Posts com a Tag ‘cedência’

Atuação auspiciosa

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Marcel Fleming

Se tivesse que usar um único adjetivo para descrever a atuação de ontem do Cruzeiro, eu usaria: auspiciosa.

Passada a “termocefalia” decorrente do grito para calar a boca de um vizinho são-paulino, corneteiro chato, mas muito chato mesmo, tive a oportunidade de assistir ao VT do jogo com outros olhos.

Eu havia acompanhado a partida e os comentários do Cruzeiro.Org, combinando com a narração do UOL e as de outros links da internet, sempre muito ruins, que acabaram com minha paciência.

Assistir ao VT, como fiz, sem som (pois era tarde da noite), é muito interessante. A gente vê com outros olhos.

(mais…)

Comentários Retidos: Mensagem Explicativa

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Algumas explicações sobre mensagens retidas. Temos três tipos de bloqueio aos comentários:

  1. Por regras estabelecidas pelo(s) administrador(es)  (e.g – primeiro comentário, comentário com mais de um link etc)
  2. Bloqueados por suspeita de SPAM conforme regras da ferramenta WordPress (e.g – palavras proibidas etc)
  3. Enviados diretamente pra lixeira por regras definidas previamente (e.g. – palavras de SPAM etc)

Um quarto motivo para retenção de comentários é pelo tamanho. O tamanho máximo para comentários é de 800 (oitocentos) caracteres. Se este limite é atingido não adianta deletar alguns para ser publicado pois o comentário será retido. Se for criada uma nova linha de comentário que ultrapasse os 800 caracteres também haverá retenção.

Nossos índices de Falsos Positivos têm sido baixíssimos, quase insignificantes, o que comprova, para quem sabe do que estamos falando, que nossos critérios são altamente relevantes e corretos.

Fazemos moderação prévia de IPs somente em originadores de mensagens consideradas impróprios com base no que foi postado anteriormente.

Comentários iniciais de “novos” usuários são previamente retidos para verificarmos a procedência.

Não deveríamos ficar explicando isso pois NENHUM comentarista faz este tipo de questionamento em NENHUM Blog profissional.

Mas fazem no nosso por estarem mal acostumados com respostas no tempo de cada um.

Em consideração aos comentaristas que utilizam o serviço corretamente é que publicamos estas explicações.

Bloqueamos “novos” inscritos para que os leitores não tenham que ler alguns comentários ofensivos e invasivos de adversários e até mesmo de pseudo-cruzeirenses e outros que têm como objetivo avacalhar o espaço para provocar descrédito.

Sempre bloquearemos e lutaremos contra este tipo de usuário de Internet. Por isso, nosso Blog e muitos outros serviços Cruzeiro.Org são reconhecidos pela qualidade, pelos cruzeirenses e até pela própria mídia e outros sites “concorrentes”, por isto manteremos nossa política.

Nossos recursos (humanos e financeiros) não nos permitem atender a todos instantâneamente. Criticar é fácil, ajudar fazendo alguma coisa é quase impossível.

O Blogueiro ou qualquer outro editor de posts, NÃO tem nenhuma responsabilidade por bloquear, liberar ou moderar quem quer que seja. E

sta atividade cabe, exclusivamente, ao(s) administrador(es) do Blog e do Site.

Se o blogueiro libera comentários, o faz devido a sua dedicação e atenção para os que escrevem.

As reclamações devem ser dirigidas a webmaster@cruzeiro.org e não ao blogueiro ou feita no próprio PHD.

Aceitamos ajuda. Não precisa ser especialista em Internet ou tecnologia para ser colaborador. Só exigimos e pedimos o entedimento do que é cooperação para construir.

Tudo explicado, alertamos que, a aprtir de agora, deletaremos TODOS os comentários, mesmo depois de publicados, que tratem sobre estas dúvidas e pedidos para liberação mesmo com os prejuízos para a ordenação dos comentários caso os mesmos sejam colocados em locais impróprios.

Se alguém se interessar por discutir as mudanças de regras de moderação do Blog, Site, Lista, MSN, Orkut, Twitter e outros serviços associados ao Cruzeiro.Org devem se dirigir ao Portal do Cruzeirense ( www.portaldocruzeirense.com.br ) e tratar do tema, exclusivamente lá, no sub-fórum / tópico destinado exclusivamente a este fim.

Administração Cruzeiro.Org

Lo que pasó en la Argentina

sábado, 29 de maio de 2010

Encerrada a temporada argentina -torneios Apertura 2009 e Clausura 2010-, apurou-se o ascesso e descenso direto e os jogos de promoção.

Caíram, sem escalas, o Chacarita Juniors, dono da torcida mais belicosa do país, e o Atlético Tucuman (nome é destino).  Eles deram lugar ao Quilmes e ao Olimpo (de Bahia Blanca, terra do Jorge Schulman).

Os confrontos da promoção colocaram frente a frente Rosario Central (que meteu 4xo na Cocota, numa final de Conmebol) contra All Boys e Gimnasia y Esgrima (rival citadino do Estudiantes) contra Atlético Rafaela.

Em Rafaela, o Atlético (nome é destino, como se verá adiante) fez 1xo sobre o Lobo. Em La Plata, levou o troco: 3×1. Marco Perez, goleador colombiano, avaliado em US$5 mi, fez os dois gols da classificação.

Pelo segundo ano, o Gimnasia escapa da queda, jogando em casa. Ano passado, teve de remontar um 0x3 pra se manter na elite. Um dia a casa cai.

Desta vez, o presidente Walter Gisande foi insultado com gritos de “hijo de puta” vindos da tribuna. Pior: vários referentes da equipe não aguentam mais disputar promoções e querem sair.

O treinador Diego Cocca só fica se o clube contratar reforços. Mas com uma dívida fora de controle, é pouco provável que tal aconteça.

Mais do que certa é a saída do artilheiro colombiano Marco Perez e do volante Rinaudo, destaque do time.

Dramático foi o duelo entre o All Boys e o Central. Na primeira partida, empataram, em Floresta, Buenos Aires, por 1×1. Na segunda, Los Blancos venceram por 3×0, no Gigante de Arroyito, em Rosário.

Desatou-se, então, uma crise sem precedentes na história auriazul. Um torcedor suicidou, outros fizeram passeata e sairam no braço com a polícia.

O presidente Horácio Usandizaga, caudilho político, que remodelou o estádio e prometeu o título nacional, renunciou e sumiu do mapa, ameaçado de morte pelos termocéfalos.

Futebol virou coisa de dementes. Pra muitos torcedores ele já não mais um esporte. São tapados que nunca estão preparados pra rebaixamentos e perdas de títulos que têm como conquistados com antecedência.

De tudo o que li, o mais interessante foi esta reflexão de um torcedor do Boca Juniors na área de comentários do La Nacion: 

  • Todo esto me puso a pensar en por qué nos resulta tan dramático irse a la B, y creo que es en primer lugar porque el el futbol nos enferma, no lo podemos ver como solo un deporte y reflejamos en él todas las frustraciones que tenemos viviendo en este país, y en segundo lugar por la mala organización de nuestro futbol, ya que un equipo que se va a la B tiene más solo una categoría por perder, pierde millones por la tv, miles de socios, baja la calidad en sus instalaciones por falta de mantenimiento, la calidad de sus jugadores por no poder pagar sus contratos, en fin terminan haciendo de un club grande (por su gente e historia e infrastructura) un club más como le pasó a los equipos de Córdoba (pienso en Talleres de Córdoba que ni en el Nacional está). A mi me gusta que suban nuevos equipos a primera porque intento pensar en el futbol como algo más democrático, pero deberíamos luchar para que la riqueza que se genera en el futbol de primera también le llegue a los equipos del Ascenso.

Ele está certo. Pra começar a desatar o nó da estupidez, é preciso reduzir a tremenda desigualdade que está transformando clubes grandes em pequenos.

Se algum dia isto for possível, uma passagem pela B será menos dramática. O futebol brasileiro, infelizmente, está na contramão desta proposta.

E a estupidez permanece latente. A começar por aqui mesmo, nestas Páginas Heróicas Digitais, em que a desclassificação nas quartas de final de Uma Libertadores se transformou num dramalhão digno de novela mexicana.

Troperistas, ciclotímicos e termocéfalos consideram a Série B como território privativo de outros clubes. O que é sintoma de oligofrenia. E prenúncio de desatino.

Menos, galera. Futebol, por mais que tenha se transformado em negócio, continua sendo, na essência, um esporte. E, como tal, sujeito a surpresas, a vitórias impossíveis e derrotas inesperadas.

Chumbo teria causado o falhanço na cedência

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

“Ih, danou-se!”, diria o Nezinho do Jegue referindo-se a uma situação complicada.

Vejam só o que publicou o jornal Record, de Portugal:

Kléber falha acordo salarial

AVANÇADO BRASILEIRO NÃO FICA NO DRAGÃO
Segunda-Feira, 1 Fevereiro de 2010 – 0:39

A transferência do brasileiro Kléber para o FC Porto ficou sem efeito depois do avançado não ter chegado a acordo com os dragões quanto a questões salariais, segundo avançou a Agência Lusa, citando fonte do clube campeão nacional.

(mais…)

Altos e baixos da base celeste

domingo, 13 de dezembro de 2009

Os times da base celeste estão em ação, Brasil afora. Pela SC Cup, disputada em Santa Catarina, o Sub16 venceu Coritiba, Palmeiras, Figueirense e Juventude, todos por 1×0, o Guarani-RS, por 2×0, o Avaí por 6×5, nos pênaltis, após empate de 1×1, mas foi desclassificado eplo Corintiãs, na semifinal, por 7×6 nos pênaltis, após 2×2 no tempo normal.

Na Youth Cup, disputada em Belo Horizonte, o Sub15 venceu venceu o Ipatinga por 3×0 e o Flamengo, do Rio de Janeiro, por 5×1.

No Brasileiro Sub20, disputado no Rio Grande do Sul, o time não foi bem. Está desclassificado antes mesmo de enfrentar o Fluminense, em Erechim, hoje às 17h. Até aqui, ele empatou, por 1×1, com Sport e Barueri e perdeu para o Corintiãs por 4×2. Resultado pífio pra um clube que, há dois anos, vencia todo mundo na categoria.

(mais…)

Seminovo, a marmelada

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Antigamente, havia dois tipos de carro no mercado: novo e usado.

Hoje em dia, usado só existe na feira do Mineirão. E somente carroça com mais de 20 anos de idade.

Nas lojas, só existe o seminovo. O comprador desconfia que mexeram no hodômetro, deram uma gariba geral, mas o vendedor tece tantas loas ao produto que o incauto cai na bicaria.

É a força do eufemismo suavizando o efeito do tempo, maquiando a lata velha.

No futebol, outrora um esporte, hoje em dia, apenas um produto, também ocorre algo parecido.

(mais…)