Posts com a Tag ‘1987’

Campeão de módulo não é campeão nacional

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

A Justiça decidiu, há muito tempo, que o Campeão Brasileiro de 1987 é o Sport. Mas o Flamengo, ou melhor, os flamengos julgando-se fora do alcance das leis, ou acima dela, exigem que o Presidente da CBF, com uma canetada, mude a sentença.

(mais…)

O lugar do Cruzeiro no cenário do futebol

sábado, 21 de agosto de 2010

Gustavo Sobrinho

Nos últimos anos, o Cruzeiro deixou de conquistar os títulos nacionais e internacionais que sua torcida acostumou-se a comemorar entre 1991 e 2003.

Esta situação tem levado boa parte da torcida a cobrar dos dirigentes e dos profissionais do clube resultados melhores do que a real posição que o clube ocupa no cenário nacional e internacional.

Proponho analisarmos as mudanças do calendário ao longo do tempo e como o clube tem se desempenhado em cada um dos contextos pra discutirmos qual será sua posição futura no cenário do futebol.

(mais…)

Sport, campeão de 1987, ora, bolinhas!

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Após 16 anos estudando uma decisão irrecorrível do STJ, o Jurídico da CBF chegou à conclusão de que o campeão brasileiro de 1987 é o Sport Clube Recife.

Nada de novo. O PHD dissecou a questão em vários posts. Não havia qualquer dúvida quanto ao aspecto legal. No esportivo, só teleguiados pela mídia flamenga insistiam no assunto tentando passar uma rasteira na Justiça.

O Fla perdeu a taça das bolinhas. Evaporou-se o hexa sem penta. Resta ao rubronegro carioca o título de campeão da Copa União, o torneio que resultou do golpe de estado perpetrado por cartolas e jornalistas em 1987.

Naquela ocasião, o 2º e o 4º colocados de 1986, Guarani e América carioca, respectivamente, foram rebaixados para um módulo que os  golpistas -entre eles, o Cruzeiro- quiseram transformar em 2ª divisão.

Criciúma, 9º, Portuguesa, 11º, Inter de Limeira, 12º e Joinville, 14º, também foram excluídos do grupo dos 16 eleitos pra Copa União, que se queria a elite do futebol. E times que ficaram abaixo do 16º lugar -Inter, Santos, Santa Cruz e Goiás- foram integrados à suposta divisão de principal. Piada de mau gosto.

Acabou-se a lenga-lenga. A taça da bolinhas é do São Paulo, 3º penta campeão brasileiro de verdade. O 1º, o Santos Futebol Clube (61, 62, 63, 64, 65), não leva o troféu, porque ele não existia nos Anos 60. O 2º, a Sociedade Esportiva Palmeiras (60, 67, 72, 73, 93) também não e pelos mesmos motivos.

De hoje em diante, os rubronegros do Recife não têm mais que ficar esfregando a decisão judicial nas fuças de seus detratores instalados nas redações do Eixo.