Os sócios do Cruzeiro

Por Jorge Angrisano Santana | Em 28 de maio de 2010

Olá, Jorge.
 
Acompanho o PHD há pouco mais de 5 meses e, certamente, é o melhor blog/sítio para discutir sobre o Cruzeiro. Por isso, lhe envio esse e-mail para apresentar uma discussão que poderia esclarecer muitas dúvidas minhas e, acredito, de muitos cruzeirenses.

Como o blog é frenquentado por gente de toda área, acredito que deve aparecer alguém que conheça mais da legislação esportiva para debater esse assunto. Bom, colo aqui um texto que divulguei na comunidade da TFC no orkut.

A esperteza na hora de contratar…

Quando o assunto é venda de jogadores, Zezé Perrella é raposa velha. Que o Cruzeiro vendeu muita gente nos últimos anos, todo mundo sabe. Mas algumas coisas não são bem debatidas quando o assunto é negociação. Como as negociações são feitas? Como são feitos os contratos? Qual é a parte de cada um nos direitos do jogador?
 
Com o intuito de tirar algumas dúvidas, resolvi levantar alguns dados junto ao Boletim Informativo Diário –BID– no sítio oficial da CBF.
 
Quem acompanhou o noticiário esportivo nas últimas semanas sabe que está em curso uma investigação sobre a venda do zagueiro Luisão ao Benfica.

Resumindo o caso, o Cruzeiro vendeu 100% dos direitos de Luisão para o empresário uruguaio Juan Figer por U$2,5 milhões. Figer registrou o jogador no time Central Español do Uruguai e posteriormente vendeu 50% dos direitos do jogador ao Benfica por U$1,6 milhões. Conta rápida: o Cruzeiro deixou de ganhar U$700 mil nessa brincadeira.
 
Conversando com algumas pessoas me dei conta de que essa prática é comum no futebol. O próprio Zezé, em nota divulgada, confirmou que isso acontece.

O empresário, para possuir os direitos de tal jogador, precisa registrá-lo em algum clube. Via de regra, compra um clube pequeno para servir de casa para seus atletas. Por mais absurdo que possa parecer, está dentro da lei.
 
Conferindo a relação de jogadores que, segundo o BID, estão emprestados ao Cruzeiro, uma coisa me chamou a atenção. Dois desses jogadores fazem parte do grupo profissional e são titulares: Gil e Thiago Ribeiro.
 
Qual não foi minha surpresa ao constatar que esses jogadores emprestados estão vinculados a clubes de nenhuma expressão.

O caso do Thiago Ribeiro, aliás, parece muito com o caso do Luisão. Ele está vinculado ao Club Atletico Rentistas que está em 3º lugar no Clausura do Uruguai. Mas é da segunda divisão (!), coisa comum em clubes atléticos. A relação deste clube com Figer, aliás, foi investigada pela CPI do futebol em 2001. Deu em nada.
 
Gil, contratado junto ao Atlético Goianiense, pertence ao tradicionalíssimo Aparecida Esporte Clube da 3ª (!) divisão de Goiás.
 
E não pára por aí. Alguns jogadores da equipe sub-20 também não pertencem ao Cruzeiro. Casos de Mateus (volante), Rafael Leme (zagueiro), Rhuan (lateral direito), Rômulo (zagueiro) e Franco (armador).

A prática já alcança até mesmo jogadores do juvenil como é o caso do zagueiro Miller de 17 anos incompletos!
 
Que o clube precisa buscar parcerias na contratação de jogadores para a equipe principal não há dúvidas.
Mas até que ponto essa parceria é técnica e financeiramente inteligente?

Tomemos o exemplo do valorizado Thiago Ribeiro: é possível que exista alguma cláusula no contrato que permita ao Cruzeiro vetar uma possível negociação.

Mas no nascedouro do negócio já há problema. É mais fácil questionar a autonomia do clube mutuário quando ele não é, de fato, detentor dos direitos dos atletas.
 
A pressão do poderoso Club Atletico Rentistas será gigantesca caso surja uma proposta por Ribeiro. O clube uruguaio luta por uma vaga na primeira divisão de seu país, ora bolas! Qualquer graninha será bem vinda…
 
Mas o que preocupa mesmo é o fato da prática atingir a base do clube. Esse pode ser o primeiro passo para que as categorias de base deixem de representar o futuro técnico e financeiro do Cruzeiro.

Eventuais revelações já chegarão divididas ao profissional e o quinhão que caberá ao Cruzeiro não dará nem para a conta do café.
 
Com a intenção de divulgar essas informações e discuti-las com mais seriedade –coisa que nossa querida, amada e amadora imprensa não faz– ouvi Jorge Ben e procurei o síndico.

O assunto é sério e pode ter conseqüências drásticas a longo prazo. E se hoje, a internet nos permite acompanhar essas movimentações um pouco mais de perto, temos que ficar de olho.

  1. Gil  Contrato de empréstimo com o Cruzeiro: 03/08/2013 / Time que emprestou: Aparecida Esporte Clube/GO / Contrato com Aparecida: 15/07/2014
  2. Soares  Contrato de empréstimo com o Cruzeiro: 31/03/2010 / Time que emprestou: Junior Team Futebol S/S LTDA/PR / Contrato com o Júnior Team: 05/06/2011
  3. Rafael Leme  Contrato de empréstimo com o Cruzeiro até 31/12/2010 / Time que emprestou: Santo André/SP / Contrato com o Santo André: 31/08/2011
  4. Rhuan  Contrato de empréstimo com o Cruzeiro até 05/02/2010 / Time que emprestou: Luverdense Esporte Clube/MT / Contrato com o Luverdense: 30/07/2011
  5. Romullo  Contrato de empréstimo com o Cruzeiro até 30/04/2010 / Time que emprestou: Fabriciano Futebol Clube LTDA/MG / Contrato com o Fabriciano: 06/04/2012
  6. Thiago Ribeiro  Contrato de Empréstimo com o Cruzeiro: 23/08/2013 / Time que emprestou: Club Atletico Rentista (Uruguai) / Contrato com o Club Atletico Rentista: ?”

Grande abraço,

Matheus Reis, 25, cruzeirense, doutorando de Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais Matheus Reis mesmo, nasceu em Itabira, mora em Belo Horizonte.

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.