Sassá, Henrique e Leo, os melhores

Por SÍNDICO | Em 5 de outubro de 2018

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 1-1 BOCA, Mineirão, Belo Horizonte, 04out18qui21h45, volta das quartas da Libertadores 2018?

TORCIDA CELESTE apoiou o tempo todo e, no fim, aplaudiu reconhecendo o esforça do time.

FÁBIO, sem culpa no gol, fez boas defesas e armou jogadas da reposição de bolas.

EDÍLSON, preocupado com Pavón, apoiou pouco. Na defesa, não comprometeu.

DEDÉ foi perseguido implacavelmente pelo Juiz e acabou expulso na etapa final. Com a bola rolando, jogou com garra e não cometeu erros.

LEO foi um gigante na defesa, perseguindo e desarmando os argentinos. Só foi vencido no lance do gol xeneize, quando o jogo já estava decidido.

EGÍDIO teve muita dificuldade com o veloz Villa. Mesmo assim, deu um jeito de apoiar o ataque, em combinações com Arrascaeta e Neves.

HENRIQUE manteve a intensidade durante toda a partida, defendendo e armando jogadas. Jamais se deu por vencido, mesmo enfrentando uma luta desigual no meio e campo. Ele e Lucas contra Barrios, Nández e Pérez.

LUCAS sentiu a dificuldade de enfrentar um meio de campo mais povoado do adversário e não repetiu as recentes boas atuações. Deu lugar a Sassá, numa alteração tática de Mano Menezes.

ROBINHO não conseguiu grande coisa coma fechada defesa do Boca. Melhorou quando foi jogar na volância, embora aí o fôlego já estivesse curto.

NEVES começou bem, criando boas jogadas, mas perdeu gol, inspiração e fôlego, terminando frustrado e derramando lágrimas na saída de campo.

ARRASCAETA lutou muito tentou jogadas, fez o possível contra uma ótima defesa. Saiu aos 75, sentindo dores nas pernas.

BARCOS ficou mais tempo do que devia em campo. Não encontrou espaços, não teve inspiração, não ameaçou o arco xeneize.

SASSÁ entrou e foi logo fazendo um gol. Tentou fazer outro, mas não teve novas chances. Lutou bastante, como sempre.

RANIEL entrou na metade do segundo tempo e só se fez notar por ter perdido dois gols.

RAFINHA jogou 20 minutos e não fez muita coisa para mudar o rumo da partida.

MANO escalou seu time de confiança e fez mudanças táticas no decorrer do jogo. O resultado não foi o esperado, pois seu time tem dificuldade para marcar gols e porque, quando marcou, o juiz anulou.

MANO fez a coisa certa ao trocar Lucas, que não conseguia apoiar o ataque por Robinho. Que outra alternativa ele tinha para tornar o time mais criativo?

CRUZEIRO fez dois gols, só um valeu. Não tinha futebol para ir além. Nem mesmo com as mudanças táticas, que fizeram o time terminar a partida com um volante e dois centroavantes.

BOCA fez cera o tempo todo, embora tivesse futebol para jogar a até vencer a partida. Além da cera, defesa cerrada, com três volantes e laterais contidos. Apesar de pouco acionados, seus atacantes, Villa, Zárate, Pavón e Ábila são ótimos.

ÁRBITROS prejudicaram o Cruzeiro anulando um gol legal de Barcos e perseguindo Dedé o tempo todo. De caso pensado ou não, os árbitros cumpriram o papel de vingadores do juiz paraguaio que prejudicou o Cruzeiro no jogo de ida e teve um cartão vermelho revertido politicamente.

MelhorDoJogo => SASSÁ [[[10]]] Uol, Emerson, Romarol, Morato, Venâncio, Bitencourt, Azevendo, Chiabi, Nanayoski, Mari —– HENRIQUE [[[8]]] França, Albertim, Maury, Viana, Wallace, Reis, Síndico, Dudu —– LEO [[[4]]] Velloso, Evandro, Fred, Barnabé —– FÁBIO [[[3]]] Lauanda, Rocha, Lulu —– EDÍLSON [[[2]]] Rezende, Schrier —– LUCAS [[1]]] Rizzi —–  TORCIDA CELESTE [[[2]]] Tate, Ramos. 

60 comentários para “Sassá, Henrique e Leo, os melhores”

  1. SÍNDICO disse:

    TORCIDA CELESTE apoiou o tempo todo e, no fim, aplaudiu reconhecendo o esforça do time.

  2. SÍNDICO disse:

    FÁBIO, sem culpa no gol, fez boas defesas e armou jogadas da reposição de bolas.

  3. SÍNDICO disse:

    EDÍLSON, preocupado com Pavón, apoiou pouco. Na defesa, não comprometeu.

    • raher disse:

      Era o jogo para ele se consagrar, mas nada fez. Ate na falta no seu estilo isolou a bola como um beque de roça. nota 3

  4. SÍNDICO disse:

    DEDÉ foi perseguido implacavelmente pelo Juiz e acabou expulso na etapa final. Com a bola rolando, jogou com garra e não cometeu erros.

    • raher disse:

      Exagerou na dose de entusiasmo e acabou provocando ainda mais o Juiz. Mereceu o primeiro amarelo mas não o segundo. Merecia sim ter feito o segundo gol que nos deixaria vivos. nota 6

  5. SÍNDICO disse:

    LEO goi um gigante na defesa, perseguidno e desarmando os argentinos. Só foi vencido no lance do gol xeneize, quando o jogo já estava decidido.

  6. SÍNDICO disse:

    EGÍDIO teve muita dificuldade com o veloz Villa, Mesmo assim, deu um jeito de apoiar o ataque , em combinações com Arrascaeta e Neves.

  7. SÍNDICO disse:

    HENRIQUE manteve a intensidade dirantew toda a partida, defendendo e armando jogadas. Jamais se deu por vencido, mesmo enfrentando uma luta desigual no meio e campo. Ele e Lucas contra Barrios, Nández e Pérez.

  8. SÍNDICO disse:

    LUCAS sentiu a dificuldade de enfrentar um meio de campo mais povoado do adversário e nãomreetiuas recentes boas atuações. Deu lugar a Sassá, numa alteração tática de Mano Menezes.

  9. SÍNDICO disse:

    ROBINHO não conseguiu grande coisa coma fechada defesa do Boca. Melhorou quando foi jogar na volância, embora aí o fôlego já estivesse curto.

  10. SÍNDICO disse:

    NEVES começou bem, criando boas jogadas, mas perdeu gol, inspiração e fôlego, terminando frustrado e derramando lágrimas na saída de campo.

    • raher disse:

      Jogou quase nada, era o dia de tirar o atraso e errou mais que o costume, inclusive perdendo duas chances que até sobis faria. Tem sido um menos 1 do time;.

  11. SÍNDICO disse:

    ARRASCAETA lutou muito tentou jogadas, fez o possível contra uma ótima defesa. Saiu aos 75, sentindo dores nas pernas.

    • raher disse:

      Iniciou com alguns bons lances mas depois ficou so na vontade, o time não tem armador inteligente e rapido para colocar bolas e facilitar a vida dele. nota 5

  12. SÍNDICO disse:

    BARCOS ficou mais tempo do que devia em campo. Não encontrou espaços, não teve inspiração, não ameaçou o arco xeneize.

  13. SÍNDICO disse:

    RANIEL entrou na metade do segundo tempo e só se fez notar por ter perdido dois gols.

    • raher disse:

      Jogou nada e ainda perdeu 2 gols que até o Abila faria.

      • Thiago 5 estrelas disse:

        Comentei no post anterior que a chance perdida pelo Raniel não era tão clara, infelizmente revendo o lance reconheço que era claríssima, tomou a pior decisão em tentar matar a bola, era só empurrar de prima.

      • JOAOCOSTA disse:

        Você ia até bem, mas insinuar que o Raniel é melhor que o Ábila é piada. O Ábila jamais perderia aqueles gols. O Raniel ainda é um projeto de centroavante.

  14. SÍNDICO disse:

    RAFINHA jogou 20 minutos e não fez muita coisa pra mudar o rumo da partida.

  15. SÍNDICO disse:

    MANO escalou seu time de confiança e fez mudanças táticas no decorrer do jogo. O resultado não foi o esperado, pois seu time tem dificuldade pra marcar gols e porque, quando marcou, o juiz anulou.

    • mrr disse:

      Abraçado com a arbitragem como vilões do jogo! Teve participação direta na desorganização do time no segundo tempo, cometeu erros de iniciante.

      • Matheus Penido disse:

        Teve nada disso não. O recuo do Robinho era a alternativa óbvia, tava na cara que se não fizesse o gol no primeiro tempo ele faria isso. O que mudou a história do confronto foram outros fatores.

      • Matheus Penido disse:

        E com Robinho de “volante” e jogando com onze o Cruzeiro pressionou muito mais do que no 1º tempo quando o paranaense estava na meia. Enfim, essa cisma de que o time se desorgnizou com a mudança não encontra amparo no que ocorreu em campo, ao menos no jogo que eu vi.

      • SÍNDICO disse:

        MANO fez a coisa certa ao trocar Lucas, que não conseguia apoiar o ataque por Robinho. Que outra alternativa ele tinha pra tornar o time mais criativo?

      • JOAOCOSTA disse:

        A alternativa óbvia seria sacar o TN, um peso morto por todo o jogo. E eu não tiraria o Barcos.

  16. SÍNDICO disse:

    CRUZEIRO fez dois gols, só um valeu. Não tinha futebol pra ir além. Nem mesmo com as mudanças táticas, que fizeram o time terminar a partida com um volante e dois centroavantes.

  17. SÍNDICO disse:

    BOCA fez cera o tempo todo, embora tivesse futebol pra jogar a até vencer a partida. A;ém da cera, defesa cerrada, com três volantes e laterais contidos. Apesar de pouco acionados, seus atacantes, Villa, Zárate, Pavón e Ábila são ótimos.

  18. SÍNDICO disse:

    ÁRBITROS prejudicaram o Cruzeiro anulando um gol legal de Barcos e perseguindo Dedé o tempo todo. De caso pensado ou não, os árbitros cumpriram o papel de vingadores do juiz paraguaio que prejudicou o Cruzeiro no jogo de ida e teve um cartão vermelho revertido politicamente.

  19. Matheus Penido disse:

    Era previsível que o Arrascaeta não estivesse 100%, e depois do 1 a 0 e com o Boca abatido ele seria o cara pra fazer a diferença. Infelizmente deu tudo errado: lesão do uruguaio, expulsão do Dedé, Boca e juiz picando o jogo e por fim o gol de empate.

  20. SÍNDICO disse:

    SASSÁ, o melhor do jogo, foi pedido por parte da torcida ainda no primeiro tempo, por conta da necessidade de se fazer um gol. O treinador, no entanto, não acatou ao pedido de forma imediata. A exigência só foi atendida aos 58. O atacante entrou na vaga de Lucas e, em seu primeiro toque na bola, estufou a rede de Rossi. (UOL)

  21. SÍNDICO disse:

    DEDÉ voltou a protagonizar um lance polêmico na partida de volta. O zagueiro entrou com o pé muito alto pra dividir uma bola aérea com Rossi, arqueiro reserva do time argentino, e na sequência Barcos estufou a rede. O Juiz marcou falta do Mito na jogada e irritou os torcedores e jogadores do Cruzeiro. No segundo tempo, o jogador recebeu dois amarelos e foi novamente expulso. Ele se revoltou com a situação, mas saiu de campo. (UOL)

  22. mrr disse:

    O alto custo de se ter um time com uma média de idade de 30 anos. Qual o benefício de um time experiente se os mesmos comportam se como juvenis? Fôlego já não há! Altos salários! Baixo retorno e de difícil negócio em caso de venda.

  23. rosan amaral disse:

    DEDÉ diz que ficou marcado e dispara após eliminação do Cruzeiro: ‘Não sei por que brigou para reverter o cartão’. O Olé listou seis tópicos de polêmicas de arbitragem no jogo e deu o veredicto. Veja! Pênalti sobre Villa, do Boca Juniors. “No primeiro tempo, o colombiano enfrentou, parou e caiu. Ele pediu o pênalti, mas o juiz estava bem em não comprar a simulação”. Faltas inexistentes sobre o goleiro Rossi, do Boca Juniors. “Cunha marcou duas faltas sobre o goleiro do Boca que não existiam. A partir desses momentos, começaram as reivindicações”. Gol anulado do Cruzeiro. “No final do primeiro tempo, um cruzamento chegou à área, e Dede levantou a perna, mas não pareceu intervir no campo de ação de Rossi. O goleiro Boca errou, deixando a bola flutuando. O Cruzeiro marcou o gol, mas o árbitro alegou falta de Dedé. Eles queriam devorá-lo. Erro do juiz”. Pênaltis não assinalados para o Cruzeiro. “Corrigir o juiz, que levou um pouco de tempo para marcar, mas consultou seu assistente. Olaza havia cometido uma penalidade, mas Barcos estava em impedimento. Em outro, todos pediram um toque de braço de Olaza, que não foi, e o juiz mandou seguir corretamente”. Expulsão de Dedé. “Ele poderia ter expulsado Dedé em qualquer outra jogada, devido à sua falta de jeito, mas neste lance pareceu mais um choque do que agressão contra Pavón. Mostrou a ele o segundo amarelo. No entanto, o jogador do Boca disse que foi atingido”. Impedimento de Ábila em bola na trave. “Logo após entrar, um cruzamento a Wanchope apareceu na área, e a bola bateu na trave. Ele estava claramente impedido, mas eles não marcaram nada, e o jogo continuou. Felizmente, a bola não entrou”.

  24. Leonardo Matarelli disse:

    Esse time tem que resolver uma questão imediatamente, se não quiser entrar de parafusos na descendente: É necessário ganhar ao menos um jogo em casa em mata-matas nesse segundo semestre. E de quarta-feira não pode passar.

  25. JOAOCOSTA disse:

    O fato “venérico”, como diria o comediante, e inconteste é que a estratégia Menesiana deu errado nessa fase. Costumávamos jogar melhor fora. Só que do outro lado havia um time tão bom ou melhor que o nosso, experiente nesse tipo de confronto, marrento e disposto a ficar com a vaga a qualquer custo. Para piorar, naquele jogo de ida, o Dedé foi expulso. O nosso time não joga bem em casa, perdeu ou empatou quase todas. Para piorar, daqueles que esperávamos algo no jogo de volta, nos decepcionaram: Arrasca e o badalado, pelo menos pelo MM, TN não jogaram nada.No placar agregado, ficou 3X1 para o Boca. Venceu quem soube vencer. Simples assim

  26. Velloso disse:

    LEO SIMÕES

  27. SÍNDICO disse:

    SASSÁ [[[10]]] Uol, Emerson, Romarol, Morato, Venâncio, Bitencourt, Azevendo, Chiabi, Nanayoski, Mari —– HENRIQUE [[[7]]] França, Albertim, Maury, Viana, Wallace, Reis, Síndico —– LEO [[[3]]] Velloso, Evandro, Barnabé —– FÁBIO [[[2]]] Lauanda, Rocha —– LUCAS [[1]]] Rizzi —– EDÍLSON [[[2]]] Rezende, Schrier —– TORCIDA CELESTE [[[2]]] Tate, Ramos.