Posts com a Tag ‘Ellis Park’

Espanha 1×0 Paraguai: Até breve, Larissa

sábado, 3 de julho de 2010

Às 15h30 (Brasília), no Soccer City, em Joanesburgo, Espanha e Paraguai decicem a última vaga para as semifinais da Copa. Quem vencer terá de enfrentar o pesadelo alemão.

A Espanha de Vicente Del Bosque manterá o 4-4-2 com Xavi, Busquets, Xabi Alonso e Iniesta compondo a linha de volantes mais cultuada do futebol atual.

O Paraguai, do argentino Gerardo Martino, jogará no 4-4-2 com Cardoso e Benítez mais avançados. Os guaranis ainda não encontraram o ataque ideal, por isto dependem muito de sua defesa.

O guatemalteco Carlos Batres será o juiz. E nenhum protagonista da partida se sentirá excluído pelo idioma. Nem a exuberante Larissa Riquelme, torcedora paraguaia que conseguiu ofuscar sua própria seleção nesta Copa.    (mais…)

Brasil 3×0 Chile: Botes certeiros

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Ás 15h30 (Brasília), no Estádio Ellis Park, em Jonesburgo, Brasil e Chile disputam uma vaga nas quartas de final da Copa 2010.

O Chile não vence o Brasil desde agosto de 2000. Na Era Dunga, foram 5 partidas, todas com vitória brasileira.

Apesar disto, considerando-se as três exibições de cada time nesta Copa, não há favorito neste jogo de oitavas de final.

O Brasil jogará com Julio Cesar; Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Felipe Melo Josué), Gilberto Silva e Elano (Daniel Alves); Kaká; Robinho e Luís Fabiano. 

Marcelo Bielsa escalará o Chile com Bravo; Isla, Contreras, Jara e Vidal; Millar, Carmona, Matias Fernández e Valdivia; Sánchez e Beausejour. 

Howard Webb, da Inglaterra,será o juiz.  E ele anda nervoso nesta Copa. Tá amarelando geral, por isto, quem quiser chegar completo ao final da partida deve tomar cuidado. (mais…)

Eslováquia 3×2 Itália: Sapore di sale

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Às 11h (Brasília), no Ellis Park, em Joanesburgo, Itália e Eslováquia se enfrentam pela última rodada do Grupo F da Copa 2010.

Cansado da malemolência de sua equipe e sem poder contrar com Andrea Pirlo, Marcelo Lippi escalará o calabrês Gennaro Gattuso ao lado de Montolivo e Rossi na meiúca italiana. É a volta do Espírito de 2006 à Azzurra.

Ele promete ainda três atacantes -Iaquinta, Gilardino e Di Natale- pra fustigar o adversário. Isto se, até soltar a escalação, não refluir pra uma posição mais conservadora.

Certo é que os italianos precisam vencer pra não ter de torcer por uma derrota ou empate da Nova Zelândia contra o Paraguai.

Para a Eslováquia, que Wladimir Weiss escalará num 4-3-1-2, só a vitória interessa. E a esperança é de que o meia-atacante Hamsyk, do Napoli, resolva a partida.

O inglês Woward Webb apitará a partida. (mais…)

Espanha 2×0 Honduras: Sem susto e sem sobras

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Às 15h30, no Estádio Ellis Park, em Joanesburgo, pelo Grupo H, Espanha e Honduras encerram a 2ª rodada da fase de grupos da Copa.

O capitão de Honduras, Amado Guevara, diz que seu time não tem medo da Fúria. Pois devia ter, pois os espanhóis, mesmo desfalcados de Iniesta, vão à luta ferozmente em busca de sua classificação.

Del Bosque, treinador da Espanha, aparenta tranquilidade. Segundo ele, seu time “só precisa mexer mais a bola” pra vencer e voltar à luta por uma vaga. Que pode ser a que elva em direção ao Brasil nas oitavas de final.

*****

(mais…)

USA 2×2 Eslovênia: Virada incompleta

sexta-feira, 18 de junho de 2010

às 11h (horário de Brasília), no Ellis Park, em Joanesburgo, Estados Unidos e Eslovênia jogam -ambos no 4-4-2- partida decisiva do Grupo C.

Líderes, os eslovenos de Matiaz Kek sonham com a vitória pra encurtar o caminho rumo às oitavas de final. Confiam em sua camisa estilo Charlie Brown, no artilheiro Novakovic e na sorte.

Os americanos, dirigidos por Bob Bradley, precisam mais da vitória pra não dependerem tanto do confronto com a Argélia na última rodada.

Suas armas são o goleiro Howard e o armador Donovan, líder, experiente e  muito bom de bola.

Além deles, contará com o grupo californaiano Weezer que fez música pra animar a rapaziada. Confiram Represent clicando aqui.

Koman Kulibaly, do Mali, será o Juiz. Garantia de que ouviremos, naTV brasileira, aqueles clichês acerca da inexperiência dos árbitros de países sem tradição no futebol.

Console-se, caro leitor, pois a surdez ainda é pior do que os pitacos do Wrigth & Cia. E vamos ao jogo com fundo musical! (mais…)

Melhor do que a encomenda

terça-feira, 15 de junho de 2010

Tirante os juízes, que estão avacalhando com suas insossas atuações, a Copa está muito boa. Tem de tudo. Bola envenenada, nascida para trair. Retrancas bem montadas, na medida certa pra irritar mesa-redondistas. Vuvuzelas que obrigam os politicamente corretos a sofrerem calados em nome da diversidade cultural.

Copa não é pra torcer. Quem quiser estrebuchar de pânico e ansiedade, que o faça no Mineiro, no Morrinhão ou na Libertadores. Copa é confraternização, é cerveja, salaminho, pão de queijo, tremoços, liguicinha frita na mesa da sala, em meio de semana. Ou churrasco na laje e no quintal, nos fins de semana.

Copa é bolão, já que bolo de linha não tem mais jeito de fazer, pois linha não há mais. Copa é a ocasião certa pra levar mais a sério os comentários da minha tia do que os do Evandrão. Eles regulam idade, mas a minha tia só abre a boca pra falar de futebol de 4 em 4 anos, enquanto meu amigo pontifica sobre o tema diariamente. Voadora também ela só aplica nas copas. Geralmente contra argentinos e  treinadores do escrete canarinho. Já o Evandrão não economiza o golpe. É capaz de mandar um até por conta deste post.

Copa é pausa pra respirar. É pra rir da ira de quem não suporta o narrador argentino Galván Bueno, nem os pitacos do desavisado Casão. É pra constatar que bandeira dos rosas traz maus fluidos. Repararam que foi só pintar uma no Ellis Park pro Brasil tomar gol? E que a bandeira mais bonita do mundo é a de Honduras, aquela terra de homens e mulheres, que escolheram viver em liberdade (lá vem reproche dos Sobrinhos do Coronel!).

Pra finalizar, listo o que vi de melhor até aqui: o ânimo do centroavante comuno-coreano, Robson Crusué, a jaqueta de Pequeno Príncipe do Dunga, os pulinhos do Maradona (Luxa não tem a graça e a leveza do Pibe), o bate boca entre Maradona e o Moreno Que Vestia a Dez, o futebol, quem diria, cheio de telecoteco dos tanques alemães, o ponta-esquerda à moda antiga, Elia, da Laranja, as torcedoras dinamarquesas, o corte de cabelo do goleiro argelino Chouchui (?), a jogada de rúgbi do Samuel no gol argentino, as matérias do Olé e o gol espírita do Maicon.

Prum começo de festa, tá danado de bom, né mesmo?

N.B.: Pra acompanhar a Copa. Pra se solidarizar com o ditador comuno-c0reano, Kim Jong.

Brasil 2×1 Coréia C.: Maicon disparou um míssil

terça-feira, 15 de junho de 2010

No Ellis Park, em Joanesburgo, o Brasil estréia na Copa contra a Coréia Comunista. Será o jogo dos segredos. O brasileiro, que é de polichinelo, pois todo mundo sabe como jogará a seleção e o da Coréia Comunista, que ninguém sabe do que é capaz, posto que o país é um campo de concentração.

Dunga escalará o Brasil no sistema adotado pelo Cruzeiro na Era Adílson (e também na Era Luxemburgo) 4-3-2-1. Três volantes, dois deles com liberdade pra jogarem também como meias, um armado,r Kaká (que não é bem um cara cerebral, portanto a receita pode desandar), e dois atacantes, um fixo, Luís Fabiano, outro móvel, Robinho.

Os comuno-coreanos, treinados por K Jong Hun (?), vão no 4-4-2, com duas linhas de defensores e dois atacantes à espera de esticões pra azucrinar, com sua velocidade, a bequeira pátria. Vão diminuir espaços em seu campo de defesa e botar a força mental pra trabalhar e surpreender os favoritos.

Enquanto no Brasil todo mundo é estrela, na Coréia Comunista só existe um cara famoso, cujo nome não me ocorre agora.

O mundo inteiro considera que o macuco já está no emboranl verde-e-amarelo. Os adversários, contudo, terão uma torcida maior neztepaiz, um dos últimos baluartes do comunisno acadêmico, do que em sua própria terra, onde é provável que a partida nem seja exibida pela televisão ao vivo.

O húngaro Viktor Kassai será o Juiz desta partida, que deixa uma dúvida no ar: que os comunistas comem (por via oral, é claro) criancinhas, todos sabemos, mas será que também comerão os velhinhos da seleção com maior média de idade do Mundial? A resposta saberemos a partir de 15h30 nas telinhas de todo om país.

*****

Vejam o que disse o argentino Olé:

A coreano regalado…

Franco Predazzi

El equipo de Dunga recién pudo abrir el partido en el segundo tiempo por un error del arquero rival: Maicon sacó un misil y Myong Guk-Ri descuidó su palo. Después llegó el gol de Elano y Corea no preocupó pese al descuento.

Ganó Brasil y no es noticia. Ganó 2-1 contra Corea del Norte y eso sí es noticia. Se puso en ventaja con un gol que tuvo la inestimable colaboración del arquero. Mereció el triunfo. Lo justificó. Mostró falencias ofensivas, una alarmante ausencia de cambio de ritmo. Fue prolijo para ocupar espacios. Demasiado prolijo ante un rival que estaba programado para aguantar. Con armas leales, pero aguantar. Brasil no asustó. Tampoco sufrió, pese al gol de Corea del Norte cuando faltaban tres minutos, descuento incluido.

Robinho fue de lo mejorcito de un equipo que quedó en deuda. Michel Bastos mostró, en el segundo tiempo, que es de lo más parecido a Roberto Carlos (hasta en su pegada en los tiros libres) de los últimos tiempos en esa posición. Maicon completa el podio, porque al menos una vez pasó al ataque con la decisión que muestra en el Inter y encima contó con la gauchada de Myong Guk Ri.

Corea del Norte tuvo una actuación digna, digamos. Se ocupó de armar un bloque defensivo prolijo. Un 5-4-1 que no recurrió al planchazo para frenar a Brasil. Orden y, si se podía, algún contraataque. De hecho, Julio César, antes de ir a buscar la pelota adentro de su arco, sólo había atajado dos facilongas. Pero cuando se encontró en desventaja, no tuvo reacción, no cambió el chip, seguramente porque ese chip no existía. Avanzó en el campo casi por inercia, aunque no hizo más que entregarle espacios al Scratch para que estirara la diferencia: pase de crack de Robinho y toque cruzado de Elano. ¿Kaká? Todavía no debutó. ¿Sí? ¿En serio? Naaa, no jodan.

Brasil ganó el partido que Portugal y Costa de Marfil vinieron a ganar. Lo hizo con lo justo. Está claro que los clasificados a octavos de final saldrán de los equipos mencionados. Y si, como se presupone, España termina como líder del grupo H, podría cruzarse con el Scratch en octavos de final. No estaría mal, ¿no?

O espanhol Marca também reportou:

La habilidad de Maicon y el talento de Robinho bastan ante Corea del Norte

Fantasía con cuentagota

Un error del meta norcoreano lo aprovechó Maicon para abrir la lata en el 55′ · Elano, tras un gran pase de Robinho, puso la sentencia · Corea del Norte murió con la cabeza alta tras lograr el 2-1 casi sobre la bocina;

Fran Villalobos

Brasil cumplió a secas en su estreno mundialista ante Corea del Norte, un rival correoso que logró caer con la cabeza alta ante un rival muy superior. Esa diferencia de potencial apenas se notó durante toda la primera parte. El juego de la ‘canarinha’ fue lento, previsible y aburrido, con Kaká perdido y Robinho como único exponente de ese fútbol imaginativo que se presupone a los brasileños.

Visto lo visto, con Dunga parece un reducto del pasado más que un recurso del presente. Que el más peligroso sea Maicon entrando por el lateral derecho es para cuestionarse hacia donde camina Brasil, que gasta un doble pivote de lo más vulgar con Gilberto Silva y Felipe Melo en línea. Por detrás, la zaga de cuatro no tuvo excesivos problemas ante Corea del Norte. Sólo el veloz Tae Se puso en algún aprieto a Juan y a Bastos, un interior reconvertido a lateral por exigencias del guión. Así funciona ahora Brasil, como una fábrica. Lo importante es hacer tu trabajo, no lo bonito que consigas hacerlo.

Así las cosas, Brasil se marchó al descanso empatando sin goles ante Corea del Norte, muy aplicada atrás y con ganas de incordiar. Como en casi todos los partidos de este Mundial, el partido terminó decidiéndose por un error del enemigo, un descuido en mitad de la rutina. Esta vez el fallo fue del meta Myong Guk en una arrancada de Maicon por la derecha. Abandonó el primer palo, algo que es similar a no cubrir a un compañero en la guerra, y Maicon lo aprovechó como pocos habrían sabido hacerlo. En lugar de centrar atrás, el crack pretendido por el Real Madrid se sacó casi sin ángulo un disparo fuerte y seco que terminó en las redes para sorpresa de todos.

Kaká sigue en paradero desconocido

El debate no es Maicon o Alves, porque Maicon es titular indiscutible. La cuestión es como encajar al barcelonista en el equipo para que Brasil crezca futbolísticamente. Dunga no se atrevió a hacerlo hasta que Elano puso la sentencia en el minuto 71. Robinho se inventó un pase cremallera que abrió en canal a la defensa norcoreana para que el poderoso centrocampista brasileño cruzase con tranquilidad ante la salida de Myong Guk.

Nigéria 0x1 Argentina: Lance de rugby decidiu

sábado, 12 de junho de 2010

Em Joanesburgo, no Ellis Park, Nigéria 1×0 Argentina. Será que o Billardo não vai preferir perder a copa pros nigerianos?

Galvão e Casão já se declararam argentinos desde niños nesta partida. Eu sou Negão! Ma sem capoeira e berimbau, por favor.

Argentina venceu o 1º tempo com um gol ilegal. Em lance de rugby, Samuel agarrou um nigeriano e Heinze cabeceou sem marcação pra marcar

Galvez Bueno e Cassagrande estão apaixonados por Marafona. Fazem seguidas declarações de amor ao arrentino. Acharam que a barba deu ar senhorial ao técnico-adjunto  do Billardo.

O futebol ficou em segundo plano na Globo.

Terminou 1×0. Messi foi Leandro Lima. Higuain, WP. Thiago Heleno e Gil seriam titulares com os pés nas costas nesse time platino.

A Nigéria foi melhor no 2º tempo, mas não teve pontaria. Pior em campo: Gutierrez. Piores fora de campo: Galvez Bueno e Cassagrande.