Posts com a Tag ‘Cristian’

Atletas do Cruzeiro vencem em Beagá e Fortaleza

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

O Cruzeiro deu show na 1ª Meia Maratona Internacional de Belo Horizonte. Mesmo com quatro desfalques, sua equipe teve quatro atletas no pódio.

Apesar da lesão no tornozelo, devido a um acidente de carro que o deixou sem treinar por três dias, Franck Caldeira fez uma corrida impecável.

Esteve no bloco da frente o tempo todo até dar o sprint final no Km 19.

Dois mil e seiscentos corredores disputaram a prova, que Leopoldo Siqueira, da TV Alterosa, transmitiu para todo o estado.

A Praça Nova Pampulha, local da chegada, estava repleta de torcedores, que vibraram com a vitória celeste.

Eis a classificação final:

  1. Franck Caldeira (Cruzeiro) com 1h, 05min, 22seg.
  2. Reginaldo José da Silva (AEA e RM7) com 1h, 05min, 26seg.
  3. Cristiano da Silva Machado, o Jiló (Cruzeiro), com 1h, 05min, 39seg.
  4. João Marcos Fonseca, o Gari, com 1h, 06min, 02seg.
  5. Antônio Ferreira da Silva, o Ferreirinha(Cruzeiro), com 1h, 06min, 37seg.
  6. Ivanildo Pereira dos Anjos, o Gomes (Cruzeiro), com 1h, 07min, 20seg.

O veterano corredor cruzeirense, José Afonso Silva, de 53 anos, conseguiu a 8ª colocação com o tempo de 1h, 12min, 00seg, terminando à frente de vários atletas de elite.

Dobradinha cruzeirense em Fortaleza

Em Fortaleza, pela 7ª Etapa do Circuito Caixa, que contou com mais de 2 mil atletas, o campeão foi o atleta do Cruzeiro, Luís Paulo da Silva Antunes, o Paulinho Guará, que liderou de ponta a ponta terminando com o tempo de 30min, 20seg.

O 2º colocado, também do Cruzeiro, foi Valdir Sérgio de Oliveira com 30min, 48Seg.

Tusta enfastiado

terça-feira, 20 de julho de 2010

O tema foi discutido à exaustão no PHD no dia seguinte à final da Copa. Aparentemente, é notícia velha, matéria vencida, assunto datado.

Mas não é. Comentaristas dos canais de esportes não param de recomendar o telecoteco como a solução para os males do fut brasilis.

Prudente, Avaí, Duque, Icasa, Flamengo, Alecrim, Palmeiras, Tupi ou Ananindeua, não importa que elencos tenham, estão intimados ao totó infinito.

Se a moda pega, o futebol ficará intragável. Seremos Suiça ou Espanha. Com bola de pé em pé, de um lado pra outro, sempre na horizontal, todos os jogos terminarão em goleadas de 1×0.

O contra-ataque, embora não tenha agradado ao Tusta, ainda é a saída pra maioria dos times brasileiros. E se bem executado pode tornar o jogo interessante.

Agora o lescolesco improdutivo pode até ser um jogo de segurança máxima para os times poderosos, mas não vai empolgar a torcida. Já pensaram um campeão brasileiro marcando 40 gols em 38 partidas?

Melhor a Seleção tentar uma terceira via. E o treinador de cada time brasileiro imaginar táticas e estratégias compatíveis com seus elencos.

Mas sempre buscando o gol. Caso contrário, o som do clic nas salas vai superar o do grito das galeras nas arquibancadas. 

Coluna do Tostão

Compromisso público

Quanto maior a qualidade dos times e dos atletas, maior a tendência de as partidas serem menos vibrantes

Após assistir, nos estádios, aos primeiros jogos na Copa, percebi que, em relação ao que costumo ver pela TV, no Brasil, as partidas estavam muito frias, lentas, táticas e com excesso de toques curtos e para os lados. Deveria ser o contrário, pela importância da competição e presença da torcida.

Fiquei na dúvida se era porque, na TV, os narradores brasileiros gritam demais, narram como se fosse pelo rádio e transformam qualquer pelada em um jogo emocionante, ou se as seleções na Copa procuravam jogar com mais segurança.

Os jogos do Brasileirão, de todas as séries, são mais vibrantes que os da Copa. Há mais disputas pela bola e mais jogadas de área. Infelizmente, quanto maior a qualidade técnica das equipes e dos jogadores, maior a tendência de as partidas serem frias e lentas. Por terem poucas chances, os craques, cada vez mais, decidem cada vez menos os jogos.

Além disso, os grandes jogadores se tornaram tão ricos, famosos e estrelas, jogando bem ou mal, que a Copa passa a ter menos importância. Cristiano Ronaldo, Messi e Kaká continuam com o mesmo prestígio.

Impacientava-me, ao ver no estádio, um jogador, com grandes chances de driblar em direção ao gol ou de dar um passe decisivo, preferir, por segurança ou falta de talento, tocar a bola para o lado. O grande craque é o que joga como se visse a partida da arquibancada.

O jogo excessivamente técnico e tático, mas com pouca alma, é uma grande chatice. “A bola é um reles, um ínfimo, um ridículo detalhe. O que procuramos no futebol é o drama, a tragédia, o horror e a compaixão. A mais sórdida pelada é de uma complexidade shakesperiana” (Nelson Rodrigues).

A filosofia na Copa foi a de Parreira, de que o importante é não levar o primeiro gol. Se é assim, porque não fazer o gol primeiro?

Uma das maneiras de mudar isso seria um time tentar dominar o outro, pressioná-lo, tentando tomar a bola mais à frente.

A  estratégia atual é o contrário. Criou-se o conceito de que a melhor maneira de vencer é recuar e tentar ganhar em pouquíssimos contra-ataques que raramente acontecem. O jogo fica feio. Essa é uma boa tática para time pequeno.

O novo técnico da Seleção Brasileira deveria assumir um compromisso público, com firma reconhecida em cartório, de que a equipe vai tentar vencer e dar bons espetáculos.

Fonte: Superesportes, em 18jul10

Com e elenco que possui, o Cruzeiro deveria terEspanha, Alemanha ou Brasil como referência?

Quem tem boca vai a Joanesburgo

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Copa se joga um pouco com os pés e muito com a boca. Confiram um pouco do que se disse:

  1. Johann Crujiff, ex-jogador da Holanda, vice-campeão de 1974: “Este Brasil é uma vergonha para o torneio e para os torcedores. Eu não pagaria ingresso pra vê-lo. O time tem talentos, mas joga de maneira defensiva e pouco interessante.”
  2. Maradona, auxiliar técnico de Salvador Billardo na Seleção Argentina: “O erro não foi validar o gol do Tévez, mas permirtir a caçada ao Messi, algo como fez o killer Gentile em 1982.”
  3. Cláudio Gentile, ex-jogador da seleção italiama campeã do mundo em 1982: “Maradona é um palhaço; eu nunca foi expulso por jogada violenta.” [N.B.: Maradona foi expulso na Copa de 1982, após aplicar um coice na barriga do volante Batista, na derroda da Argentina para o Brasil por 3×1].
  4. Dunga, treinador do Brasil: “No Brasil, se a Seleção vence, pedem espetáculo, se vence e dá espetáculo, exigem goleada, se vence, dá espetáculo e goleia, dizem que o adversário é fraco.”
  5. Olé, diário esportivo argentino, referindo-se ao gol de Luís Fabiano contra a Costa do Marfim: “La mano del diablo!”
  6. Pelé, sobre o mesmo gol: “O gol do Luís Fabiano foi de Pelé, pelos chapéus, e de Maradona, pelas mãos”
  7. Wall Free Dow Jones, torcedor brasileiro: “O Brasil, hic!, vai, hic!, campeonar, hic, hic, hic, hurra!”
  8. Maradona sobre Pelé: “Aquele moreno que jogava com a dez, devia voltar pro museu”
  9. Pelé sobre Maradona: “Ele me ama…”
  10. Cristiano Ronaldo, após a derrota para a Espanha: “Por que fomos eliminados? Perguntem ao Carlos Queiróz…”
  11. Cristiano Ronaldo, de cabeça fria: “Estou destroçado, completamente desolado, com uma tristeza inimaginável. E quando disse pra perguntarem ao treinador foi porque, naquele momento, ele estava na conferência de imprensa e eu não me sentia em condições de explicar coisa alguma. Sou um ser humano e tenho o direito de sofrer sozinho.”
  12. Bastian Schweinsteiger, volante da Argentina: “Temos que manter a calma e não cair nas provocações dos argentinos. Todo mundo viu a conduta deles no intervalo da partida contra o México. Reparem na forma e nos gestos com que tentaram influenciar o Juiz. Foi uma vergonha. Mas esta é a mentalidade deles e temos que estar preparados pra isto.”
  13. Vicente Del Bosque, treinador da Espanha: “Nosso estilo é o de nos manternmos fiéis a nosso estilo”
  14. Renato Maurício Prado, comentarista do SporTV: “A Espanha já é semifinalista da Copa.”
  15. Larissa Riquelme, modelo e torcedora paraguaia: “Desque pequena, sempre gostei de de futebol, já fui até atacante, e sou fanática pelo Cerro Porteño…”

Espanha 1×0 Portugal: Lusos naufragam no Cabo das Tormentas

terça-feira, 29 de junho de 2010

Às 15h30 (Brasília), no Estádio Green Point, na Cidade do Cabo, Portugal e Espanha decidema última vaga para as quartas de final da Copa de 2010 com arbitragem do trio argentino formado por Héctor Baldassi, Ricardo Casas e Hernan Maidana.

Vicente del Bosque mandará seguinte Espanha a campo: Casillas; Sergio Ramos, Piqué, Puyol e Capdevila; Busquets, Xabi Alonso (Fábregas), Iniesta e Xavi; David Villa e Fernando Torres.

Caelos Queiroz escalará o selcioando português com Eduardo; Miguel, Ricardo Carvalho, Bruno Alves e Coentrão; Pedro Mendes, Raul Meireles, Tiago (Deco) e Simão Sabrosa; Cristiano Ronaldo e Hugo Almeida.

Cristiano Ronaldo, pelo lado luso, e o meio de campo, pelo lado espanhol serão as chaves do jogo. (mais…)

Intrigas da Copa

sábado, 26 de junho de 2010

Intrigas da Copa disputada na Sudáfrica:

  1. Evandrão está furioso com a qualidade técnica desta Copa. A de 1930, que ele acompanhou in loco, continua sendo sua predileta.
  2. A Coréia Comunista só marcou um gol na Copa. E foi contra o Brasil. Parece coisa do Itamarati. Se Venezuela, Bolívia e Irã estivessem no Grupo G, o Brasil teria saído precocemente do torneio.
  3. Depois do jogo, Cristiano Ronaldo justificou o empate dizendo que o Brasil não é nenhuma Estrela de Amadora. Concordo. E também limpo a barra do  escrete canarinho, afinal, Portugal não é nenhum Atlético de Vespasiano.
  4. Kaká não está 100% na Copa, porque deixou 10% na igreja.
  5. “Vesti azul, minha sorte então mudou…”, diz uma canção dos tempos da Jovem Guarda, que virou melô da Espanha. A Fúria, chamada por sua imprensa de La Roja, ontem se classificou jogando de azul.
  6. Maradona aderiu à vuvuzela. Só que, todo atrapalhado, usa o instrumento pra aspirar ao invés de soprar.
  7. Mariana e a Simone, comentaristas do PHD, elegeram o eslovaco Hamsyk o cara mais bonito da Copa. O cidadão é uma espécie de Cicinho piorado. Com cabelo de quem acabou de sair de um filme de terror.
  8. Contra Portugal, Lúcio “foi um monstro!”, avaliaram os comentaristas. Certíssimo. Ele tem phisique de rôle pra Família Adams.
  9. Até o final da Copa, Maradona ou Dunga tomarão o posto de Rei do Pulinho, que Luxemburgo conquistou na pista do Mineirão.
  10. Muitos cruzeirenses estão fazendo campanha pra Dunga trabalhar na Toca dqa Raposa. Sonham com o Anão distribuindo caneladas na rádia e em seu setorista mala numa coletiva na Arena do Jacaré.

Brasil 0x0 Portugal: Um tempo esportivo, outro administrativo

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Às 11h, no Estádio Moses Mabhida, em Durban, Brasil e Portugal disputam a liderança do Grupo G da Copa 2010.

Dunga, que escalará o time no 4-3-1-2, não contará com Elano, contundido, e Kaká, suspenso. Daniel Alves e Júlio Baptista substituirão os titulares.

Carlos Queiroz, que manterá o 4-3-3, só não poderá contar com o meia-atacante Deco, contundido.

Se vencer, o Brasil escapará de seleções como Argentina, Alemanha, México e Inglaterra nas quartas e nas semifianias. Mas poderá jogar contra a Espanha nas oitavas.

A Copa é assim. Pra ter vida mansa só fazendo como França e Itália que mandaram parar o torneio, desceram e voltaram pra casa mais cedo.

No apito estará o mexicano Benito Archundia, velho conhecido de quem frequenta a Copa Libertadores. (mais…)

Costa do Marfim 0x0 Portugal: Brasil comemora

terça-feira, 15 de junho de 2010

No Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, Costa do Marfim e Portugal abrem o Grupo G com um jogo decisivo. Quem vencer, terá metade do caminho rumo às oitavas de final percorrido.

Carlos Queiroz, treiandor de Portugal, usa o moderno 4-2-3-1 com Cristiano Ronaldo (Real), Deco (Chelsea) e Simão Sabrosa (Atlético Madrid) formando a linha de meias atacantes e o brazuca Liedson (Sporting) como referência metido entre os beques marfineses.

O sueco Erikson arma os elefantes num 4-4-2 clássico com Didier Drogba -ainda não confirmado, após a lesão no braço- e Salomon Kalou, ambos do Chelsea,  no ataque. Na 2ª linha de 4, terá em Yaya Touré (Barça) o volante que sairá pra armar o jogo.

Nosso velho conhecido (e amaldiçoado), o uruguaio Jorge Larrionda apitará a partida. Aqui, tem emoção garantida! Pelos craques e pelo Juiz. A conferir.

*****

Eis como o Estadão viu o jogo:

Sem ‘ketchup’, Portugal só empata com Costa do Marfim por 0 a 0

Em jogo pelo grupo do Brasil, portugueses sofrem com a marcação africana e Cristiano Ronaldo completa mais um jogo sem gol

Faltou “ketchup” para Portugal na estreia na Copa do Mundo. Apontada como uma das forças do Mundial, a equipe de Cristiano Ronaldo sofreu nesta segunda-feira e apenas empatou por 0 a 0 com a Costa do Marfim na abertura do Grupo G, a chave da seleção brasileira. O jogo foi disputado no estádio Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth.

Cristiano Ronaldo até começou bem, mas foi sufocado pela marcação e teve uma atuação apenas regular. O jogador, que havia dito que seus gols sairiam como “ketchup”, completou o 17.º jogo sem marcar pela seleção portuguesa – o último gol do craque do Real Madrid foi em fevereiro do ano passado.

Portugal e Costa do Marfim são os principais rivais do Brasil nesta primeira fase. A seleção marfinense será a segunda adversária dos brasileiros no Mundial. O duelo acontecerá no dia 20, às 15h30, em Johannesburgo. Portugal enfrentará a seleção brasileira apenas na última rodada da chave, no dia 25.

Pelo lado marfinense, o atacante Didier Drogba começou no banco de reservas. O jogador foi liberado pelos médicos e colocou uma proteção especial no braço. Porém, o técnico Sven Goran Eriksson preferiu escalar o ataque com Kalou e Dindane para tentar explorar os buracos nas laterais portuguesas no primeiro tempo.

O jogo começou nervoso e em bom ritmo. Cristiano Ronaldo conseguiu encontrar alguns buracos na entrada da área e deixou os marcadores marfinenses confusos. Aos 7 minutos, o português levou uma entrada violenta de Zokora, que acabou punido com cartão amarelo. Cristiano Ronaldo foi a figura mais caçada em campo.

Danny brilhou nos amistosos de Portugal antes da estreia na Copa, mas sumiu na marcação africana e não foi capaz de dividir a criação das jogadas com os companheiros. Portugal chegou apenas um vez com perigo no primeiro tempo. Aos 10 minutos, Cristiano Ronaldo abriu espaço e soltou a bomba de fora da área. A bola explodiu na trave do goleiro Barry. 

Sven Goran Eriksson percebeu o buraco existente na defesa e reforçou a marcação na entrada da área. A ordem foi clara: Cristiano Ronaldo deveria ser marcado de qualquer maneira. Aos 20 minutos, o português foi derrubado na entrada da área. A falta não foi marcada. Irritado, ele peitou Demel, e recebeu amarelo junto com o marfinense.

A Costa do Marfim aos poucos conseguiu diminuir a diferença na posse de bola. Portugal passou a encontrar problemas no campo, e o brasileiro naturalizado português Liedson pouco fez. Contudo, os marfinenses sentiram a falta de Drogba. Sem uma referência no ataque, os cruzamentos saíram tortos, e a troca de passes morreram por muitas vezes na entrada da área.

Na etapa final, a Costa do Marfim entrou com grande velocidade. Gervinho teve uma boa atuação e encontrou buracos na marcação portuguesa. Aos 7 minutos, o meia recebeu bom passe, mas acabou desarmado no momento certo por Ricardo Carvalho – Portugal voltou a apresentar buraco na cobertura das laterais, o principal ponto explorado pelos marfinenses.

Drogba entrou aos 20 minutos do segundo tempo na vaga de Kalou. O estádio foi ao delírio com a presença do astro. Porém, o atacante ainda sentiu a fratura no braço e não conseguiu se movimentar como antes – perdeu um gol incrível aos 46 minutos da etapa final, ao sair livre dentro da área. O placar no Mandela Bay não saiu do zero.

Um título internacional para os imaturos

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Campeonar é o que importa. Mas só campeona quem disputa títulos. E, pra disputá-los, é preciso ter organização.

Este título da Copa Dallas, disputada no Texas, Estados Unidos, aqui relatado pelo Site Ofical do Cruzeiro, é um prêmio à garotada, que já havia realizado excelentes exibições na Copinha, em janeiro.

Agora, é torcer para que alguns destes atletas sejam aproveitados no elenco principal. Olho neles, Adílson!

(mais…)