Sem vingança contra Jobson

Por SÍNDICO | Em 18 de dezembro de 2009

Jobson foi apanhado em outro antidoping.

Desta vez, no Botafogo 2×1 Palmeiras. Ao pé da letra, ele deve levar uma tremenda supensão pelo primeiro caso e ser banido do esporte pelo segundo.

É justo?

Não creio. Entre um e outro evento, ele sequer teve oportunidade de pagar pelo erro e pensar melhor na vida.

Por isto, o encerramento precoce de sua carreira seria uma vingança do establishment do esporte, não um ato educativo.

Não sei como os juristas vêem a questão. Eu defendo que o atleta receba uma segunda chance. Seis meses, no máximo, um ano de supensão bastariam para que ele tomasse juízo.

Banimento é pena excessiva para o garoto. E um castigo que se aplicaria também a seus familiares.

Enquanto isto, quem o levou para o caminho das drogas vai continuar fornecendo o produto a outros incautos.

Que os juízes tenham um mínimo de boa vontade com Jobson. E que algum clube menos imediatista encare o desafio de reerguê-lo.

Taí meu pedido de Natal ao STJD.

50 comentários para “Sem vingança contra Jobson”

  1. Celeste disse:

    Assino com o relator.

  2. mrodrigues disse:

    muito triste! não sei se relevariam esta segunda confirmação, realmeente muito triste. Se confirmado uma vida e uma carreira jogadas fora

  3. Eduardo Arreguy Campos disse:

    Juridicamente, não há que se falar em reincidência, se ele sequer foi julgado pelo primeiro doping. Além do mais, banir um jogador de 21 anos porque cheirou cocaína, que nem é doping, é de uma estupidez tremenda. Não acredito em punição maior que 1 ano.

    • Jorge Santana disse:

      Na CBN disseram que ele corre este risco de banimento. Não conheço a lei, mas vivi o suficiente (bem menos do que o Evandrão, registre-se) pra saber que é preciso apoiar as pessoas, mais do que castigá-las. E que, se necessário, o castigo deve ser pedagógico, não ato de vingança. Ok, são platitudes, discurso fácil, mas não encontro melhor justificativa para defender um garoto de 21 anos.

  4. Celeste disse:

    First?!!! Se realmente o rapaz for banido do futebol, a justiça levará-o de vez para o mundo do crime. Ele precisa ter a oportunidade de voltar ao futebol até para servir de exemplo para outros que trilharam pelo mesmo caminho. É interessante que esses jogadores devem ter uma meia dúzia de empresários e ninguém para orientá-los principalmente no início de carreira.

  5. matheus t penido disse:

    Concordo e faço minhas as palavras do JS. O cara errou e deve pagar , mas impedi-lo de exercer sua profissão pro resto da vida sem dar uma segunda chance é demais. Como lembrou o JS de um jogo pra outro ele naum teve essas chance. Que a tenha agora.

  6. Celeste disse:

    Realmente a cocaína não pode ser considerada doping. Ela não ajuda em nada no desempenho do jogador em campo. O jogador que é usuário precisa sim de um acompanhamento, afinal drogas e esporte não combinam. Se não for ajudado ficará pelo caminho. Não precisa de punição.

    • Hugo 5erel0 disse:

      Celeste, não conheço um caso comprovado de atleta profissional que usou cocaína pra melhorar o desempenho durante a partida. Mas há casos de muita suspeita. Um exemplo é o do Lopes Tigrão, no Palmeiras em 2002. E conheço pessoalmente casos de gente que usa a droga nos campeonatos rurais de Divinópolis. Ah, se aqui houvesse exame anti-doping…

  7. matheus t penido disse:

    Falando em punições exageradas lembro o caso do ex-beque Antonio Carlos que estava perto de assumir o Vasco e naum o fez por manifestações da torcida o chamando de racista por um episódio ocorrido em 2006 qdo ele jogava no Juventude. Agora será que ele vai ter que pagar por isso o resto da vida? E será que esses torcedores que encabeçaram a campanha naum são mais racistas que ele? Pra mim esse foi um episódio bem lamentável e a maioria da imprensa, comodamente e com medo dos politicamente corretos, se calou e até concordou com a manifestação. Umas das rara exceções que eu vi foi no blog do tal do Cosme Rimoli. A hipocrisia realmente anda gde nesse país.

    • Jorge Santana disse:

      O Brasil tá precisando de um Mandela.

      • Arthur disse:

        EU só penso uma coia: quem vai punir a DIL.MA? Quem vai punir o SCP entregar pro FLA? Quem vai punir o EDS. RO.BÃO? Quem vai punir a KIA? MAs, se NINGUÉM pune esse povo todo, aí também vamos NÃO PUNIR o JOBSON? Não!! Vamops punir o JOBSON, o DODO, o que for… ainda há tempo de se conseguir resgatar a alma do nosso povo, algo que os soció.logos CHAMAM DE VER.GO.NHA. È algo que as pessoas adquirem quando tem berço, e confundem com INSTRUÇÃO e com EDUCAÇÃO nas escolas, enão é. ESCOLA ensina CULTURA, educação se chama LIMITES, se cham RESPEITO, se chama DECENCIA, algo que anda desaparecendo no século XXI, substituido pela síndrome do COIITADINHO…

  8. Edu Mano disse:

    Antes de mais nada, está comprovado pela ciência que a cocaína não influencia no desempenho de um atleta de forma positiva. Tem, tão somente, efeitos NEGATIVOS sobre uma pessoa – seja ela atleta ou não.

    O uso de drogas é errado, faz mal e o cacete a 4… Mas o Jobson é um garoto, uma pessoa DOENTE que precisa de ajuda e apoio.

    Não quero que o Cruzeiro compre esta briga, mas torço demais para que ele se recupere. Antes do atleta vem a pessoa. E que ele tenha uma segunda chance na vida.

  9. Naldo disse:

    Banimento do futebol será a pior coisa que pode acontecer com o atleta. A sua profissão é jogar futebol, se for banido, vai viver de quê? Pode ficar esquecido, desempregado, abandonado e afundar de vez nas drogas, o que pode ser o fim. Tem que ser punido sim. Errou tem que pagar. Porém, as portas devem permanecer abertas para uma volta por cima. Sabemos de casos de jogadores famosos, já realizados no futebol que tiveram problemas e foram dadas oportunidades de tratamento e estão aí trabalhando. Dada a oportunidade e o cara não aproveitou, aí sim, que se puna mais severamente.

  10. Ernesto Araujo disse:

    Eu entro aqui no blog pra comentar… Mas esse seu post, Jorge, é sem comentários… Estou de acordo!

  11. Flavio Carneiro disse:

    Concordo com o relator, acho importante dar uma pena forte para ele, mas o banimento do esporte é uma punição excessiva, já que nesse caso ele não terá nenhuma chance para se redimir do erro. Acredito que 1 ano de suspensão é uma punição dura o bastante para que ele se arrependa e não volte a cometer esse erro. Entretanto, se ele repetir o doping após cumprir essa punição, aí sim caberia o banimento do esporte.

  12. Elias disse:

    Eu tb… não vejo esse “pobre coitado” como um marginal. Somente mais uma vítima dos tais amigos de famosos, de aproveitadores, esses sim verdadeiros criminosos. Mas vai ser dificil prá ele superar como outros (como o próprio Zé Roberto quando jogava aqui) e dar a volta por cima. Segundo ouvi, ele já vai sr enquadrado na nova lei, muito mais rígida…

    • Arthur disse:

      MANO ELIAS, me desculpe, não é assim… vai ver o carrinho do JOBSON, vai ver o luxo que ele adquiriu, ele morria de rir e era apeans mais um que dizia “eu não vou ser pego”, foi e se ferrou… e tem muita gente na linha, se as pessoas que conhecem a vida dos “atletas” depois das 22:00s falasse… mas, ai vem o bando dizer que a vida do jogador é problema dele… Uai, é? Então, não tem que ter peninha não. Vc está mutio enganado. Muitos deles entram e continuam e não estão nem ai. Se vc for falar com eles, els mandam vc pra que lugar, e hoje, fora da TV e jornal, eles estão pouco se lixando… è só onda, nada mais. São monstrinhos muuuito piores do que vc pensa. Essa de serem vítimas, conta OUTRA. Não são vítmas P.. nenhuma! São mar.gi.nais light… ABS/ART

    • Hugo 5erel0 disse:

      Não o vejo como marginal, mas de pobro coitado não tem nada. Esse conversa de “acreditar no ser humano”, “segunda chance”, “o rapaz é novo” não cola comigo. Creio que o banimento seria um absurdo e até a suspensão de um ano um tanto exagerada. Mas independentemente da pena do STJD, Jóbson já está pagando as consequências do erro. Perdeu a chance de ir jogar na “vitrine” que tanto sonhou, fechou possíveis portas e ficará eternamente marcado pelo caso.

  13. mrodrigues disse:

    Podemos lembrar o caso da Rbecca Gusmão. O caso dela foi testosterona, mas pelo rigor da lei a coca se iguala e, sendo assim, acredito que eles não não vão deixar passar. Uma pena, pois concordo que a pena deveria ser pedagógica.

  14. Mauro França disse:

    Também sigo o relator. O banimento seria a pior pena que poderia ser imputada ao jogador.

    • Celso disse:

      Fosse o Kaká, seria banido do esporte? Andre Agassi foi pego no anti-doping, e a ATP fez vista grossa, por se tratar de um número 1 do mundo.

      • Hugo 5erel0 disse:

        Em Andradas, conheci um italiano de Nápoli que acompanhou a carreira (sem trocadilhos) do Maradona. Segundo ele, Maradona já havia sido flagrado no anti-doping mas conseguiram segurar a onda e abafar o caso por um certo período. Se é verdade eu não sei, mas não duvido muito também, não.

      • Grande Hugo, tudo bem? É verdade, Diego caiu no mundo da droga na Itália, perto da máfia siciliana. A sua luta posterior todos a conhecem.

  15. Arthur disse:

    AMIGOS,
    Estive longe e devo continuar assim, tenho digitado números…rss Vim só mata uma rápida sodade. Não me respondam, nem me cutuqeum, a coisa tá feia pro meu lado, então tõ garrado nos meus papéis… Sobre o JOBSON! Chega de cara de pau. Chega de passar a mão na cabeça de urubuy malandro. E garanto qeu se for atrás NÃO É SÓ O JOBSON que está fazendo isso, e não é o primeiro. O caso do DODO, ser pego, não foi só “azar”, foi o “COSTUME”, ele achar que não iria ser pego, foi e se ferrou. O JOBSON é apenas MAIS UM! Tem de banir ele do esprote, e não só ele! Se fizerem as pesquisas direito, muita gnte vai sair fora do esporte, o que seria muuuuuito bom!

    • Arthur disse:

      Hoje estamos num pais que tem bolsa pro filho do cara que assassinou, e o filho do pai que morreu, fica por isso mesmo. Hoje, se procura lguém pra trabalhar, não acha, o car tem bolsa desemprego, bolsa gás, bolsa tudo, e trabalho eel já NÃO QUER e NEM PROCURA! Temos 48 % de imposto em média, daí pra cima, em tudo. E isso vira propaganda de ban.didas impunes como a sem-ver… da DILMA. Se passando pelo qeu nunca foi. PD-DO B fazendo campanha pra entrar no poder e instalar uma ditadura, como se pode ser tão FALSO? E vamos, ter “peninha” de mais um mole.que? Vou pensar é no SOARES, um garoto que levou 2 entradas criminosas, quebraram covardemente as pernas dele em entrada por trás, e quem fez isso NADA SOFREU!

      • Arthur disse:

        Punir o JOBSON, é punir toda essa lea de jovem irresponsável, que tem acabado com o futebol, e levado times lá pra baixo. JOBSON usou de droga pra conseguir jogar mais que os outros jogadores. Isso não é talento, isso é tão no.jento qunato os ár.bitros da C9SP)F da FM.FRANGAS, como as campanhas da imprensinha cocorjinha. Espero que o Dom Zezepe, não faça a besteira de querer recuperar mais outro enganador… —————- Estamos num mundo cada vez pior em que as pessoas CORRETAS, TRABALHADORAS, HONESTAS, são subjugadas por gente bandida, sem princípios, sem objetivo, sem nada! Chega! Esse duscuros de COI.TA.DINHO é fu.rado! ABS/ART

      • Eduardo Arreguy Campos disse:

        Arthur, desliga o computador e vá terminar sua tese, AGORA!

    • Naldo disse:

      O King voltou com a macaca. Banir do esporte não vai tirar o rapaz do mal caminho, pode até enterrá-lo mais. Sou a favor da pena rígida, mas banir e excessivo, na minha opinião. Deve ser penalizado mas não ter as portas fechadas. Se amanhã ele estiver apto a prática do esporte, deve ser lhe dado uma oportunidade. A não ser que ninguem o queira, mas duvido que isto vá acontecer.

  16. mrodrigues disse:

    Jobson pode ser suspenso por até oito anos – Especialista afirma que atleta não deverá ser banido, mas será afastado por um longo tempo. Adalberto Leister Filho e Gustavo Alves, do R7 (…)

  17. mrodrigues disse:

    para determinarem a pena. O principal deles é o fato de o jogador ter sido flagrado no exame antidoping duas vezes nos últimos cinco jogos do Botafogo no Campeonato Brasileiro. O atleta, inclusive, fez gols importantes nestas partidas, que evitaram o rebaixamento do clube. (…)

  18. mrodrigues disse:

    (…) A defesa de Jobson pretende se basear no Código Mundial Antidoping da Wada para evitar o banimento do jogador. Um dos artigos do documento explica que quando um atleta é flagrado no segundo exame antidoping sem que ele tenha sido notificado do primeiro os dois casos serão considerados um único episódio. A reincidência servirá apenas como um agravante para aumentar a pena.

  19. mrodrigues disse:

    Foi mal aí moderador. Postei o texto inteiro… segue link

  20. Hugo 5erel0 disse:

    A punição de mais de um ano eu já acho muito exagero. Banimento seria um absurdo! E esse papo de defender uma punição muito rígida ao atleta partindo da idéia de que o atleta é exemplo pra socieadade, é um moralismo barato e e hipócrita.

  21. Leopoldo Moura Jr. disse:

    Estou de acordo com o post. Uma pessoa não pode ser penalizada dessa maneira –ainda mais sendo tão jovem. Além disso, acho que o fato de ele ter sido pego duas vezes (em seguida, num período tão curto) não caracteriza re-incidência. Ele pode ter usado a droga mais de uma vez. Mas na segunda vez ele não sabia que tinha sido pego, porque o resultado do primeiro exame só saiu depois do segundo jogo e o jogador nem tinha sido punido ainda. É uma diferença sutil mas é relevante nesse caso.

  22. danielouresa disse:

    Dentre todos os comentários o que mais tenho afinidade são os comentários do Arthur. Não podemos simplesmente passar a mão na cabeça de pessoas assim. Ele errou e tem que pagar pelo seu erro. Se entenderem que será caso de banimento do esporte que seja banido, pois. Eu acho que o banimento seria exagero e iria contra a CF, ferindo principios como a dignidade da pessoa humana e o livre exercício da profissão. Mas a pena tem que ser severa para que outros jovens não cometam o mesmo erro. Tem que servir como exemplo, pois jogadores de futebol são exemplos para os jovens. Ademais, dura lex sed lex: a lei é dura mas ainda é lei. Pena que a lei que pune alguns deixa outros livres, vide crimes do colarinho branco. Mas estamos mudando quanto a isso. Sds.

  23. Andre disse:

    Concordo com o JS!

  24. Não concordo com ninguém, apenas que se faça justiça. Uma saída é fazer o exame anti-dopping de todos os atletas, não somente de dois. Evitaria esperteza.

  25. Victor disse:

    Se fosse um dopping, isto é, algo anti-desportivo no intuito de melhorar o rendimento, ainda assim, não faria muito sentido valer como reincidência. Ora bolas, ele não chegou a ser punido, caso contrário nem jogaria contra o Palmeiras. Logo, não teve a primeira com caráter educativo. Mas nem mesmo é o caso. Ele deu uma cheirada. Nem vou dizer aqui que é vício. Atenho-me ao ato, que é algo essencialmente recreativo. Não é um discurso eufemista, é mais para dizer que o cara não meteu o nariz no pó para levar vantagem contra os adversários, não? Bem… mas as Leis são um caso à parte. Parece um jogo e eu não conheço as regras desse jogo.

  26. sancho disse:

    Não entendo como ele podeia ser banido do esporte sem a primeira punição. Reincidência, smj, não é cometer o mesmo crime duas vezes, mas voltar a praticar um delito após ter cumprido pena.

    • Ismail disse:

      Por hipótese, fico pensando o seguinte: se os julgamento dos casos forem feitos separadamente, quando houver a apreciação do caso Palmeiras ele já poderá ter sido condenado definitivamente em razão do caso Coritiba. O advogado do jogador terá que fazer um trabalho muito bom, pois o MP é mão de ferro e a situação não é simples.

  27. Claudinei Vilela disse:

    Uma pena. Droga é doença, precisa ser tratado. Quem tem problemas na familia ou com algum amigo sabe o que é isso. Se ele for banido do futebol nem futuro ele terá. O esporte deveria ser uma alternativa para ajudar essas pessoas. Mas o STJD está com “sede” de justiça nesse periodo pre copa e não deve deixar barato;

  28. O Rojas foi banido por uma simulação articulada por alguns da seleçào dele. Joson deve ser punido pelo erro (no singular) que cometeu. Esta de que foi pego “duas vezes” é sacanagem, os resíduos que indicam uso de determinadas substâncias podem ser detectados, em alguns casos, meses depois.
    O cara errou, paga. Este negocio de exemplar o cara é coisa de tribunal de exceção. Este STJD não tá em condição de impor muita moral não.
    Dá uns 2 anos pra ele e vamos ver se ele tem condicões de voltar. Se aprender ele volta em 2 anos. Se não for orientado, vai trabalhar em alguma atividade que ele valorize a oportunidade que teve e jogou fora.

  29. simone b de castro disse:

    Bom, minha opinião é a seguinte: tem que punir, sim, senão estaremos estimulando que outros façam o mesmo, e não tenham nenhum medo de serem punidos. Voltando isso para o dia-a-dia, seria como esses bandidos que, ao serem presos, ainda riem da cara da polícia e dizem que só vão descansar na cadeia, e logo estarão de volta. E, infelizmente, é o que ocorre! Banir, não, pois ele é novo, pode se recuperar, mas que sua volta seja condicionada a uma observação minuciosa de seu comportamento, para que o fato não se repita. Agora, não os acho inocentes, pois mesmo com 21 anos, qualquer adolescente já sabe o que é droga, e sabe dos riscos que assume ao experimentá-la! Os jovens de hoje não são mais como os de um certo tempo atrás.

  30. simone b de castro disse:

    E eu sempre soube que a cocaína é estimulante, que muitas pessoas, inclusive empresários, a usavam para ficar mais “ligados”. Então como ela não influencia no desempenho, se o usuário fica mais “ativo”, diferentemente do que dizem que ocorre com a maconha? Ou estou falando besteira? Gostaria que me informassem, é sério!

  31. Ismail disse:

    Sou leigo neste assunto, mas acredito que o advogado do atleta terá muito trabalho. Dentre outras coisas, para que a solução não se dê fora da legislação internacional sobre o assunto, afinal, no caso Dodô, a decisão brasileira foi invalidada. Por isso, acho interessante uma análise da hipótese à luz da teoria da continualidade delitiva. “Pela teoria híbrida aceita em nosso ordenamento, a continuidade delitiva caracteriza-se pela presença de condições objetivas – prática de mais de uma ação ou omissão, que configurem dois ou mais crimes de mesma espécie, nas mesmas condições de tempo, lugar, maneira de execução e semelhantes – e também do dado subjetivo, representado pela unidade de desígnio entre as ações criminosas.” HC 43903/SP-STJ.

  32. Ismail disse:

    Se as ações forem continuadas, o segundo crime (doping) torna-se extensão da primeira, passando a receber tratamento jurídico único. Porém, se as ações forem tratadas de forma autônoma, ficará estranho duas condenações e a não aplicação da pena de banimento. Como o Direito é para fazer justiça, e não causar injustiça, parece-me que a pena educativa passa muito pela sobriedade do julgamento, a depender fundamentalmente da acusação que o Promotor fará neste caso. Pelo que tenho visto no dia-a-dia, o MP tem carregado a mão sem dó, nem piedade.

  33. silverio candido disse:

    Se for defendido pelo princípio “Ne bis in idem”, será punido uma única vez.

  34. Mauricio CJ disse:

    Eu gostaria que o Cruzeiro tivesse renegociado o contrato com o Jobson e o trazido para BH. O Cruzeiro faz negócios, que ser campeão, mas tem também milhões de pessoas que podem ser influenciadas por uma atitude social e desportiva. O Cruzeiro deveria negociar o jogador pagando menos, oferendo um salário simbólico, terapeuta e assessoria jurídica. Se houver benefício futuro, ótimo, ele é fruto de uma ação correta.

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.