Os Reis do Pedaço

Por SÍNDICO | Em 18 de fevereiro de 2010

Quem manda no futebol mineiro? Hoje em dia, é o Cruzeiro. Mas nem sempre foi assim.

A história deve ser contada a partir do início do século passado, quando havia pelo menos três ligas importantes em Minas.

Uma sediada em Formiga, da qual pouco se sabe. Outras duas em Juiz de Fora e Belo Horizonte. A de Juiz de Fora definhou, embora tenha mantido campeonatos regionais até os nos 60.

Sport, Tupinambas e Tupi, de Juiz de Fora, e Ribeiro Junqueira, de Leopoldina, tiveram, cada um sua fase áurea no campeonato da Zona da Mata.

A vertente mais perene tem sua origem na LMDT, que cindiu nos Anos 30, mas voltou a se reunir e, claramente, dominou o futebol mineiro, desde o início dos Anos 40.

Ela deu na atual FMF, que assistiu, ao longo de 95 anos, um revezamento entre seus clubes na hegemonia estadual.

A partir de 1959, com a criação da Taça Brasil, pra se estabelecer a hegemonia local, é preciso também levar em conta as disputas nacionais, promovidas pela CBD e sua sucedânea, CBF, e as interncaionais.

Estes são os períodos em que houve clara hegemonia de algum clube:

  • 1915/25 – América, 10 títulos da cidade.
  • 1926/31 – Palestra, 4 títulos da cidade, Athletico, 3.
  • 1932/35 – Villa Nova, tetracampeão.
  • 1936/39 – Athletico, 3 títulos da cidade.
  • 1940/45 – Palestra / Cruzeiro, 4 títulos mineiros.
  • 1946/64 – Atlético-MG, 13 títulos mineiros.
  • 1965/77 – Cruzeiro, 10 títulos mineiros, 1 brasileiro, 1 continental.
  • 1978/89 – Atlético-MG, 10 títulos mineiros.
  • 1990/09 – Cruzeiro, 12 mineiros, 3 regionais, 5 brasileiros, 4 continentais.

Até 1946, houve rigoroso equilíbrio entre Cruzeiro e Atlético-MG nos RapoCotas.

Seguiu-se um período de domínio avassalador dos emplumadas, que só se encerrou com a inauguração do Mineirão.

Daí em diante, há vantagem do Cruzeiro, mas nada parecida com a do adversário no período imediatamente anterior.

Por isto, persiste uma vantagem, que deve estar em torno de 15 vitórias, a favor dos alvinegros no RapoCota.

Em contrapartida, quando se somam os duelos diretos, valendo títulos ou vagas em fases eliminatórias, o Cruzeiro leva vantagem considerável.

P.S.: Haverá uma estéril discussão sobre o que é campeoanto mineiro ou da cidade. E também sobre o título que o América conquistou sem jogar. O propósito do blogueiro não é o de discutir detalhes, mas de definir em linhas gerais, quem foi hegemônico em Minas.

84 comentários para “Os Reis do Pedaço”

  1. Alan Mendonca disse:

    Na era Mineirao estamos 8 titulos a frente, isto mostra a superioridade do Cruzeiro nesses 45 anos. Apenas na decada de 80 houve superioridade pateticana, no restante sempre aconteceu o previsto.

  2. Alan Mendonca disse:

    Ops, sao 9 titulos a frente.Foram tantos que perdi a conta.

  3. Naldo disse:

    Não sei porque, mas eu esperava um post como este. JS não perde ponto. Eu quero muita flanela mesmo no jogo. Quero o adversário cospindo marimbondo. Quero jogo pra valer. Na quarta tem Colo Colo pela Libertadores e o time tem que estar firme e ligado. Na Libertadores não tem moleza.

    • Renato-SP disse:

      Eu ia rachar o bico se estivesse no Mineirão. Esse lance das flanelas vai ser muito hilário.

  4. claudio(xina)lemos disse:

    Por isto vc incluiu a decáda de 70 para as frangas 78/79, porque fizeram parte do hexa delas. Certamente. O grande problema dos anos 80 foi que o america não ganhou nenhum campeonato, nos anos 90/00 eles ganharam. Jorge o supercampeonato foi incluido ou não?

  5. Naldo disse:

    A grande diferença entre os mineiros é o alcance nacional do time celeste. Este foi o único que foi alem das fronteiras estaduais.

    • Jorge Santana disse:

      Não é bem assim.

      • Jorge Santana disse:

        O único que foi além das fronteiras brasileiras, pode até ser. Mas além das fronteiras de Minas, não.

      • Rogério disse:

        É verdade, em 71 eles “trupicaram” e cairam além das fronteiras de Minas, mas foi tão somente um acidente.

      • Naldo disse:

        Eu concordo com você que o rival teve um grande momento entre 77 e 81 quando conquistou 2 Vices nacionais e disputou 2 Libertadores. Tinha um grande time, mas faltou um grande título para marcar aquela geração. O Cruzeiro ao contrário, sempre que montou grandes times campeonaou. 1966 – Brasileiro; 1976 – Libertadores; 2003 CB e Brasileiro.

  6. Jorge Santana disse:

    Entre 78 e 89, o domínio emplumado foi incontrastável. Confiram campanhas no Mineiro e no Brasileiro, confrontos diretos, elencos etc. Quem esquece os mas momentos, está condenado a repeti-los. E conei o supercampeonato, sim.

    • Elias teleguiado disse:

      Eu penei nessa época. Hoje detesto o Flamengo. Mas ele, o Botafogo, o SPFW me deram muitas alegrias nessa época turbulenta da nossa história…

    • claudio(xina)lemos disse:

      foi realmente incontestável era duro, acabaram com o time da libertadores, mandaram embora o zé carlos que ainda jogava muita bola, o palhinha o eduardo amorim que jogava muito, o nelinho o joãozinho e trouxeram toby, bendelack, déde de dora, raramente conseguiamos alguma coisa, tinhamos um tostão II, carlinhos sábia e outros que talvez em um bom time teriam tido muito destaque. Até a grande redenção nos 4×0 no primeiro jogo da final do mineiro de 1984 o sofrimento não tinha fim, eu já estava com 17 anos e não via o meu time ser campeão desde os 10 anos. P . q P como foi dura aquela época. Eduardo lobinho, douglas, geraldão foram idólos. Até surgir careca em 87 e 90 e acabar com o domínio das frangas foi um periodo de amargar.

    • Palmeira. disse:

      Jorge, eu diria que se não tivesse existido esta fase do Átlético (78/89) a torcida dele teria se reduzido a traço. E o pior foi que, em contrapartida, o Cruzeiro não teve bons times para fazer frente ao atlético. Me parece que em 84 ou 85 foi que começamos a melhorar. Por outro lado, fico imaginando o que essa torcida amarga de tristeza ao longo dos últimos 20 anos. Parodiando “são atleticanos e não desistem nunca”

  7. Renato-SP disse:

    Em linhas gerais, considerando a conta do síndico, se temos 5 jogos por ano e uma média de 8 vitórias a cada 11 jogos, fica assim:
    1 ano – 4 vitórias (aproximadamente). Em 4 anos tiramos essa vantagem “avassaladora” referida pelo JS.

  8. Dylan disse:

    a hegemonia do Atlético foi incontestável nos períodos citados mas ela não se traduziu em títulos expressivos. Enquanto o Cruzeiro sempre fez valer seus momentos de maior força com conquistas nacionais e internacionais, o timaço do tlético nos anos 80 só ganhou campeonato mineiro. Ou seja não se expandiram, não ganharam mais torcedores, nem mais visibilidade. Ao contrário, ficaram cada vez mais reduzidos a dimensões de time local, de paróquia. O encolhimento do Atlético deve ser tomado como lição das consequências de se ficar confinado a conquistas regionais.

  9. Rogério disse:

    Os grandes times emplumados não foram vencedores, inclusive até os jogadores destes grandes times que serviram a Seleção Brasileira também foram perdedores.

  10. Leonardo Campos disse:

    E o Muriçoca caiu e não dirige mais o time dos porcolinos.

  11. Elias teleguiado disse:

    Pois é…

    • Leonardo Campos disse:

      O Wanderley e o Marcelo Batatais deitaram e rolaram ontem. Os porcotós tem trauma de azul e branco.

  12. Elias teleguiado disse:

    A verdade nua e crua é que somente bons resultados garantem emprego de treinador. Tirando o ManU onde vemos até um cargo vitalício, o resto funciona assim desde o tempo em que alguns participantes deste bolg assinaram a ata de fundação da Societá Sportiva Palestra Itália…

    • Celso Libertadores disse:

      Celso Libertadores disse:
      O seu comentário está aguardando moderação.

      18 fevereiro 2010 às 4:58 pm

  13. Celso Libertadores disse:

    Jorge Santana, acho que sua análise ficaria mais rica se você incluísse o que aconteceu com cada time durante o período hegemônico do outro. Isso também ajuda a aumentar a diferença entre os clubes. Outra coisa é o que muitas vezes a hegemonia de um clube não representou grandes conquistas do outro. Belo exemplo foi de 78 até 89. O Atlético não ganhou nada além de um campeonato de par ou ímpar, que se jogado infinitas vezes, resultará em 50% de vitórias para cada um. Essa é a realidade do campeonato mineiro em toda a sua história. Ao que interessa: a hegemonia atleticana entre 78 e 89 não foi de conquistas atleticanas, mas sim de ausências de conquistas cruzeireneses. Prova disso é que antes e depois dessa hegemonia atleticana o Cruzeiro vendeu duas Libertadores, pelo menos.

    • Celso Libertadores disse:

      Ah.. e sobre o que aconteceu com cada time durante o período hegemônico do outro, lembremos que durante a hegemocia celeste de 1990 até os dias de hoje, o Atlético-MG caiu para a segunda divisão. Tamanho desastre nunca aconteceu quando o Atlético-MG esteve em vantagem.

      • Celso Libertadores disse:

        E em linhas gerais o Cruzeiro além do par ou ímpar regional, o Atlético-MG tem apenas uma importante conquista, na década de 70. Já o Cruzeiro tem importantes conquistas nas décadas de 60, 70, 90 e 00. Sob outra perspectiva, apenas o Atlético-MG teve sua história manchada com a segunda divisão na década 00. Já tal fato nunca aconteceu com o Cruzeiro.

      • Celso Libertadores disse:

        Enfim… o que faz Cruzeiro e Atlético-MG rivais é simplesmente a divisão territorial. Há diferença de objetivos traçados e conquistas alcançadas entres os dois clubes ao longo pelo menos dos últimos 50 anos é enorme e está aumentando.

      • Celso Libertadores disse:

        E em linhas gerais além do par ou ímpar regional, o Atlético-MG tem apenas uma importante conquista, na década de 70. Já o Cruzeiro tem importantes conquistas nas décadas de 60, 70, 90 e 00. Sob outra perspectiva, apenas o Atlético-MG teve sua história manchada com a segunda divisão na década 00. Já tal fato nunca aconteceu com o Cruzeiro.

      • Jorge Santana disse:

        O que é que seu comentário tem a ver com o post?

    • Jorge Santana disse:

      Celso, volte à teoria econômica. O post é sobre hegemonia local. Não importa se um time ganhou ou nnão títulos fantásticos, mas apenas queme stava dando as cartas nos períocos elencados. Explicando: quem dominou o futebol mineiro ao longo da história. Se vc ainda não capiscou, volto a explicar. tenho paciência.

  14. mariana disse:

    Eu não consigo imaginar uma hegemonia das frangas, nunca presenciei tal fato, graças a Deus. Mas meu pai sempre me fala que elas já tiveram grandes times, e que gostava de ver o Atl- mg jogar principalmente quando perdiam, tinham um time mto melhor que o adversário e eram ainda mais chatos naquela época.

  15. Claudinei Vilela disse:

    Texto politicamente correto pra uma semana pre-classico.
    JS insiste em valorizar os rivais. Concordo até certo ponto.
    Houve hegemonia por periodos e o atletico foi o mais regular no que tange campeonatos mineiros. Prova disso é que tem mais titulos, prova disso é que é um time regional. Portanto, CruxAtl é um classico regional, puramente mineiro. O que é diferente de um GRENAL, que é um classico continental, alem de estadual.

    • claudio(xina)lemos disse:

      Clássico continental é Cruzeiro x River Plate, times que disputaram títulos continentais diversas vezes, já Gremio x Inter é um clássico regional, nunca decidiram nada a não ser campeonatos estaduais e não têm torcida de tamanho suficiente para extrapolarem as fronteiras dos seus estados

    • HB disse:

      Eu entendi sua colocação.
      Você chamou de clássico continental porque ambos já ganharam Libertadores e Mundial. O duelo por títulos lá é ‘pau-a-pau’. Aqui em MG não.

  16. MURICY foi demitido no Palmeiras e junto com ele rodou o Toninho Cecílio. Cipullo cada vez mais forte nos Porquinhos. Dizem que ele virá tentar buscar o Adílson… Será ?

  17. Leonardo Campos disse:

    E já estão falando em Paulo “caio fora na segunda partida do Mineiro de 2007” Autuori. Isso mesmo, Palmeiras! Estão no caminho certo! Rsrsrsrs.

    • claudio(xina)lemos disse:

      Nossa não acredito o cara tem o melhor mkt do pais é um péssimo treinador e vai para os porcos, se for vou rir demais kkkkkkkkkkkkk!!!! Deixem o adilson aqui em paz!!!

  18. Naldo disse:

    A rivalidade consiste no fato de os dois times pertencerem a mesma cidade, dividirem a torcida e cada um querer ganhar do outro. Os cruzeirenses querem detonar o Atlético-MG e os atleticanos querem detonar o Cruzeiro. Ambos querem ser donos do pedaço, mandarem na cidade mas só um consegue. O que esta por baixo estará sempre tentando derrubar o que esta por cima.

    • Jorge Santana disse:

      Números oficiais, mas equivocados.

      • HB disse:

        Jorge,
        Você tem uma relação de todos os jogos?
        Tenho uma que me foi enviada pelo Henrique Ribeiro, que foi de onde tirei os dados contidos ali no Portal do Cruzeirense.

      • Jorge Santana disse:

        HB, esta história dá pano pra manga. Vários jogos são excluídos ou incluídos ao sabor dos interesses de cada clube. Certo é que, em partidas variando entre 20 e 120 minutos, os dois já enfrentaram mais vezes do que as estatísticas divulgadas. Quando sobrar tempo, vou compilar os encontros e postar aqui.

      • HB disse:

        Jogo-Treino não vale, hein!?
        Ou vale?

  19. Hermes disse:

    Conclusão…. As frangas estão em um nível muito inferior, não dá para comparar as histórias dos clubes, observem;1_ Cruzeiro campeao brasileiro da série A, galinhas campeã da série B. 2-Cruzeiro campeão da Supercopa, galinhas campeã da comembol. Falta títulos para comparação, quando elas ganharem alguma coisa que presta volto a discutir. No mais são um bando de frustados, que perderam a torcida, a moral e vivem de ilusão, bancada pela imprensa. A hegemonia do Cruzeiro começou quando, fundaram o Palestra e vai durar até o fim dos tempos.

  20. Palmeira. disse:

    Muito interessante este post, que evidencia a proeminência de cada clube, por período. Interessante é a atual hegemonia do Cruzeiro que já se vão 20 anos. A constatação é de que precisamos segurar o Adilson por mais uns quatro anos, para superar as frangas em todos os quesitos. A continuar com a performance dele nunca foi tão fácil.

  21. Vinicius Cabral disse:

    Jorge, você é uma enciclopédia. Quando tiver um tempinho, vou ver se consigo alguma informação sobre a liga de Formiga, junto ao FEC ou ao VEC.

  22. Chaves disse:

    A verdade é o seguinte. Eu contarei pro meu filho sobre os grandes times da história do Cruzeiro e, no fim de cada história, vou mostrar a foto do time campeão ou a foto da taça conquistada. Um pai atleticano, ao contar ao filho dele os times inesqueciveis do Atlético-MG, ao fim das histórias, terá que explicar pq nao foi campeão. Resumindo: Nossos grandes times foram campeões. Os grandes times deles fracassaram.

  23. Chaves disse:

    E pare de defender tanto as Cocotas, JS. Daqui a pouco o Olivieri te chama de atleticano, rs….