Paraguai 0x0 Nova Zelândia: Kiwi invicto, mas fora

Por SÍNDICO | Em 24 de junho de 2010

Às 11h, no Estádio Peter Mokaba, em Polokwane, Paraguai e Nova Zelândia enfrentam-se pela 3ª rodada do Grupo F da Copa 2010.

Com 4 pontos, os guaranis precisam somar apenas mais um pra passarem às quartas de final. Já os neozelandeses têm de vencer pra seguirem adiante sem recorrer à calculadora.

Se empatarem, que o façam com mais gols que os italianos. Caso contrário, pode até haver sorteio pra decidir uma vaga pras oitavas de final.

Gerardo Martino manterá o Paraguai no tradicional 4-4-2, com Roque Santa Cruz e Lucas Barrios no ataque. E boas opções no banco.

Ricki Herbert também escalará os kiwis no 4-4-2. Ele tem a conta do chá pra montar seu time. Afinal, só existem 25 neozelandeses profissionais de futebol.

Assim, não há hacka que dê jeito. Será preciso muito suor e sorte pra que a zebra dê o ar da graça em Polokwane, que ouvirar o trinar do apito japonês de Yuichi Nishimura.

*****

Paraguai 0x0 Nova Zelândia, segundo o Diário de Pernambuco:

Paraguai empata por 0 x 0 com Nova Zelândia e garante vaga nas oitavas

Celso Ishigami – Diario de Pernambuco

Valia a liderança do grupo para o Paraguai e o sonho da vaga para a Nova Zelândia. Ainda assim, as emoções do jogo ficaram por conta das notícias dos gols do outro confronto do Grupo F (Itália 2 x 3 Eslováquia). Os representantes da América do Sul e da Oceania apresentaram uma partida morna, que terminou empatada por 0 x 0. Melhor para os paraguaios, que terminaram a primeira fase na primeira colocação e se garantiram nas oitavas-de-final da Copa do Mundo.

O Paraguai começou a partida mostrando que realmente estava disposto a lutar pela liderança do grupo. Dominando as ações no meio de campo, coube aos sul-americanos tomar as iniciativas ofensivas, enquanto os neo-zelandeses se defendiam das investidas. Apesar disso, os paraguaios atacavam de maneira conservadora, com muitos passes laterais e apostando em chutes de longa distância ou cruzamentos mal-sucedidos.

A partir dos 25 minutos, o ímpeto paraguaio diminuiu, provavelmente pela notícia de que a Itália havia sofrido um gol no jogo contra a Eslováquia. Neste momento, a combinação de resultados garantia ao time do atacante Roque Santa Cruz a primeira colocação do grupo. Ainda assim, a Nova Zelândia não conseguia chegar com perigo ao gol defendido por Villar. As principais ações de ataque do time da Oceania eram provenientes de cruzamentos que buscavam o atacante Smeltz, bem marcado pela dupla Caniza e Cáceres. A partida seguiu morna pelo restante da primeira etapa.

No começo do segundo tempo, a Nova Zelândia mostrou-se disposta a arriscar mais descidas ao ataque, cedendo espaço ao Paraguai. Ainda assim, nenhuma das seleções conseguiu apresentar ações ofensivas de maior qualidade. Ambas limitavam-se a chutes imprecisos de fora da área e alguns poucos cruzamentos afastados pelas defesas.

A primeira grande chance do jogo surgiu apenas aos 17 do segundo tempo. Depois de cobrança de escanteio, o atacante Nelson Valdez aproveitou a sobra de bola para chutar forte, dentro da grande área, na tentativa de abrir o placar para os paraguaios. A bola explodiu na zaga adversária que conseguiu se safar. Com a notícia do segundo gol da Eslováquia, o Paraguai passou a se expor menos ainda, e se aproveitava da ineficiência do ataque neo-zelandês para tocar a bola na defesa.

Outro lance de perigo somente aos 30 minutos, quando Benitez recebeu lançamento pela esquerda, puxou para o meio e bateu forte. A bola saiu rasteira e quase engana o goleiro Paston, que deu rebote e por pouco não ficou nos pés de Lucas Barrios, que entrara na partida há pouco tempo. Com o desespero dos representantes da Oceania e com a notícia do gol italiano, o Paraguai voltou a crescer no jogo e a incomodar o goleiro Paston. No final da partida, as informações dos novos gols da Eslováquia e da Itália já não interferiram no andamento do confronto.

Paraguai: Villar; Caniza, Cáceres, Da Silva e Morel Rodriguez; Vera, Victor Caceres e Riveros; Oscar Cardozo (Lucas Barrios), Nelson Valdez (Benitez) e Roque Santa Cruz. Técnico: Gerardo Martino. Nova Zelândia: Paston; Reid, Nelsen, Vicelich e Tommy Smith; Leo Bertos, Lochhead, Elliott, Fallon (Wood) e Killen (Brockie); Smeltz. Técnico: Ricki Herbert. Local: Peter Mokaba (Polokwane) Árbitro: Yuichi Nishimura (Japão) Assistentes: Toru Sagara (Japão) e Hae Sang Jeong (Coreia do Sul) Cartões amarelos: Victor Caceres, Roque Santa Cruz (Paraguai) e Nelsen (Nova Zelândia)

28 comentários para “Paraguai 0x0 Nova Zelândia: Kiwi invicto, mas fora”

  1. Romarol disse:

    Vou torcer para o Paraguai ficar em 1º lugar e ver o confronto nas oitavas de Itália x Holanda.

  2. Hugo 5erel0 disse:

    Vou torcer pro resultado que mais ferre a Argentina.

  3. Hugo 5erel0 disse:

    O mar tá se abrindo pro Brasil: Gana, EUA, Uruguai e Coréia Democrática. Uma dessas quatro seleções já está na semi-final. O Brasil pode ser o adversário.

  4. Tá ficando interessante. Estou ansioso pelo término da fase de grupos para fazer uma avaliação e previsões.
    Estou com alguma expectativa de que uma seleção que nunca foi campeão do Mundo (ou até mesmo as duas) façam uma final inédita.
    México e Holanda me parecem candidatas a este privilégio.

    • claudio(xina)lemos disse:

      México? To apostando uma caixa de cerveja que México não chega à final. Se ainda fosse Holanda x Espanha. Há a possibilidade. Mas México é forçar a barra.

    • Hugo 5erel0 disse:

      México?????? Há-há-há-há-há-há-há-há!

    • Esta turminha do acontecido… não citam nenhum nome e ficam somente dando risadas. Coragem de apostar em alguém ou ao menos de declararem seus chutes e palpites… NADA!
      Assim como acredito que a Holanda avança se enfrentr o Brasil nas quartas, se o México passar pela Argentina nas oitavas avançará muito.
      Mas vou falar somente depois de finalizada a 1a fase, de encerrada as oitavas etc etc etc

  5. Binho disse:

    A despeito da burrice, da Eslováquia caindo em campo 4 vezes em 2 minutos, ela se classificou. A Itália se classifica seria séria candidata ao título. Toda vez que vai mal na primeira fase e se classifica, dá um trabalho danado. Melhor que a encomenda. França e Itália fora. O caminho ficou mais fácil pra quem quer ser campeão.

  6. Walterson disse:

    O campeão e o vice da última Copa cairam na primeira fase, com campanhas ridículas. Nenhum venceu uma partida sequer. Na segunda fase cai fora um campeão ou um tri e, com um pouco de sorte, um bi-campeão.

  7. Hermes disse:

    Estou apostando minhas fichas na Holanda, para felicidade das belas holandesas que aparecem nas imagens das torcidas. Se não amarelarem novamente chega fácil.

  8. Hugo 5erel0 disse:

    Il italianos tutti vazaram in brachiara!

  9. Mauro França disse:

    Decepção da Itália e grande feito da Nova Zelandia.