Henrique se salvou no vexame do Horto

Por SÍNDICO | Em 9 de setembro de 2019

ATUAÇ!OES os protagonistas do CRUZEIRO 1×4 GRÊMIO, no Independência, Belo Horizonte, 08set19dom11h, pela 18ª rodada do Brasileiro 2019, por FERNANDÃO ÁVILA: 

TORCIDA CELESTE foi inconstante. Uma pequena galera vaiou e errou todos os alvos. Eu fui ao campo e também gostaria de transmitir um recado de insatisfação, mas como a opção seria a de aderir a algum dos coros de descontentes, perdi a chance, já que nenhum deles me representou.

FÁBIA começou gritando com a zaga e desobedecendo deliberadamente a ordem do chefe, bicando a bola pra onde o nariz apontava. Isso evitou alguns riscos imediatos. Nos gols não falhou, mas também não pegou nada digno de nota.

EDÍLSON fez um jogo correto, sem rompantes disciplinares, sem grandes vacilos defensivos. No ataque, ajudou pouco.

CACÁ começou empolgado se fazendo presente nas compactações ofensivas na intermediária ofensiva. No segundo tempo, esteve frente a frente com o Cebolinha e não conseguiu pará-lo.

LEO ficou exposto. O time não o ajudou e ele também não retribuiu. Havia pouco a fazer contra o esquadrão de gremistas em seu setor, o que torna injusto até o ato de avaliá-lo individualmente.

DID%O foi tenebroso. No primeiro gol, estava lá fazendo a sua figuração habitual. Não cortou o cruzamento, mas deu condição legal ao atacante adversário. Na construção de jogadas, limitou-se a recuar 100% das bolas que recebia, irritando até os companheiros. Robinho principalmente o pediu várias vezes pra passar, mas ele ignorou os apelos.

HENRIQUE fez o que pôde. Foi o melhor atacante do time, avançando pelo meio. Sofreu o pênalti no 1º tempo e uma falta perigosa no 2º. Desarmou, correu, mas nem sua disposição compensou os erros de escalação e de ideia de jogo.

ROBINHO não conseguiu ser o mágico que o Ceni queria. O mágico que acerta todos os passes em progressão para um time desconjuntado. Mas deu o melhor de si no 1º tempo, marcando, correndo e tentando. No 2º, com o sol batendo forte, fez mais o feijão com arroz.

DVID descolou a bola do jogo. Na primeira metade do 1º tempo, botou umaaçucrada pro Fred, mas o centroavante finalizou em cima do goleiro. Amarelado por ajudar o Dodô na esquerda, serviu de bode expiatório para o chefe mostrar que ele é desses, que mexe no 1º tempo mesmo. Saiu mais cedo do que devia.

ROCHA corre esquisito, o que pude conferir porque no Horto a arquibancada é perto do campo e eu o reparei no 2º tempo. É certo que uma das pernas dele dobra mais que a outra, ou que ele tem uma perna maior que a outra, sei lá. Completamente inoperante por todo o tempo em que esteve em campo.

NEVES ergue-se como a voz que afronta o chefe dentro do elenco, mas para justificar tal condição tinha que mostrar um cadinho mais de bola, né? A seu favor, voltou a ser escalado na última linha, jogando mais de costas do que armando o time.

EZEQUIEL entrou e deixou a torcida curiosa, sobre o que poderia fazer. Com vontade e velocidade apresentou um bom cartão de visitas.

M GABRIEL cometeu erros sucessivos de passe, por isto o ideal é pregá-lo à linha lateral ofensiva. Errou bisonhamente o passe que iniciou a jogada do segundo gol. O gênio do banco resolveu então utilizá-lo de volante na parte final do jogo, após a saída do Robinho (que não é volante!) para a entrada do Sassá.

FRED perdeu a bola do jogo logo no início. Àquela altura, ninguém sabia ainda, mas jogando em um time tão exposto e frágil defensivamente, começar vencendo teria sido primordial. No resto do jogo, brigou pela xepa, sem sucesso.

CENI foi lamentável. Caminha a passos largos pra demissão. Insiste em comportamentos traíras, como fez com o David. Insiste em não proteger seu time adequadamente. Ignora que do outro lado há um adversário. Sua sorte é que as coisas estão um tanto confusas nos bastidores e a torcida acaba pegando leve com ele e seus erros. Em análise que extrapola o jogo de hoje, eu diria que ele demonstra uma capacidade nula de aprendizado com os próprios erros. Erros que vem se repetindo desde o jogo seguinte à estreia.

CRUZEIRO foi um time sem controle emocional, mal escalado, vulnerável. Vou propor ao Síndico abolirmos as avaliações individuais dos jogadores enquanto Ceni estiver no comando. É injusto avaliar individualmente os caras com um time de jogo coletivo inexistente.

GRÊMIO enfrentou um adversário ideal pra esquecer a eliminação recente. Suportou o ímpeto adversário por 15 minutos e depois fez o que quis e como quis. Pierre é um baita meiocampista, esguio, lembra o Pogba correndo e acionando os colegas em melhor condição. Alisson e Cebolinha um em cada ponta gota rafemos pra defesa celeste.

ÁRBITROS trabalharam bem (Síndico). 

MelhorDoJogo => HENRIQUE [[[22]]]]] Jottar, Wagner, Rizzi, Fernandão, Penido,  Arreguy, Artur, Jotapê, Zuloobas, Chaves, Anchieta, Olivieri, Amaral, Ulhôa, Pinheiro, Palmeira, Nem, Bastos, França, Romarol, Síndico, Dudu —– FRED [[[3]]] Ge, Lucas, Barnabé —– FÁBIO [[[2]]] Seisaum, Lulu —– DODÔ [[[1]]] Pedro —– NEVES [[[1]]] Soeiro —– CACÁ [[[1]]] Chiabi —– TORCIDA CELESTE [[[3]] Polaco, Soalheiro, Rezende —– EVERTON [[[[4]]]] Schrier. Knijnik, Morato, Walterson —– TARDELLI [[[2]]] Angrisano, Sanchotene …

Cruzeiro 1×4 Grêmio: homenagem a Paulo Bento

Por SÍNDICO | Em 8 de setembro de 2019

CRUZEIRO contra Grêmio, 08set19dom11h, Independência (23 mil), Belo Horizonte, 18ª rodada do Brasileiro 2019.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 16º, com 15 pontos; Grêmio, o 11aaº, com 22.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos, Grêmio, o 3º, com 14.936.

TEMPO ensoalarado, temperatura 21º, vento 21 Km/h, umidade 78%.

TRANSMISSÃO: Premiere, com narração de Luiz Carlos Jr. e comentários de Grafite e Henrique Fernandes, reportagens de Maurício Paolucci e Victor La Regina. .

ARBITRAGEM: Rafael Traci, Helton Nunes, Eder Alexandre (SC). VAR: Rodrigo D’alonso Ferreira (SC).

CRUZEIRO: Fábio — Edilson, Cacá, Leo, Dodô – Henrique, Robinho — M Gabriel, Neves, David — Fred. T: Rogério Ceni.

BANCO: Rafael, Fabruno, Egídio, Rafael Santos, Ederson, Adriano, Cabral, Jadson, Ezequiel, Sassá, Rocha.

AUSENTES: Orejuela (Seleção Colombiana), Rodriguinho, Dedé (lesionados).

PENDURADOS: Cabral, Cacá, Dedé, Robinho, Rodriguinho.

GRÊMIO: Paulo Victor — Galhardo, Geromel, Kannemann, Cortez — Michel, Matheus Henrique — Alisson, Jean Pyerre, Everton — Tardelli. T: Renato Portaluppi.

BANCO: Júlio Cesar G, Paulo Miranda B, David Braz B, Juninho Capixaba L, Rômulo V, Darlan V, Thaciano M, Da Silva A, André A, Pepê A.

AUSENTES: Leonardo, Maicon, Léo Moura, Felipe Vizeu, Marcelo Oliveira (lesionados).

PENDURADOS: Leonardo e Luciano.

CRUZEIRO 1×4 GRÊMIO, 08set19dom11h TEMPO ensoalarado, temperatura 21º, vento 21 Km/h, umidade 78% LOCAL: Independência, Belo Horizonte. TRANSMISSÃO: Premiere. PÚBLICO: 11.363 pagantes, 14.208 presentes, R$114.299, média R$10. ARBITRAGEM: Rafael Traci, Helton Nunes, Eder Alexandre (SC). VAR: Rodrigo D’alonso (SC). AMARELOS: Henrique, David, Alisson Gols: Tardelli, 18, Alisson, 27, Fred, 36 (p), Cebolinha, 63 e Cebolinha, 76. CRUZEIRO: Fábio; Edilson, Cacám Leo, Dodô; Henrique, Robinho (Sassá,74), Neves (Ezequiel, 67), M Gabriel, David (Rocha, 29), Fred. T: Rogério Ceni. GRÊMIO: Paulo Victor; Galhardo, Geromel (David Braz, 51), Kannemann, Cortez; Michel (Luan, 79), Matheus Henrique, Alisson, Jean Pyerre, Everton; Tardelli (Pepê, 71). T: Renato Portaluppi.

HISTÓRICO: 76 jogos. Cruzeiro venceu 33, empatou 20, perdeu 24, marcou 96 gols, levou 79. Pelo Brasileiro, foram 56 jogos. Cruzeiro venceu 23, empatou 15, perdeu 19, marcou 71 e sofreu 66 gols. Pela Libertadores, 6 jogos. Cruzeiro venceu 3, empatou 2 e perdeu 1. Foram 29 jogos nos estádios do Grêmio (Olímpico e Humaitá). Cruzeiro venceu 6, empatou 10, perdeu 14, marcou 20 gols e sofreu 35. Cruzeiro e Grêmio já decidiram um título, a Copa do Brasil 93. No Olímpico, 0×0; no Mineirão, Cruzeiro 2×1.

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 58 participações em 63 campeonatos, 1.46o jogos, 633 vitórias, 393 empates, 434 derrotas, 2.119 gols marcados, 1.657 sofridos. Aproveitamento de 53%. Nos pontos corridos: 644 jogos, 29o vitórias, 141 empates, 213 derrotas, 966 gols marcados, 795 sofridos, aproveitamento de 53%.

18bra19: Cruzeiro em 16º

Por SÍNDICO | Em 7 de setembro de 2019

18ª RODADA do Brasileiro 2019:

  • Corinthians 2-2 Ceará 07set19sab11h Itaquera
  • Vasco 0-2 Bahia 07set19sab11h São Januário
  • Fortaleza 0-1 Fluminense 07set19sab17h Castelão
  • Avaí 0-3 Flamengo 07set19sab17h Nacional
  • Internacional 1-0 São Paulo 07set19sab19h Beira Rio
  • Goiás 1-2 Palmeiras 07set19sab21h Serra Dourada
  • Cruzeiro 1×4 Grêmio 08set19dom11h Mineirão
  • Santos 1×1 Paranaense 08set19dom16h Vila Belmiro
  • Botafogo 2×1 Mineiro 08set19dom16h Engenhão
  • Alagoano 2×0 Chapecoense 08set19dom19h Rei Pelé

É tudo tão simples!

Por SÍNDICO | Em 7 de setembro de 2019

O TORCEDOR CELESTE, em sua maioria, acredita que O Cruzeiro pode e deve conquistar todos os torneios de que participa. Se não o faz é por pura sem-vergonhice dos jogadores, esses velhos beberrões, incompetentes desinteressados, safados e cousa e lousa. E, claro, pela burrice dos treinadores dessa escumalha. 

Proeza deste tipo nem os supercampeões Barça, Madrid, Paris, Bayern, e Juve  conseguiram na mais recente temporada européia. Tampouco, River, Flamengo, Grêmio e Palmeiras, os dodóis dos mesa-redondistas que orientam o torcedor celeste. 

Mas a manezada deve estar certa, é claro, afinal o que são quatro títulos em dois anos, né mesmo? Poha nenhuma, convenhamos! Então, sejamos espertos: que se mandem embora os velhos e se lance a garotada. Com Eudes, Orejuela, Cacá, Fabrunim Rafael, Adriano, Ederson, Maurício, Marco Antônio, Wellinton e Popó vamos campeonar sem descanso. 

É tudo muito simples. Singelo até. E boa sorte aos envolvidos no projeto!

Brasil 2×2 Colômbia: Neymar volta com gol, assistência e pênalti não marcado

Por SÍNDICO | Em 6 de setembro de 2019

AMISTOSO em Miami marca volta de Neymar –o melhor do jogo– à Seleção Brasileira:

BRASIL 2×2 COLÔMBIA, 06set19sex20h. TEMPO limpo, temperatura 29º, vento 14 Km/h, umidade 72%. TRANSMISSÃO: Sportv. PÚBLICO: 65.232 espectadores. LOCAL: Hard Rock Stadium (77 mil), Miami. MOTIVO: amistoso. ARBITRAGEM: Ismail Elfath (EUA)Corey Parker (EUA) e Adam Wienckowski (EUA). AMARELO: Casemiro. GOLS: Casemiro, 19, Muriel, 25 (p) e 34, Neymar, 58. BRASIL: Ederson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva, Alex Sandro; Casemiro, Arthur; Richarlison (Neres, 83), Coutinho (Bruno Henrique, 79) Neymar; Firmino (Paquetá, 82). T: Tite. COLÔMBIA: Ospina; Medina (Orejuela, 77), Mina, Sánchez, Tesillo; Barrios, Uribe (Lerma, 60), Cuadrado (Moreno); Martínez (Díaz), Muriel (Berrío, 67); Zapata (Borré). T: Carlos Queiroz.

Neves: “Muitas mudanças em cima da hora”

Por SÍNDICO | Em 6 de setembro de 2019

PITACOS acerca do INTERNACIONAL 3-0 CRUZEIRO, Beira Rio, Porto Alegre, 04set19qua21h30, volta das semifinais da Copa do Brasil 2019:

ROGÉRIO CENI: Sobre o Jadson, vamos lá. Edilson deu entrevista na segunda, dizendo que tinha poucos minutos de jogo, voltando de lesão. O último jogo completo dele foi em 12Mai. Vamos completar quatro meses da última vez que ele jogou por 90 minutos. Ele deu uma declaração de que precisava de mais minutos. Era um jogo decisivo. Na minha cabeça, o Edilson jogaria. Na declaração, ele disse que gostaria de ter mais minutos, que não se sentia extremamente pronto. Achei que era um jogo muito importante pra correr o risco, por isso, quis colocar um jogador que treina nessa posição e tem a condição física pra aguentar 90 minutos. (…) A improvisação foi o Jadson na lateral direita, devido ao Orejuela na seleção, ao Weverton, machucado, e o Edilson voltando de um tempo parado, há muito tempo sem jogar 90 minutos. Jadson é um jogador mais leve e sabe cumprir bem a função de marcar.

THIAGO NEVES: Foi um jogo diferente, a gente precisou se adaptar. Na minha opinião, você mudar três ou quatro jogadores em uma decisão fora de casa é muita coisa, em um time que já vem formado. Improvisar jogadores é difícil, ainda mais jogadores que não vêm jogando. Ficou um pouco complicado, mas mesmo assim a gente conseguiu fazer um bom primeiro tempo. E aí o primeiro gol complicou. A gente ficou sabendo na preleção, sei lá, duas ou três horas antes do jogo. Na minha opinião, achei muito em cima da hora. Você improvisar três ou quatro jogadores numa linha que já vinha formada há dois anos. Nada contra, óbvio que queremos ganhar, jogadores que entraram jogaram bem, mas é muita coisa para um segundo jogo de semifinal.

AGNALDO MORATO: Fabruno, o melhor. Henrique, muito bem. Roxha, mal. Demais jogadores abaixo do que podem. David, o pior. Ceni vai perder a paciência com ele. E o Ceni hoje se perdeu um pouco. Talvez por falta de peças. Afora isto, por que levou pro jogo atletas sem boas condições físicas?

FERNANDÃO ÁVILA: Desorganizado, o time celeste foi definhando a cada gol sofrido e a cada convicção perdida. Parece que entrou sem um plano claro de jogo, coisa que nunca acontecia nos tempos do Mano. A ideia era “vamos pra dentro dos caras”. E os “caras” estavam sempre postadinhos para o contragolpe e deram a bola para o Cruzeiro. Ante a marcação forte do Inter na intermediária, cansou de recuar bolas para a zaga e para o goleiro recomeçando as jogadas. O jeito mais fácil de entrar era por meio de triangulações nas laterais, mas concentrou o jogo no meio, e pôs gente de pouca qualidade nas alas. Ciente de seus erros, o time insistiu neles o quanto pôde.

LEONARDO MATARELLI: Deu saudades do time do Mano nos mata-matas. Ceni escalou mal, substituiu pior ainda, e de quebra deixou cicatrizes no grupo ao improvisar na lateral direita e depois na zaga. Prefiro imaginar que, diante da realidade, ele poupou os titulares para o que importa no ano, que é fugir do Z4. E domingo começa pra valer o martírio, na disputa dos derrotados contra o Grêmio. Em tempo: precisando ganhar, virar o jogo, e dois centroavantes no banco até os 60 minutos…’

CLAUDINEI VILELA: Não sei porque a galera tá pluta… Time jogou do jeito que tudo mundo quer…. Quem fez o manonol foi o Inter… De agora em diante, o melhor a fazer é esquecer as copas. A Era Mano acabou!

Henrique e Fabruno salvaram-se em Portalegre

Por SÍNDICO | Em 5 de setembro de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do INTERNACIONAL 3-0 CRUZEIRO, Beira Rio, Porto Alegre, 04set19qua21h30, volta das semifinais da Copa do Brasil 2019, por FERNANDÃO ÁVILA:

TORCIDA CELESTE compareceu e alentou o time. (Síndico)

FÁBIO, sem culpa nos gols. No terceiro, podia ter agido melhor, ficou no meio do caminho, mas dificilmente seria possível evitá-lo. Está mais exposto, seja com o time com ou sem a posse de bola. Com a posse, é acionado seguidamente em situações nítidas de bico pra frente da zaga. Sem ela, a linha alta fatalmente o deixará na situação do terceiro gol mais vezes.

JADSON deve ter dirigido um: “Mas cê tem certeza, chefe?” ao Rogério na preleção. É difícil malhar um cara que está nitidamente mal escalado. Pior: mal escalado por 90 minutos. No ofício, foi mal tecnicamente, mal nas decisões, estava nervoso e não contribui com a construção ofensiva.

DEDÉ ia bem no jogo, até errar a jogada fatal, ao cruzar uma bola no meio campo com o time saindo. No mesmo lance ainda errou pela segunda vez ao “afundar” pra dentro do gol e esquecer o Guerrero. Na volta do intervalo contribuiu para a bagunça geral ao desistir de retornar ao gramado em cima da hora. Isso não é coisa de profissional. Avisa no vestiário: “Professor, o tornozelo tá meio bambo.” No mínimo o substituto já ia fazendo um aquecimento maroto, um cerca pombo ali. Não gostei.

FABRUNO é bola e vai dar jogador, mas abusou dos recuos para o Fábio, culpa que definitivamente não era dele. A faixa de campo que deveria cobrir na transição era enorme, o campo de defesa inteiro, porque o time só se aproxima quando está no campo de ataque. Ainda arriscou uma ou duas bolas, mas o time sem dinâmica ofensiva fazia bola retornar a ele rapidamente.

DODÔ recebe amor de muita gente, sem ter feito algo pra merecer. Pronto falei! Ele deve ter uns 10% da capacidade ofensiva do Egídio. Nesse jogo não deu amplitude ao time, que acabou por afunilar demais as jogadas. Teve um trabalho relativamente simples na marcação, porque o Dalessandro não tem velocidade, ao passo que o Jadson penou com o Nico. Ainda assim, perdeu duelos e não fez o adversário se preocupar com ele. Outro jogador que abusou dos recuos de bola.

HENRIQUE deve ter saído irritado com o chefe, que o expôs desnecessariamente. Um centroavante como o Guerrero, e você põe o Henrique na zaga? O Guerrero deve ser uns 10 cm maior que ele e uns 15 kg mais pesado pra começar. Mesmo assim deu conta do recado. No primeiro tempo, jogou num posicionamento de meia direita, tentando compensar um pouco a ausência de ultrapassagens do Jadson. No segundo tempo, sobreviveu.

ABRAL entrou pra ajudar o Robinho a conectar o jogo. Mas o contexto geral já era de bagunça e desânimo. Errou muitos passes. Mas esse é o resultado esperado quando o adversário está postado e seu time desorganizado. Deve ter ouvido pela primeira vez o Rogério lhe dirigir a palavra, enquanto o Dedé voltava pro vestiário pra fazer gelo

ROBINHO se houve melhor do que na última partida. Principalmente enquanto ainda havia um jogo de futebol, até o primeiro gol. Estava armando de trás e tentando chegar como surpresa na entrada da área adversária. Errou passes, mas em sua maioria passes que poderiam por um companheiro em situação de definição. Foi caindo com o time ao longo do segundo tempo, por problemas de ordem física, tática e anímica.

M GABRIEL esteve animado, mesmo quando o resto do time já não estava. Correu, arriscou de longe, marcou. Enfim, jogou bola sem beicinho mesmo vendo que tudo ia se acabar na quarta-feira.

NEVES: o grande mérito da era Ceni, até ontem, era ter achado a posição do Thiago. Como meia armador, ajudando na construção e finalizando da entrada da área. Por algum motivo desconhecido, foi posto pra jogar de costas pra zaga, afundado entre os beques do Inter. Isso prejudicou o seu jogo, embora ainda sim tenha mostrado vontade e participação enquanto tinha jogo.

EDERSON entrou pra evitar uma goleada histórica. Fez sua parte combatendo.

DAVID manteve-se animado durante o primeiro tempo, embora isso não resolva tudo. Tentou abrir espaços na ponta esquerda, cortando pra dentro. Mas o colega de ala raramente passava às suas costas. Justiça seja feita: Dodô passou umas duas vezes com qualidade, mas o passe foi interceptado. Ao entrar com a bola embolava com Marquinhos ou o Thiago que já estavam por ali. Tendo esses jogadores próximos optou pouco pelas tabelas, que poderiam dar melhor resultado. Sua característica melhor é o drible, que parece que ele vem aprimorando.

FRED, contrariando a regra, dessa vez entrou com sangue no olho, tentando ser a referência do time. Pivoteou, sofreu falta e tudo. Mas com dez minutos em campo, o Inter fez o segundo gol. Daí o desânimo foi geral.

ROCHA, escalado pra ser atacante que parte da ponta pra dentro, não teve espaço pra desenvolver sua velocidade, exceto no primeiro ataque do Cruzeiro no jogo, em que foi abafado pelo Lomba. Ainda participou pouco da marcação possibilitando ao Cuesta participar da construção de jogadas do Inter algumas vezes Não era jogo pra ele, já que o Inter manteve suas linhas baixas e organização defensiva o jogo todo. Era jogo pra centroavante abrir espaços. Isso o Pedro não sabe fazer, por isso passou o jogo todo encaixotado. Saiu irritado com o chefe, chutando tudo, o que piora a sua avaliação.

CENI teve uma jornada extremamente infeliz. Não me lembro de um técnico fazer tanta lambança em uma única noite no comando do Cruzeiro. No mesmo dia arrumou briga com parte do elenco por convicções frouxas. Indispôs-se com Léo, Edílson, Egídio e Henrique sendo injusto. Outra parte da turma: Pedrocha e Fred – também devem estar bravos com o chefe, esses dois sem motivo. Armou o seu time com jogadores amontoados na frente, na esperança de conseguir o tão sonhado jogo associativo, as tabelas e tal. Todos centralizados demais e com laterais sem presença ofensiva. Manteve o time exposto aos contragolpes o jogo todo. Insistiu nos erros de escalação: centroavante improvisado, volante improvisado, lateral improvisado, dobrando a aposta, improvisando um zagueiro.

CRUZEIRO, desorganizado, o time foi definhando a cada gol sofrido e a cada convicção perdida. Parece que entrou sem um plano claro de jogo, coisa que nunca acontecia nos tempos do Mano. A ideia era “vamos pra dentro dos caras”. Os “caras” estavam sempre postadinhos para o contragolpe e deram a bola para o Cruzeiro. Ante a marcação forte do Inter na intermediária, cansou de recuar bolas para a zaga e para o goleiro recomeçando as jogadas. O jeito mais fácil de entrar era por meio de triangulações nas laterais, mas concentrou o jogo no meio, e pôs gente de pouca qualidade nas alas. Ciente de seus erros, o time insistiu neles o quanto pôde.

INTERNACIONAL jogou um feijão com arroz foi mais que suficiente para a classificação. Começou o jogo trocando golpes com o Cruzeiro, de maneira até inconseqüente. Mas vendo que o adversário tinha imensa dificuldade de criar jogadas e ainda insistia em não se proteger adequadamente,se assentou no jogo e esperou as melhores chances para contra-atacar.

ÁRBITROS Não se fizeram notar.

MelhorDoJogo => HENRIQUE [[[10]]] Zuloobas, Penido, Romarol, Ramos, Galvão, Velloso, Anchieta, Fivestars, Klauss, Síndico —– FABRUNO [[[5]]] Sá, Bitencourt, Rosan, Fernandão, Rezende —– JADSON [[[1]]]Pedro —– DEDÉ [[[1]]] Pinheiro —– FÁBIO [[[1]]] Amaral —– DODÔ [[[1]]]Hiram —– CENI [[[2]]] King, Romeu —– GUERRERO [[[5]]] Ianni, Schrier, Walery, Pena, Alex —– DALESSANDRO [[[1]]] Setelagoas —– ODAIR [[[1]]] Angrisano…

Internacional 3×0 Cruzeiro: trapalhadas fatais

Por SÍNDICO | Em 4 de setembro de 2019

CRUZEIRO contra Internacional, neste 04ago19qua21h30, Beira Rio. Porto Alegre, volta das semifinais da Copa do Brasil 2109.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro passou por Fluminense e A Mineiro. Internacional, por Paysandu e Palmeiras.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos, Internacional, o 9º, com 10.902.

TRANSMISSÃO: Globo para todo o Brasil (narração de Luis Roberto, comentários de Caio Ribeiro, Roger Flores e Sandro Meira Ricci na Central do Apito). SporTV para todo o Brasil (Milton Leite, Bob Faria e Ricardinho).

TEMPO limpo, temperatura 12º, vento 10 Km/h, umidade 55%.

ARBITRAGEM: Flávio Rodrigues de Souza (SP), Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA), Fabricio Vilarinho da Silva (GO). VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira de Amaral (SP), Caio Max Augusto Vieira (RN), Fabricio Porfirio de Moura (SP).

CRUZEIRO: Fábio — Jadson, Dedé, Fabruno, Dodô — Henrique, Robinho — M Gabriel, Neves, David — Rocha. T: Rogério Ceni.

BANCO: Rafael, Edílson, Cacá, Leo, Egídio, Rafael Santos, Ederson, Cabral, Maurício, Sassá, Fred, Welinton.

AUSENTES: Rodriguinho, Weverton (lesionado), Orejuela (Seleção Colombiana).

PENDURADOS: Egídio e Robinho.

INTERNACIONAL: Lomba — Bruno, Moledo, Cuesta, Uendel — Edenilson, Lindoso, Patrick – Nico López, Dalessandro – Guerrero. T: Odair Hellmann.

BANCO: Danilo Fernandes G, Heitor L, Zeca L, Emerson Santos B, Klaus B, Rithely V, Sarrafiore M, Nonato M, Neilton M, Pottker A, Guilherme Parede A.

AUSENTES: Wellington Silva, Rodrigo Dourado, Natanael, Matheus Galdezani (lesionados).

PENDURADOS: Sobis, Nico López.

INTERNACIONAL 3×0 CRUZEIRO, 04ago19qua21h30. TEMPO limpo, temperatura 12º, vento 10 Km/h, umidade 55%. LOCAL: Beira Rio (50 mil), Porto Alegre. MOTIVO: volta das quartas de final da Copa do Brasil 2019. TRANSMISSÃO: SporTv e Globo. PÚBLICO: 41.980 pagantes, 43.175 presentes, R$2.389.469, média R$57.  ARBITRAGEM: Flávio Rodrigues Souza (SP), Alessandro Rocha Matos (BA), Fabricio Vilarinho (GO). VAR: Rodrigo Guarizo (SP). AMARELOS: ninguém. GOLS: Guerrero, 37 e 69, Edenílsonm 88. INTERNACIONAL: Lomba; Bruno, Moledo, Cuesta, Uendel (Sarrafiore, 91); Lindoso, Edenílson, Patrick, D’Alessandro (Sóbis, 76), Nico (Nonato, 86); Guerrero.​ T: Odair Hellmann. CRUZEIRO: Fábio; Jadson; Dedé (Cabral, 46), Fabruno, Dodô; Henrique, Robinho (Ederson, 75); M Gabriel, Neves, David;  Rocha (Fred, 6o). T: Rogério Ceni.

HISTÓRICO: 84 jogos, com 29 vitórias do Cruzeiro, 32 do Inter e 23 empates. O Cruzeiro marcou 105 gols e sofreu 109. Pelo Brasileiro, desde 1962, foram 71 partidas. O Cruzeiro venceu 25, empatou 20, perdeu 25, marcou 88 gols e sofreu 86. Os dois clubes decidiram o Brasileiro de 1975, com vitória do Inter na final por 1×0, no BeiraRio.

Semana 35: o domingo foi dos garotos

Por SÍNDICO | Em 3 de setembro de 2019

Notícias do Cruzeiro na SEMANA 35 de 2019, por MAURO FRANÇA

SEGUNDA, 26ag019. FOLGA do elenco. /// CRUZEIRO 2×0 MOKDONG (Coreia do Sul). KFL Internacional Sub15, 1ª rodada, Seul, Coreia do Sul. Gols: Ícaro, Franklim. /// CRUZEIRO 5×0 PROGRESSO TOKACHI (Japão). KFL Internacional Sub15, 2ª rodada, Seul, Coreia do Sul. Gols: Vitor Roque (2), Lucas, Nakamura, Vitão. Cruzeiro: João Pedro; Ítalo (Jhosefer), Vitão, Franklim, Nakamura; Urso (Nicolas), Lucas, João Wellington, Kauã, Vitor Roque (Rikelmy); Ícaro (Leandro). T: Fábio Brostel.

TERÇA, 27ag019. REAPRESENTAÇÃO: regenerativo e treino técnico. /// LEO, Dedé e Welinton treinaram normalmente. /// Marquinhos Gabriel e David ficaram na academia. /// OREJUELA convocado para amistosos da Colômbia em 06 e 10set, nos Estados Unidos. /// LIMINAR concedida ao Supermercados BH determina depósito em juízo pelo Flamengo da parcela restante da compra de Arrascaeta. /// CRUZEIRO 7×0 POHANG STEELERS (Coreia do Sul). KFL Internacional Sub15, 3ª rodada, Seul, Coreia do Sul. Gols: Lucas (2), ícaro (2), Vitor Roque, Rikelmy, Victor Alex. Cruzeiro: Iago; Ítalo (Jhosefer), Vitão (Leandro), Franklim (Nicolas), Nakamura (Matheus); Urso, Lucas (Victor Alex), João Wellington, Kauã (Rikelmy), Vitor Roque; Ícaro. T: Fábio Brostel. /// CRUZEIRO 2×0 SHANGHAI LUCYSTAR (China). KFL Internacional Sub15, 4ª rodada, Seul, Coreia do Sul. Gols: Ícaro, contra.

QUARTA, 28ag019. TREINO técnico. /// FRED, com virose, foi poupado. /// ALEXANDRE SOUZA, volante de 20 anos, treinou com os profissionais. /// EZEQUIEL, atacante de 21 anos, que pertence ao Botafogo e está emprestado ao Sport, contratado por empréstimo. /// CRUZEIRO 4×1 SELEÇÃO COREIA DO SUL. KFL Internacional Sub15, quartas de final, Seul, Coreia do Sul. Gols: Vitor Roque (3), João Wellington. Cruzeiro: Iago; Ítalo, Vitão, Franklim, Nakamura; Urso, Lucas (Matheus), João Wellington, Kauã (Nicolas), Vitor Roque (Victor Alex); Ícaro (Rikelmy). T: Fábio Brostel. /// FLAMENGO 0x1 CRUZEIRO. Brasileiro Sub20, 12ª rodada, Raulino de Oliveira, Volta Redonda. Gol: Liberato. Cruzeiro: Vinícius; Liberato (Luiz Gustavo), César, Paulo (Carlos), Pereira; Jonathan, Rômulo, Jadsom, Marco Antônio (Michel), Caio (Zé Eduardo); Thiago (Stênio). T: Ricardo Resende.

QUINTA, 29ag019. TREINO fechado. /// Fred treinou normalmente. /// Jadson ficou na academia. /// RODRIGUINHO volta a treinar, uma mês antes do previsto. /// BENECY QUEIROZ completou 80 anos e recebeu homenagens na Toca II. /// CRUZEIRO 0x2 SPORTING. KFL Internacional Sub15, semifinal, Seul, Coreia do Sul.

SEXTA, 30ag09. TREINO fechado. /// EZEQUIEL fez exames médicos e físicos em BH. /// CNRD investiga cessão de direitos de Arrascaeta a Pedro Lourenço, em 2015, e cessão de direitos de vários jogadores ao empresário Cristiano Richard, em 2018. /// CRUZEIRO 7×1 REAL SOCIEDAD. KFL Internacional Sub15, decisão 3º lugar, Seul, Coreia do Sul. Gols: Matheus (2), Rikelmy (2), Vitor Roque, Leandro.

SÁBADO, 31ag019. TREINO fechado. /// eSPORTS equipe criada em parceria com a empresa E-Flix. /// ANDRÉ BATISTA, analista de desempenho, e RODRIGO SAAR, fisiologista da base, integrarão a comissão técnica da Seleção Sub17 nos amistosos preparatórios para o Mundial da categoria. /// ATLÉTICO 1×0 CRUZEIRO. Mineiro Sub14, 3ª rodada, Vespasiano. Cruzeiro: Otávio, Brayan, Isaias (Rocco), Antonny, Allan; Amilton, Luiz Otávio (Guilherme), João Vitor, João Roberto; Davi (Pedro Henrique), Robert. T: Leandro Guerreiro.  /// CRUZEIRO 4×1 BETIM. Mineiro Sub17, 14ª rodada, Toca I. Gols: Riquelme, Alejandro, Presses, Nardoci. Cruzeiro: Bazilio; Danilo, Alysson, Nardoci, Kaiki (Ramon); Henrique (Allan), Weverton, Riquelmo (Vinicíus), Alejandro, Riquelme (Presses); Wesley. T: Alexandre Grasseli.

DOMINGO, 01set19.  CRUZEIRO 1×0 VASCO. Brasileiro, 17ª rodada, Mineirão, Belo Horizonte, 26.052 presentes, R$ 281.902. Arbitragem: Marcelo Aparecido Ribeiro (PB), Bruno Boschilia (PR), Danilo Simon (SP). Var: Wagner Reway (PB). Amarelos: Robinho, Henrique, M Gabriel, Raul, Talles, Rossi. Gol: Mauricio, 79. Cruzeiro: Fábio; Orejuela, Dedé, Fabruno, Egídio; Henrique, Robinho (Ederson); M Gabriel, Neves (Mauricio), David, Pedro Rocha (Fred). T: Rogério Ceni. Vasc0: Fernando Miguel; Pikachu, Henríquez, Ricardo, Barcellos; Richard, Raul, Marcos Jr; Rossi (Tiago Reis), Marrony (Fellipe Bastos), Talles (Valdívia). T: Vanderlei Luxemburgo. /// CENI: “A defesa do Fábio motivou muito os jogadores e deu forças para pressionarem. O que ajudou muito foi a saída dos dois velocistas do Vasco. Quando eles tiram os velocistas e colocam um meia e um camisa 9, ficaram sem o contra-ataque. Foi um alívio pra gente, pra ter a posse de bola no campo ofensivo. Tínhamos que fazer a bola chegar com qualidade, mas erramos muitos passes. Não só erros de passe, mas perda de posse de bola. Foram quase 50 erros. Se contar que ficamos 57% de posse da bola em 60 minutos de bola rolando, por 35 minutos ela foi nossa e errar 50 vezes é muito para uma partida. Podemos oferecer mais do que jogamos hoje. Temos dificuldade na saída de jogo. Estamos tentando implementar isso, o que não se faz em 15 dias, 12 treinos. Eu vou tentar inserir a característica que eu gosto para o meu time”. /// CRUZEIRO 3×0 AMÉRICA. Mineiro Sub20, ida quartas de final, Alterosas, Belo Horizonte. Gols: Popó, Edu, Jadsom. Cruzeiro: Vinicius, Liberato, Edu, Jonathan, Pereira; Rômulo, Adriano, Jadsom, Marco Antônio; Thiago, Popó. T: Ricardo Resende.

Ceni: “cinquenta erros de passe é muito”

Por SÍNDICO | Em 3 de setembro de 2019

PITACOS acerca do CRUZEIRO 1-0 VASCO, Mineirão, Belo Horizonte, 01set19dom19h, 17ª rodada do Brasileiro 2019:

ROGÉRIO CENI: A defesa do Fábio motivou muito os jogadores e deu forças para pressionarem. O que ajudou muito foi a saída dos dois velocistas do Vasco. Quando eles tiram os velocistas e colocam um meia e um camisa 9, ficaram sem o contra-ataque. Foi um alívio pra gente, pra ter a posse de bola no campo ofensivo. Tínhamos que fazer a bola chegar com qualidade. Mas erramos muitos passes. Não só erros de passe, mas perda de posse de bola. Foram quase 50 erros. Se contar que ficamos 57% de posse da bola em 60 minutos de bola rolando, por 35 minutos ela foi nossa e errar 50 vezes é muito para uma partida. Podemos oferecer mais do que jogamos hoje. Temos dificuldade na saída de jogo. Estamos tentando implementar isso, o que não se faz em 15 dias, 12 treinos. Eu vou tentar inserir a característica que eu gosto para o meu time.

MAURÍCIO: Sensação inexplicável. Estar diante da nossa torcida, precisando dos três pontos. Foi uma felicidade grande e espero ter mais vezes. Eu agradeci o Rogério Ceni pela oportunidade. Ele me ajuda muito nos treinamentos, por eu ser novo. Ele dá muito apoio. Muita cobrança também, mas ajuda bastante. Brinquei com ele no vestiário. Falei ‘Ei, Dom, eu vou fazer um gol aqui e vou vir comemorar com você’. Dito e feito. Fiz o gol, pude comemorar com ele e estou muito feliz”. Dedico esse gol à minha família. Minha mãe está aqui. Eles correram por mim até esse momento e eu quero dedicar pra eles esse gol.

DOUGLAS VELLOSO:  Jogo bom, com momentos alternados de domínio de cada time. O Cruzeiro dosou mais as energias, mas depois do pênalti, recuperou o gás e fez o resultado. O meio de campo celeste está carecendo de força, As linhas estão bem postadas, mas falta acertar posicionamento e ter uma recomposição mais rápida. E como disse o Rogério, em alguns momentos a desistência de uma jogada aguda e o recuo de bola não eram necessários. Bom ver que o treinador percebeu a dificuldade na saída de bola. Rocha, bem marcado, pouco produziu em um pedaço de campo que não é o dele, Ele precisa de espaço e de alguém para lhe acompanhar. David foi muito acionado e buscou ser rompedor. Aos poucos vai melhorar o ritmo. Para o Neves faltou gás, e para os laterais faltou espaço ofensivo, já o o Vasco jogou seus atacantes para o lado de campo. Com a troca do Luxa, colocando um homem fixo e buscando gás no final do jogo, e o gol logo depois, o que restou foi manter o resultado.

M RIZZI: David se soltou um pouco mais, está ganhando confiança, esse jogador vai estourar. Mérito pela insistência, talvez um dos poucos que tentou algo diferente. Rocha se for de centroavante, por mim deve ficar no banco. Fabruno sentiu, principalmente após o pênalti. Dedé totalmente discreto nos lances de ataque na área, para mim aliviou para o Vasco.

AGNALDO MORATO: Fábio, o melhor do jogo. Dedé, um gigante, Neves, bem, Mauricio, o herói. Lédio Carmona, um pé no saco. David tem alguma habilidade, se movimenta, mas falta um pouco mais de qualidade no seu futebol, algo que cada vez mais eu vejo que ele não tem.