Premeditando as oitavas

Por SÍNDICO | Em 11 de maio de 2019

POSSÍVEIS ADVERSÁRIOS do Cruzeiro nas oitavas da Libertadores:

  • Paranaense, Grêmio, River, Emelec, Godoy, Ldu, Nacional, San Lorenzo.

Escolho o River. Ou vai ou racha! Ou vence e se candidata ao titulo, ou vai cuidar dos outros torneios.

Os demais confrontos, se dependesse de mim, seriam: Palmeiras x Grêmio, Flamengo x Paranaense, Inter x San Lorenzo, Boca x Nacional, Libertad x Ldu, Cerro x Godoy, Olimpia x Emelec.  

E vc, caro leitor, que adversário prefere que o fabuloso encare nas oitavas? Por quê?

33 comentários para “Premeditando as oitavas”

  1. SÍNDICO disse:

    PALMEIRAS 2×1 CRUZEIRO, 10mai19sex19h30, ida das finais da Copa do Brasil Sub20 2019, Pacaembu, São Paulo. 1º TEMPO. Com mais presença ofensiva, o Palmeiras abriiu o placar, aos 32, com Anibal, que entrou no time no lugar do convocado Angulo, aproveitando rebote da defesa celeste. A vantagem dos paulistas fez o Cruzeiro sair mais pro jogo e obrigar o goleiro Gomes a trabalhar. O Verdão, contudo, segurou a pressão e manteve a vantagem. 2º TEMPO. As substituições deixaram o Cruzeiro mais ofensivo. Mas o Palmeiras ampliou a vantagem, com Airton, aos 65. Com um ataque mais rápido, o Cruzeiro passou a levar perigo com frequência e em sua terceira boa chance, Marco Antonio fez o gol celestem, aos 78, e fechou o placar em 2×1.

  2. SÍNDICO disse:

    TREINO DA SEXTA: Edilson, Robinho e Rocha ficaram na academia fazendo trabalho interno.

  3. SÍNDICO disse:

    HISTÓRICO de Cruzeiro x River. 14 jogos, com 10 vitórias do Cruzeiro, 4 do River, 24 gols do Cruzeiro, 13 do River. Os dois decidiram a Libertadores 1976, o torneio 20 Anos do Mineirão 1985, a Supercopa 1991 e a Recopa 1998, sempre com vantagem do Cruzeiro.

  4. SÍNDICO disse:

    CRUZEIRO 0x3 RIVER PLATE, quarta-feira, 27mai15, 22h. TEMPO bom, temperatura 22º, sem vento, umidade 50%. LOCAL: MIneIrão (61 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: jogo de volta das quartas de final da Libertadores 2015. TRANSMISSÃO: Globo, SporTV e Fox. PÚBLICO: 54.898 pagantes, 55.951 presentes, R$3.646.216, média R$66. ARBITRAGEM: Wilmar Roldán, Wilson Berrio e Alexander Guzman, colombianos.. AMARELOS: Mena, Willian, Joel (C); Barovero, Mercado (R). VERMELHO: Gabriel Xavier, 86. GOLS: Sanchez, 20, Maidana, 45, Gutierrez, 51. RIVER PLATE: Marcelo Barovero; Gabriel Mercado (Guzmán Pezzela, Jonatan Maidana, Funes Mori e Leonel Vangioni; Carlos Sánchez, Matías Kranevitter, Leonardo Ponzio (Camilo Mayada, 72) e Rojas; Rodrigo Mora e Teófilo Gutiérrez (Martinez, 78). T: Marcelo Gallardo. CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Manoel, Bruno Rodrigo e Mena; Willians (Joel, 71) e Henrique, Marquinhos, Arrascaeta (Gabriel Xavier, intervalo) e Willian (Alisson, 55); Leandro Damião. T: Marcelo Oliveira.

    • SÍNDICO disse:

      MelhorDoJogo => Alisson [14], Torcida Celeste [7], Marcelo Gallardo [6], Bruno Rodrigo [3], Henrique, Gabriel Xavier, Gutierrez [2], Mena, Sanchez [1].

  5. SÍNDICO disse:

    RIVER PLATE 0x1 CRUZEIRO, quinta-feira, 21mai15, 22h. TEMPO bom, temeratura 22º, sem vento, umidade 78%. LOCAL: Monumental de Nuñez (60 mil), Buenos Aires. MOTIVO: jogo de ida das quartas de final da Libertadores 2015. TRANSMISSÃO: Globo, SporTV e Fox. PÚBLICO: 58.000. ARBITRAGEM: Enrique Osses, Carlos Astroza e Marcelo Barraza, chilenos. AMARELOS: Ponzio, Kranevitter (R); Willians, Mena, Xavier (C). GOL: Marquinhos, 82. RIVER PLATE: Marcelo Barovero; Emanuel Mammana, Jonatan Maidana, Funes Mori e Leonel Vangioni; Carlos Sánchez, Matías Kranevitter, Leonardo Ponzio (Camilo Mayada) e Gonzalo Martínez (Leonardo Pisculichi); Rodrigo Mora (Fernando Cavenaghi) e Teófilo Gutiérrez. T: Marcelo Gallardo. CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Manoel, Bruno Rodrigo e Eugenio Mena; Willians, Henrique, Giorgian De Arrascaeta (Gabriel Xavier) e Willian (Charles); Marquinhos e Leandro Damião (Henrique Dourado). T: Marcelo Oliveira.

  6. SÍNDICO disse:

    RIVER PLATE 0x3 CRUZEIRO, 23set99, quinta-feira, 20h. LOCAL: Monumental de Nuñez (80 mil), Buenos Aires. MOTIVO: Grupo A da Copa Mercosul 1991 e jogo de volta da final da Recopa Sulamericana de 1998. PÚBLICO: 5.000, US$42,000. ARBITRAGEM: Ubaldo Aquino, Robert Troxler Ayala, Nelson Cano, paraguaios. AMARELOS: Geovanni, Ricardinho (C), Cardetti, Escudero, Gómez (R). VERMELHOS: Cano, Gancedo, Trotta (R), Cris (C). GOLS: Geovanni, 18, Marcelo Ramos, pênalti, 82, Gustavo, 90. RIVER PLATE: Bonano, Lombardi, Trotta, Ramos e Acosta; Escudero, Guillermo Pereyra (Gómez, 63), Gancedo e Álvarez (Castillo, intervalo); Cuevas e Cardetti. T: Ramon Díaz. CRUZEIRO: André Doring, Gustavo, Cris, Marcelo Djian e André Luiz; Marcos Paulo, Donizete Amorim (Djair, 68) e Ricardinho; Paulo Isidoro; Geovanni (Marcelo Ramos, 74) e Alex Alves (Espínola, 68). T: Levir Culpi.

    • SÍNDICO disse:

      NOTA: Cruzeiro, campeão da Libertadores 1997 e River, da Supercopa 1997, deveriam disputar a Recopa Sulamericana em abril de 1998, mas a série foi adiada pra 1999. O Cruzeiro sagrou-se campeão. Terminado o jogo, os argentinos apagaram as luzes do estádio, ligaram o sistema de irrigação do gramado e só permitiram a entrega do troféu de campeão aos brasileiros no vestiário, impedindo assim a volta olímpica. Com o fim da Supercopa Libertadores, a Recopa só voltou a ser disputada em 2003, entre os campeões da Libertadores e da Sulamericana do ano anterior.

      • SÍNDICO disse:

        Cruzeiro volvió a dejar a River con las manos vacías (Pablo Tomino, La Nacion, 24set99) NADA DE NADA PARA RIVER. Es cierto que no le había puesto demasiada atención a la Copa Mercosur. Pero la eliminación se siente igual. Y es que viene acompañada por otra pérdida: la Recopa 1997. Por estas cuestiones de “organización” sudamericana, anoche River se jugaba más que la posibilidad de seguir vivo en América: tenía en el campo la disputa de la Recopa de hace dos años, cuando ganó la Supercopa y Cruzeiro se quedó con la Libertadores. Del 97 al 99, entonces, River y Cruzeiro se midieron para definir dos choques en uno. Primero, la continuidad en la Mercosur. Después, la Recopa. CRUZEIRO, UNA PESADILLA HISTÓRICAPARA LOS DE NUÑEZ, ya había ganado 2×0 en Belo Horizonte, así que llegaba con ventaja. Algo que River no se preocupó demasiado por inhibir. Quizá por eso, anoche cayó por 3×0 en el Monumental. Enfrascado en la lucha por el torneo local -algo que considera prioridad-, River presentó un esquema con sólo tres titulares (Bonano, Escudero y Trotta). Estaba claro que le interesaba poco desgastarse en este certamen, que reparte mucho dinero, pero escaso prestigio. Sin embargo, posibilidades tuvo. Cuevas y Castillo (ingresó en el segundo tiempo)estrellaron remates en el travesaño, a Cardetti le sacaron un disparo en la línea, y Trotta se perdió por muy poco el primer gol de su equipo. A todo esto, GEOVANNI ya había abierto el marcador con un tiro por arriba de Bonano. El mismo Giovanni, después, pegó dos zapatazos en el palo. Y así estaban las cosas cuando el partido se abrió demasiado. Se fueron Gancedo, Cris (por agredirse) y Trotta (por juego brusco). Matemática pura: River se quedó con nueve y Cruzeiro, con diez. La Recopa se empinó definitivamente (River debía ganar por tres goles para obtenerla directamente, y por dos para anular la ventaja y jugar un partido desempate) y la clasificación en la Mercosur pareció imposible. LOS NOMBRES DE LA GOLEADA. Para colmo, a los 37 minutos del segundo tiempo, Garcé le cometió un penal a Isidoro y MARCELO RAMOS lo transformó en el 2×0. Y en el último minuto, GUSTAVO puso la goleada definitiva: 3×0. Era más justo, más acorde con lo que ambos habían demostrado en el campo. Cruzeiro, que reguló, había sido superior a un River con serios problemas defensivos. Y así se fue la noche. Y la Mercosur, con ella. Y la Recopa de hace dos años, también. River se quedó con los oles irónicos de su gente. Cruzeiro, esa especie de bestia negra para los de Núñez, se llevó todo lo demás.

  7. SÍNDICO disse:

    CRUZEIRO 2×0 RIVER PLATE, 03ago99, terça-feira, 21h. LOCAL: Mineirão (110 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: 2ª rodada do turno da 1ª fase da Copa Mercosul 1991 e jogo de ida das s finais da Recopa Sulamericana 1998. PÚBLICO: 7.103 pagantes, R$56.593. ARBITRAGEM: José Luis Rosa, Saúl Feldman e William Martínez, uruguaios. AMARELOS: Valdo, Donizete Oliveira (C), Pereyra, Gómez, Gancedo (R). VERMELHO: Valdo (C). GOLS: Muller, 12, Geovanni, 88. CRUZEIRO: André Doring, Donizete Amorim, Marcelo Djian, Espínola e Tércio; Donizete Oliveira e Ricardinho; Valdo e Muller; Alex Alves (Paulo Isidoro, 64) e Marcelo Ramos (Geovanni, 68). T: Levir Culpi. RIVER PLATE: Bonano, Ramos, Trotta, Sarabia e Placente; Pereyra, Cuevas, Alvarez (Franco, 80) e Marcelo Gómez; Cardetti (Castillo, 80), Rambert (Gancedo, 55). T: Ramon Diaz.

  8. SÍNDICO disse:

    LIBERTADORES 1976, finais: Cruzeiro 4×1 River Plate, no Mineirão; River Plate 2×1 Cruzeiro, no Monumental de Nuñez e Cruzeiro 3×2 River Plate, no Nacional de Santiago do Chile. Cruzeiro campeão.

  9. SÍNDICO disse:

    MINEIRÃO 20 ANOS, torneio em 1985: Cruzeiro 1×0 River Plate. Cruzeiro campeão.

  10. SÍNDICO disse:

    SUPERCOPA 1991, finais: River Plate 2×0 Cruzeiro, no Monumental de Nuñez e Cruzeiro 3×0 River Plate, no Mineirão. Cruzeiro campeão.

  11. SÍNDICO disse:

    SUPERCOPA 1992, quartas de final: Cruzeiro 2×0 River Plate, no Mineirão e River Plate 2(4)x(5)0 Cruzeiro, no Monumental de Nuñez. Cruzeiro classificado.

  12. SÍNDICO disse:

    MERCOSUL 1998, quartas de final: River Plate 1×2 Cruzeiro, Monumental de Nuñez ,e Cruzeiro 2×0 River Plate, no Mineirão. Cruzeiro classificado.

  13. SÍNDICO disse:

    RECOPA SULAMERICANA 1998, decisão. Cruzeiro 2×0 River Plate, no Mineirão e River Plate 0x3 Cruzeiro, no Monumental de Nuñez. Finais disputadas em 199, por falta de datas no calendário de 1998.

  14. Romarol disse:

    Prefiro o Emelec. A última partida ficou engasgada. De qualquer forma, a possibilidade de pegar uma equipe argentina ou brasileira é acima de 60%. Agora a competição é outra e a fase de grupos é passado.

  15. Romarol disse:

    Qual foi o único clube brasileiro que ficou na fase de grupos?

  16. Bruno 7L RJ disse:

    Escolho o Godoy. Se não eles, Emelec.

  17. Fernando Henrique disse:

    Godoy, e na sequencia, o vencedor de Olimpia X Emelec.

    • Fernando Henrique disse:

      Porém estou pressentindo que virá o Furacão. Ano passado acertei o Flamengo seguido do Boca.

  18. jrgalvao disse:

    Torço que venha o Godoy Cruz

  19. Bruno 7L RJ disse:

    Síndico acha que engana alguém com esse papo de “quero River”.

  20. SÍNDICO disse:

    PRA QUEM GOSTA DE MOLEZA: Santa Cruz, Paulista, Ipatinga, Once Caldas, Española, Vélez, Paranaense, Portuguesa, Paysandu, América e Nacional paraguaio tb não eram favoniado quando varreram o Cruzeiro em outras competições.

    • Tolentino disse:

      Confronto entre brazucas nunca tem favorito. Ainda sim nos últimos anos temos tido melhor sorte contra compatriotas. Em compensação contra gringos o “rei do mata-mata” já caiu duas vezes.

  21. ARCSBC2012 disse:

    Caminhada rumo ao tri: Grêmio, Flamengo, Palmeiras e River Plate.

    • Tolentino disse:

      Costumo temer mais times menores que os maiores. Nosso elenco é preguiçoso demais nessas circunstâncias.

  22. Fabio Velame disse:

    Qualquer um que vier, não será fácil. Passamos aperto com time venezuelano no Mineirão e perdemos para o Emelec em casa quando o time teve chance de terminar a primeira fase com a melhor campanha da história, que seria seis vitórias e sem tomar gol. O nosso maior adversário de vez em quando é o nosso treinador.

  23. VELAME disse:

    DEMOCRATA GV é rebaixado em novo julgamento no TJD da FMF. A Pantera perdeu três pontos e foi rebaixado para a Segunda Divisão (que é na verdade a terceira). Na fase classificatória do Mineiro Módulo II, 0 clube valadarense ficou em 9º lugar, com 14 pontos. Há um mês, o alvinegro foi julgado e absolvido no caso de escalação irregular do atacante Jean Carlos. O erro foi material e partiu do clube na hora de registrar o jogador na CBF. Como existia um homônimo, o clube registrou o jogador Jean Carlos que estava no clube, mas os dados do atleta selecionado eram de outro Jean Carlos que tinha o mesmo sobrenome. Como o Módulo II tinha limite de inscrição de jogador acima de 24 anos, o registro de Jean Carlos (o outro) na CBF constava que ele tinha mais de 24 anos. Só que o atacante que jogou pela Pantera apenas uma partida tinha 22 anos. Com o novo julgamento, o Democrata foi punido, mas ainda poderá recorrer ao STJD. A diretoria tem confiança de reverter essa situação. Não foi um erro de má-fé, e sim de falta de atenção na hora de selecionar o jogador no banco de dados da CBF. É por isto que o clube aposta em vitória no julgamento do recurso.