Posts com a Tag ‘Dicas’

Aviso Administrativo – Encurtando Links

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Nação Azul:

Como já alertado pela equipe Cruzeiro.org, em um artigo no dia 05maio10 (clique aqui para ler), os links externos postados nos comentários e que não tiverem referência ao texto serão removidos.

Os links que tiverem relevância com o assunto do artigo, deverão passar por um encurtador de links, com o objetivo de fazer com que a área de comentários fique mais limpa, visualmente falando.

O que é um encurtador de links ?

É exatamente o que o nome diz: Ele pega o seu link gigante e transforma em um link menor, que redireciona para o original. Fazendo assim, economiza-se espaço e evita-se problemas do layout do blog ficar quebrado e feio com os navegadores antigos, como o Internet Explorer 6.

Existem vários encurtadores de links disponíveis na internet. Ensinaremos aqui como utilizar um encurtador brasileiro, em português brazuca, facilitando os não falantes da língua inglesa. O nome dele é Migre.me.

Receita de Bolo

Passo 1: Copie o link que você queira divulgar (Control + C)

Passo 2: Abra o site http://migre.me/

Passo 3: Cole o link que você copiou previamente (Control + V) no campo onde diz “Insira a URL a ser encurtada”

Migre.me

Clique na imagem para ampliar

Passo 4: Clique no botão migre!

migre.me

Clique na imagem para ampliar

Passo 5: Copie o link gerado pelo website, localizado logo a frente onde diz URL Curta. No nosso exemplo, o link curto seria: http://migre.me/12NzL . Observe acima que o site faz a conta de quantos caracteres foram economizados nesta “brincadeira”.

Migre.me

Clique na imagem para ampliar

Pronto, agora é só divulgar o link. Lembrando que este precisa estar relacionado com o post em questão. Caso contrário, será deletado. Assuntos OFFTOPIC podem ser tratados no chat oficial do Cruzeiro.org.

Passo Extra: Com o link curto em mãos, você pode também contar quantas pessoas clicaram neste link. No próprio site Migre.me, existe a opção Detalhes do Link, onde você digita a URL encurtada e ele te dá as estatísticas de cliques.

Wall Free Dow Jones, ouvinte de rádio

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Dicas que o Wall Free Dow Jones enviou por e-mail:

Vocês já escutaram a entrevista do Fabrício na Rádio Cruzeiro, ontem, 04ago10? Vale a pena.

Ele dá uma catracada no Marcos Leandro que teria “quase comemorado como um gol” uma jogada de um lateral do Atlético-MG.

O locutor responde que “vai se policiar”!!! Hilário.

E pro Chaves, no finzinho, ele faz uma critica ao gramado da arena do Jacaré de maneira bem humorada. Vale a pena. Recomendo.
 
Ah, a entrevista seguinte é do Marquinhos Paraná. Muito legal também. Ele explica o porquê da pequena melhora do gramado da Arena do Jacaré dos jogos anteriores para o clássico.

Segundo o Mestre, deixaram a grama mais alta o que fez diminuir os desnivelamentos e reduziu o quique excessivo da bola. Interessante.

Fábio garantiu a vitória

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Atuações dos celestes e seus adversários no Atlético 0x2 Cruzeiro, na Arena da baixada, Curitiba, pela 8ª rodada do Brasileiro 2010, em 14jul10:

  • Fábio – Salvou o time com pelo menos três defess milagrosas. Foi o melhor em campo, de novo.
  • Jonathan – Recebeu ordens para marcar muito e apoiar pouco e as cumpriu à risca. Boa atuação.
  • Gil – Por sorte o juiz anulou um gol legítimo do Atlético que, se fosse validado, teria marcado sua carreira pela trapalhada cometida. Andou brincando em algumas jogadas até levar uma chamado do goleiro Fábio. Daí em diante, tomou tento e segurou a onda sem querer enfeitar.
  • Cláudio Caçapa – Ganhou e perdeu lances para os atacantes atleticanos. Passa seriedade, mas não segurança. Deve ser usado com moderação.
  • Diego Renan – Foi um lateral marcador à moda antiga. Numa das subidas esporádicas, deu um bom chute a gol.
  • Henrique – Foi um cabeça de área entusiasmado. Protegeu a defesa e largou de mão as veleidades ofensivas.
  • Fabrício – Basicamente, um cabeça de área, saiu algumas vezes para o apoio. Mas sem correr riscos.
  • Roger Galera – Acusou o efeito Montilla. Correu como jamais havia feito antes. Perseguiu os adversários até na área celeste. Na criação, faltaram idéias. Nos arremates a gol, a pontaria estava ruim. Na metade do 2º tempo, ficou sem gás e foi substituído. Valeu pelo entusiasmo.
  • Marquinhos Paraná – Entrou com a missão de fechar ainda mais o meio de campo e cumpriu a obrigação.
  • Gilberto – Criou boas jogadas, mas não descuidou da marcação e da ocupação de espaços ajudando, principalmente, Diego Renan.
  • Fabinho – Jogou pouco e com a missão exclusiva de marcar. Deus um bico e ficou nisso.
  • Thiago Ribeiro – Grande atuação, como quase sempre. Atacou pelas duas pontas, incomdou muito o sistema defensivo do Atlético e colocou uma bola na cabeça de WP no 1º gol.
  • Robert – Jogou pouco tempo, mas fez um gol de centroavante eficiente. Diante do goleiro, agiu com frieza ao escolher o canto certo e tocar a bola pras redes.
  • Wellington Paulista – Errou quase tudo o que tentou. As duas jogadas que acertou, contudo, terminaram em gol. Um seu, outro de Robert. É o que se espera de um centroavante, embora ele ache mais importante se dezer desmotivado, puxar saco de treinador recém contratado e fazer média com a torcida. O que é dispensável.
  • Cuca – Mais conservador do que Adílson Baptista, prendeu os laterais, escalou dois cabeças de área, fez os dois meias voltarem pra recompor a defesa e quando o adversário apertou não teve vergonha de trancar a defesa com quatro cabeças de área. Só o ataque, o gol e a bequeira com virtudes e defeitos permaneceram jogando como na gestão anterior. Na coletiva, sinalizou para doidivanas e hienas que, se preciso, vai trancar sempre o time. Com a boa estréia terá sossego pra trabalhar. Sossego que acabará quando se vencer a Cocota e os microfonistas resolverem derrubá-lo com apoio dos teleguiados.
  • Torcida – Pouco mais de cem cruzeirenses compareceram e, em diversos momentos, calaram os 13 mil atleticanos. Só o Dr. Ianni pode esclarecer o fenômeno.
  • Juiz & Bandeiras – Ajudaram o Cruzeiro marcando dois impedimentos inexistentes do ataque local. Num deles, Gil fez um autogol de videocassetada, que poderia ter complicado a partida. Nos demais lances, estiverm bem tanto na parte técnica quanto na disciplinar.
  • Atlético – Time remontado durante a Copa, o Atlético foi superior ao Cruzeiro no começo do 1º e, de novo, no começo do 2º tempo. Foi prejudicado pelo bandeira que lhe tirou um gol legítimo e pelas defesas milagrosas de Fábio. Foi vaiado injustamente por sua torcida que, segundo o Dr. Ianni, é fidelíssima. Mas não é. Age como qualquer outra deztepaiz. Apoia na boa, atrapalha na podre. Alex Mineiro e Paulo Baier mostraram categoria. Branquinho deu boa dinâmica ao meio de campo na etapa final. Manoel, que é excelente lateral-direito, também se mostrou um bom beque. Vagner Diniz também mostrou serviço no 1º tempo. É o melhor dos atléticos da zona de rebaixamento.

Arena do Jacaré para iniciantes

terça-feira, 13 de julho de 2010

Arísio França Jr.

Em 28 de Janeiro de 2006, realizou-se o primeiro jogo oficial no Estádio Joaquim Henrique Nogueira – Arena do Jacaré -, antigo sonho dos amantes do futebol em Sete Lagoas.

A idéia do estádio começou a brotar ainda na década de 80 quando o pecuarista e ex-atleta do Democrata Futebol Clube, Joaquim Nogueira, doou ao clube um terreno às margens da Av. Perimetral.

Somente em 2004, com a proposta do Grupo Bretas para aquisição do Estádio José Duarte de Paiva, localizado no centro da cidade, foi possível alavancar o projeto da Arena.

O Democrata apurou cerca de R$1,5 milhão com a venda do antigo estádio. Ao término das obras, o custo final da Arena girou em torno de R$3,5 milhões.

Assim, o leitor já pode imaginar o que levou o clube para a 3ª divisão do futebol mineiro em 2009 e a razão para as dívidas trabalhistas e com fornecedores de R$1,5 milhão acumulada pelo Jacaré.

Apesar de todas as dificuldades, sem benfeitorias no entorno do estádio e sem iluminação, o estádio foi inaugurado com capacidade para 20 mil torcedores, com 750 cadeiras, 19 cabines de imprensa, 20 bilheterias e 8 banheiros.

A partida inicial foi uma festa só. O Jacaré tinha um time aguerrido, comandado por Brandãozinho. Empolgado com a nova casa, venceu o Atlético-MG por 3×0. O primeiro gol foi marcado por Paulo César, do Democrata, aos 15 do 1º tempo.

O jogo com maior público foi outro Democrata x Atlético-MG, pela 1ª rodada do Campeonato Mineiro de 2008, com nova vitória alvirrubra, dessa vez por 1×0, gol de Tuta.

O público oficial foi de 20.500 pessoas, mas a verdade é que havia 25 mil numa tarde marcada pela desorganização completa, desde a entrada dos torcedores.

A idéia de se aproveitar a Arena do Jacaré para jogos durante as reformas do Independência e do Mineirão foi do ex-Secretário de Esportes do Estado, Gustavo Correa.

A proximidade da Capital e do Aeroporto de Confins e o desenvolvimento econômico por que passa Sete Lagoas deram ao estádio a preferência para receber os primeiros investimentos do Estado para a Copa de 2014.

O acordo com o Governo do Estado tem validade de 10 anos e 4 meses, contados a partir de 18jun09.

Por ele, a Ademg ditará as regras na Arena que, após 10 meses do início das reformas, será oficialmente reinaugurada em 15jul10 com um novo jogo do Atlético-MG.

O total do investimento do Estado deve girar em torno de R$12,7 milhões, para uma previsão inicial de R$5 milhões, e uma capacidade inicial prevista de 21 mil torcedores.

Na semana passada, após avaliações para emissão de laudos de segurança, ficou estabelecida a redução da capacidade para 15 mil presentes, muito em função dos transtornos decorrentes das obras se prolongarem até o final de julho. O escritório da Construtora responsável pela reforma ainda permanece intacto.

Esta determinação fez com que Cruzeiro e Atlético-MG de majorassem os preços dos ingressos. As cadeiras no setor de imprensa custarão R$100. Os demais setores terão entrada custando R$40. Valores bem acima dos padrões do futebol mineiro e “salgados” para o padrão do estádio.

Seguem alguns dados relativos às reformas e condições da nova Arena do Jacaré:

  • Todo o maquinário que era utilizado no Mineirão para manutenção e conservação do gramado foi transferido para a Arena.
  • A Itograss, empresa responsável pelo gramado, calcula que o novo piso tem capacidade média de suportar 5 horas de bola rolando por semana.
  • A dimensão do gramado é de 105 x 68m. As medidas do Mineirão são 110x75m.
  • Foram construídas salas exclusivas para coletivas de atletas, dirigentes e treinadores, assim como duas capelas e salas para Juizado Especial, Polícias Militar e Civil e Promotoria de Justiça.
  • Foram criadas 21 saídas de emergência e outras 14 para acesso ao gramado em situações de risco para os presentes.
  • Haverá 5 bares com banheiros ao lado.
  • Além da reforma dos vestiários antigos, foram criados mais dois para equipes dos jogos preliminares.
  • A Arena tem um gerador exclusivo de energia para o sistema de iluminação.

Algumas dicas para o acesso ao estádio:

  • Quem vier a Sete Lagoas pela BR040, saindo de Belo Horizonte, deve evitar o trânsito do centro. Assim que entrar na avenida de acesso à cidade, Marechal Castelo Branco, fique atento pra virar a direita no primeiro viaduto a fim de entrar Av. Perimetral, que contorna a cidade e onde se localiza o estádio.
  • Quem chegar a Sete Lagoas, deixando Paraopeba, deve passar a primeira entrada, logo após a barreira da Polícia Rodoviária, para evitar o Centro e optar pela entrada de quem vem de Belo Horizonte.
  • Pela estrada velha, a MG-424 que passa por Pedro Leopoldo e Prudente de Morais, a chegada ao estádio é mais tranquila. Ao término da rodovia, após o semáforo, vira-se à esquerda na Perimetral. A Arena está a 500 metros do entroncamento.
  • No acesso externo das cadeiras do setor das cabines já existe estacionamento asfaltado de propriedade do Democrata com 600 vagas. Devem ser cobrados R$10 ou R$15 por veículo (a confirmar).
  • Quem ficar nos demais setores, não encontrará, de início, estacionamentos definidas pela Prefeitura e Ademg. Os donos de lotes vagos, contudo, vão criar estacionamentos particulares. Num primeiro momento, estas serão as opções mais seguras.

Fonte: Encarte do jornal Sete Dias de 09jul10.

Arísio França Jr., 33, cruzeirense, administrador de empresas, nasceu e mora em Sete Lagoas.

Cine Balípodo

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Hugo Serelo

O cinema 2010 tem de tudo. Drama, romance, terror e comédia. Eis minhas dicas aos colegas do blog:

  1. Baby, o Porquinho Atrapalhado: Palmeiras 2010.
  2. O Nome da Rosa: Camisa de treino.
  3. Premonição:   Ipatinga 3×0 Cruzeiro.
  4. Sem Novidades no Front:  Contratações da diretoria.
  5. Os Renegados: Dudu e Bernardo.
  6. A Era do Gelo: Tempo em que a Cocota campeoanva.
  7. Rede de Intrigas: Dirigido por Artur Morais.
  8. Operação França: Mauro cornetando corneteiro.
  9. Desejos Proibidos: Libertadores e Brasileiro.
  10. Forrest Gump, o Contador de Histórias: Entrevistas d’ O Alixandre.
  11. Os Brutos Também Amam: Kléber na Mancha Verde.
  12. O Operário: Marquinhos Paraná.
  13. Geração Roubada: Copinha 2007.
  14. O Equilibrista: Adílson Batista.
  15. Minha Vida de Cachorro: Vaias da “massa”.  
  16. Conflitos Internos: Libertadores 2009.
  17. A Fuga das Galinhas: Cocota com medo de jogar em Teófilo Otoni.
  18. Teoria do Caos: Dirigido por Ney Franco.
  19. Zona de Risco: Posição da cocota no Brasileiro.
  20. Se Meu Apartamento Falasse: Maurinho.
  21. O Virgem de 40 anos: Cocota há 40 anos na seca.
  22. O Homem que Não Estava Lá: Fernandinho em campo.

Hugo Oliveira Pegoraro Serelo, 23, cruzeirense, nasceu emdradas-MG, mora em Divinópolis-MG.

Caro, porém insuficiente

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Jorge Santana, você poderia postar este texto pra sucitar um debate sobre os limites do elenco do Cruzeiro? Abs, Carlos Eduardo.

Uma análise do elenco do Cruzeiro

Fabio, Rafael e Flávio (Goleiros)
Jonathan e Diego Renan (Laterais)
Leonardo, Gil, Thiago Heleno, Caçapa (Zagueiros)
Fabricio, Marquinhos Parana, Henrique, Elicarlos, Pedro Ken (Volantes)
Gilberto, Roger (Armadores)
Thiago Ribeiro, Wellington Paulista, Eliandro, Robert e Kieza (Atacantes)

Convenhamos é um elenco fraco, qualitativamente e quantitativamente. Possui 21 jogadores. Sem lateriais reservas e com os titulares jogando mal.

Além de fraca, a zaga está a conta do chá. Apesar dos nomes e dos altos salários, nosso meias  são jogadores fora de forma, quase ex-jogadores.

No ataque, falta um jogador diferenciado e que seja perene. Até hoje, Wellington Paulista e Thiago Ribeiro viveram de fases. Ainda que o Ribeiro seja um bom jogador.

Digamos assim em outros tempos,  qualificáveis como titulares do Cruzeiro teriamos: Fabio, Fabricio, Marquinos Paraná e  Ribeiro. Somente quatro jogadores.

Para completar o grupo (mas lembremos para se completar um grupo é necessário qualidade.  Afinal, qualquer um poderá e deverá ser chamado) temos: Rafael, Jonathan, Diego Renan, Leonardo, Thiago Heleno, Henrique, Gilberto, Paulista e Eliandro.

Vejam que, agora subimos para nove jogadores, sendo destes cinco formados em casa, classificados mais promessa do que como realidade (casos de Rafael e Eliandro).

Por fim, pergunto-me o que fazem os seguintes nomes no Cruzeiro: Gil, Caçapa (já que não joga, até acho que era um grande zagueiro e nesta turma ai deveria ter vaga), Elicarlos, Pedro Ken, Roger, Kieza, Robert.

De tudo isso teríamos 13 jogadores, sendo 12 medianos e UM que vem fazendo a diferença, o Fábio. Isto é pouco pra um time que busca ser Campeão Brasileiro ou da Libertadores.

Elenco muito fraco pra folha de pagamento, que segundo sites especializados é uma das maiores do país.

Quem discorda?

Carlos Eduardo Marques, 30, cruzeirense, professor da Faculdade de Ciências Jurídicas da FEVALE/UEMG e professor substituto de Antropologia na UFMG, nasceu e mora em Belo Horizonte.

Vai tomar banho!

quarta-feira, 3 de março de 2010

Semana que vem, o Cruzeiro volta a jogar pela Libertadores. Será em Caracas, contra o Deportivo Itália.

Minha primeira providência foi checar a lista de armadillhas que o Grondona colocará em nosso caminho.

Altitude, frio, calor, vento, terremoto, torcida fanática, foguetes na madrugada, disto estaremos livres.

Mas o idioma adversário, chá de aeroporto, motorista desatento ao percurso, gramado ruim, são fatores que podem jogar contra.

E teremos novidades no quesito chororô: o banho mal tomado.

(mais…)

Diogo Lara, cruzeirense racional

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Diogo Lara é um torcedor racional. Embora seja pouco mais que um garoto, pensa e age  como se fosse um sujeito vivido, calejado, experimentado.

Ele aprendeu a conciliar amor pelo clube com capacidade de raciocinar. Não é fácil. Confiram sua trajetória de fanático com olhos bem abertos.

  1. Nome, data de nascimento, cidade onde mora. Diogo Pinto Lara, 25ago82, Belo Horizonte. Moro no Bairro Santa Rosa, em Niterói-RJ.
  2. Nome dos pais e irmãos e o que eles fazem? Ronei, comerciante de veículos, e Cirlene, professora do ensino fundamental. Não tenho irmãos.
  3. Onde vc estudou? Colégio Militar de Belo Horizonte e Escola de Economia da UFMG.
  4. Profissão? Economista. Trabalho no BNDES.
  5. (mais…)

A coletiva do blogueiro – Parte IV

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Mais um capítulo…

  1. Edu Mano – Quando você virá a São Paulo pra ver um jogo com o pessoal da Sampa Azul ou pra irmos ao Morumbi, Pacaembu ou Palestra testar a sorte do blogueiro? Contra o Barueri, talvez. Pode reservar o camarote e encomendar o uísque e os canapés (nada de camarão, por favor).
  2.   (mais…)

Na Baixada tem embaixada?

quarta-feira, 15 de julho de 2009

De novo, a velha busca. Onde acompanhar o jogo ao lado de outros cruzeirenses?

Desta vez, é a Juliana, de Santos. Vamos ajudá-la a encontrar uma embaixada azul na Baixada Santista, pessoal.

E outras dicas também serão bem-vindas.

(mais…)