Edílson, Henrique e Dedé, os melhores

Por Jorge Angrisano Santana | Em 10 de outubro de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 0x0 FLUMINENSE, no Mineirão, Belo Horizonte, 09out19qua21h30, pela 24ª rodada do Brasileiro 2019:

TORCIDA CELESTE compareceu em bom número e apoiou seu time, sem esmorecimentos.

FÁBIO quase não teve trabalho. As poucas bolas que chegaram, neutralizou, sem esforço.

EDÍLSON apoiou e defendeu bem, teve calma na saída de bola, finalizou bem, inclusive com um tirambaço no travessão. Foi inteligente até no amarelo que tomou ao matar um contra-ataque tricolor. Baita partida! (Bruno Setelagoas)

DEDÉ, no coração, anulou o ataque tricolor. Sem condições físicas, sentindo dores no joelho, esteve longe de brilhar, mas ainda assim foi um ponto de segurança num Cruzeiro que viu a bola queimar no pé pela grande pressão por conta da má posição na tabela. Não deu chances para Yony González e João Pedro, vencendo a maioria das disputas. (Uol Esporte)

FABRUNO, seguro, com bom tempo de bola aérea defensiva (precisa melhorar a bola ofensiva) e boa velocidade na recuperação, foi um dos melhores do jogo. (Bruno Setelagoas).

EGÍDIO apoiou o tempo todo, fez a jogada do gol mal anulado e ainda deu conta de marcar as subidas de Gilberto.

HENRIQUE, com um time cheio de atacantes, teve de se desdobrar para marcar o meio de campo do Fluminense, sempre com dois jogadores a mais. Deu conta do recado e ainda encontrou forças para ir ao ataque. Desta vez, contou com a ajuda de Jadson na marcação e nas coberturas, o que deu mais tranquilidade aos laterais para agirem o ataque.

JADSON fez uma partida ok. Recebeu vaias que não merecia. Perdeu boa chance de abrir o placar no 1º tempo quando deu um peteleco para o gol após boa jogada de pivô do Fred. (Bruno Setelagoas)

ROBINHO lutou muito, jogou fora de sua posição habitual, deslocado para a esquerda na etapa final, fez a jogada do gol mal anulado e saiu mais cedo, amarelado e cansado.

MAURÍCIO entrou a trinta minutos do fim, para jogar na meia esquerda, mas não conseguiu produzir jogadas perigosas contra o ferrolho tricolor.

DAVID, forte e impetuoso, tentou jogadas individuais, sem acabamento adequado. Saiu no intervalo e o time sentiu sua falta, perdendo pegada ofensiva.

M GABRIEL entrou na etapa final para jogar pela direita, provavelmente, para cortar para o meio e arrematar de canhota. Acabou que cruzou, nem chutou. Foi uma invenção do técnico que não funcionou.

SASSÁ resumiu sua apreciação em força e raça. Foi mais escudeiro do Fred do que centroavante. Na etapa inicial, teve boa oportunidade, mas ao invés de tocar com tranquilidade e convicção, quis enfiar goleiro, bola e beque para dentro do arco e desperdiçou boa chance de gol. Anda muito ansioso, mas continua sendo necessário neste momento. (Bruno Setelagoas)

POPÓ jogou a meia hora final, sem brilho. Sem ter como aturar como o nove tradicional que é na base, muitas vezes, distante da área não ameaçou o arco tricolor.

FRED jogou bem durante uma hora, com bons passes, finalização perfeita no lance do gol e mobilidade. Daí em diante, perdeu gás, embora tenha se mantido alerta à espera de uma bola que nunca chegava em condição de ser arrematada.

ABEL escalou o time com dois centroavantes, trocou David por M Gabriel, no intervalo, e piorou o time. Na etapa final, inverteu as posições de Robinho, que foi para a esquerda, e M Gabriel, que foi para a direita, e não conseguiu nenhum resultado com essa invenção, e colocou os garotos Popó e Maurício, que tampouco resolveram os problemas ofensivo do time. Seu mérito foi buscar alternativas para um time que tem imensa dificuldade para marcar gol. Além disto, mandando seu time atacar, mobilizou a torcida. O saldo [poderia ter sido a vitória, mas isto a arbitragem gasificas do combo gaúcho não permitiu.

CRUZEIRO começou pressionando a saída de bola tricolor, mas não teve calma para definir as jogadas. Dominou o jogo todo, mandou bola na baliza, teve gol mal anulado, correu bastante, mas colhei apenas um ponto, embora merecesse os três.

FLUMINENSE armou uma retranca apostando nos contratareis com Yoni Gonzáles, que foi contido por Dedé. fez cera, contou com muita ajuda da arbitragem e conseguiu o empate sonhado. O beque Nino e o volante Daniel foram os melhores.

ÁRBITROS mexeram no placar, anulado um gol legítimo do Cruzeiro. O juiz de campo abusou do direito de proteger o Fluminense marcando faltas inexistentes, não dando vantagem ao Cruzeiro e até “desespulsando” o tricolor Iuri, que agrediu jadson com um coice. Foram tantos os erros absurdos, que eles podem muito bem serem promovidos a sacanagem. 

MelhorDoJogo => EDÍLSON [[[11]]] Borges, Fernandão, Wagner, Palmeira, Setelagoas, Hugo, Igor, Bastos, Araujo, Velloso, Síndico —– HENRIQUE [[[8]]] Rezende, Clemenceau, Burian, Guidugli, Athiê, Ianni, Sobrinho, Barnabé —– DEDÉ [[[7]]] Uol, Castelões, Hiram, Klauss, Nem, Vanda, Patrícia —– FABRUNO [[[6]]] Sá, Seisaum, Ramos, Bitencourt, Chaves, Galvão —– EGÍDIO [[[3]]] Mateus, Schrier, Dudu —– FRED [[[3]]] King, Lauanda, Romarol —– JADSON [[[2]]] Efeagá, Pedro —– ABEL [[[1]]] Caolho —– TORCIDA [[[4]]] Albertim, Azevedo, Emerson, Figueiredo —– MARCÃO [[[1]]] Pimentel…

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.