Papai Noel às avessas

Por SÍNDICO | Em 24 de dezembro de 2018

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

Papai Noel entrou pela porta dos fundos (no Brasil as chaminés não são praticáveis), entrou cauteloso que nem marido depois da farra. Tateando na escuridão torceu o comutador e a eletricidade bateu nas coisas resignadas, coisas que continuavam coisas no mistério do Natal. Papai Noel explorou a cozinha com olhos espertos, achou um queijo e comeu.

Depois tirou do bolso um cigarro que não quis acender. Teve medo talvez de pegar fogo nas barbas postiças (no Brasil os Papai-Noéis são todos de cara raspada) e avançou pelo corredor branco de luar. Aquele quarto é o das crianças Papai entrou compenetrado.

Os meninos dormiam sonhando outros natais muito mais lindos mas os sapatos deles estavam cheinhos de brinquedos soldados mulheres elefantes navios e um presidente de república de celulóide.

Papai Noel agachou-se e recolheu aquilo tudo no interminável lenço vermelho de alcobaça. Fez a trouxa e deu o nó, mas apertou tanto que lá dentro mulheres elefantes soldados presidente brigavam por causa do aperto.

Os pequenos continuavam dormindo. Longe um galo comunicou o nascimento de Cristo. Papai Noel voltou de manso para a cozinha, apagou a luz, saiu pela porta dos fundos.

Na horta, o luar de Natal abençoava os legumes. 

LIVRO: Alguma Poesia. Rio de Janeiro, Editora Pindorama, 1930.

FELIZ NATAL PARA LEITORES E COMENTARISTAS DO PHD!

18 comentários para “Papai Noel às avessas”

  1. Ernesto Araújo disse:

    Aproveito o post de autoria de Drummond (o qual vou tentar compreender melhor depois) para desejar ao Jorge Santana e família um ótimo Natal. O mesmo para todos os comentaristas do blog. Um grande abraço e que o aniversariante de amanhã abençoe a todos !!!

  2. Beth Makennel disse:

    Desejo um FELIZ NATAL para todos amigos Cruzeiro.org/PHD.

  3. GILBERT CHESTERTON disse:

    O Natal é construído com base num lindo e intencional paradoxo: que o nascimento de uma pessoa sem lar seja celebrado em todos os lares.

  4. BENJAMIM FRANKLIN disse:

    Uma boa consciência é um Natal contínuo.

  5. FELIZ NATAL, PESSOAL! Natal é o desejo de um tempo de paz, de reconciliação. É a comemoração do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, mas também é o desejo de que nasçam novamente em nós as boas ações e os sentimentos puros que um dia já tivemos. É minha vontade de que deixe de ser um mero cumprimento para ser um desejo real de que o Natal de Cristo seja realmente feliz. Feliz Natal, Jorge. Feliz Natal, amigos PHDistas. Grande abraço.

  6. SÍNDICO disse:

    FELIZ NATAL! não pode mais. Fere a sensibilidade dos muçulmanos, segundo Annette Widmann-Mauz, ministra alemã da imigração.

  7. Bruno 7L RJ disse:

    Feliz Natal, galera!

  8. Velloso disse:

    Que todos nós possamos ter um bom momento com todos os nossos queridos… Feliz Natal para todos.

  9. Matheus Penido disse:

    Feliz Natal a todos. Que Deus nos abençoe.

  10. Mauro Franca disse:

    A todos, um Natal de paz, amor e harmonia.

  11. Matheus Chaves disse:

    Feliz Natal, PHD!

  12. Tolentino disse:

    Feliz Natal a todos do PHD e um fim de ano muito especial cercado dos seus.

  13. SÍNDICO disse:

    O PINHEIRO DE NATAL. Há muito tempo, numa noite de Natal, três árvores perto do presépio, vendo o Jesus nascer, quiseram lhe oferecer um presente. A oliveira foi a primeira a oferecer, dando suas azeitonas ao Menino. A tamareira, logo a seguir, ofereceu-lhe suas doces tâmaras. O pinheiro, como não tinha nada a oferecer, sentiu-se muito infeliz. Vendo a tristeza dele, as estrelas decidiram descer do Céu pra enfeitá-lo e pousaram sobre os seus galhos. Quando isto aconteceu, o Menino Jesus olhou para o pinheiro, levantou os braços e sorriu! Reza a lenda que foi assim que o pinheiro, sempre enfeitado e iluminado, tornou-se a árvore típica de Natal. (Moliere)
    https://www.youtube.com/watch?v=0mGoYySWw_0

  14. Marcus Oliveira disse:

    Feliz Natal a todos!