Neves e Romero, os melhores no Independência

Por Jorge Angrisano Santana | Em 27 de maio de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 1×2 CHAPECOENSE, Independência, Belo Horizonte, 26mai19dom19h, 6ª rodada, Brasileiro 2019:

TORCIDA CELESTE compareceu e bom número e apoiou o tempo todo. Mas pagou, em média, apenas R$8, que é para colocar o time em outras divisões.

FÁBIO, com ajuda do poste, salvou um gol da Chape, no primeiro tempo. Na etapa final, tomou dois gols em que a bola quicou à frente e dificultou a defesa. No primeiro, o rebote ficou limpo pro atacante, sem que a defesa chegasse a tempo de rebater, No segundo, ele saltou, mas não chegou a tempo. Os professores de futebol das redes acham que houve falha nos gols. Mas o que não houve foram os tradicionais milagres. Mas milagre não é algo que aconteça todo dia. Se fosse, não seria milagre, ora.

ROMERO não foi muito incomodado pelo ataque da Chape, que jogou mais pela direita. Mesmo assim, optou por ficar na defesa. Apenas no fim do jogo, enveredou-se pelo meio da defesa catarinense tentando jogadas individuais, o que arrancou aplausos da torcida.

DEDÉ entrou de prima e tomou lençol no lance do segundo gol da Chape. Nos demais lances, foi bem-sucedido.

LEO, o melhor da defesa, teve muito trabalho na cobertura da lateral esquerda.

EGÍDIO foi o lateral que atacou, embora a Chape tenha forçado jogo em seu setor, com Artur Gomes. Fazia voa partida, até o lance que originou o gol da vitória catarinense, quando errou tudo, da cobrança de lateral à marcação de Everaldo. A torcida não o perdoou, punindo-o com vaias e impropérios.

HENRIQUE foi o único colante durante a maior parte do jogo, o que o obrigou a ficar preso na defesa, sem ajudar na armação de jogadas, como de costume.

MANO atendeu aos reclamos dos adeptos do futebol faceirinho e entrou coma apenas um volante. Seu time dominou o jogo, mas não conseguiu transformar em gols as chances criadas. Na metade da etapa final, colocou mais um volante, mas quando parecia que o gol da vitória sairiam a ontem eu o contrário ele chegou à conclusão que o melhor é insistir no que já funcionou um dia, ao invés de inventar soluções novas no decorrer do campeonato.

CRUZEIRO começou com uma formação inédita, usando apenas um volante e teve bastante posse de bola. Na metade da etapa final, passou a jogar com dois volantes, continuou dominando e criando oportunidades, onze ao todo, mas sem conseguir transformá-las em gols. O castigo aconteceu em dois vacilos da defesa. Merecia sorte melhor, mas ela não ajudou também como castigo pela falta de efetividade nos arremates.

CHAPECOENSE foi dominada o tempo todo, teve apenas 30% de posse, mas conseguiu criar quatro oportunidades, aproveitando a metade. Seus beques, volantes e meias, muito esforçados, foram os destaques.

ÁRBITROS trabalharam bem.

MelhorDoJogo> NEVES [[[17]]] Sá, Ernesto, Setelagoas, Rezende, Schrier, Klauss, Ulhôa, Ianni, Rocha, França, Penido, Jotapê, Anchieta, Romarol, Amaral, Marcos, Síndico —– ROMERO [[[8]]] Seisaum, Bitencourt, Pyxis, Velloso, Arreguy, Ramos, Chiabi, Vasconcelos —– ROBINHO [[[3]]] Uol, Clemenceau, Nanayoski —– HENRIQUE [[[2]]] Gesoco, Barnabé —– ELICAROS [[[2]]] Reis, Viana —– TORRES [[[1]]] Waleri —– RILDO [[[1]]] Ge —– ARAÚJO [[[1]]] Romeu —– FRANCO [[[4]]] Samuel, Castelões, Álvaro, Júnior.

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.