Posts com a Tag ‘Luisão’

Dia T

terça-feira, 6 de julho de 2010

Esta segunda foi o Dia T, o Dia do Teixeirão. Após dissolver a comissão técnica por telefone, o presidente da CBF foi aos microfones fazer populismo.

Falou na Itatiaia, explanou no SporTV. Disse que começará, já, o projeto 2014. Tinha de ter um projeto no meio do balablablá. É moda.

E o tal arranjo vai começar logo. Parece que, em agosto, contra os USA , o Brasil já deve ser representado pela nova geração. Assim, a CBF já estaria pensando em 2014.

O chefão da CBF está impressionado. Ele descobriu, num Boletim da Fifa, que a Argentina tem 8 atletas  Sub23 em seu escrete, a Alemanha tem 9, Gana, 11, e o Brasil, só um.

Pra Sua Majestadade, taí a fórmula do sucesso. Falta explicar o que argentinos e ganeses conseguiram fazer melhor do que os velhinhos brasileiros.

Mas isto não vem ao caso. Importante é ter algo pra enganar os otários que o levam a sério.

O problema do novo projeto é que ele pode sucumbir, como o atual, num lance fatídico de uma etapa eliminatória da Copa.

Nenhuma seleção em tempo algum, boa ou ruim, esteve a salvo do imprevisto, da falha e do acaso. Em caso de dúvida, consultem os húngaros sobre 54, os holandeses sobre 74 e os brasileiros sobre 98.

Eu prefiro a fórmula do João Saldanha, que não tinha frescuras como esse trololó de projeto. Pra ele, seleção era lugar para os melhores do momento.

Ora, se Lúcio, Maicon, Juan, Gomes, Luisão, Robinho e Júlio César (apesar da falha absolutamente humana), Kaká (apesar da má condição física) são os melhores, por que não convocá-los?

Está certo que o momento é de se aproveitar Ramires, Hernanes, Ganso, Neymar, Pato, Fábio, André, Jonathan, Wesley e outros novos ou seminovos.

Agora, montar uma seleção de novatos pra levar surras e mais surras desnecessárias é jogar -muito mal, diga-se- pra platéia.

Teixeira com essa conversa aparentemente radical aquer apenas reforçar a idéia de que a Copa não foi perdida por ele, mas pelos componentes da comissão dissolvida. E só.

Esse filme já passou em 91. A estrela da época foi Paulo Roberto Falcão, que, depois, após várias derrotas, foi defenestrado.

Ricardo Teixeira continua tão arrogante quanto incompetente. Melhor seria entregar a Seleção para um diretor profissional conduzir e sair de fininho.

O discurso dele é exatamente o das hienas caçadoras de técnicos. O final todos já sabem. Se der errado, lá vem outro papo furado e mais uma dissolução de comissão técnica. Só ele jamais se demite.

Dunga pediu desculpas ao distinto público

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Dunga agiu bem ao pedir desculpas à torcida pelo destempero verbal contra Alex Escobar ao final do Brasil 3×1 Costa do Marfim.

Se ele não gosta do repórter ou da rede de televisão, deveria ter resolvido pessoalmente suas desavenças sem recorrer a palavrões em meio a uma entrevista.

A Globo, goste-se ou não e de seus profissionais, está certa ao tentar entrevistas exclusivas.

O que se espera do jornalista é que corra atrás da notícia, não que aceite os comunicados oficiais das autoridades como fonte.

Ontem, o Olé publicou foto de um aparente desentendimento entre Luisão e Júlio César. Se o ambiente na Seleção fosse de liberdade, os atletas seriam abordados por repórteres, em algum horário livre, pra se explicarem.

Mas como vivem em regime de reclusão absoluta, quem fala por eles é o assessor de imprensa da CBF e o treinador. E o torcedor fica desinformado.

Muitos brasileiros, adeptos de regimes autoritários, de empastelamento de jornais e de cassação de concessões de rádios e televisões, aprovam o jornalismo oficial e se aproveitam da situação para criticar a imprensa livre.

Nessas questões, fico com João Saldanha que, embora fosse comunista, tinha cérebro e defendia, ao menos no ambiente da ditadura militar, a busca de informações.

Pra ele, “a imprensa ou é de oposição ou é balcão de armazém de secos e molhados”.

E sobre essa concentração total, essa reclusão imposta aos jogadores, ele repetia à exaustão: “se concentração ganhasse jogo, o time da penitenciária seria imbatível”.

Se é pra resolver pendengas com palavrões, Dunga deveria poupar bilhões de telespectadores que acompanham suas coletivas.

Se é pra conquistar a Copa, ele deve treinar o time e confiar no discernimento dos atletas, que deveriam ter folgas após as partidas. Com direito, inclusive, de conversar com jornalistas. Como cidadãos livres.

Caso contrário, eles deixarão a África do Sul sem terem participado de verdade do evento, posto que só lhes restarão lembranças de hotéis, ônibus e estádios.

Sobre a festa dos povos nas ruas, só ficarão sabendo se ligarem a TV. Se é que isto também não está proibido na concentração total.

Dunga fez bem bem ao revelar, na coletiva do mea culpa, a matriz de seu patriotism e a dor que sente pelos problemas de saúde do pai. E foi humano ao expressar sua solidariedade ao povo nordestino, que enfrenta o flagelo de inundações.

Mas fez melhor ainda ao se desculpar com o público. Errou, pediu desculpas e bola pra frente. Não leva o Troféu Domenech, o maluco treinador francês que não entendeu o espírito desportivo da competição.

Agora, falta Dunga abrir algumas janelas para o contato entre atletas e público. Como as demais seleções fazem.

N.B.: Se Dunga quer mesmo “boxear” com jornalistas, que venha treinar o Cruzeiro. Aqui, só tem peso pesado. Em Minas, Alex Escobar seria peso mosca.

Os sócios do Cruzeiro

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Olá, Jorge.
 
Acompanho o PHD há pouco mais de 5 meses e, certamente, é o melhor blog/sítio para discutir sobre o Cruzeiro. Por isso, lhe envio esse e-mail para apresentar uma discussão que poderia esclarecer muitas dúvidas minhas e, acredito, de muitos cruzeirenses. (mais…)

Jogo de primeira na segundona européia

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Benfica 1×1 Liverpool -até aqui, 10 do 2º tempo-, na Luz, em Lisboa, tá bão de se ver. Merecendo post próprio.

O becão dinamarquês, Agger, do Liverpool meteu gol de letra, aos 8.

El vecón arrentino, Insúa, também do Liverpool, deu pixotada, fez pênalti besta e o Benfica empatou.

Luisão tá passando o rodo geral. E o Ramires, sumidão. O jogo é da 2ª divisão da Champions, mas é de 1ª.

De ruim, só os pitaquistas da Iespien cornetando o Juiz sueco, que usa o cérebro pra apitar e não só as bochehas como os brasileiros.

(mais…)

Encarnados batem minhotos com golo de Luisão

domingo, 28 de março de 2010

De um lado, Luisão e Ramires, do outro, Renteria. Coitado do Braga. Perdeu a chance de campeonar pela primeira vez.

E ainda perdeu Mossoró, que fraturou o perônio e ficará fora dos relvados por seis meses.

Dez brasileiros participaram da partida que, praticamente, decidiu o Campeonato Português, ontem, em Lisboa.

O Braga conta ainda com os brasileiros André Leone, Paulão, Osvaldo, Olberdam, Alan, Adriano Louzada, Vandinho e Matheus.

O Benfica também tem vários suplentes brasileiros: Júlio César, Sidnei, Felipe Menezes, Aírton, Weldon e Eder Luís.

Ao todo, 24 brazucas estão fichados nas duas equipas. Confiram a reportagem do Diário de Notícias.

Benfica cimenta liderança com golo de Luisão

O Benfica está cada vez mais perto do título nacional de futebol, depois de, este sábado, ter batido o Sp. Braga, por 1-0 (golo de Luisão). Agora, as águias têm seis pontos de avanço sobre os minhotos, segundos classificados da Liga.

Num jogo muito emotivo, “rasgadinho” quanto baste, os encarnados tiveram quase sempre o “sinal mais”, mas sofreram até ao fim para segurar um triunfo que os deixa mais perto da conquista da Liga, a seis jogos do final.

Ao minuto 23, Saviola perdeu a primeira grande oportunidade: isolado na área deixou-se antecipar pelo guarda-redes Eduardo. O lance começou com um erro de Filipe Oliveira.

Um livre de Cardozo (32′) e um cabeceamento de Saviola (37′) ainda criaram perigo, mas o golo só chegou no período de descontos da 1.ª parte, aos 45+2′: Após um canto na direita marcado por Di María, o espanhol Javi García cabeceou contra Luisão. A bola ficou mesmo à frente do central, que, sem qualquer falta, rematou de pé esquerdo para a baliza de Eduardo: 1-0.

No intervalo, as equipas demoraram a entrar nos balneários. Os incidentes no túnel em Braga, no primeiro jogo, estariam na memória dos jogadores e técnicos de ambos os clubes.

Depois, houve agitação nas bancadas dos adeptos do Sp. Braga. Houve um carga policial sobre os adeptos minhotos e um chegou a ser levado pela polícia.

Do lado do Benfica, Cardozo esteve perto do golo por três ocasiões, aos 67′, 75′ e 82′, mas falhou sempre no aproveitamento dos cruzamentos dos colegas de equipa. O jogo acabou com a vitória das águias, por 1-0. O Benfica tem agora 61 pontos, contra 55 do Braga. O FC Porto, com menos um jogo, leva 47.

Benfica 1×0 Sporting Braga, sábado, 27mar10, Estádio da Luz, Lisboa 28ª rodad ado Campeonato Português 2009/10 – Público: 60.000 –  Juiz: Pedro Proença (Lisboa) – Golo: Luisão, 47 do 1º tempo – Benfica: Quim; Maxi Pereira, Luisão, David Luiz, Fábio Coentrão; Javi Garcia, Ramires (Ruben Amorim, 76), Carlos Martins (Aimar), Di María, Saviola (Alan Kardec, 87), Cardozo. Tec: Jorge Jesus / Sporting Braga: Eduardo; Filipe Oliveira, Moisés, Rodríguez e Evaldo; Andrés Madrid; Mossoró (Luís Aguiar) e Hugo Viana (Rafael Bastos, 58); Alan, Rentería (Matheus, 58) e Paulo César. Tec: Domingos Paciência – Nota – Os negritos registram os brasileiros, não necessariamente os melhores em campo.

Brasil 2×0 Irlanda: Gilberto, o destaque

terça-feira, 2 de março de 2010

Jogando “em casa”, no Emirates Stadium – por sinal, maior e mais confortável do que a Fazendinha – o Brasil venceu a Irlanda por 2×0.

Robinho fez um gol e meio e aplicou algumas pedaladas pra divertir a torcida. Kaká também se destacou.

O lance do 2º gol merece ser analisado. Ninguém penteou a bola como teria feito o R10. Foi um plunct plact zum entre o craque do Real, Grafite e Robinho, que aninhou, encarregado do arremate, aninhou a gorduchinha nas redes irlandesas.

(mais…)