Neves, Digão e Rafael, os destaques no Humaitá

Por SÍNDICO | Em 12 de outubro de 2017

ATUAÇÕES dos protagonistas de GRÊMIO 0x1 CRUZEIRO, no Humaitá (55 mil), Porto Alegre, pela 28ª rodada do Brasileiro 2017:

TORCIDA CELESTE não apareceu. Pouca gente se animou a desafiar o tempo inóspito pra apoiar o time, que praticamente só teve o aplauso da garotada do Sub17 que havia jogado contra o Inter pelo Brasileiro da categoria. (Síndico)

RAFAEL fez duas defesaças, que asseguraram a vitória. Deve levar prêmios dos telespectadores dos canais esportivos, porque além de tudo, as defesas renderam boas imagens. (Síndico)

EZEQUIEL não foi muito incomodado na etapa inicial, quando seu principal problema foi marcar Marcelo Oliveira. Na etapa final, sofreu mais, pois o Grêmio reforçou o setor com Everton. A briga foi intensa e ele saiu-se bem. (Síndico) —- Fez o que se espera dele – apesar do Grêmio ter forçado pelo seu lado, saiu-se bem. (Douglas Velloso)

DIGÃO foi o melhor por um absoluto controle do jogo aéreo que segundo o footstats chegou a 17 intervenções rasteiras e aéreas e 36 passes corretos e nenhum errado (em que pese a maioria lateral). Muito focado e concentrado no melhor estilo zagueiro-zagueiro. Mais feliz do que acertar os meus prognósticos é perceber que jogadores como ele nos representam dignamente compensado nosso esforço diário de ter o Cruzeiro conosco em meio a tanto trabalho, família e estudos. (Felipe Cardoso) —–  foi o melhor em campo. Rebateu todas as bolas que circularam a área celeste, foi soberano pelo alto, marcou bem nas bolas paradas e saiu jogando com tranquilidade quando precisou. (Douglas Velloso)

MANOEL, em seu segundo jogo seguido como titular, foi outra vez destaque. Ao lado de Digão, que também se mostrou muito eficiente, imperou na zaga e deu pouco espaço pra Barrios. No posicionamento, também dificultou o time gremista. (Globo Esporte) —– Este seguro, como antes da lesão. Coordenou o miolo de zaga, espanou e teve bons lances de recuperação. (Douglas Velloso)

HUDSON defendeu, desarmou e apoiou o ataque, tudo com eficiência. (Matheus Penido)

NEVES foi outra vez decisivo para o Cruzeiro. Mesmo não tendo uma atuação brilhante e, em muitos momentos até apagada, na hora que teve de decidir, foi eficiente e deu passe açucarado pra Sobis marcar. (Globo Esporte) —- Mais uma vez, decisivo. Criou a jogada do gol. Jogador diferenciado. (Paulo Souza)

SOBIS melhorou em relação às últimas atuações, tendo a mesma vontade de sempre, mas aparecendo mais pro jogo, principalmente no 2º tempo. (Globo Esporte)

CRUZEIRO conseguiu a vitória baseado no jogo coletivo, na determinação de todo o do grupo, porque futebol de verdade, o time não mostrou. Mas tranquilidade e a motivação geradas pela conquista da Copa do Brasil, bem como pela união do elenco estão empurrando a equipe tabela acima. (Ernesto Araujo) —– O que o Cruzeiro tem apresentado de melhor é um jogo coletivo forte, organizado, eficiente, com destaque para o sistema defensivo. A confiança está em alta, o que ajuda. Isso hoje faz diferença. (Mauro França)

GRÊMIO

ÁRBITROS levaram o jogo na manha, sem aplicar cartões amarelos, nem cenas de exibicionismo. E, o mais importante, não cometeram erros. (Síndico

NEVES [[[11]]] Braga, Bitencourt, Gesoco, Souza, Rosan, Bastos,  Geisel, Wallace, Ivana, Gil, Barnabé —– DIGÃO [[[9]]] Cardoso, Ernesto, Barros, Walterson, Marcoalex, Velloso, França, Schrier, Chiabi —– RAFAEL [[[7]]] Romarol, Schulman, Fabrício, Drummond, Rossi, Tate, Oliveira —–HUDSON [[[4]]] Penido, Ccc, Gustavo, Toninho —– SOBIS [[[4]]] Luizantonio, Estevão, Domênico,  Arreguy —– MANOEL [[[2]] Velame, João —– HENRIQUE [[[1]]] Galvão —– GEROMEL [[[1]]] Muzzi.

29 comentários para “Neves, Digão e Rafael, os destaques no Humaitá”

  1. Romarol disse:

    RAFAEL: Cruzeiro tem mais um ídolo pro gol por mais 10 anos.

  2. matheus t penido disse:

    HUDSON. Defendeu, desarmou e apoiou o ataque, tudo com eficiência.

  3. GE disse:

    MANOEL em seu segundo jogo seguido como titular, foi outra vez destaque. Ao lado de Digão, que também se mostrou muito eficiente, imperou na zaga e deu pouco espaço pra Barrios. No posicionamento, também dificultou o time gremista. Nota 7 —– NEVES foi outra vez decisivo para o Cruzeiro. Mesmo não tendo uma atuação brilhante e, em muitos momentos até apagada, na hora que teve de decidir, foi eficiente e deu passe açucarado pra Sobis marcar. Nota 6,5 —– SOBIS melhorou em relação às últimas atuações, tendo a mesma vontade de sempre, mas aparecendo mais pro jogo, principalmente no 2º tempo. Nota 7

  4. Meu voto é para Rafael, goleiro da porra!!!

  5. Marcelo Grohe Fez uma defesa importante no primeiro tempo em arremate de Alisson. No gol de Sóbis, ficou cara a cara com o atacante e nada poderia fazer. Nota 5
    Edilson No primeiro tempo, foi a melhor opção ofensiva do Grêmio. Perturbou a defesa com bons cruzamentos. Seguiu com essa produção na segunda etapa. Um dos melhores do time. Nota 7
    Geromel Não foi a sua melhor noite. Falhou no gol de Sóbis. Em novo vacilo, que surpreendeu os torcedores, quase permitiu que o atacante marcasse outra vez. Nota 5
    Kannemann Compensou a noite pouco inspirada de Geromel com muita determinação. Teve trabalho com Sóbis. Nota 7
    Marcelo Oliveira Teve dificuldades no início, pela longa parada. Aos poucos, virou boa alternativa ofensiva. No segundo tempo, não teve maior destaque. Nota 6
    Jailson Acima de tudo, foi um marcador. Quando o espaço se abria, pouco arriscava. Vai precisar se impor mais para ser o substituto de Michel em Guayaquil. Nota 5
    Arthur Muito combativo. Desarmou sem cometer falta. E, como sempre, foi bem nos passes. Saiu com lesão no tornozelo direito. Nota 7
    Fernandinho Atuou pela direita, mas, desta vez, esteve bem abaixo de outras participações. Em alguns momentos, chegou a incomodar a torcida. Nota 4
    Jean Pyerre Longilíneo, tem um estilo clássico para atuar. Compensou uma aparente falta de velocidade com qualidade nos passes. Vai crescer quando ficar mais à vontade. Nota 6
    Arroyo Começou com muita energia, com dribles e passes. Foi sumindo aos poucos. Antes de sair, quase fez um gol de falta. Nota 6
    Lucas Barrios Cercado pelos “armários” Digão e Manoel, teve uma de suas partidas menos produtivas com a camisa do Grêmio. Nota 4
    Patrick Não conseguiu fazer o que fizera em outras partidas. Competirá com Jean Pyerre para Renato saber qual garoto merecerá mais oportunidades de agora em diante. Nota 5
    Everton Teve uma das poucas oportunidades do Grêmio na partida para marcar. Mas não foi feliz. Nota 5
    Beto da Silva Desta vez, nos poucos minutos, não foi iluminado como contra o Fluminense. Sem nota

  6. jrgalvao disse:

    HENRIQUE, so para variar

  7. FELIPE CARDOSO disse:

    Hoje vou votar naquele que por mim nem estaria aqui com a gente. Reconheço que Digao foi o melhor por um absoluto controle do jogo aéreo que segundo o footstats chegou a 17 intervenções rasteiras e aéreas e 36 passes corretos e nenhum errado (em que pese a maioria lateral). Muito focado e concentrado no melhor estilo zagueiro-zagueiro. Mais feliz do que acertar os meus prognósticos é perceber que jogadores como ele nos representam dignamente compensado nosso esforço diário de ter o Cruzeiro conosco em meio a tanto trabalho, família e estudos.

    • Ernesto Araújo disse:

      Ouvi uma entrevista dele na Itatiaia antes do jogo e pareceu ser um cara inteligente, articulado… Aquele jeitão carioca e tal mas foi realmente bem ontem. Muito distante do Digão “perdidão” dar primeiras partidas que andou fazendo várias pixotadas.

      • Ernesto Araújo disse:

        E, como o nosso ataque vive de lampejos, vou votar também no DIGÃO como o MDJ de ontem, com destaque para Ezequiel, Manoel, Thiago Neves pelo passe e Sóbis (!!!) pelo gol.

      • BrunoBarros disse:

        DIGÃO

  8. Fabio Velame disse:

    Manoel

  9. Ernesto Araújo disse:

    Assim como o Jorge Schulmann comentou no post anterior, foi uma vitória do grupo, da determinação. Futebol MESMO o time não está jogando não. Mas a tranquilidade e a motivação pela conquista da CB bem como a aparente união do plantel estão empurrando a equipe tabela acima.

    • Mauro Franca disse:

      Ernesto, qual time brasileiro jogando “futebol MESMO”? Nenhum time mostra um futebol vistoso, empolgante. Isso não existe no futebol brasileiro hoje. Nem Corinthians, Santos ou Grêmio, tão decantados pela mídia, muito menos Palmeiras ou Flamengo, pra ficar só nos times da parte de cima da tabela. Então, por que cobrar isto do Cruzeiro?

      • Mauro Franca disse:

        O que o Cruzeiro tem apresentado de melhor é um jogo coletivo forte, organizado, eficiente, com destaque para o sistema defensivo. A confiança está em alta, o que ajuda. Isso hoje faz diferença.

      • Romarol disse:

        ESCREVE GUSTAVO ROMAN Mais uma vitória de um visitante no campeonato nacional. Fruto de uma ótima marcação, organização tática, entrega dos jogadores e, especialmente, eficiência na hora de concluir as poucas oportunidades cria… – Veja mais em http://maurobeting.blogosfera.uol.com.br/2017/10/12/futebol-reativo-gremio-0-x-1-cruzeiro/?cmpid=copiaecola

      • Romarol disse:

        ESCREVE GUSTAVO ROMAN
        Mais uma vitória de um visitante no campeonato nacional. Fruto de uma ótima marcação, organização tática, entrega dos jogadores e, especialmente, eficiência na hora de concluir as poucas oportunidades criadas. Não é demérito algum jogar dessa forma. Se é bonito, se agrada os gostos mais saudosistas e exigentes é outra conversa. O fato é que cada vez mais o futebol reativo vem tomando conta do país. Equipes como Cruzeiro, Corinthians e Botafogo são exemplos claros dessa nova ordem. Talvez por isso os donos da casa venham tendo tantas dificuldades e sendo derrotados até com certe frequência.
        Hoje, o Grêmio foi mais uma vítima dessa armadilha. Preocupado com a Libertadores, competição na qual ele pode fazer ainda três modificações na lista de inscritos e assombrado por lesões Renato fez algumas experiências. Taticamente o time continuou o mesmo. Um 4-2-3-1 com boa posse de bola. Porém, sem a criatividade dos jogadores talhados para quebrar as linhas de marcação do adversário, casos de Ramiro e Luan, o Tricolor pouco ou quase nada fez com a redonda.
        O Cruzeiro também manteve seu estilo. Jogou num 4-4-2 com muita velocidade pelos lados do campo. Tanto na hora de atacar quanto na de recompor a defesa. Até os dois atacantes, Sóbis e Thiago Neves voltavam para dar um pé na contenção.
        Com tanta atenção a retaguarda de um lado e com pouca inspiração do outro não foi surpresa ver que o primeiro tempo terminou num zero a zero. Quase sem finalizações. Praticamente sem chance alguma criada para qualquer dos lados.
        Na etapa final o Tricolor buscou um pouco mais o ataque. Afinal, está no imaginário do apaixonado torcedor que o time da casa precisa propor o jogo. A equipe até criou duas ótimas oportunidades de abrir o placar. A primeira na falta cobrada por Arroyo. A segunda na finalização a queima roupa de Everton. Rafael fez grandes defesas em ambas e salvou a Raposa.
        O avanço do Grêmio era tudo que o Cruzeiro queria. Se defendeu bem. Soube sofrer como dizem os especialistas de hoje. E achou espaços para encaixar um contra-ataque mortal. Aos 24 minutos, Thiago Neves recebeu livre de marcação. Teve tempo de dominar. Olhar. Pensar. E achar Rafael Sóbis em posição legal. O atacante ficou cara a cara com Marcelo Grohe e só tocou de lado para fazer um a zero. Na primeira e única chance real dos visitantes na partida. É a tal da eficiência. Ao extremo.
        Em desvantagem, Renato tentou tornar sua equipe mais ofensiva. Novamente esbarrou no pouco poder de criação do time hoje. E acabou cruzando inúmeras bolas na área do time mineiro. Consagrando assim os zagueiros Manoel e Digão. Sem grandes sustos, o Cruzeiro segurou a vantagem até o fim. E conquistou três pontos importantíssimos.
        O jogo foi mais uma lição. Posse de bola. Número de finalizações. Chances criadas. Fator casa. Tudo isso importa cada vez menos. Pelo menos no brasileirão. O importante agora é saber se defender. Esperar o ataque ou o erro do oponente. E ser letal nas suas investidas. Você pode até não concordar. Ou não achar bonito. Mas o futebol reativo parece ser a nova fórmula para o sucesso.

      • Ernesto Araújo disse:

        Mauro, não podemos nos pautar pelos problemas dos demais. Quer dizer que, por exemplo, se tem outros clubes endividados, não devo ter preocupação com a crescente dívida do Cruzeiro ? Se o não tem outros times jogando um ótimo futebol, não posso deixar de pedir para que o Cruzeiro melhore. E nem estou pedindo show, espetáculo, goleadas estonteantes…

      • Ernesto Araújo disse:

        …Só peço que haja uma melhoria na parte ofensiva. Conheço os problemas de desfalques da equipe (Arrascaeta voltando de contusão, Sassá e Raniel contundidos, Sóbis em má fase, Robinho novamente lesionado e também em má fase, Cabral contundido). Porém mesmo com esses jogadores o Cruzeiro ainda tem dificuldade pra criar chances e fazer gols. Se a ambição de 2018 é a Libertadores o time precisa melhorar.

  10. Bruno Braga disse:

    THIAGO NEVES

  11. Paulo Souza disse:

    THIAGO NEVES mais uma vez decisivo criando a jogada do gol. Jogador diferenciado.

  12. rosan amaral disse:

    THIAGO NEVES. Foi uma das melhores partidas do “trintão” nos últimos tempos. Qual a explicação? Vejamos: tanto ele como Sobis têm jogado em posição tática que não os favorece muito (embora o Thiago mesmo assim tem sido o protagonista do ano); na partida de ontem o técnico Lobo recuou Thiago Neves como um armador (e não atacante com tem jogado) e ele teve mais espaço e tempo para enxergar as jogadas e domínio da bola; assim, acertou mais passes e assistiu perfeitamente ao Sobis (que está subindo de produção).

    • JOAOCOSTA disse:

      Rosan, Sobis (sem trocadilho) subindo de produção? Me ajuda aí, amigo! antes do gol , estava jogando lhufas. Precisa melhorar muito pra ficar mediano.

    • rosan amaral disse:

      João, você está parecendo as cocot@as analistas de arbitragem da grobo: brigando com as imagens. Afinal, nas últimas 2 partidas o Sobis fez 2 gols (um gol em cada partida). Não é um avanço comparado com a seca de 13 partidas anteriores?

      • Ernesto Araújo disse:

        O Sóbis realmente não tá jogando nada. MAS, PORÉM, TODAVIA, CONTUDO, as que estão sobrando ele está guardando. É um jogador experiente e com boa técnica.

  13. LUIZ ANTONIO disse:

    SÓBIS

  14. Eduardo Arreguy Campos disse:

    SÓBIS. Estava precisando de um gol, e o gol apareceu. Não vinha bem, mas é um cara dedicado em campo, e bom de grupo. Vou torcer para que outros apareçam, espantando as vaias.

  15. SÍNDICO disse:

    TORCIDA CELESTE não apareceu. Pouca gente se animou a desafiar o tempo inóspito pra apoiar o time, que praticamente só teve o aplauso da garotada do Sub17 que havia jogado contra o Inter pelo Brasileiro da categoria.

  16. Luizito Soárez disse:

    Em contra-partida a 2 adversidades(adaptação e idioma) q surgiriam numa eventual contratação de Gallardo, aponto 2 pontos positivos:

    1) Considero River e Boca nossos principais adversários na LA18, se trouxermos Gallardo, além de tirar a principal peça do River, teríamos um técnico q conhece o Boca(antes do MdM, Gallardo tirou o Boca da LA15) como nenhum técnico brasileiro!

    2) Mano, Jair Ventura, ABatista não tem problema com adaptação, nem com idioma(o q não é garantia de sucesso), Gallardo compensa isso com sua imensa experiência em competições sul-americanas. Reconheço os vices de Mano e Adilson, mas o que são 2 vices perto dos 5,
    eu disse cinco(Copa Sul-Americana: 2014 — Recopa Sul-Americana: 2015 — Recopa Sul-Americana: 2016 — Copa Libertadores da América: 2015 — Supercopa Euroamericana: 2015;) títulos sul-americanos de Gallardo!

    BÔNUS => Como jogador, Marcelo Gallardo foi campeão por todos os times pelos quais passou.
    Como treinador, até o momento, repete a performance como jogador. Assim como Sobis, Gallardo tem essa prerrogativa!