Posts com a Tag ‘África’

Brasil 0x0 Portugal: Um tempo esportivo, outro administrativo

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Às 11h, no Estádio Moses Mabhida, em Durban, Brasil e Portugal disputam a liderança do Grupo G da Copa 2010.

Dunga, que escalará o time no 4-3-1-2, não contará com Elano, contundido, e Kaká, suspenso. Daniel Alves e Júlio Baptista substituirão os titulares.

Carlos Queiroz, que manterá o 4-3-3, só não poderá contar com o meia-atacante Deco, contundido.

Se vencer, o Brasil escapará de seleções como Argentina, Alemanha, México e Inglaterra nas quartas e nas semifianias. Mas poderá jogar contra a Espanha nas oitavas.

A Copa é assim. Pra ter vida mansa só fazendo como França e Itália que mandaram parar o torneio, desceram e voltaram pra casa mais cedo.

No apito estará o mexicano Benito Archundia, velho conhecido de quem frequenta a Copa Libertadores. (mais…)

Dunga pediu desculpas ao distinto público

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Dunga agiu bem ao pedir desculpas à torcida pelo destempero verbal contra Alex Escobar ao final do Brasil 3×1 Costa do Marfim.

Se ele não gosta do repórter ou da rede de televisão, deveria ter resolvido pessoalmente suas desavenças sem recorrer a palavrões em meio a uma entrevista.

A Globo, goste-se ou não e de seus profissionais, está certa ao tentar entrevistas exclusivas.

O que se espera do jornalista é que corra atrás da notícia, não que aceite os comunicados oficiais das autoridades como fonte.

Ontem, o Olé publicou foto de um aparente desentendimento entre Luisão e Júlio César. Se o ambiente na Seleção fosse de liberdade, os atletas seriam abordados por repórteres, em algum horário livre, pra se explicarem.

Mas como vivem em regime de reclusão absoluta, quem fala por eles é o assessor de imprensa da CBF e o treinador. E o torcedor fica desinformado.

Muitos brasileiros, adeptos de regimes autoritários, de empastelamento de jornais e de cassação de concessões de rádios e televisões, aprovam o jornalismo oficial e se aproveitam da situação para criticar a imprensa livre.

Nessas questões, fico com João Saldanha que, embora fosse comunista, tinha cérebro e defendia, ao menos no ambiente da ditadura militar, a busca de informações.

Pra ele, “a imprensa ou é de oposição ou é balcão de armazém de secos e molhados”.

E sobre essa concentração total, essa reclusão imposta aos jogadores, ele repetia à exaustão: “se concentração ganhasse jogo, o time da penitenciária seria imbatível”.

Se é pra resolver pendengas com palavrões, Dunga deveria poupar bilhões de telespectadores que acompanham suas coletivas.

Se é pra conquistar a Copa, ele deve treinar o time e confiar no discernimento dos atletas, que deveriam ter folgas após as partidas. Com direito, inclusive, de conversar com jornalistas. Como cidadãos livres.

Caso contrário, eles deixarão a África do Sul sem terem participado de verdade do evento, posto que só lhes restarão lembranças de hotéis, ônibus e estádios.

Sobre a festa dos povos nas ruas, só ficarão sabendo se ligarem a TV. Se é que isto também não está proibido na concentração total.

Dunga fez bem bem ao revelar, na coletiva do mea culpa, a matriz de seu patriotism e a dor que sente pelos problemas de saúde do pai. E foi humano ao expressar sua solidariedade ao povo nordestino, que enfrenta o flagelo de inundações.

Mas fez melhor ainda ao se desculpar com o público. Errou, pediu desculpas e bola pra frente. Não leva o Troféu Domenech, o maluco treinador francês que não entendeu o espírito desportivo da competição.

Agora, falta Dunga abrir algumas janelas para o contato entre atletas e público. Como as demais seleções fazem.

N.B.: Se Dunga quer mesmo “boxear” com jornalistas, que venha treinar o Cruzeiro. Aqui, só tem peso pesado. Em Minas, Alex Escobar seria peso mosca.

Holanda 2×1 Camarões: Laranja também é 100%

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Às 15h30, no Cape Town Stadium, na Cidade do Cabo, Holanda e Camarões encerrarão as disputas do Grupo E da Copa 2010.

A Holanda já está classificada e Camarões já rodou após apanhar do Japão e da Dinamarca nas rodadas iniciais.

Bert Van Marwijk manterá a Laranja no 4-3-3 e já avisou que o astro Robben, voltando de uma contusão, é quem decidirá se joga ou não.

Paulo Le Guen manterá o 4-4-2 defendido pelos jogadores camaroneses e ficará só espiando pra ver no que vai dar a escolha feita por eles.

Depois do jogo, arruma as malas e caça rumo. Provavelmente, em direção à Nova Zelândia.

Só vale a pena ligar a TV, se você é torcedor da Inter e queiser conferir o futebol de Snejder e Eto’o, nesta partida que será apitada pelo chileno Pablo Pozo. (mais…)

Japão 3×1 Dinamarca: Jabulani tratada com carinho

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Às 15h30, no Estádio Real Bofokeng, em Rustemburgo, Dinamarca e Japão se enfrentarão pela 3ª rodada do Grupo E da Copa 2010.

Com um time 8cm menor (de altura, prestem atenção!) que a média dos dinamarqueses, o Japão vai ter de se virar pra não tomar gol de bola alta.

Pensando nsito, e sabendo que o empate lhe dá a classificação o treinador Okada, vai escalar seu time no 4-2-3-1.

E torcerá pra que o armador Honda meta algum gol de falta ou sirva o centroavante Okubo, o  encarregado de amolar os beques trapalhões da Dinamarca.

Morten Olsen escalará o time danês no 4-4-2, rezará pra seus defensores não entregarem o ouro e pra Rommedhal desequilibrar o jogo como já no duelo contra Camarões.

Jerome Damon, da África do Sul, será o Juiz. (mais…)

Alemanha 1×0 Gana: Teutos tiveram mais gana

quarta-feira, 23 de junho de 2010

às 15h3o (Brasília), no Estádio Soccer City, em Joanesburgo, Gana e Alemanha fazem um jogo de risco.

Gana se classifica com vitória ou empate. Se perder, tem de torcer pra Austrália vencer a Sérvia com moderação.

A Alemanha, só segue em frente com uma vitória. Se empatarem, os teutos terão que torcer pra Sérvia não vencer a Austrália, algo complicado.

Joachim Löw escalará a Alemanha num 4-2-3-1 e este 1 será o brasileiro Cacau, que substituirá Miroslav Klose, expulso contra a Sérvia.

Rajevic também vai escalar Gana no 4-2-3-1. E um dos volantes é Kevin Prince Boateng, que tirou Ballak da Copa.

Ele é irmão do Boateng  alemão, que poderá entrar no decorrer da partida. Que desgradável, hem?

Agradável, será ver o gaúcho Carlos Simon trilar o apito defendendo as cores da arbitragem nacional. Agradável mas, é verdade, um tanto arriscado também. (mais…)

USA 1×0 Argélia: Desistir? Jamais!

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Às 11h (Brasília), no Estádio Loftus Versfeld, em Pretória, Estados Unidos e Argélia se enfrentam pela última rodada do Grupo D.

Se vencerem, os americanos se classificam. Empatando, têm de torcer pra Inglaterra perder ou empatar (mas nunca com mais gols do que eles). Se perderem, saem da briga.

Para a Argélia, só uma vitória resolve. E é aí que mora o perigo. Ninguém nem se lembra mais da última vez que os comandados de Saadane (adepto do 5-4-1) fizeram 3 pontos na vida.

Teria sido naquela decisão contra o Egito, no Sudão: Vai saber…

Os americanos até que têm um time ajeitado, armado pelo treinador careca, Bradley, pai do meia-armador careca, Bradley.

O time americano, que está um pouco acima da média das subpotências deste Mundial, tem em Donovan seu melhor jogador.

E, pode até causar espanto, mas pereba, no duro, eles não têm nenhuma.

Mas não dão muita sorte com juízes. Por isto, além de jogarem tudo o que sabem, terão de rezar pra que o belga Frank de Blekeere não complique no apito. (mais…)

Inglaterra 1×0 Eslovênia: A conta do chá

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Às 11h (Brasília), no Estádio Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, a Eslovênia joga por um empate pra se classificar e mandar a Inglaterra pra casa.

E promete atuar num 4-4-2 clássico. Ou será que, na hora da onça beber água, Kek não vai botar seu 11 jogadores na defesa pra tirar os espaços da turma de Fabio Capello?

O treinador italiano da Inglaterra, vai num 4-3-3- ultraofensivo, posto que dois de seus volantes, Gerrard e Lampard, também atacam com vontade.

Difícil será acordar o centroavante Wayne Rooney, que tem se arrastado em campo.

Outro problema é torcer pra que o goalkeeper quarentão, James, não desafine debaixo dos três paus.

É jogo pra deixar Sua Majestade com os cabelos em pé e tamborilando nervosamente no braço do trono.

Isto se ela não estiver caçando veados em sua casa de campo pra não se amolar com a malemolência dos súditos boleiros.

No apito, estará o alemão Wolfgang Stark. Que, dizem, é adepto de pelo menos meia hora de açougue em cada partida. (mais…)

Argentina 4×1 Coréia Democrática: El Pipa voou

quinta-feira, 17 de junho de 2010

No Soccer City, em Joanesburgo, Coréia Dmocrática e Argentina abrem a 2ª rodada do Grupo B, às 8h30, horário de Brasília.

Verón desfalca a Argentina por causa de uma contusão muscular. Será substituído por Máxi Rodríguez.

Messi, que Maradona diz estar acima de qualquer outro boleiro desta Copa, receberá marcação especial dos coreanos. E El Pipa Higuaín terá que marcar os gols que perdeu na estréia.

Huh Joong-Moo, treinador da Coréia diz ter um plano pra parar o baixim do Barça. Eu tô apostando em alguns golpes de taiquendô… (mais…)

Suíça 1×0 Espanha: Goleada à moda suíça

quarta-feira, 16 de junho de 2010

No Moses Mhabida, em Durban, pelo H, Espanha e Suiça fecham a 1ª rodada da fase de grupos da Copa.

A Espanha, campeã européia, treianda por Vicente del Bosque, vai a campo num 4-1-4-1 com Busquets na frente da 1ª linha de 4 e Davi Villa na frente da 2ª, a dos volantes Silva, Xabi, Xavi e Iniesta, que jogam fácil e espremem o adversário em seu campo de defesa.

A Suíça, que entrou pra história por conta de chocolate, relógios, contas secretas e do ferrolho, atua no 4-4-2 e só tem jogador meia-boca. Entre eles o volantão Gelson. Com este nome, ele deveria ter nascido em Nova Iguaçu, Magé ou Mesquita, mas é de Cabo Verde, na África.

Pra não dizer que não conheço ninguém do time suiço, informo conhecer o Senderos, defensor incapaz de arranjar lugar na bequeira do Cruzeiro e o Tranquilo Barnetta, que joga no time da fábrica de comprimidos pra dor de cabeça de Leverkusen, daí talvez seu exótico nome.

O inglês Howard Webb, que apitou a final da Champions League será o soprador de latinha. O que é garantia de falta de assunto no quesito arbitragem.

Deu no diário esportivo argentino Olé:

¿Candidato? Joder…

españa llegó con chapa y perdió ante Suiza en su debut. El gol de Gelson Fernandes (en offside) deja el mayor batacazo en lo que va del Mundial. Del Bosque puso a Torres con Iniesta, Xavi y Villa para buscar el empate. Y nada…

Toda la ilusión, la chapa de candidato, el deseo de ya tener la Copa del Mundo entre sus manos, se desvaneció en un segundo. Sí, ahí cuando Gelson Fernandes la empujó a la red luego de los aparatosos tropiezos de Piqué y Casillas, los corazones españoles se detuvieron. No conforme con empezar abajo en el marcador, Del Bosque no tuvo mejor solución que acumular gente en ataque, sin que se le caiga una sola idea, y terminó construyendo el papelón ibérico que desembocó en una flojísima derrota en el debut.

La cantidad de partidos invictos, los halagos de la prensa por el despliegue futbolístico y la cantidad de jugadores valuadas en millones de euros no le importaron a los suizos. Ottmar Hitzfeld dio cátedra de orden táctico: dispuso un sistema acorde para frenar las embestidas de España, que buscaba por el medio con dos grandes volantes como Xavi e Iniesta, y atacaba por los costados con dos jugadores por banda, dejando a Villa relamiéndose en el medio para embocarla.

Sin embargo, Suiza, que fue a negociar el empate sin Frei, su máximo artillero, y que sufrió la lesión de Senderos en el primer tiempo, terminó encontrando el gol a los 52 minutos, luego de una preocupante falla defensiva de la Roja. Gelson Fernandes, apenas en offside, la encontró tras una serie de rebotes, y la empujó al arco, para tirarle un baldazo de agua fría a todos los españoles.

Ya consumado el 1-0, Del Bosque fue preso de la desesperación, y se vio obligado a empezar a meter gente en ataque: primero Fernando Torres y Jesús Navas. Minuto más tarde, fue el turno de Pedro. Pero apenas cambió la cantidad, y no la calidad; España llegaba pero no generaba peligro, ya que la única la tuvo con un tiro desde afuera de Xabi Alonso, que dio en el travesaño. Poco y nada de los delanteros.

Suiza, que estaba preparado para esta situación desde el minuto cero, supo aguantarlo y terminó llevándose los tres puntos. España, que pensó que lo tenía ganado desde el arranque, descubrió que no sólo alcanza con tirar los jugadores a la cancha.

Deu no diário esportivo espanhol Marca:

    • Vicente Del Bosque, no ocultó su decepción por la derrota sufrida en el debut mundialista ante Suiza (1-0). “No ha sido nuestro día. Hemos intentado ganar de manera ortodoxa y ya en la segunda mitad de forma heroica, pero no hemos podido”, aseveró el técnico de España. Del Bosque quiso apuntar que la resistencia de Suiza no había sido ninguna “sorpresa” porque esperaban encontrarse un equipo con tales características sobre el terreno de juego. Además, Del Bosque quiso lanzar una aviso a la afición española para mantener la esperanza: “El Mundial aún no ha acabado”. Por último, el seleccionador español reconoció que la derrota ante Suiza obliga a La Roja a vencer en sus dos próximos partidos ante Honduras y Chile. “La derrota ahora nos obliga a ganar los dos partidos que quedan. No hay otra”.
    • Xavi y su sombra. Ottmar Hitzfeld sabe que buena parte del fútbol de España nace en Xavi y le puso vigilancia especial durante todo el partido. El cerebro hispano apenas brilló.
    • La espalda de España. La selección juega al ataque, y eso está bien, pero hay que vigilar la defensa. Suiza tuvo dos ocasiones: una fue gol y la otra acabó en el palo.
    • Villa, desconectado. El Guaje no estuvo ni la mitad de inspirado de lo que suele cuando viste la camiseta de España. Los asistentes apenas pudieron detectarlo.
    • Howard Webb no estuvo a la altura de las circunstancias. Concedió el gol de Suiza, que debió ser anulado por fuera de juego. Y debió pitar penalti sobre Silva en la primera mitad.

Adílson: “O problema não é emocional, é físico”

terça-feira, 1 de junho de 2010

Pitacos de protagonistas e blogueiros acerca do Ceará 1×0 Cruzeiro, no Castelão, em Fortaleza, pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2010, em 30mai10:

  1. Adílson Baptista, treinador do Cruzeiro: Erramos muitos passes no meio, chutamos muita bola pra frente. Esse não é o Cruzeiro. Eu vou relevar. Na minha avaliação, é por causa do desgaste dos jogos. Nada emocional relacionado a perda de Libertadores, pressão. Não é isso. O aspecto físico é a minha preocupação. O Ceará também jogou na quinta-feira, lá em Goiânia, vários jogadores estavam puxando a perna, demonstrando sinal de cansaço. Isso é normal. O Cruzeiro está fazendo sua 33ª partida, o Santos fez 36, o Internacional, 35. Isso acaba sobrecarregando. Está na hora de pensar em alternativas. Alguns jogadores estão um pouquinho sobrecarregados, desgastados. É aquilo que eu alertei no início: o Fernandinho um pouquinho mais, Roger um pouquinho mais, Fabinho um pouquinho mais, pra ajudar aqueles que jogam com certa frequência. A gente tem observado que, na hora de recuperar essa bola, alguns estão tendo um pouquinho mais de dificuldade. É sobrecarga. A conversa é dentro de campo. Se não voltar, se não marcar, se não acompanhar, se não correr, se cruzar os braços, se não fizer andar… Eu estou vendo. Não tem jeito de enganar a gente. A gente jogou bola. No meu ponto de vista, o time melhorou no 2º tempo. O Roger fez um bom jogo contra o Botafogo. Mas não pode é mão na cintura, parado, não voltando, andando, sobrecarregando determinado setor… Eu já falei: o Paraná está jogando o mesmo número de jogos que o Fábio. Uma hora vai cansar. O Henrique não está roubando o mesmo número de bolas que nos anos anteriores. Por quê disso? Com a entrada do Roger, vai mudar um pouquinho o estilo do Cruzeiro… (mais…)