Sassá e Dedé, os melhores na Ressacada

Por SÍNDICO | Em 12 de agosto de 2019

Quem foi o melhor de AVAÍ 2-2 CRUZEIRO, na Ressacada, Florianópolis, 11ago19dom16h, pela 14ª rodada do Brasileiro 2019?

TORCIDA CELESTE compareceu e fez barulho. Chato foi, em seu momento de maior empolgação, ter saído o primeiro gol havaiano. Não merecia. Mas o esforço foi recompensado, com o gol nos acréscimos.

FÁBIO, sem culpa nos gols, com a sorte de a bola bater na baliza e não voltar para o adversário, e com boas intervenções, fez uma boa partida.

OREJUELA sofreu demais com João Paulo e Paulinho, mas contou com a ajuda providencia de Dedé para suportar as agruras do jogo. No ataque, nada produziu. Saiu mais cedo, lesionado.

EDÍLSON entrou no decorrer da segunda etapa, deu um bom chute a gol, marcou bem, mas aplicou um carrinho –do jeito que a galera gosta–, vou amarelo e, pouco depois, reclamou de uma besteira qualquer e recebeu outro amarelo e o vermelho. Obviamente, foi massacrado nas redes. Mas ainda é o melhor lateral-direito do elenco.

DEDÉ depois de 85 minutos jogando bem como beque, passou os restantes 5 no ataque e deu trabalho à defesa avaiana. Ótima partida.

LEO perdeu uma ou outra disputa, mas foi muito bem no geral. Nos estertores do jogo salvou o gol de desempate do Avaí.

EGÍDIO não fez uma grande partida, mas também não foi o fracasso que os termocéfalos viram. No primeiro gol do Avaí, ele estava bem colocado, fazendo a cobertura da bequeira, mas Pedro Castro que, é bom lembrar, também tinha entrado em campo para jogar futebol, teve a competência e a sorte de acertar uma bola que passou por meio mundo, sem ser tocada. No segundo gol, é possível discutir até a legitimidade do pênalti. Foi mesmo? Se foi, trata-se de falta que todo defensor comete em atacante driblador. Egídio não foi o primeiro, nem será o último. No ataque, o lateral apareceu para jogar com Cabral e Rocha, embora as combinações entre os três no tenham resultado em grandes lances. Enfim, não fez um grande jogo nem, tampouco, foi esse desastre que estão dizendo. Saiu a dez minutos do fim, trocado por Dodô, que também não incomodou muito a defesa avaiana.

DODÔ jogou pouco mais de dez minutos e buscou o ataque. Pouco conseguiu, mas valeu pelo interesse em tentar o empate.

HENRIQUE não foi o Peledenílson que a torcida exige, mas cumpriu suas tarefas, com excelência. Foi primeiro volante, lateral e beque, sempre marcando bem, desarmando e passando a bola, com segurança.

CABRAL jogou bem –compasses verticais, registre-se– até começar a ficar sem fôlego. Saiu para o time ganhar poder de ataque.

ROBINHO errou alguns passes, acertou outros, chutou duas vezes a gol, cobrou bem uma falta. Foi participativo, mas não decisivo.

M GABRIEL mudou de posição e função ao sabor das necessidades do time. Seu melhor momento foi quando acertou o belo chute que resultou no gol de Rocha. Vai contar como serviço, sim senhores!

ROCHA, quando acordo. fez gol, chutou a gol, criou algumas boas jogadas. Isto depois de passar longo tempo sem participar do jogo.

DAVID entrou na etapa final e fez boas jogadas, culminando com o serviço para o gol de Sassá.

SASSÁ buscou o gol tempo todo, fez dois, um valeu. Não foi opção para o jogo aéreo, mas sede bem quando a bola chegou rasteira.

RESENDE escalou o que tinha de melhor, fez substituições corretas, inclusive, para fortalecer o ataque. No limite, mostrou audácia para liberar Dedé para jogar no ataque, correndo um sério risco de tomar o desempate, mo que foi salvo por Leo, no último lance.

CRUZEIRO mostrou forca para buscar o empate duas vezes. Poderia até ter vencido, se a arbitragem não deixasse passar um pênalti de Marquinhos em Dedé. As novidades em relação ao estilo do técnico anterior foram apenas no jogo mais conservador dos laterais e no abafa final, com Dedé liberado para jogar de centroavante.

AVAÍ fez sua melhor partida no campeonato, com muito volume, boas trocas de passes e cruzamentos. Betão, Leo, Paulinho, Castro e João Paulo foram os destaques. Douglas, que entrou no fim, deu passes de alta categoria e pode ser uma peça importante para o time buscar uma, até então, improvável salvezza.

ÁRBITROS mexeram no placar. Houve pênalti claro de João Paulo em Dedé, que nem os juízes de baixo, nem os de cima viram. O auxiliar Boschilia também estava contra o Cruzeiro, com seu braço tendencioso que levantava a bandeira a cada gol de Sassá.

MelhorDoJogo => SASSÁ [[[15]]] Gil, Bitencourt, Talentim, Rizzi, Ianni, Milani, Romarol, Ulhôa, Chaves, Velloso, Ivana, Clodoália, Zéfiro, Penido, Síndico —– DEDÉ [[[9]]] Seisaum, Esdras, Ramos, Walery, Chiabi, França, Guilherme, Patrícia, Dudu —– DAVID [[[5]]] Zuloobas, Vasconcelos, Rosan, Pinheiro, Tadeu —– HENRIQUE [[[4]]] Celeste, Anchieta, Marilu, Barnabé —–ROCHA [[[3]]] Rezende, Morato, Castelões —– EGÍDIO [[[2]]] Telespectador, Schrier —– M GABRIEL [[[1]]] Bastos —– RESENDE [[[1]]] Clemenceau —– CASTRO [[[3]]] Uol, Bob, Correia…

71 comentários para “Sassá e Dedé, os melhores na Ressacada”

  1. SÍNDICO disse:

    TORCIDA CELESTE compareceu e fez barulho. Chato foi , em seu momento de maior empolgação, ter saído o primeiro gol havaiano. Não merecia. Mas o esforço foi recompensado, com o gol nos acréscimos.

    Responder

    • Tolentino disse:

      É muito bom torcer num momento horroroso desses. Ir ao estádio sem esperar absolutamente nada tampouco exigir. Tive em duas situações assim (a outra após aquele 3 a 0 contra o River). O resultado é sempre muita empolgação e alento e dane-se o resultado.

  2. SÍNDICO disse:

    FÁBIO, sem culpa nos gols, com a sorte de a bola bater na baliza e não voltar pro adversário, e com boas intervenções, fez uma boa partida.

  3. SÍNDICO disse:

    OREJUELA sofreu demais com João Paulo e Paulinho, mas contou com a ajuda providencia de Dedé pra suportar as agruras do jogo. No ataque, nada produziu. Saiu mais cedo, lesionado.

    • Taí disse:

      Sob nova administração e colocando um jogador para trabalhar juntamente como colombiano, certamente nos dará mais alegrias. Ontem, percebi o time forçando muito pelo o lado esquerdo.

  4. SÍNDICO disse:

    EDÍLSON entrou no decorrer da segunda etapa, deu um bom chute a gol, marcou bem, mas aplicou um carrinho –do jeito que a galera gosta–, vou amarelo e, pouco depois, reclamou de uma besteira qualquer e recebeu outro amarelo e o vermelho. Obviamente, foi massacrado nas redes. Mas ainda é o melhor lateral-direito do elenco.

  5. SÍNDICO disse:

    DEDÉ depois de 85 minutos jogando bem como beque, passou os restantes 15 no ataque e deu trabalho à defesa avaiana. Ótima partida.

  6. SÍNDICO disse:

    LEO perdeu uma ou outra disputa, mas foi muito bem no geral. Nos estertores do jogo salvou o gol de desempate do Avaí.

  7. SÍNDICO disse:

    EGÍDIO não fez uma grande partida, mas também não foi o fracasso que os termocéfalos viram. No primeiro gol do Avaí, ele estava bem colocado, fazendo a cobertura da bequeira, mas Pedro Castro que, é bom lembrar, também tinha entrado em campo pra jogar futebol, teve a competência e a sorte de acertar uma bola que passou por meio mundo, sem ser tocada. No segundo gol, é possível discutir até a legitimidade do pênalti. Foi mesmo? Se foi, trata-se de falta que todo defensor comete em atacante driblador. Egídio não foi o primeiro, nem será o último. No ataque, o lateral apareceu pra jogar com Cabral e Rocha, embora as combinações entre os três no tenham resultado em grandes lances. Enfim, não fez um grande jogo nem, tampouco, foi esse desastre que estão dizendo. Saiu a dez minutos do fim, trocado por Dodô, que também não incomodou muito a defesa havaiana.

    • zuloobas disse:

      To garradin com os cabeças térmicas nessa, Egídio precisa melhorar e muito, está se tornando um verdadeiro pateta, na defesa.

    • Taí disse:

      Já vem suplicando banco faz tempo, comprometendo resultados, entregando a rapadura, errando muitos passes.

    • Wagner CPM disse:

      O que é um jogador sem confiança. Quando retornou, teve o apoio necessário e deslanchou fazendo a torcida esquecer o diogo barbosa. Nos ultimos jogos se apresentou de forma mediana, foi crucificado pela torcida e neste jogo como titular fez muitas trapalhadas. Eu achei que nao foi penalti pois foi fora da área.

    • Thiago 5 estrelas disse:

      A bola passou por todo mundo pois era impossível de ser alcançada, o único que poderia e deveria ter cortado foi nosso lateral que vive péssima fase.

      • Thiago 5 estrelas disse:

        Quanto ao pênalti não culpo o jogador, esse lance se a fase fosse boa o juiz nem falta daria.

      • SÍNDICO disse:

        Quem poderia e deveria finalizar, finalizou. Para o torcedor o adversário não conta. Não direito de vender uma disputa. Nem quando tem mais chance de vence-la do que de perda-la.

    • Egídio está um cabaço… Com erros de jogador de pelada… E não é de hj… Contra o River ele errou uma cabeçada sozinho… Pq errou o tempo de bola…

  8. SÍNDICO disse:

    DODÔ jgou pouco mais de dez minutos e buscou o ataque. Pouco conseguiu, mas valeu pelo interesse em tentar o empate.

  9. SÍNDICO disse:

    HENRIQUE não foi o Peledenílson que a torcida exige, mas cumpriu suas tarefas, com excelência. Foi primeiro volante, lateral e beque, sempre marcando bem, desarmando e passando a bola, com segurança.

  10. SÍNDICO disse:

    CABRAL jogou bem –compasses verticais, registre-se– até começar a ficar sem fôlego. Saiu pro time ganhar poder de ataque.

  11. SÍNDICO disse:

    ROBINHO errou alguns passes, acertou outros, chutou duas vezes a gol, cobrou bem uma falta. Foi participativo, mas não decisivo.

  12. SÍNDICO disse:

    M GABRIEL mudou de posição e função ao sabor das necessidades do time. Seu melhor momento foi quando acertou o belo chute que resultou no gol de Rocha. Vai contar como serviço, sim senhores!

  13. SÍNDICO disse:

    ROCHA, quando acordo. fez gol, chutou a gol, criou algumas boas jogadas. Isto depois de passar longo tempo sem participar do jogo.

    • Tolentino disse:

      Bom jogador quando faz o simples, passes e finalizações. Quando resolve encerar…

    • Taí disse:

      Se fizer o simples será muito útil ao time. Por enquanto continua achando que é craque, se atrapalhando com a bola, trombando com o adversário.

  14. SÍNDICO disse:

    DAVID entrou na etapa final e fez boas jogadas, culminando com o serviço pro gol de Sassá.

  15. SÍNDICO disse:

    SASSÁ buscou o gol tempo todo, fez dois, um valeu. Não foi opção pro jogo aéreo, mas sede bem quando a bola chegou rasteira.

  16. SÍNDICO disse:

    RESENDE escalou o que tinha de melhor, fez substituições corretas, inclusive, pra fortalecer o ataque. No limite, mostrou audácia pra liberar Dedé pra jogar no ataque, correndo um sério risco de tomar o desempate, mo que foi salvo por Leo, no último lance.

  17. SÍNDICO disse:

    CRUZEIRO mostrou forca pra buscar o empate duas vezes. Poderia até ter vencido, se a arbitragem não deixasse passar um pênalti de Marquinhos em Dedé. As novidades em relação ao estilo do técnico anterior foram apenas no jogo mais conservador dos laterais e no abafa final, com Dedé liberado pra jogar de centroavante.

  18. SÍNDICO disse:

    AVAÍ fez sua melhor partida no campeonato, com muito volume, boas trocas de passes e cruzamentos. Betão, Leo, Paulinho, Castro e João Paulo foram os destaques. Douglas, que entrou no fim, deu passes de alta categoria e pode ser uma peça importante pro time buscar uma, até então,improvável salvezza.

  19. SÍNDICO disse:

    ÁRBITROS mexeram no placar. Houve pênalti claro de João Paulo em Dedé, que nem os juizes de baixo, nem os de cima viram. O auxiliar Boschilia também estava contra o Cruzeiro, com seu braço tendencioso que levantava a bandeira a cada gol de Sassá.

  20. RAMOS disse:

    Fábio trabalhou pouco, sem chance nos gols. Orejuela, fraco, Edílson não merece comentários e sim fim de contrato. DEDÉ foi o melhor do jogo. Leo sofreu na cobertura do LE. LE, sem comentários. Dodô melhorou o setor. Henrique (Smurf), independente do que faça. Cabral não anda vencendo nem tartaruga numa corrida e piorou nos passes. Robinho, razoável. M Gabriel melhorou depois do chute que originou o primeiro gol. Sassá batalhou muito e foi premiado com o gol de empate. David melhorou a produção ofensiva. Rocha fez gol, mas erra muitos passes e tá fominha. Cruzeiro fez um jogo nota 5, por isso, empatou com o esforçado Avaí.

  21. ROSAN disse:

    DAVID foi o melhor, Fez o que os armadores não têm feito: colocar a bola no pé do atacante em condições de gol.

    • Taí disse:

      Cortou para dentro EM VELOCIDADE confundindo a marcação, papel esse que o Marquinhos deveria estar fazendo. É disso que precisamos, DE VELOCIDADE e LUCIDEZ, essa última característica que falta ao Rocha.

  22. ZULOOBAS disse:

    DAVID, que tenho criticado bastante, neste jogo, entrou muito bem. Foi o melhor. Henrique, Sassá, Rocha também se destacaram.

  23. Matheus Chaves disse:

    SASSÁ. Pela luta e oportunismo.

  24. Tolentino disse:

    Em tempo como ficou aquele bolão do livro? Errei o caboclo que marcou o tento mas fui bem no geral. Rsrsrs

  25. zuloobas disse:

    Uma coisa, como admirador do trabalho do Mano tenho que admitir: parece aue, de tão defensivo, o time perdeu o cacoete no ataque e parece que, com a saída dele, vai recuperar o faro.

    • Taí disse:

      Já foi perceptível ontem. É como se os jogadores tivessem desacostumados a tocar em velocidade, por isso, tantos erros seguidos. Tenho fé que sairemos dessa até o início do segundo turno.

  26. Taí disse:

    FÁBIO sobre a escolha do CENI: “Foi uma decisão que o grupo também participou. A gente se reuniu, jogadores mais experientes, para uma reunião, e dentro da opinião de todos, todos tiveram pensamento muito positivo sobre o trabalho do Rogério.” Para quem achava que os medalhões não tem voz…

  27. SÍNDICO disse:

    ATENÇÃO! Este post é pra discussão do desempenho de jogadores e times. Pro Ceni, há outro.

  28. Matheus Penido disse:

    SASSÁ. Técnica e taticamente, foi uma atuação assustadora do Cruzeiro. De bom, apenas o poder de reação. Pelo visto, a briga contra o rebaixamento será mais dura do que se imaginava.

  29. SÍNDICO disse:

    TORCIDA CELESTE compareceu e fez barulho. Chato foi, em seu momento de maior empolgação, ter saído o primeiro gol havaiano. Não merecia. Mas o esforço foi recompensado, com o gol nos acréscimos.
    FÁBIO, sem culpa nos gols, com a sorte de a bola bater na baliza e não voltar para o adversário, e com boas intervenções, fez uma boa partida.
    OREJUELA sofreu demais com João Paulo e Paulinho, mas contou com a ajuda providencia de Dedé para suportar as agruras do jogo. No ataque, nada produziu. Saiu mais cedo, lesionado.
    EDÍLSON entrou no decorrer da segunda etapa, deu um bom chute a gol, marcou bem, mas aplicou um carrinho –do jeito que a galera gosta–, vou amarelo e, pouco depois, reclamou de uma besteira qualquer e recebeu outro amarelo e o vermelho. Obviamente, foi massacrado nas redes. Mas ainda é o melhor lateral-direito do elenco.
    DEDÉ depois de 85 minutos jogando bem como beque, passou os restantes 5 no ataque e deu trabalho à defesa avaiana. Ótima partida.
    LEO perdeu uma ou outra disputa, mas foi muito bem no geral. Nos estertores do jogo salvou o gol de desempate do Avaí.
    EGÍDIO não fez uma grande partida, mas também não foi o fracasso que os termocéfalos viram. No primeiro gol do Avaí, ele estava bem colocado, fazendo a cobertura da bequeira, mas Pedro Castro que, é bom lembrar, também tinha entrado em campo para jogar futebol, teve a competência e a sorte de acertar uma bola que passou por meio mundo, sem ser tocada. No segundo gol, é possível discutir até a legitimidade do pênalti. Foi mesmo? Se foi, trata-se de falta que todo defensor comete em atacante driblador. Egídio não foi o primeiro, nem será o último. No ataque, o lateral apareceu para jogar com Cabral e Rocha, embora as combinações entre os três no tenham resultado em grandes lances. Enfim, não fez um grande jogo nem, tampouco, foi esse desastre que estão dizendo. Saiu a dez minutos do fim, trocado por Dodô, que também não incomodou muito a defesa avaiana.
    DODÔ jogou pouco mais de dez minutos e buscou o ataque. Pouco conseguiu, mas valeu pelo interesse em tentar o empate.
    HENRIQUE não foi o Peledenílson que a torcida exige, mas cumpriu suas tarefas, com excelência. Foi primeiro volante, lateral e beque, sempre marcando bem, desarmando e passando a bola, com segurança.
    CABRAL jogou bem –compasses verticais, registre-se– até começar a ficar sem fôlego. Saiu para o time ganhar poder de ataque.
    ROBINHO errou alguns passes, acertou outros, chutou duas vezes a gol, cobrou bem uma falta. Foi participativo, mas não decisivo.
    M GABRIEL mudou de posição e função ao sabor das necessidades do time. Seu melhor momento foi quando acertou o belo chute que resultou no gol de Rocha. Vai contar como serviço, sim senhores!
    ROCHA, quando acordo. fez gol, chutou a gol, criou algumas boas jogadas. Isto depois de passar longo tempo sem participar do jogo.
    DAVID entrou na etapa final e fez boas jogadas, culminando com o serviço para o gol de Sassá.
    SASSÁ buscou o gol tempo todo, fez dois, um valeu. Não foi opção para o jogo aéreo, mas sede bem quando a bola chegou rasteira.
    RESENDE escalou o que tinha de melhor, fez substituições corretas, inclusive, para fortalecer o ataque. No limite, mostrou audácia para liberar Dedé para jogar no ataque, correndo um sério risco de tomar o desempate, mo que foi salvo por Leo, no último lance.
    CRUZEIRO mostrou forca para buscar o empate duas vezes. Poderia até ter vencido, se a arbitragem não deixasse passar um pênalti de Marquinhos em Dedé. As novidades em relação ao estilo do técnico anterior foram apenas no jogo mais conservador dos laterais e no abafa final, com Dedé liberado para jogar de centroavante.
    AVAÍ fez sua melhor partida no campeonato, com muito volume, boas trocas de passes e cruzamentos. Betão, Leo, Paulinho, Castro e João Paulo foram os destaques. Douglas, que entrou no fim, deu passes de alta categoria e pode ser uma peça importante para o time buscar uma, até então, improvável salvezza.
    ÁRBITROS mexeram no placar. Houve pênalti claro de João Paulo em Dedé, que nem os juízes de baixo, nem os de cima viram. O auxiliar Boschilia também estava contra o Cruzeiro, com seu braço tendencioso que levantava a bandeira a cada gol de Sassá.

  30. SÍNDICO disse:

    EDÍLSON: “Foi um pouco difícil pra mim voltar depois de dois meses. Fiz questão de falar e explicar a expulsão. Achei totalmente desnecessária. Fazia dois meses que não vinha jogando, faltava um pouco de ritmo ainda. Foi minha primeira semana treinando com bola. Acredito que o árbitro errou na minha expulsão. Respeito muito o Paulo (Roberto Alves, o qual eu conheço, mas acho que ele confundiu um pouco ali. Me deu o cartão tentando me intimidar, porque eu só falei ali “Paulo, cuida um pouco do Avaí e me esquece”. Se puder pegar a leitura labial, porque eu estou muito indignado com a expulsão. Poderia ajudar mais a minha equipe, ainda mais em um jogo que a gente estava perdendo. Estava entrando com muita vontade. Achei que ele errou demais e acabou me punindo e a minha equipe.”

    • SÍNDICO disse:

      PAULO ROVERTO ALVES: “Expulsei por dupla advertência, o atleta referido por proferir as seguintes palavras: ”Você tá de sacanagem, esquece de mim, p…”. Informo que após ser expulso, em ato continuo proferiu as seguintes palavras: ” Vai tomar no…, você tá fudido”. Informo que diante da seguinte situação me senti ofendido na honra e na moral”.

  31. SÍNDICO disse:

    SASSÁ [[[15]]] Gil, Bitencourt, Talentim, Rizzi, Ianni, Milani, Romarol, Ulhôa, Chaves, Velloso, Ivana, Clodoália, Zéfiro, Penido, Síndico —– DEDÉ [[[8]]] Seisaum, Esdras, Ramos, Walery, Chiabi, França, Patrícia, Dudu —– DAVID [[[5]]] Zuloobas, Vasconcelos, Rosan, Pinheiro, Tadeu —– ROCHA [[[3]]] Rezende, Morato, Castelões —– HENRIQUE [[[3]]] Anchieta, Marilu, Barnabé —– EGÍDIO [[[2]]] Telespectador, Schrier —– M GABRIEL [[[1]]] Bastos —– RESENDE [[[1]]] Clemenceau —– CASTRO [[[3]]] Uol, Bob, Correia…