago Ribeiro (Soares) e Wellington Paulista (Alessandro). Tec: Adilson Batista / Atlético-MG: Juninho, Welton Felipe, Leandro Almeida e Marcos (Tchô); Carlos Alberto, Renan (Sheslon), Rafael Miranda (Márcio Araújo), Júnior (Lopes) e Thiago Feltri (Raphael Aguiar); Éder Luís e Diego Tardelli. Tec: Emerson Leão.
  7. Cruzeiro 2×1 Atlético-MG, domingo, 15fev09, 16h, Mineirão, Belo Horizonte, 5 rodada do Campeonato Mineiro de 2009 – Transmissão: PFC (pague-pra-ver) – Público: 47.802 pagantes, 50.874 presentes – Renda: R$972.856,50 – Juiz: Alício Pena Jr. (MG) – Bandeiras: Márcio Eustáquio Santiago e Celso Luiz da Silva (MG) – Amarelos: Welton Felipe, Leandro Almeida, Júnior (Atl), Fábio, Jancarlos, Thiago Ribeiro, Gerson Magrão, Soares, Henrique e Andrey (no banco) (Cru) – Vermelhos: Welton Felipe (Atl), Thiago Ribeiro (Cru) – Gols: Ramires, 18, Soares, 42 do primeiro tempo; Diaego Tardelli, 32 so segundo – Cruzeiro: Fábio; Jancarlos (Jonathan), Leo Fortunato, Thiago Heleno e Fernandinho; Henrique, Marquinhos Paraná e Ramires; Gerson Magrão (Wagner); Thiago Ribeiro e Soares (Wellington Paulista). Tec: Adilson Batista / Atlético-MG: Juninho, Marcos Rocha (Werley), Welton Felipe, Leandro Almeida e JúniorCarlos Alberto, Renan (Thiago Feltri), Márcio Araújo e Yuri (Marcos); Éder Luís e Diego Tardelli. Tec: Emerson Leão.
  8. Cruzeiro 5×0 Atlético-MG, domingo, 26abr09, 16h, Mineirão, Belo Horizonte, jogo de ida das finais do Campeonato Mineiro de 2009 – Transmissão: Globo Minas e PFC (pague-pra-ver) – Público: 47.489 pagantes, 49.380 presentes – Renda: R$1.078.742,50 – Juiz: Paulo César de Oliveira (SP) – Bandeiras: Roberto Braatz (PR) e Maria Eliza Barbosa (SP) – Amarelos: Gerson Magrão, Leonardo Silva, Kléber e Wellington Paulista (Cru); Werley (Atl) – Vermelhos: Renan e Leandro Almeida (Atl); Ramires (Cru) – Gols: Kléber, 39 do 1º tempo; Leonardo Silva, 10, Leonardo Silva, 16,  Jonathan, 34, Jonathan, 41 do 2º tempo – Cruzeiro: Fábio; Jonathan, Leo Fortunato, Leonardo Silva e Gerson Magrão; Marquinhos Paraná, Fabrício (Henrique) e Ramires; Wagner; Thiago Ribeiro (Soares) e Kleber (Wellington Paulista). Tec: Adílson Batista / Atlético-MG: Juninho; Werley (Marcos Rocha), Leandro Almeida, Marcos e Júnior; Renan, Rafael Miranda, Carlos Alberto e Márcio Araújo (Kleber); Lopes (Chiquinho) e Diego Tardelli. Tec: Emerson Leão.
  9. Cruzeiro 1×1 Atlético-MG, domingo, 03mai09, 16h, Mineirão, Belo Horizonte, jogo de volta das finais do Campeonato Mineiro de 2009 – Transmissão: Globo Minas e PFC (pague-pra-ver) – Público: 38.186 pagantes, 40.00 presentes (estimativa) – Renda: R$945.846,00 – Juiz: Leonardo Gaciba da Silva (Fifa-RS) – Bandeiras: Carlos Berkenbrock (SC) e Katiuscia Mendonça (ES) – Amarelos: Carlos Alberto, Rafael Miranda, Diego Tardelli (Atl), Wagner, Henrique, Jancarlos, Gérson Magrão, Kléber, Gustavo (Cru) – Vermelhos: Carlos Alberto, Welton Felipe (Atl), Wellington Paulista (Cru) – Gols: Fabiano, 16, Kleber, de pênalti, 22 do 1º tempo – Cruzeiro: Fábio; Jancarlos (Elicarlos), Leo Fortunato, Gustavo Schiavolin e Gerson Magrão; Henrique (Elicarlos), Fabrício (Sorín) e Marquinhos Paraná; Wagner; Soares (Wellington Paulista) e Kleber. Tec: Adílson Batista / Atlético-MG: Juninho; Marcos Rocha, Marcos, Welton Felipe e Júnior; Rafael Miranda, Carlos Alberto, Márcio Araújo e Fabiano (Júnior Carioca); Eder Luís e Diego Tardelli. Tec: Emerson Leão.
  10. Catadão do Cruzeiro 0×3 Atlético-MG, domingo, 12jul09, 16h, Mineirão, Belo Horizonte, 10ª rodada do Campeonato Brasileiro – Transmissão: Globo Minas e PFC (pague-pra-ver) – Público: 22.583 pagantes – Renda: R$424.612,23 – Juiz: Paulo César de Oliveira (Fifa-SP) – Bandeiras: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Janette Mara Arcanjo (MG) – Amarelos: Marcos Rocha, Márcio Araújo, Renan (Atl);  Diego Renan, Elicarlos, Wanderley, Athirson (Cru) – Vermelhos: Zé Carlos, aos 10 segundos do 1º tempo (Cru) – Gols: Júnior, 32, Alessandro, 44 do 1º tempo;Eder Luís, 43 do 2º – Cruzeiro: Andrey; Jancalos, Neguete, Vinicius e Diego Renan; Fabinho (Anderson Beraldo), Fabricio e Elicarlos; Athirson, Tiago Ribeiro (Wanderley) e Zé Carlos. Tec: Adílson Batista/ Atlético-MG: Aranha; Marcos Rocha (Alessandro), Werley, Welton Felipe e Thiago Feltri, Jonílson, Renan, Márcio Araújo e Júnior; Eder Luís e Diego Tardelli. Tec: Celso Roth.
  11. Cruzeiro 1×0 Atlético-MG, segunda-feira, 12out09, 16h, Mineirão, Belo Horizonte, 29ª rodada do Campeonato Brasileiro – Transmissão: PFC (pague-pra-ver) – Público: 45.959 pagantes, 48.106 presentes – Renda: R$822.435,00 – Juiz: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP) – Bandeiras: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Vicente Romano Neto (SP) – Amarelos: Rentería e Jonilson (Atl); Gilberto, Elicarlos, Gil e Fábio (Cru) – Gols: Wellington Paulista, 11 do 1º tempo – Cruzeiro: Fábio; Jonathan, GIL, Leonardo Silva e Diego Renan; Henrique, Fabrício e Marquinhos Paraná; Gilberto (Elicarlos); Thiago Ribeiro (Leandro Lima) e Wellington Paulista (Guerrón). Tec: Adílson Batista / Atlético-MG: Carini; Carlos Alberto, Benítez, Werley e Thiago Feltri; Jonílson, Correa, Márcio Araújo (Pedro Oldoni) e Evandro (Ricardinho); Eder Luiz e Rentería (Alessandro). Tec: Celso Roth.
  12. Cruzeiro 3×1 Atlético-MG, sábado, 20fev10, 17h, Mineirão, Belo Horizonte, 6ª rodada do Campeonato Mineiro – Transmissão: PFC (pague-pra-ver) – Público: 41.591 pagantes – Renda: R$988.227,50 – Juiz: Renato Cardoso da Conceição – Bandeiras: Guilherme Dias Camilo e Jair Albano Félix – Amarelos: Kleber (Cru), Coelho, Werley, Jairo Campos (Atl) – Gols: Gil, 22, Jairo Campos, 30 do 1º tempo; Leonardo Silva 36, Roger Secco, 43 do 2º – Cruzeiro: Fábio; Jonathan, Gil, Leonardo Silva e Diego Renan (Pedro Ken); Elicarlos, Henrique, Marquinhos Paraná; Gilberto (Roger Secco); Thiago Ribeiro (Bernardo) e Kleber. Tec: Adílson Batista / Atlético-MG: Carini; Coelho, Werley, Jairo Campos e Leandro Silva;  Jonílson (Marques), Correa, Renan Oliveira (Obina) e Ricardinho (Júnior); Diego Tardelli e Muriqui. Tec: Vanderlei Luxemburgo.

N.B.: Dedico este post aos dois presidentes do Cruzeiro. O do grupinho de chegados e o da torcida. E também aos traíras teleguiados.

Cruzeiro na Libertadores: 1976, a conquista (III)

sábado, 20 de março de 2010

Mauro França e Jorge Santana

Com a classificação confirmada, Felício Brandi articulou e trouxe para Belo Horizonte a reunião da Confederação Sul-Americana que definiria a composição dos grupos e a tabela das semifinais.

O evento, realizado no final de abril, contou com a presença dos presidentes da CBD, Heleno Nunes, e da CSA, o peruano Teófilo Salinas. Ao final do encontro, Felício havia conseguido todos os seus objetivos.

O principal deles, evitar o confronto com os times argentinos nessa fase, como havia acontecido em 1975. Dessa vez, os adversários seriam a LDU, do Equador, e o Alianza Lima, do Peru. No outro grupo, Peñarol, River Plate e Independiente.

A tabela também foi favorável ao Cruzeiro, que jogaria primeiro fora de casa, decidindo a vaga no Mineirão. O diretor de futebol Carmine Furletti resumiu a expectativa geral, em entrevista à revista Placar:

  • “Se a gente não ganhar agora, nunca mais”.

À exceção de um amistoso disputado em Brasília logo após os 2×0 sobre o Inter, o Cruzeiro vinha se dedicando exclusivamente à Libertadores.

Isto porque o regulamento da Taça Minas Gerais, então em disputa com 22 times divididos em 2 grupos, previa que o último campeão mineiro estava automaticamente classificado para a semifinal. Dessa forma, o time ficou desobrigado de fazer 10 jogos pelo torneio estadual.

Atlético e Uberaba se classificaram para as finais. Um sorteio com cheiro de cartas marcadas definiu o time do Triângulo como adversário do Cruzeiro na semifinal. O Cruzeiro venceu por 4×2 em 18abr76, no João Guido, em Uberaba, perante 27 mil espectadores.

Uma semana depois, Cruzeiro perdeu por 2×1 para o Atlético perante 101 mil torcedores, no Mineirão.

Neste jogo, Cafuringa, que jamais marcava gols, abriu o placar para o Clube de Lourdes, aos 14 do 1º tempo. Palhinha empatou para o Cruzeiro, aos 30 do 2º, levando a decisão para a prorrogação.

Pela primeira vez, desde que chegara ao Cruzeiro, 11 anos antes, Raul Plassmann sofreu um gol de pênalti –Piazza sobre Reinaldo- do rival citadino. O autor foi Toninho Cerezo, indicado a força pelo treinador Barbatana, após os atacantes riscados terem se recusado a encarar a maldição.

No bate-boca, seguido e empurra-empurra, Palhinha, Jairzinho e Reinaldo foram expulsos. No final, Felício Brandi não se fez de rogado, segundo a revista Placar:

  • “Tudo bem. Nós queremos é a Libertadores”.

O Cruzeiro ainda fez uma partida pela 1ª fase do Campeonato Mineiro antes de embarcar para Quito.

 A LDU, campeã equatoriana, vencera o Alianza Lima por 2×1, em casa, no jogo de abertura do grupo.

A altitude foi um problema considerável. O treino recreativo na véspera da partida foi paralisado na metade. Osíres, com tonteiras e vômitos, foi vetado. Outros jogadores também passaram mal.

No domingo, 09mai76, a LDU começou pressionando na base da correria e mandou duas bolas no travessão nos primeiros 25 minutos. Mas o time celeste se impôs e abriu o marcador aos 33. Palhinha recebeu de Joãozinho, dentro da área, ajeitou e acertou o ângulo de Maesso.

Aos 5 do 2º tempo, Palhinha recebeu de Jairzinho, driblou seu marcador e chutou no canto abrindo 2×0. Aos 13, Palhinha foi ao fundo, cruzou e Jairzinho ajeitou com o peito pra Joãozinho soltar uma bomba: 3×0.

Daí em diante o time administrou o resultado e a LDU diminuiu aos 30, com um pênalti duvidoso convertido por Polo Carrera, o melhor dos equatorianos. No final da partida, o exigente Zezé Moreira, resmungou:

  • “Não creio que o Cruzeiro possa jogar pior do que aqui”.

Cruzeiro 3×1 LDU, domingo, 09mai76, estádio Atahualpa, Quito, semifinais da Libertadores 1976 – Público: 50.000 pagantes – Juiz: Angel Coerezza (Argentina) – Gols: Palhinha, 33 do 1º tempo; Palhinha, 5, Joãozinho, 13, e Carrera, 30 do 2º.  – Cruzeiro: Raul Plassmann, Nelinho, Morais, Darci Menezes e Vanderlei Lázaro; Wilson Piazza e Eduardo Amorim (Zé Carlos); Roberto Batata (Isidoro), Palhinha, Jairzinho e Joãozinho. Tec: Zezé Moreira / LDU: Walter Maesso, Moreno (Ramiro), Luis De Carlos, Villena, Ramiro Tobar; Juan Carlos Gomez, Jorge Tapia; Oscar Zubia (Aguirre), Ruben Jose Scalise, Polo Carrera e Gustavo Tapia. Tec: Leonel Montoya. – Notas – 1. A LDU foi rebaixada à 2ª divisão equatoriana em 72. Na volta à 1ª, em 75, foi campeã nacional. 2. Maesso, Zubia, Gomez e De Carlos eram uruguaios; Leyes, que jogou apenas a 2ª partida, e Scalise, argentinos. O técnico Montoya era colombiano. 3. Jorge e Gustavo Tapia, Tobar e Polo Carrera defenderam a Seleção equatoriana na Copa América de 75. 

De Quito o Cruzeiro seguiu pra Lima. Na quarta-feira, 12mai76, o Alianza armou um forte bloqueio defensivo e parou o ataque celeste no 1º tempo e nem a expulsão de Velasquez, aos 38, abriu uma brecha em sua retranca.

O 0x0 persistiu até os 17 minutos do 2º tempo, quando Roberto Batata, deslocado pelo meio do ataque, recebeu de Palhinha, ajeitou e, da entrada da área, bateu no ângulo do goleiro peruano. Porteira aberta, os gols saíram naturalmente.

Aos 26, Joãozinho recebeu passe de Jairzinho nas costas do lateral, fechou para a área e, na saída do goleiro, deu um lindo toque de cobertura para marcar o segundo. Aos 31, Vanderlei foi expulso depois de cometer falta dura no centroavante Suarez.

A expulsão não abalou o time que marcou o 3º, dois minutos depois. Foi uma obra-prima, registrad a no livro Páginas Heróicas:

  •  “O que ele marcou em Lima, contra o Alianza, até os adversários aplaudiram. Num escanteio, quase todo o time peruano foi para a área do Cruzeiro. Raul saiu bem, defendeu e entregou a bola a Joãozinho, no bico da área. O ponteiro disparou. Os adversários foram todos atrás dele. “Ganhei a corrida, passei pelo goleiro e toquei para o gol vazio. Pra minha surpresa, a torcida aplaudiu de pé”. Joãozinho jamais tocava a bola para os lados ou para trás. “Atacante tem que partir pra cima da defesa; é isso que ensino ao meu filho.”

Cruzeiro 4×0 Alianza Lima, quarta-feira, 12mai76, Lima, Peru, semifinais da Libertadores 1976 – Público: 35.000 – Juiz: Ramon Barreto (Uruguai) – Expulões: Velasquez, 38 do 1º tempo e Vanderlei, 31 do 2º – Gols: Roberto Batata, 17, Joãozinho, 26 e 33, Jairzinho, 42 do 2º – Cruzeiro: Raul Plassmann, Nelinho, Morais, Osires (Darci Menezes) e Vanderlei Lázaro; Wilson Piazza e Eduardo Amorim; Roberto Batata (Isidoro), Palhinha, Jairzinho e Joãozinho. Tec: Zezé Moreira / Alianza: Jose Manuel Gonzalez Ganoza, Moises Palacios, Javier Castillo, Salvador Salguero, Julio Ramirez; Santiago Ojeda e José Velasquez; Manuel Lobaton, Suarez, Cesar Cueto e Freddy Ravello (Carlos Gomez). Tec: Marcos Calderon. – Notas – 1. Com esta base, o Alianza foi campeão peruano em 75, 77 e 78. 2. Velasquez, Cueto, Ganoza, Ojeda e o técnico Marcos Calderon foram campeões da Copa América-75. Os dois primeiros jogaram as Copas de 78 e 82. 3. Cueto e Ganoza foram ídolos históricos do clube. O goleiro é o recordista de jogos (475). 4. Teófilo Cubillas, considerado o maior jogador da história do futebol peruano, foi revelado pelo Alianza. Jogou as Copas do Mundo de 70, 78 e 82.

A viagem de volta foi cansativa. A delegação desembarcou na Pampulha no final da manhã de quinta-feira, 13mai76. Na bagagem, veio a classificação para a final muito bem encaminhada.

Roberto Batata foi para casa, almoçou e, com saudades da esposa e do filho, resolveu buscá-los em Três Corações, a 300 km de Belo Horizonte, no Sul de Minas. Sérgio Carvalho, da Placar, conta o que ocorreu em seguida:

  • Às 11h do dia 13, quinta- feira, o Cruzeiro chegava enfim, festivo, a Belo Horizonte. Roberto Batata foi para casa. A mulher e o filho estavam em Três Corações. Almoçou, telefonou para o pai, Geraldo Monteiro: – Vou buscar Denise em Três Corações. Ouviu uma advertência, quase um pedido: – Por que não telefona e pede a ela que venha de ônibus? Você está cansado, meu filho. Mas Roberto já fizera coisa parecida, muitas vezes. No fim de um jogo, de volta de uma viagem, pegava o carro e ia para Juiz de Fora – quando Denise , morava lá – ou Três Corações, onde está sua família. Ligou o Chevette verde, entrou na Fernão Dias. No quilômetro 182, perto de Santo Antônio do Amparo, a 111 quilômetros de Três Corações, Roberto saiu de sua pista. Vinham dois caminhões. Bateu no primeiro. Perdeu o controle. E bateu de frente no segundo. E foi o fim. Instantâneo. Explicação? Foi driblado pelo sono diziam.

Roberto Monteiro tinha 27 anos, 281 jogos e 110 gols com a camisa do Cruzeiro.

Milhares de torcedores foram às ruas prestar-lhe homenagem. Torcedores e companheiros de equipe ficaram abalados. Além da técnica, velocidade e do chute forte e certeiro, Batata era brincalhão,  amigo de todos, sempre pronto a ajudar os amigos.

Ainda sob o impacto da tragédia, o time retornou ao Mineirão seis dias depois para enfrentar o mesmo Alianza, justamente o adversário do último jogo de Batata. Na vaga do atacante, Zezé Moreira escalou Zé Carlos, que era reserva, e deslocou Eduardo Amorim, o Rabo-de-vaca, para a ponta-direita.

João Chiabi Duarte, cronista do Cruzeiro.Org, relata o clima dos minutos que antecederam o início partida:

  • Com Piazza à frente, calados e cabisbaixos, os jogadores celestes perfilaram na linha lateral, onde estava estendida uma camisa  azul-estrelada número 7, e fizeram o sinal da cruz. Depois, foram até o meio de campo, saudaram a torcida e começaram a bater bola. Só que aí aconteceu algo sensacional. O capitão do Alianza, Castillo, entregou a Piazza uma placa em homenagem a Roberto Batata e cada jogador peruano abraçou os colegas brasileiros. O estádio foi às lágrimas com a execução de O Silêncio pelo pistonista da Polícia Militar, Antônio Samuel de Oliveira, que, em 1978, seria meu colega no curso básico de Engenharia na UFMG. Durante a execução do Hino Nacional, todos os jogadores do Cruzeiro, a começar pelo capitão Wilson Piazza, choravam. Ele teve que ser amparado por Raul, tal era sua emoção. Eduardo Rabo de Vaca, mal conseguia levantar a cabeça, Nelinho e Joãozinho estavam abalados. Mas, os gritos de “Cruzeiro, Cruzeiro!” vindos das arquibancadas fizeram o time despertar.

Mesmo apático no 1º tempo, o Cruzeiro não teve trabalho para sair na frente. Jairzinho, de cabeça, fez o primeiro aos 14. Cueto, também de cabeça, empatou aos 21. Aos 36, Joãozinho cruzou da esquerda, Jair ajeitou de cabeça e Palhinha, livre na entrada da pequena área, só empurrou para o gol.

No 2º tempo, aos 9, Jair recebeu lançamento longo de Zé Carlos, ganhou do marcador na força, entrou na área e com um corte seco tirou o goleiro da jogada e  bateu rasteiro para o gol vazio. Aos 14, Nelinho, deslocado pela esquerda, recebeu de Eduardo e levantou na área para Jair, entre dois zagueiros, dominar no peito e bater na caída da bola.

Aos 18, Nelinho recebeu lançamento longo de Eduardo, driblou seu marcador, foi ao fundo e cruzou para trás. Palhinha pegou de primeira e acertou o ângulo. Aos 27, Eduardo recebeu de Jair na entrada da área e bateu para o gol. O goleiro fez a defesa parcial e Palhinha apareceu livre para empurrar para o fundo das redes.

Aos 32, Mariano, que substituíra o suspenso Vanderlei, passou para Jairzinho, que arrancou em velocidade da intermediária até a entrada da área e bateu rasteiro no canto direito do goleiro. Nelinho ainda acertou o travessão no último lance, mas o placar ficou mesmo 7×1. Coincidentemente, o número da camisa de Roberto Batata (ainda que na Libertadores ele jogasse com a 14).

O placar deu margem ao surgimento de várias histórias. Os 7 gols teriam sido feitos intencionalmente, como uma última homenagem. Ou que a combinação teria sido feita no intervalo. Enfim, cada jogador e cada torcedor presente ao estádio têm a sua própria versão. O jogo virou lenda.

Cruzeiro 7×1 Alianza Lima, quinta-feira, 20mai76, Mineirão, semifinais da Libertadores 1976 – Público: 28.235 pagantes Renda: Cr$512.060,00 – Juiz: Luis Pestarino (Argentina) – Gols: Jairzinho, 14, Cueto, 21 e Palhinha, 36 do 1º tempo; Jairzinho, 9, 14, Palhinha, 18, 27 e Jairzinho, 32 do 2º. – Cruzeiro: Raul Plassmann, Nelinho, Morais, Darci Menezes e Mariano Schimitz; Wilson Piazza e Zé Carlos (Isidoro); Eduardo Amorim (Ronaldo Drummond), Palhinha, Jairzinho e Joãozinho. Tec: Zezé Moreira / Alianza: Jose Manuel Gonzalez Ganosa (Oscar Candia), Moisés Palacios, Javier Castillo, Salvador Salguero, Julio Ramirez; Jaime Duarte, Augusto Palacios; Manuel Lobaton, Suarez, Cesar Cueto e Freddy Ravello. Tec: Marcos Calderon. – NotaMariano Noé Schimitz, nasceu em Cerro Largo-RS e passou, diretamente dos campinhos de pelada, para o time profissional do Internacional de Santa Maria, pelo qual se destacou no Campeonato Gaúcho antes de ser contratado pelo Cruzeiro no início dos Anos 70. Reserva dos laterais Nelinho e Vanderlei, além do clube de origem e do Cruzeiro, ele só atuou pelo Sertãozinho, então na 2ª divisão paulista. Ao encerrar a carreira, ele trabalhou no Ministério do Trabalho, pela manhã, no Projeto Dente-de-leite, criado pelo ex-goleiro João leite, à tarde e na gerência do bar de um cunhado, em Venda Nova, região norte de Beagá, à noite. Esta trabalheira toda teve fim quando, aos 44 anos, devido a uma osteoporose, o lateral campeão da Libertadores 76 submeteu-se a uma cirurgia e passou por longo processo de recuperação até voltar a andar. Embora magoado por não ter conseguido uma oportunidade no clube para seu filho Rafael, que ele diz ser bom de bola, o “alemão” Mariano se manteve cruzeirense de coração e mineiro por adoção.

Com a 3ª vitória, 6ª consecutiva na competição, a classificação para a final estava praticamente sacramentada. A LDU também poderia fazer 6 pontos caso vencesse suas duas partidas restantes, ambas fora de casa, a última delas no Mineirão. Isto pra forçar um jogo extra. 

No dia 26mai76, a LDU foi derrotada pelo Alianza, em Lima, por 2×0. O resultado garantiu a classificação matemática do Cruzeiro à final pela primeira vez, na sua 3ª participação no torneio.

Dessa forma, o jogo com a LDU virou amistoso. No domingo, 30mai76, o Mineirão recebeu 26 mil pagantes e o time manteve o pique com outra goleada.

Nelinho fez o primeiro cobrando pênalti, aos 4 minutos de jogo. Gustavo Tapia empatou aos 11. No 2º tempo, Jairzinho marcou aos 2, Palhinha aos 27 e Ronaldo fechou o placar aos 29.

Cruzeiro 4×1 LDU, domingo, 30mai76, Mineirão, semifinais da Libertadores 1976 – Público: 26.078 pagantes – Cr$484.415,00 – Juiz: Angel Coerezza (Argentina) – Gols: Nelinho, de pênalti, 4, Gustavo Tapia, 11 do 1º tempo; Jairzinho, 2, Palhinha, 27 e Ronaldo, 29 do 2º.  – Cruzeiro: Raul Plassmann, Nelinho, Morais, Osires (Darci Menezes) e Vanderlei Lázaro; Wilson Piazza (Valdo) e Eduardo Amorim; Silva, Palhinha, Jairzinho e Ronaldo. Tec: Zezé Moreira / LDU: Miguel Angel Leyes, Moreno, Luis De Carlos, Villena, Ramiro Tobar; Juan Carlos Gomez (Rivadeneira), Aguirre; Roberto Sussman, Ruben Jose Scalise (Jorge Tapia), Polo Carrera e Gustavo Tapia. Tec: Leonel Montoya.

A campanha na semifinal foi irretocável. 4 jogos, 4 vitórias, 18 gols marcados (média de 4,5 por partida!) e 3 sofridos.

Àquela altura, o ataque celeste tinha feito 38 gols em 10 jogos e era disparado o melhor da competição. Restava apenas aguardar pelo adversário na final.

Abaixo da linha de pobreza

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

São Paulo, Corintiãs, Flamengo, Inter e Grêmio foram às compras. Até o Atlético-MG, nouveau riche do fut brasilis enche o elenco de medalhões.

Enquanto isto, o Cruzeiro, a confiar no twitter do Chaves, tem uma lista de 10 meias que podem ser contratados. Ou seja, não tem um de fé.

E não consegue convencer jogador de talento a vestir sua camisa. O clube tem pouco a oferecer além do passado glorioso. E os caras querem é grana, tutu, bufunfa.

A decepção do Eduardo Maluf ao perceber que a negociação para contratar Cleber Santana ruiu ao menor interesse do São Paulo pelo atleta foi comovente.

Pois bem, hoje, com a venda do Kleber, mais um sinal inequívoco da fragilidade do Cruzeiro vem à tona. Cinco milhões e meio de euros?! Uai, mas ele não valia do dobro até dois meses atrás?

Por que este desespero pra torrar um atleta tão valioso por uma merreca?

(mais…)

O elenco dos Anos Zero

domingo, 3 de janeiro de 2010

Alguém sabe se existe algum site em que seja possível consultar os elencos ano a ano?

Fiz uma rápida pesquisa em alguns jogos no site Futpédia. Eis uma relação do que passou pelo Cruzeiro de 2000 a 2009 (peguei um ou dois jogos por ano + alguns nomes de memória).

 O que eu queria mesmo era uma divisão por semestre, para pelo menos identificar a base de cada time, mas acabei misturando tudo…

Moema Fox

  • 2000 – André Doring, Jefferson, Fábio, Fabiano, Glayssinho, Rodrigo Posso, / Zé Maria, Fernandinho, Maicon, Clebão, Alexandre, Marcelo Djian, Luisão, Márcio, Cris, Sorin, Alonso, Rodrigo, / Marcos Paulo, Ricardinho, Donizete Oliveira, Donizete Amorim, Viveros, Rony, Mancuso, Cleber Monteiro, Wendel, Valdo, Alê, Paulo Isidoro II, Sérgio Manoel, / Geovanni, Muller, Jackson, Oséas, Fábio Júnior, Marcelo Ramos, Zé Roberto,  Renato Cella, Cristian, Leandro, Alex Mineiro, Deílton. Tec: Paulo Autuori, Marco Aurélio, Luiz Felipe Scolari
  • 2001 – Bosco, Jefferson, André Doring, / Maguinho, Maicon, Luizinho Netto, Neném, Rodrigo, Cris, Luisão, Bill, Irineu,  Alex Xavier, João Carlos, Clebão, Márcio, Fernandinho, Sorín, Beto, Maxwell, William Boaventura, Alex Santos, / Marcos Paulo, Ricardinho, Alê, Cléber Monteiro, Joelson, Leandro, Viveros, Mancuso, Abedi, Diego, Alex 10, Marcus Vinícius, / Edmundo Animal, Geovanni, Jussiê, Rincón, Augusto Recife, Jorge Wagner, Muller, Oséas, Marcelo Ramos, Adriano Chuva, Sérgio Manoel, Alessandro Cambalhota , Leonardo, Kanu, Edmílson, Wandeir.  Tec: Luiz Felipe Scolari, Paulo Cesar Carpeggiani, Ivo Wortmann, Darlan Schneider, Marco Aurélio
  • 2002 – Gomes, Jefferson, Gleguer, Alexandre Favaro, Gomes/ Ruy Cabeção, Maicon, Alemão, Cris, Luisão, Marcelo Batatais, Irineu, João Carlos, Thiago Gosling, Sorín, Leandro Silva, Jorginho Paulista, Rondinelli, Alex Santos, / Augusto Recife, Danilo, Victor Quintana, Fernando Miguel, Viveros, Ricardinho, Paulo Miranda, Vander, Alex 10, Wendel, / Lucas, Jussiê, Marcelo Ramos, Fábio Júnior, Joãozinho, Lúcio, Alessandro Cambalhota, Kanu, Wandeir, Edílson. Tec: Marco Aurélio, Wanderley Luxemburgo
  • 2003 – Gomes, André Doring, Artur Moraes, Alexandre Favaro, / Maurinho, Maicon, Cris, Luisão, Edu Dracena, Thiago Gosling, Gladstone, Irineu, Marcelo Batatais, Leandro Silva, Emerson Nunes, / Itaparica, Leo Silva, Cleber Monteiro, Augusto Recife, Maldonado, Felipe Melo, Sandro Sarará, Jardel, Paulo Miranda, Martinez, Márcio, Marcinho, Wendel, Alex 10, Zinho, Marcinho, / Aristizábal, Kanu, Diego, Jussiê, Deivid, Mota, Márcio Nobre, Marcelo Ramos,  Tiago Pereira, Alex Dias, Alex Alves.  Tec: Wanderley Luxemburgo
  • 2004 – Gomes, Artur Morais, Doni, Thiago Braga, Alexandre Favaro, Gatti, / Maurinho, Marco Aurélio, Alessandro, Maicon, Ruy Cabeção, Alemão, Michel, Marcelo Batatais, Cris, Edu Dracena, Marcelo Batatais, Bruno Quadros, Gladstone, Irineu, Régis, Leandro Silva, / Leandro, Martinez, Mancuso, Jardel, Sandro Sarará, Martinez, Augusto Recife, Wendel, Márcio Hahn, Marcinho, Maldonado, Alex 10, Walter Minhoca, Adriano Gabiru, / Rivaldo, Guilherme, Jussiê, Lima, Dudu, Tápia, Fred, Schwenck, Kanu, Márcio Diogo, Alex Dias. Tec: Wanderley Luxemburgo, PC Gusmão, Marco Aurélio, Ney Franco
  • 2005 – Fábio, Artur Morais, Thiago Braga, Gatti, / Maurinho, Ruy Cabeção, Michel, Jonathan, Edu Dracena, Gladstone, Marcelo Batatais, Irineu, Moisés, Argel, Leandro Eusébio, Patrick, Athirson, Anderson Paim, / Victor Júnior, Fábio Santos Vidaloka, Martinez, Marabá, Maldonado, Diogo Mucuri, Diogo Duran, Lopes Tigrão, Kelly, Francismar, Wagner, / Kerlon, Weldon, Diego Clementino,  Adriano Gabiru, Fred, Jean, Alecsandro, Wando Tiririca, Daniel Morais, Adriano Louzada, Tadeu, André Luiz Leite. Tec. Levir Culpi, PC Gusmão
  • 2006 – Fábio, Lauro, Juninho, Flávio Guedes, / Jonathan, Michel, Luizinho, Luizão II, Gladstone, Edu Dracena, Teco, Thiago Heleno, André Leone, André Luis Chefão, Júlio César, Anderson Santana, / Augusto Recife, Aldo Souza, Paulinho Dias, Evandro, Fábio Santos Vidaloca, Leo Silva, Jonílson, Diogo Duran, Leandro Bonfim, Martinez, Sandro Sarará, Francismar, Elson, Wagner, / Geovanni, Kerlon, Alecsandro, Elber, Araújo, Ferreira, Gil, Fábio Pinto, Carlinhos Bala, Jonathas, André Luiz Leite, Diego Silva, Adriano Rodrigues. Tec. PC Gusmão, Oswaldo de Oliveira
  • 2007 – Fábio, Lauro, Gatti, Bruno Pianissola, Flávio Guedes, / Gabriel, Mariano, Jonathan, Peter, Ângelo, Herick, Eliézio, Simões, Wellington, Rodrigão, Leo Fortunato, Thiago Heleno, Luizão II, Gladstone, Wellington, Leandro Amaro, Edimar, Alemão, Maicon II, Fabio Santos, Anderson Imaturo, Fernandinho, João Victor, / Renan, Jardel, Aldo Souza, Daniel Tijolo, Luiz Alberto, Sandro Sarará, Leo Silva, Paulinho Dias, Charles, Ramires, Leandro Domingues, Maicossuel, Ricardinho, Wagner, Marcinho Bochecha, Fernando Oliveira, Tallys, / Diego Clementino, Kerlon, Geovanni, Guilherme, Araújo, Rômulo, Roni, Nenê, Alecsandro, Pedro Júnior, Fellype Gabriel, Marcelo Moreno, Vinícius Lopes. Tec: Paulo Autuori, Emerson Ávila, Dorival Júnior
  • 2008 – Fábio, Andrey, Rafael, Bruno Pianissola, / Jonathan, Apodi, Carlinhos, Maurinho, Leo Fortunato, Thiago Heleno, Thiago Martinelli, Thiago Gosling, Espinoza, Wellington, Jadílson, Fernandinho, Espinoza, / Sandro Manoel, Elicarlos, Marquinhos Paraná, Fabrício, Charles, Ramires, Wagner, Henrique, Camilo, Gerson Magrão, Bruno, Luiz Alberto, Zé Eduardo, Marcinho Bochecha, Leo Silva, Pablo, Luís Fernando Sales, / Fabinho, Reinaldo Alagoano, Guilherme, Weldon, Rômulo, Joabe, Marcel, Diego Clementino, Thiago Ribeiro, Jonathas, Jajá, Wanderley, Reina. Tec: Adílson Batista
  • 2009 – Fábio, Andrey, Rafael, Flávio Guedes, / Jonathan, Patric, Jancarlos, Gustavo Schiavolin, Anderson Beraldo, Leonardo Silva, Cláudio Caçapa, Gil, Thiago Heleno, Neguete, Diego Renan, Gerson Magrão, Vinícius, Radar, / Pablo, Marquinhos Paraná, Henrique, Fabrício, Elicarlos, Fabinho, Uchoa, Wagner, Fernandinho, Camilo, Athirson, Bernardo, Gilberto, Leandro Lima, Raphael Luz, / Kleber Gladiador, Wellington Paulista, Thiago Ribeiro, Guerrón, Eliandro, Dudu, Soares, Zé Carlos, Alessandro do Lotação. Tec: Adílson Batista

N.B.: Faltam muitos nomes. Vamos ajudar a Moema a completar a lista (2000 je 2001 á pesquisei). Em negrito, quem chegou a uma Copa do Mundo, jogando ou não.