Rizzi: “Esse é o time para terminar o Brasileiro”

Por Jorge Angrisano Santana | Em 8 de novembro de 2019

PITACOS acerca do PARANAENSE 0-0 CRUZEIRO, na Baixada, Curitiba, 06nov19qua21h30, pela 31ª rodada do Brasileiro 2019:

ABEL BRAGA: A estratégia era tentar quebrar a intensidade deles, jogando mais compactado. E deu certo. Eles rodavam, rodavam, rodavam, mas não entravam, não conseguiam. E a gente estava sempre fugindo. Depois da expulsão eles vieram com tudo, mas nós soubemos administrar. A gente ainda não sabe, mas este ponto, na frente, pode ajudar. Os jogadores foram de uma entrega excepcional contra uma equipe que é muito difícil dentro de casa. Eles tiveram a bola, mas não tiveram grandes oportunidades. Aqui eles quase sempre têm mais a bola, mas no 11 contra 11, no momento em que a recuperávamos, o gol podia sair, pelo excelente jogo que estavam fazendo Sassá, Robinho distribuiu muito bem, Ederson e Henrique com saída.

FÁBIO: Num momento difícil, a gente tem que somar o máximo possível de pontos. Independentemente de jogar fora ou dentro do Mineirão, tem que haver entrega, concentração e dedicação pra sair sempre com resultados favoráveis e  continuar na nossa luta semanal, jogo a jogo.

GLOBO ESPORTE: Marquinhos Gabriel foi muito voluntarioso, principalmente no segundo tempo e quando o Cruzeiro passou a jogar com um a menos. Mesmo desgastado, prendeu a bola no ataque e tentou puxar contra-ataques.

M RIZZI: Jogo heroico. Não é qualquer time que arranca um empate na Baixada, principalmente com um jogador a menos. E o time celeste ainda foi superior em vários momentos, O Cruzeiro convenceu. Teve brio, gás, mobilidade e uma escalação correta. Fábio foi o melhor, Sassá, o vilão. Pra mim, esse é o time para terminar o Brasileiro.

FERNANDÃO ÁVILA: Henrique foi um monstro! Cobriu todos os espaços, adiantou o time pra sair do sufoco, claramente puxando a linha de marcação pra frente em alguns momentos e ainda apitou o jogo depois da lambança do Sassá. Foi o segundo melhor do jogo.

LUIZ M: Além de estar mal tecnicamente, Robinho jogou em intensidade oposta  à dos companheiros. Não tem a menor condição de ser titular no momento.

MAURO FRANÇA: O primeiro amarelo pro Sassá foi injusto. Depois de armar o chute, não tinha como recolher a perna. Lance de jogo.

WAGNER CPM: Fábio é o melhor goleiro do planeta, da galáxia  e do infinito. Façam logo uma estátua de bronze pra ele em Beagá. Heroi! Mito!

CELESTE CAMPOSSassá, trapalhão, perdeu a chance de ganhar a titularidade.

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.