Posts com a Tag ‘atletas’

O Alixandre: “Quem botou vai ter de tirar!”

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Tudo começou com o Expresso da Paixão, nome dado pelo marqueteiro-mor do Atlético-MG  ao busum que transporta atletas do Clube de Lourdes.

Depois, veio camisa rosa, que só atleticanos usam em todo o terriório nacional.

Os jogadores entraram no clima e resolveram ficar 15 dias juntos. O presidente elogiou a decisão e até liberou o cacete na madrugada.

Houve quem protestasse na torcida: “Tá parecendo BBB esse monte de homem dormindo junto!”

(mais…)

Aplicações de longo prazo

sábado, 18 de setembro de 2010

Dr. Amácio Gattuno fez um comentário pertinente nestas Páginas Heróicas Digitais, que vale a pena ser discutido.

Em 2008, Henrique e Thiago Ribeiro eram justificadamente criticados. Dois anos depois, estão sendo aplaudidos. Fato incomum, pois vários jogadores de potencial são descartados injustamente quando a troca de comando técnico é feita com frequência.

A permanência do extreinador durante tanto tempo certamente permitiu o amadurecimento dos atletas.  Começamos, após tanto tempo, a identificar as reais vantagens em apostar num trabalho a longo prazo.

Em tempo: o Síndico concorda com o comentarista.

O mercador e o treinador

sábado, 18 de setembro de 2010

Vagner Ribeiro, agente do milionário Neymar, saiu em defesa de seu contratado, após o faniquito do jogador na última rodada do Morrinhão. Aliás, nas últimas rodadas…

Sem meias palavras, o empresário chamou o treinador Renê Simões, que botou o dedo na ferida da indisciplina, de medíocre.

(mais…)

Chaves: “Roger disse que a bola não queima nos pés dos caras”

sábado, 18 de setembro de 2010

Pitacos de protagonistas e blogueiros, recolhidos pelo Romarol,  acerca do Cruzeiro 4×2 Guarani, na Arena do Jacaré, Sete Lagoas, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2010, em 15set10:

(mais…)

Choro desentrosado

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

No “Bem, Amigos”, Roger Galera reclamou da falta de estádio, que provoca constantes viagens e não permite a saudável convivência dos atletas celestes com seus familiares.

No Superesportes, Fabrício reclamou do gramado da Arena do Jacaré que, segundo ele, não mudou nada, desde que o time jogou lá pela última vez.

(mais…)

Gritar ou sussurrar?

sábado, 11 de setembro de 2010

Trovão Azul discute, no PHD, o grito do treinador. Como se vê, ele prefere o silêncio:

  • Estamos mais inteligentes com a bola no pé, se comparado à fase Adílson Baptista com aquela gritaria desesperada na beira da cancha. A tranquilidade do Cuca é passada aos jogadores, que absorvem este equilíbrio e joga com inteligência.

(mais…)

Marra: “Cruzeiro tem mostrado evolução tática”

sábado, 11 de setembro de 2010

Pitacos de protagonistas e blogueiros acerca do Cruzeiro 1×0 Internacional, no Parque do Sabiá, Uberlândia, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2010, em 08set10.

Pesquisa: Romarol.

  1. Juca Kfouri, em seu blog: O Cruzeiro jogou um futebol que foi superior ao do poderoso Inter. Ganhou de 1 a 0, gol conquistado aos 14 minutos, com Everton, um golaço de sem pulo ao receber um cruzamento de trivela. O time azul foi bem melhor no primeiro tempo e mesmo com menos posse de bola, administrou bem a vantagem no segundo. O Colorado não viveu uma noite feliz e perdeu seis pontos para o rival. O Cruzeiro se firma como candidatíssimo.
  2. (mais…)

Adversário, não inimigo

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Ufa! O talentoso Jonathan parou de reclamar da falta que o Mineirão faz pra dizer algo sensato.

  • Espero que seja uma recepção boa. Adílson fez excelente trabalho no Cruzeiro. Aconteceram algumas coisas que desgastaram bastante o relacionamento dele com o torcedor e com a imprensa. Mas espero que seja bacana, porque, com ele aqui, o Cruzeiro disputou três Libertadores, chegou a uma final. Ele fez bom trabalho. A torcida do Cruzeiro deve respeito ao Adilson. Quem sabe um dia ele possa voltar a ser treinador do Cruzeiro? Vou cumprimentá-lo, pedir para ele mandar um abraço para Ivair, Oscar, Zé Mário. Gosto muito deles. Mas quando começar o jogo, ele é adversário. A gente precisa emplacar, chegar ao G4, que estamos perdendo oportunidades. Vou desejar boa sorte a ele na vida, mas sempre procurando vencer.

(mais…)

Estático ou dinâmico?

domingo, 15 de agosto de 2010

Comentário do João Chiabi Duarte, que vale a pena ser discutido:

Futebol não é uma coisa estática. Se assim fosse, estariam mortas todas as variações táticas.

Como o barato deste esporte reside nas variações, no seu dinamismo, no movimento constante dos atletas, a modernidade e o preparo físico muitas vezes melhorado fizeram com que o futebol passasse a se aproximar do basquete no que se refere a ocupação de espaços.

  • Qual o motivo de se implicar com volantes?
  • Ramires é volante ou meia?
  • Hernanes é volante ou meia?
  • Charles é volante ou meia?
  • Elias é volante ou meia ?

O que importa é a função que o jogador desempenha em campo e a sua capacidade de fazê-la.

Aí entram os comentaristas do quadradinho que rotulam os jogadores e esquema. Bobagem…

O 7º beque de um elenco respeitável

sábado, 14 de agosto de 2010

Leonardo Renan Simões de Lacerda, Leo, beque e torcedor celeste nascido em Belo Horizonte há 22 anos, mas revelado pelo Grêmio, é o novo reforço do Cruzeiro.

Ele estava encostado no Palmeiras, que recebeu, por seus direitos econômicos e federativos, R$1 milhão mais Leandro Amaro, beque revelado pelo Cruzeiro.

Ao lado de Gil, Leonardo Silva, Edcarlos, Cláudio Caçapa, Wellington e Luizão, Leo formará um time de beques como há tempos não se via na Toca da Raposa.

Com as chegadas de Montillo, Rômulo, Farias, Wallyson, Robert, Francisco Everton, Wellington e Leo, o elenco celeste oferece boas opções ao treinador Cuca.

Pelo menos enquanto os melhores atletas não escaparem pela janela de transferências.

Apesar do esforço da direção, o elenco do Cruzeiro continua inferior ao dos clubes mais ricos: Fluminense, Santos, Corintiãs, Palmeiras, São Paulo, Inter e Cocota.

Mas já está no 2º escalão, ao lado de Grêmio, Flamengo e Vasco.

Mais do que isto, só quando a torcida disser presente e se associar incondicionalmente.