Quem foi o melhor no jogo dos torpedos?

Por SÍNDICO | Em 17 de maio de 2018

ATUAÇÕES dos protagonistas do PARANAENSE 1×2 CRUZEIRO, neste 17mai18qua21h45, na Baixada, Curitiba, ida das oitavas da Copa do Brasil 2018:

TORCIDA CELESTE rebelou-se contra a intolerância do cartola-dono do Paranaense, o autoritarismo do Ministério Público e, mesmo proibida, compareceu, juntou-se num canto do estádio e soltou o verbo apoiando seu time. A resistência contra a insanidade dos simões-bacamartes do MP foi saudável, exemplar e deveria ser seguida por todas as torcidas. Chega de interferência do estado na vida do cidadão! Nota Dez! Senti-me orgulhoso de pertencer a uma torcida que, sem violência, desafiou o autoritarismo das autoridades. Esses caras que foram à Baixada ontem me representam. Tenho dito.

FÁBIO fez boas defesas e não teve culpa no gol, pois o chute violento resultou numa bola traiçoeira pelas curvas pelo quique no gramado de borracha. Mérito do lateral Carleto. Posto isto, tem responsabilidade pela barreirinha insuficiente que montou. E que teria sido ainda menor se ela não desse bronca pedindo um terceiro componente. Que, como se viu, também não barrou a bola. Fica a lição para o clássico, pois as frangas têm um chutador ainda mais assustador que o de ontem.

ROMERO, discreto no ataque, firme na defesa. 

DEDÉ fez um jogo perfeito na defesa, cortando tudo e peitando todo mundo que apareceu na área celeste. E, para coroar uma noite perfeita, viu um de seus esticões virar lançamento para o gol da vitória. Na frente, não conseguiu a cabeçada goleadora das últimas duas partidas.

LEO fez tudo certo: rebatidas, conforto diretor cobertura. Um esteio do time!

EGÍDIO travou bom duelo com Rosseto e Veiga e ainda encontrou tempo para apoiar, articulando boas jogadas com Arrascaeta.

HENRIQUE presenteou-se no dia de seu 33º aniversário, com uma partida taticamente perfeita e um gol salvador. Manteve-se na proteção à bequeira na maior parte do tempo, subindo ao ataque gradativamente, quando o time começou a exercer a marcação alta na metade da etapa final. O resto foi bônus-track: um torpedo desferido a uma distância de 30 metros da baliza paranaense, que resvalou na cabeça de Thiago Heleno e escangalhou com a vida do goleiro do celular.

LUCAS jogou mais adiantado do que Henrique, distribuiu bons passes, chutou mal, mas foi importante naquela trocarão de passes com que o time esconde a bola até encontrar brechas na marcação adversária.

RAFINHA não economizou energia na ocupação de espaços, na recomposição, na luta pela bola. Já aquela vibe goleadora, parece que se diluiu.

ROBINHO não criou o quanto deveria e se esperava dele, mas esteve longe de enterrar o time, como estão dizendo os termocéfalos.

ARRASCAETA fez boas jogadas pela esquerda, visitou a direita, sem a mesma eficiência. No final das contas, foi o melhor atacante de quantos estiveram em campo, mas saiu mais cedo, cansado.

SASSÁ quase marcou um gol, não conseguiu e nem teve outras oportunidades. Restou o entusiasmo de sempre.

MANCUELLO jogou pouco tempo e perambulou pela direita e pelo meio, mas não pela esquerda, onde se sente mais à vontade. Compôs o time, sem criar, nem comprometer.

SOBIS jogou pouco tempo, correu, mas não criou, nem teve chance de gol.

MANO escalou certo, substituiu certo, encheu o saco do juiz só para não perder a fama de mau e pontificou na entrevista, esquecido de que, mais do que ele e o Diniz, a bola foi quem esteve no comando.

CRUZEIRO jogou como manda o técnico, sem afobação. Dominado na maior arte da etapa inicial, recuperou terreno e posse de bola na segunda parte e, mesmo sem criar muitos lances de gol, conseguiu a vitória, um tanto ao quanto surpreendente.

PARANAENSE jogou com três beques, quatro médios e três atacantes. Valorizou a posse de bola, compactou as linhas, enfim, fez tudo o que manda a cartilha do futebol moderníssimo. Mas foi vítima de seu estilo, pois tomou o gol de desempate, quando estava ultra compactado, tão compactado, que faltou o beque da sobra para conter Raniel.

ÁRBITROS tomaram decisões técnicas acertadas durante todo o jogo, inclusive não marcando pênalti numa bola que acertou o cotovelo de Dedé. Foi bolada, não mãozada. Na parte disciplinar, amarelos bem distribuídos e nenhuma encrenca maior.

  • MelhorDoJogo => HENRIQUE [[[19]]] Braga, Chaves, Bitencourt, Barros, Penido, Chiabi, França, Velloso, Ccc, Celeste, Romarol, Galvão, Vanda, Ivana, Palmeira, Bastos, Síndico, Pat, Dudu —– LUCAS [[[17]]] Sá, Evans, Barreto, Carvalho, Rezende, Schrier, Marcoalex, Velame, Saddi, Anchieta, Silvercan, Wallace, Arreguy, Wagner, Setelagoas, Gil, Walterson —– DEDÉ [[[8]]] Rossi, Klauss, André, Viana, João, Morato, Jota, Paulo —– LEO [[[2]]] Polaco, Dourado —–ARRASCAETA [[[1]]] Barnabé —– MANO [[[6]]] Domênico, Vilela, Soalheiro, Walfrido, Estevão, Burian —– IVALDO [[[1]]] Julim.

115 comentários para “Quem foi o melhor no jogo dos torpedos?”

  1. SÍNDICO disse:

    TORCIDA CELESTE rebelou-se contra a intolerância do cartola-dono do Paranaense, o autoritarismo do Ministério Público e, mesmo proibida, compareceu, juntou-se nun canto do estádio e soltou o verbo apoiando seu time. A resistência contra a insanidade dos simões-bacamartes do MP foi saudável, exemplar e deveria ser seguida por todas as torcidas. Chega de interferência do estado na vida do cidadão! Nota Dez! Senti-me orgulhoso de pertencer a uma torcida que, sem violência, desafiou o autoritarismo das autoridades. Esses caras que foram à Baixada ontem me representam. Tenho dito.

  2. SÍNDICO disse:

    FÁBIO fez boas defesas e não teve culpa no gol, pois o chute violento resultou numa bola traiçoeira pelas curvas pelo quique no gramado de borracha. Mérito do lateral Carleto. Posto isto, tem responsabilidade pela barreirinha insuficiente que montou. E que teria sido ainda menor se ela não desse bronca pedindo um terceiro componente. Que, como se viu, também não barrou a bola. Fica a lição pro clássico, pois as frangas têm um chutador ainda mais assustador que o de ontem.

    • Bruno 7L RJ disse:

      O lance que originou tudo, não achei falta. Fábio foi “traído” pela curva e pelo ganho de velocidade no quique.

      • BrunoBarros disse:

        Não foi falta mesmo não xará. E o local que o Carleto cobrou a infração ficou uns 2 metros de distância pro centro do campo de onde o jogador do Atlético Paranaense tinha se jogado. Tudo errado.

    • Saddi disse:

      Também acho que ele falhou na formação da barreira. Para bons chutadores a barreira tem que ter no mínimo cinco e adiantando-se, pra irritar o batedor

    • raher disse:

      falhou por organizar mal a barreira e tentou advinhar o canto e deu ruim. Mas tem credito e pronto.

  3. SÍNDICO disse:

    ROMERO, discreto no ataque, firme na defesa. 

    • raher disse:

      Nao tem como criticar a postura de Romero na Lateral, marca com vigor e não aceita perder jogadas, vai ao ataque com preventiva ligada e não vacila para recompor. Não se mais aquelas bolas cruzadas pelo seu lado.

  4. SÍNDICO disse:

    DEDÉ fez um jogo perfeito na defesa, cortando tudo e peitando todo mundo que apareceu na área celeste. E, pra coroar uma noite perfeita, viu um de seus esticões virar lançamento pro gol da vitória. Na frente, não conseguiu a cabeçada goleadora das últimas duas partidas.

  5. SÍNDICO disse:

    LEO fez tudo certo: rebatidas, conforto diretor cobertura. Um esteio do time!

    • Bruno 7L RJ disse:

      Leo foi o Monstro de sempre. Espanando até pensamento, jogando sério. Eu penso que ele é um jogador muito consciente dos seus limites, então não brinca em serviço tentando inventar.

    • raher disse:

      Tem formado uma dupla quase perfeita com Dedé, não esta descuidando da marcação e não brinca para tirar as bolas que aparecem na sua frente.

  6. SÍNDICO disse:

    EGÍDIO travou bom duelo com Rosseto e veiga e ainda encontrou tempo pra apoiar, articulando boas jogadas com Arrascaeta.

    • raher disse:

      Está mais responsavel na marcação e na obediencia tatica, porem ontem não foi feliz nas assistencias.

  7. SÍNDICO disse:

    HENRIQUE presenteou-se no dia de seu 33º aniversário, com uma partida taticamente perfeita e um gol salvador. Manteve-se na proteção à bequeira na maior parte do tempo, subindo ao ataque gradativamente, quando o time começou a exercer a marcação alta na metade da etapa final. O resto foi bônus-track: um torpedo desferido a uma distância de 30 metros da baliza paranaense, que resvalou na cabeça de Thiago Heleno e escangalhou com a vida do goleiro do celular.

  8. SÍNDICO disse:

    LUCAS jogou mais adiantado do que Henrique, distribuiu bons passes, chutou mal, mas foi importante naquela trocarão de passes com que o time esconde a bola até encontrar brechas na marcação adversária.

    • Velloso disse:

      Jogou bem novamente, com facilidade quando tem a bola nos pés. Não se omitiu de receber a bola, preencheu bem os espaços. Um dos melhores da partida.

    • Bruno 7L RJ disse:

      Lucas Silva está jogando demais. Ontem ele marcou em cima, foi intenso, foi buscar a bola quando o CAP “achou” a marcação na nossa intermediária defensiva. E o melhor de tudo: LS está fazendo que o futebol do Henrique cresça muito. Não há dúvidas, a excelente dupla de 2014 está de volta voando!

      • Ernesto Araújo disse:

        Se estou “deitando falação” sobre lançamentos e zagueiros, sobre volantes faço silêncio. Não entendo nada posição e só vejo esses caras em campo quando dão assistências ou fazem gols. Portanto, vou acreditar nos comentaristas do blog.

    • raher disse:

      O volante moderno, procura a bola e sempre se oferece como opção de jogo. Não é afoito para o passe e escolhe sempre a melhor opção. E alem disso ainda chuta pra gol.

  9. SÍNDICO disse:

    RAFINHA não economizou energia na ocupação de espaços, na recomposição, na luta pela bola. Já aquela vibe goleadora, parece que se diluiu.

    • Bruno 7L RJ disse:

      Taticamente importante como sempre, pois o CAP forçou muito por ali com o Rafael Veiga e o garoto que entrou quando este 1º contundiu-se. Ofensivamente não participou muito, mas deu um grande suporte para o Egídio subir e segurar a referida rapaziada.

    • raher disse:

      Para o ataque e para o serviço de criação pouco contribui, mas dizem que taticamente e defensivamente esta muito bem. Eu prefiro quem faça os dois serviços.

  10. SÍNDICO disse:

    ROBINHO não criou o quanto deveria e se esperava dele, mas esteve longe de enterrar o time, como estão dizendo os termocéfalos.

    • raher disse:

      Pouca criatividade e pouca visibilidade no jogo. Não vejo mais as jogadas dele que resultem em chutes ou boas assistencias. Onde ta jogando não rende o que deveria.

  11. SÍNDICO disse:

    ARRASCAETA fez boas jogadas pela esquerda, visitou a direita, sem a mesma eficiência. No final das contas, foi o melhor atacante de quantos estiveram em campo, mas saiu mais cedo, cansado.

    • Ernesto Araújo disse:

      Dois cruzamentos primorosos e de esquerda, que não é a perna boa. Mesmo assim, Sassá não conseguiu aproveitar. As qualidades do nosso “9” ideal estão distribuídas em diferentes jogadores. Ele teria que ter a estatura e o cabeceio do Dede, a velocidade do Sassá e o poder definição do Raniel.

      • Ernesto Araújo disse:

        E, já que estamos no campo dos “sonhos”, uma pitada da habilidade do Arrascaeta. Dava pra vender um cara assim por uns 20 milhões de Euros, talvez…

    • raher disse:

      Está no auge fisico e aprimorando cada vez mais a tecnica. Sempre ousa partir pra cima e passa facil, para uma boa assistencia ou mesmo chute em gol, merecia ter um bom criador para acionar ele

      • Ernesto Araújo disse:

        Só deixa de fazer alguns gols que, pra nós, são aparentemente “gols feitos”. Ainda bem que compensa fazendo outros golaços.

  12. SÍNDICO disse:

    SASSÁ quase marcou um gol, não conseguiu e nem teve outras oportunidades. Restou o entusiasmo de sempre.

    • Celeste disse:

      Jorge, esse sujeito é muito atrapalhado. Fosse ele no lugar do Raniel, naquele último lance, é bem provável que levaria um escorregão.

    • Bruno 7L RJ disse:

      Sassá lutou muito, mas não estava numa noite feliz. A bola estava batendo e voltando lembrando o Júlio Batista na pior fase com a camisa celeste. E perdeu duas boas oportunidades de cabeça.

    • raher disse:

      Continua brigando com a bola, ontem teve boas chances e não aproveitou. Abila faria uns dois ontem.

  13. SÍNDICO disse:

    MANCUELLO jogou pouco tempo e perambulou pela direita e pelo meio, mas não pela esquerda, onde se sente mais à vontade. Compôs o time, sem criar, nem comprometer.

    • Bruno 7L RJ disse:

      De novo entrou e passou desapercebido. Só lembrei dele quando matou um contra ataque.

    • BrunoBarros disse:

      Não sei porquê ele tem tantas chances jogando tão pouco. Não seria a hora de testar mais o Bruno Silva que já mostrou alguma evolução nos últimos 2 jogos que entrou?

      • Bruno 7L RJ disse:

        A questão do Bruno Silva, sei não, acho que tem caroço nesse angu. Penso que ele possa ter feito alguma bobagem pois já são 2 jogos que ele poderia ter entrada na posição que mais rende: 1º contra o Sport quando Rafinha saiu e ontem quando o Robinho saiu. Deve estar de castigo.

    • Saddi disse:

      A perna direita dele é nula, nem pra pegar ônibus

    • raher disse:

      Está sempre entrando e nada de especial acrescenta ao time. O toque de craque que o mostrou pro mundo sumiu;

  14. SÍNDICO disse:

    SOBIS jogou pouco tempo, correu, mas não criou, nem teve chance de gol.

  15. SÍNDICO disse:

    MANO escalou certo, substituiu certo, encheu o saco do juiz só pra não perder a fama de mau e pontificou na entrevista, esquecido de que, mais do que ele e o Dinoz, a bola foi quem esteve no comando.

    • Bruno 7L RJ disse:

      Claramente dissecou o jeito do adversário jogar e posicionou suas peças como um xadrez. Só estranhei o Robinho aberto na direita pelos milhares de jogos fracos recentes que fez por ali. A entrada do Mancu nessa mesma posição manteve meu estranhamento, não pq piorou, mas deixou de melhorar. Mas o treneiro mandou bem sim.

  16. SÍNDICO disse:

    CRUZEIRO jogou como manda o técnico, sem afobação. Dominado na maior arte da etapa inicial, recuperou terreno e posse de bola na segunda parte e, mesmo sem criar muitos lances de gol, conseguiu a vitória, um tanto ao quanto surpreendente.

    • Bruno 7L RJ disse:

      O time segue evoluindo. Passou segurança durante todo o confronto, não descabelou-se quando tomou o gol. Muito pelo contrário, continuou comandando as ações. O mais bacana de tudo é que ano passado quando o time tomava 1 gol era um parto para empatar, reverter então nem se fala. O time atual passa muito mais confiança, joga de uma maneira muito mais competitiva e mais agradável de ver e torcer.

      • Ernesto Araújo disse:

        Finalmente parece que o time estreou em 2018. Claramente, apesar da ótima campanha no Mineiro, quando as competições subiram de nível, deu pra ver que a equipe estava alguns degraus abaixo. Com esforço, parece que as coisas foram sendo ajustadas. O nível melhorou. Não é espetacular mas está bem competitivo.

  17. SÍNDICO disse:

    PARANAENSE jogou com três beques, quatro médios e três atacantes. Valorizou a posse de bola, compactou as linhas, enfim, fez tudo o que manda a cartilha do futebol moderníssimo. Mas foi vítima de seu estilo, pois tomou o gol de desempate, quando estava ultra compactado, tão compactado, que faltou o beque da sobra pra conter Raniel.

    • Bruno 7L RJ disse:

      Valorizou a posse de bola e terminou o jogo com 42% dela (chegou a 70% na 1º etapa). Imagina se não tivesse valorizado. CEC esteve muito bem postado o jogo todo, minou o jogo dos caras.

      • SÍNDICO disse:

        Quando obteve a vantagem, compactou-sed deixou o Cruzeiro trocar passe à vontade. Mas não permitiu jogadas perigosas dentro de sua área.

      • Bruno 7L RJ disse:

        Deixa eu ver se eu entendi… o CAP fez um gol e compactou-se deixando o CEC trocar passes e por isso a posse de bola celeste foi maior? Eu penso que o CEC foi melhor a maior parte do jogo, mas no momento do gol o CAP já tinha equilibrado um pouco a superioridade celeste do início e assim manteve-se.

    • Saddi disse:

      Do CAP destaco o Rafael Veiga, muito bom jogador, ficaria bem de azul ele e o Pablo…

  18. SÍNDICO disse:

    ÁRBITROS tomaram decisões técnicas acertadas durante todo o jogo, inclusive não marcando pênalti numa bola que acertou o cotovelo de Dedé. Foi bolada, no mãozada. Na parte disciplinar, amarelos bem distribuídos e nenhuma encrenca maior.

    • Bruno 7L RJ disse:

      Se o lance fosse contra o CEC o senhor teria essa mesma opinião? Eu achei o lance muito rápido, Dedé estava num movimento normal do braço (não dá para correr com os braços presos). Mas desviou a trajetória da bola ampliando a área ocupada. Estatisticamente falando, penso que a cada 4 lances desses, 3 árbitros marcariam pênalti. Sorte nossa.

      • BrunoBarros disse:

        A regra fala em colocar a mão na bola deliberadamente, ou seja, intencionalmente, só isso, o resto é lenda. A bola bateu no cotovelo. Bola na mão. O que a galera tem que entender é que em um jogo de futebol 99,9% das bolas que tocam na mão são involuntárias. O problema no futebol brasileiro s é a choradeira exagerada de torcedores, jogadores, treinadores em lances assim.

      • Bruno 7L RJ disse:

        “Devem ser considerados os seguintes critérios: O movimento da mão em direção a bola (e não a bola em direção à mão); A distância entre o jogador e a bola (bola inesperada); A posição da mão não pressupõe necessariamente uma infração. Bola na mão é a situação na qual o jogador, ao disputar a bola, tem cuidado em não tocá-la, porém em função da velocidade e da distância a bola o surpreende. Neste caso não há infração. Mão na bola é a situação na qual o jogador deliberadamente coloca a mão na bola ou em função de uma ação deliberada bloqueia a bola ou assume o risco de bloqueá-la. Neste caso, o árbitro deverá marcar um tiro livre direto ou tiro penal”.

      • Bruno 7L RJ disse:

        Trecho extraído do site da CBF. Vcs têm razão. Não foi pênalti.

      • Ernesto Araújo disse:

        PQxP!!! Nos anos 80 e 90, quando comecei a ver futebol mais assiduamente, era fácil. Bola na mão e mão na bola eram coisas diferentes e só isso bastava. Hoje qualquer bola no braço, no ombro, no cotovelo, no punho, no antebraço, etc, é pênalti. E começou uma moda terrivel de zagueiro entrar dentro da área marcando o adversário com as mão pra trás para não dar nenhuma brecha pro árbitro…

  19. Matheus Chaves disse:

    HENRIQUE.

  20. Matheus Chaves disse:

    Mano foi esperto como uma raposa, adiantando a marcação em boa parte do jogo e impedindo o time atleticano de sair jogando com seus 800 passes para os lados. Nosso treinador mostrou que estudou bem o adversário e o prendeu em uma arapuca. Em nenhum momento ontem temi pela derrota, considerando a postura tática da equipe.

    • rosan amaral disse:

      Matheus, precisa sua observação do que ocorreu ontem. Acrescento que esta disposição tática e assimilação técnica pelo grupo permite ao time um domínio com menos desgaste (troca de passe com natural posse da bola) do que quando recua (ai sim há um grande esforço porque corre atras da bola).

      • Matheus Chaves disse:

        Rosan, nem sempre o adversário vai “facilitar” tanto a vida do time como o CAP fez ontem, mas em regra você tem razão nessa estratégia para minimizar o desgaste.

  21. Wagner CPM disse:

    LUCAS SILVA. Será que o Real não vai querer negociá-lo?

    • Bruno 7L RJ disse:

      Bruno 7L RJ disse: 17mai18qua12:01: “Sobre o Lucas, ontem na transmissão da Fox Sports, informaram extra-oficialmente que o Madrid concordou em manter o jogador no Cruzeiro até o fim do ano”.

  22. Paulo Souza disse:

    DEDÉ.

  23. matheus t penido disse:

    HENRIQUE

  24. matheus t penido disse:

    Quando Sóbis entrou no lugar do Arrascaeta, pensei: hoje já era, vamos ver o que dá pra fazer na volta no Mineirão. Daí vem um desvio na cabeça do zagueiro, um esticão do Dedé pro Raniel e sai a virada. Coisas do ludopédio.

  25. matheus t penido disse:

    Alguns detalhes: no primeiro gol, Henrique arrisca de fora da área, a bola desvia num zagueiro e entra. Roteiro semelhante ao do gol do mesmo Henrique na final da Libertadores 2009. Outra coincidência: o zagueiro no qual a bola desviou ontem foi o mesmo que, naquela ocasião, jogava pelo Cruzeiro e virou o vilão da derrota pro Estudiantes. Outra semelhança: Henrique arriscou o chute mais ou menos do mesmo local de onde marcou contra o SP naquela mesma Libertadores. Não duvido que ele próprio tenha pensado antes de arriscar.

    • matheus t penido disse:

      Sabem o que todas essas coincidências significam? Absolutamente nada.

      • SÍNDICO disse:

        Nada tem significado no futebol. O acaso manda. Se o Heleno estivesse de touca, a bola não escorregaria na careca suada dele e tomado o rumo que tomou.

      • SÍNDICO disse:

        Se o Zé Ivaldo estivesse um passo atrás do Raniel, teria chance de impedir que o atacante arrancasse livre rumo ao gol do Santos. Como estava colado, ao permitir o giro ficou sem ação.

      • SÍNDICO disse:

        Se tivesse um quarto homem da barreira, a bola chutada pelo Carleto não teria chegado ao gol de Fábio.

      • Bruno 7L RJ disse:

        Se a menina do Vilela estivesse no famoso treino em Volta Redonda, Ábila ainda estaria no CEC.

    • Celeste disse:

      Não significam nada, mas são bem interessantes. Na final da CB96, o Palmeiras perdeu o Muller na véspera por confusão (não contusão) de bastidores. O mesmo aconteceu com Wagner no tricolor às vésperas da final 2000. No final de 2002, Luxemburgo era tri brasileiro e o Cruzeiro tri-CB. Em 2003 ele nos deu nosso primeiro brasileiro e nós contribuímos para a primeira CB dele.

  26. Bruno 7L RJ disse:

    LUCAS SILVA

  27. jrgalvao disse:

    HENRIQUE. Mais um jogo normal/bom, com resultado gigante e Raniel tava merecendo um gol, boto muita fé nele. Agora é sabado, mais uma decisao que valem mais que os tres pontos na tabela

  28. Eduardo Arreguy Campos disse:

    LUCAS SILVA. Facilita demais a saída de bola, com uma boa colocação e passes precisos. Melhorou muito a marcação do meio de campo.

  29. Eduardo Arreguy Campos disse:

    Fábio falhou sim, o passe desnecessário para a direita, atrás da barreira, antes do chute, matou a possibilidade da defesa. Dedé foi muito bem de novo, poderia ter sido tranquilamente o melhor em campo. Arrascaeta andou sumido no segundo tempo e perdeu um gol na cara do goleiro no primeiro.

  30. Saddi disse:

    LUCAS SILVA

  31. zuloobas disse:

    Dedé ou Henrique

  32. JJ disse:

    DEDÉ foi o melhor.

  33. JJ disse:

    Lucas Silva parece que não vai ficar (Real Madrid também assiste os jogos), e a venda do Arrascaeta é dada como certa. Duas grandes perdas pela frente. Vamos ver o que a diretoria fará. A seguir o padrão observado neste ano (contratações que não vingaram por algum motivo), a solução talvez já esteja no elenco, ou na base.

  34. Fernando Henrique disse:

    Se tem algo pra falar mal no melhor jogo do ano: o time tem que parar de tomar gol bobo e sufoco com bola parada; precisamos ser um pouco mais decisivos nos contrataques e oportunidades que surgem.

  35. matheus t penido disse:

    Parar de tomar gol bobo? Isso non ecziste.

  36. Polaco disse:

    LEO SIMÕES.

  37. matheus t penido disse:

    JUSTIÇA leiloou hoje a sede campestre do ALECRIM (Natal) pra pagar débitos com jogadores. Boa parte da grana será embolsada pelo ex-lateral Ruy Cabeção, que fez poucos jogos por lá em 2013 e era um dos líderes do movimento Bom Senso FC, que reinvindincava melhores condições de trabalho pros atletas profissionais. No movimento, Ruy era considerado o porta-voz dos atletas de clubes menores.

  38. SÍNDICO disse:

    HENRIQUE [[[17]]] Chaves, Bitencourt, Barros, Penido, Chiabi, França, Velloso, Ccc, Celeste, Romarol, Galvão, Vanda, Ivana, Palmeira, Bastos, Síndico, Dudu —– LUCAS [[[14]]] Sá, Rezende, Schrier, Marcoalex, Velame, Saddi, Anchieta, Silvercan, Wallace, Arreguy, Wagner, Setelagoas, Gil, Walterson —– DEDÉ [[[8]]] Rossi, Klauss, André, Viana, João, Morato, Jota, Paulo —– LEO [[[2]]] Polaco, Dourado —–ARRASCAETA [[[1]]] Barnabé —– MANO [[[6]]] Domênico, Vilela, Soalheiro, Walfrido, Estevão, Burian —– IVALDO [[[1]]] Julim

    • Bruno 7L RJ disse:

      CPM e eu votamos no LS. Rumo à liderança.

    • Ernesto Araújo disse:

      E para ilustrar o “jogo dos torpedos”, nada melhor que os citados pelo Síndico na abertura do Post. Geraldão batia forte e sem dó na bola. Eder Aleixo é franga mas esteve no grupo vencedor da CopaBR 1993. Só não sei se fez gol pelo Cruzeiro.

  39. Bruno Braga disse:

    HENRIQUE