Posts com a Tag ‘Atlético-PR’

O racha segundo Sancho

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Paulo Sanchotene, gremista, por e-mail:

Pode haver um racha nos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro.

A venda pode terminar não sendo em um único bloco, separando as equipes em diferentes emissoras.

(mais…)

Libertadores é pra time grande

sábado, 5 de fevereiro de 2011

O goleiro Raul Plassmann é recordista do Cruzeiro em jogos da Libertadores, com 40 partidas em 1967/75/76/77.

Neste ano, ele poderá ser superado pelo goleiro Fábio e pelo volante Marquinhos Paraná, que atuaram 36 vezes cada um nas edições de 2008/09/10.

Todos têm mais partidas no torneio continental do que Atlético-MG (33), Atlético (28), Fluminense (26) e Botafogo (24).

Fonte: Superesportes

Ramires e Elizeu

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Ramires perdeu  uma bola no meio de campo e o lance resultou no gol de Tevez. Carlos Acelotti, treinador do Chelsea, viu um pouco além do lance isolado:

  • Eu vi as estatísticas após a partida e Ramires foi o nosso melhor jogador no quesito desarme. Ele está pronto. Fisicamente não é forte, mas tem muita força interior.

(mais…)

Marcelo Bechler: “Adílson não contava com o organizador Montillo”

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Pitacos de protagonistas e blogueiros acerca do Cruzeiro 1×0 Corintiãs, no Parque do Sabiá, Uberlândia, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro 2010, em 25ago10:

  1. Marcelo Bechler, no blog do Lédio Carmona: Adilson não conhecia Montillo: Antes do jogo, o que mais se falava era do confronto particular entre Adilson Batista e seus ex-comandados. O time de Cuca, no entanto, tinha quatro jogadores pós-Adilson: Edcarlos, Éverton, Montillo e Robert. O treinador do Corinthians conhecia quase todas as armas do rival. Quase. Não contava com o camisa 10 argentino, organizador do time mineiro, destaque dos três jogos que participou. Montillo fez aos dois minutos o único gol do jogo, em chute com efeito e praticamente sem ângulo. A partir daí, o que se viu em campo foi o Corinthians com a bola e o Cruzeiro não deixando o adversário jogar. Durante toda a partida, a equipe paulista teve mais posse de bola. Aliás, muito mais. A porcentagem nunca baixou da casa dos 60% e terminou o jogo em 63%. O recuo do Cruzeiro era estratégico para tirar a velocidade do jogo e o antídoto era o contragolpe com Montillo tentando acionar os atacantes. Apesar de ter a bola, o Corinthians praticamente não levou perigo ao gol de Fábio. Teve a chance do empate no pênalti defendido pelo goleiro e uma cabeçada de Paulo André na trave. Foram seis finalizações para cada lado – cinco do Cruzeiro no alvo contra três do adversário. O Corinthians estéril como foi causa preocupação no seu torcedor. Desde o clássico contra o Palmeiras, quando Jorge Henrique marcou, um atacante não faz gol. Ronaldo pode voltar contra o Vitória e passa a ser esperança de um ataque mais efetivo. Do outro lado, Cuca chegou a sua quarta vitória a frente do Cruzeiro: Atlético-PR, Goiás, Atlético-MG e Corinthians. Em todas, sua equipe teve pouca posse de bola e venceu o jogo nas raras chances que criou. Para brigar na parte de cima, o Cruzeiro vai precisar aprender a jogar também com a bola, o que não aconteceu depois da Copa do Mundo. (mais…)

8ª do Brasileiro: Pipa do Vozão continua empinada

sábado, 17 de julho de 2010

8ª rodada do Morrinhão 2010. Público à brasileira. Avaí foi a sensação vencendo o ricaço St. Pauli em Sampa. Destaque individual foi o goleiro da Cocota autor de um autodrible que terminou em gol do Atlético Goianiense.

  1. Maraca: Fla 1×0 Bota. Público: 19.313. Paulo Sérgio, 33 do 2º. Cheio de gás, Pet jogou o tempo todo e fez a diferença.
  2. Baixada: Atlético 0x2 Cruzeiro. Público: 13.952. Wellington Paulista, 45 do 1º; Robert, 41 do 2º. Na estréia de Cuca, Cruzeiro jogou que nem sanfona, abrindo e fechando.
  3. Castelão: Ceará 0x0 Corintiãs. Público: 44.500. Vozão continua mantendo a pipa empinada.
  4. Morumbi: São Paulo 1×2 Avaí. Público: 7.717. Roberto, 15, Vandinho, 30, Hernanes, 32 do 2º. Hernanes, o volante que os mesa-redondistas queriam na Copa, não salvou St. Pauli no Morrinhão.
  5. Jacaré: Atlético-MG 3×2 Atlético-GO. Público: 3.179. Tardelli, 18, Marcão, 31, Tardelli, pênalti, 35, Ricardo Bueno, 43 min do 1º; Rodrigo Tiuí, 15 do 2º. Torcida do Democrata deu uma forcinha pro Luxa vencer um j0go após 3 meses.
  6. Pacaembu: Palmeiras 2×1 Santos. Público: 9.400. Ewerthon, 12 do 1º; Tinga, 21, Marcel, 37 do 2º. Ganso, meio-bico, Neymar, apagado, deram boas vindas a Felipão. DJ zangou-se.
  7. Maraca: Flu 1×1 Prudente. Público: 28.335. Fred, 16 do 1º; Wesley, 38 do 2º. Aplausos no começo, vaias no fim. Punido pela bola, Tricolor perdeu a chance de liderar.
  8. Serra: Goiás 0x0 Vasco. Público: 11.000. Bernardo correu muito, mas ainda continua devendo.
  9. Olímpico: Grêmio 1×1 Vitória. Público: 7.455. Wallace, 33 do 1º; Egídio (Vit), contra, 30 do 2º. Paulo Silas subiu no telhado.
  10. Brinco: Guarani 0x3 Inter. Público: 2.193. Sandro, 13, Alecsandro, 26, Taison, 46 do 2º. Colorado sonha, Bugre tem pesadelo.

Gols: 21. Público: 168.634.  Média: 16.863. G4: Corintiãs e Ceará, 18, Flu, 16, Santos 12. Z4: Prudente, 9, Atlético-PR, 7, Vasco, 6, Atlético-GO, 4. Artilheiros: 6 – Roger. 5 – André. 4 – WP, Hugo, Fred, Roberto, Tardelli, Muriqui, Ricardinho, Herrera, Love, Schwenck. 3 – ACarlos, Jonas, Neymar, Ricardinho, Emerson, Walter, Andrezinho, Baier, Allan, Dagoberto, Bruno César, Washington.

Pacote ou embrulho?

terça-feira, 6 de julho de 2010

Vamos botar ordem na bagunça em que se transformou o pacote de reforços do Cruzeiro:

  1. Juan Román Riquelme não jogará pelo Cruzeiro. Foi apenas uma anestesia. Com o pacote de contratações concluído hoje, o meia xeneize já não tem mais nenhum papel a cumprir.
  2. Ernesto Farias, El Tecla, centroavante argentino do Porto está cada vez mais distante da Toca da Raposa. Cobra alto e ZZP acha que já tem atacante demais no elenco.

Certos estão:

  1. Walter  Damián Montillo, meia argentino de 26 anos da Universidad de Chile já assinou contrato e estará à disposição de Cuca  após o encerramento da Libertadores para a La U. Ele custou 3,5 milhões de euros e assinou por cinco anos. Falta só arrnjar um parceiro pra rachar a conta.
  2. Wallyson Ricardo Maciel Monteiro, 21 anos, nasceu em Natal, Rio Grande do Norte. O atacante velocista jogou pelo São Gonçalo do Rio de Janeiro em 2003 e 2004, ABC, em 2007 e Atlético-PR em 2008.
  3. Rafael Marques Pinto, beque carioca de 26 anos atuou pelo Brasiliense, em 2003, Botafogo, entre 2004 e 2007, Goiás em 2008 e Grêmio, onde jamis foi titular, em 2009.
  4. Francisco Everton de Almeida Andrade, 26 anos, nascido em Maranguape, no Ceará, é meia e jogou no Ferroviário, Grêmio Barueri, em 2008 e 2009, e no Fluminense, em 2010, sob o comando de Cuca.

Quase certo está:

  1. Rômulo Souza Orestes Caldeira, 23 anos, 1,78m, 72 KG, lateral direito, nascido em Pelotas, jogou pelo  Caxias e Juventude, em 2007, Metropolitano, em 2008, Chapecoense, em 2009, Santo André, 2009 e 2010.

Trocamos seis por meia dúzia? Alguém vai ao aeroporto? Seguinte: vamos torcer e enxotar as hienas. Mais do que isto, é impossível.

5ª da A: Torneio doméstico é com o Timão!

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Jogos da 5ª rodada da Série A do Morrinhão, disputados em 29 e 30mai10: (mais…)

1ª da A: Empate na final do Rio-SP

sábado, 8 de maio de 2010

Começou a Série A do Morrinhão.

  1. No Serra Dourada, Atlético Dragão 0x0 Grêmio. Público: 5.647. O tricolor escalou um catadão, teve jogador expulso, mas não tomou goleada por conta disto. Há catadões e catadões.
  2. (mais…)

Quem vai descer do ônibus?

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Paulo Sanchotene observa o cenário e conclui:

  • “Entre Copa do Brasil e Libertadores, há 13 clubes brasileiros vivos. Dos grandes, só o Botafogo está fora da disputa. Vitória e Dragão, dois clubes da Série A, completam a lista.”

Pelo visto, para o Sancho, Coritiba, Atlético, Goiás, Sport, Náutico, Santa Cruz, Bahia, Vitória, Ceará, Fortaleza e outros ex-grandes viraram pequenos.

(mais…)