O top four e os iludidos

Por SÍNDICO | Em 8 de abril de 2019

Rodrigo Capelo, um desses milhares de especialistas que desfilam diariamente na frente das câmeras da Globo, Globonews, Sportv e outros canais globais causou polêmica.

Disse ele que, baseado em tamanho de torcida, competitividade e capacidade investimento, só existem quatro clubes grandes no Brasil: Flamengo, Corinthians, São Paulo e Palmeiras.

Cruzeiro, Grêmio, Inter e Mineiro são medianos. Vasco, Fluminense, Botafogo, Santos e Bahia já podem ser chamados de pequenos. Deu confusão. Os excluídos do top four bronquearam.

Reclamaram de bestas que são. Obviamente, o modelo implantado no País, baseado no Campeonato Brasileiro, em detrimento dos estaduais e regionais, leva a uma tremenda concentração. O dinheiro e, no rastro dele, os torcedores migram pra quem tem mais exposição.

O futebol deixa de ser descentralizado e se concentra, cada vez mais, no Eixo Rio-Sampa. Mas quem não quer, não vê. E, pior, tenta desafiar a realidade. O preço é alto: seis parcelas semestrais de R$55 milhões. Enquanto for possível descolar um empréstimo barato no exterior, é claro.

45 comentários para “O top four e os iludidos”

  1. JAS disse:

    CUSTOU CARO! Eliminação no Paulistão terá impacto de mais de R$10 milhões para o Palmeiras (Itatiaia). Uai, mas não era só um Paulistinha?

  2. SÍNDICO disse:

    TÉCNICOS DE FUTEBOL. A Football Word Rankings escolhe semanalmente os melhores do mundo. A pontuação reflete os resultados das partidas das últimas 52 semanas anteriores. Às segundas, os resultados são atualizados. Entre os critérios utilizados, estão a importância da partida, a força das equipes que disputam a competição e a força do time oponente em partidas internacionais. Os 10 melhores, no momento, são: Gallardo, River 14.996 pontos — Valverde, Barcelona 14/523 — Simeone, A Madrid 11.697 — Allegri, Juventus 11.227 — Klopp, Liverpool 10.886 — Portaluppi, Grêmio 10.802 — Mano, Cruzeiro 10.599 — Guardiola, M City 10.545 — Marcelino, Valência 9.45p — Coudet, Racing 9.304.

  3. SÍNDICO disse:

    JOÃO MENDES, filho de Ronaldinho Gaúcho e jogador do Sub14 do Cruzeiro, assinou nesta sexta seu primeiro contrato. O garoto, que completou 14 anos em 22Fev19, firmou compromisso até 21fev2025. Ele fez teste pra ingressar na base celeste sem que o seu Departamento de Captação de jogadores soubesse que ele era filho de Ronaldinho. J Mendes tem 1,78m de estatura e está no Cruzeiro desde o ano passado, quando defendeu a equipe Sub13. O atleta se pronunciou: “O Cruzeiro foi o clube que me abriu as portas. Tenho um carinho muito grande pelo clube. Os treinos são muito bons, a estrutura é muit boa. É o maior clube do Brasil e é um prazer jogar aqui. É um dia muito feliz. “Só posso agradecer à diretoria pela confiança que vem me dando. Agrado a Deus também por eu poder jogar todos os dias”. (Itatiaia)

  4. mrr disse:

    “…migram para quem tem mais exposição…” Isso é ruim, mas é como as coisas funcionam no mundo inteiro. Lembro-me quando escolhi acompanhar o futebol e ter o Cruzeiro como meu time de coração. Em 1988, com título da Supercopa, a partir daquela data passei a acompanhar o time celeste. Mas entendo sua insatisfação que é a minha também.

  5. zuloobas disse:

    Qq um q coloca o Mineiro no msm patamar do Cruzeiro é perfeito idiota. Tirando isso, falta reflexão de pq Flamengo e Palmeiras são constantemente atropelados pelo Cruzeiro e pq o Corínthians foi abatido em pleno voo, em sua arena, pela Raposa, na final da Copa do Brasil. Desse jeito, a análise restou incompleta, insípida e insuscetível de qq consideração.

    • Bruno 7L RJ disse:

      Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa…

      • Matheus Penido disse:

        Verdade.

      • zuloobas disse:

        Viajou, Brunão! “Prestenção”que o bossalista usou 3 palavras para justificar a análise dele e uma delas foi c-o-m-p-e-t-i-t-i-v-i-d-a-d-e e é aí q ele passou atestado, em relação a Cruzeiro e Grêmio.

      • Bruno 7L RJ disse:

        Meio subjetivo isso, não?

    • zuloobas disse:

      Viajou, Brunão, presta atenção que o bostalista usou 3 palavras para justificar a análise dele e uma delas foi c-o-m-p-e-t-i-t-i-v-i-d-a-d-e e é aí q ele passou atestado, em relação a Cruzeiro e Grêmio.

      • zuloobas disse:

        Acho que não, Bruno. Competitividade é objetivo e dá para auferir tranquilamente que o Cruzeiro, atualmente, é mais competitivo que Flamengo e Corínthians e muito mais competitivo do que Inter e Alt MG.

      • zuloobas disse:

        Os mais competitivos do Brasil são Palmeiras (atual campeão brasileiro), Cruzeiro (atual bicampeão da Copa do Brasil) e Grêmio (campeão Libertadores 2017). Ou não?

      • Bruno 7L RJ disse:

        É, pode ser. Mas isso é muit cíclico. 2011 por exemplo. De Barça das Américas ao alívio do 6×1 foram 7 meses mais ou menos.

      • JOAOCOSTA disse:

        Bruno, 7L, usando sua linha de raciocínio, depois de 2011, foram 4 títulos nacionais, sem contar os regionais. Quem mais ganhou essa quantidade de títulos?

      • Bruno 7L RJ disse:

        Amarre os títulos com os dois outros quesitos. Ganhamos em poder econômico e torcida? Não é não.

  6. Romarol disse:

    DOR DE COTOVELO! Clubes brasileiros na Libertadores na fase de grupos: Cruzeiro, Franga, Grêmio, Internacional, Paranaense. Flamengo e Palmeiras. Tem algo de errado à teoria com a prática. Será que só dinheiro influi na competitividade? Cinco off-eixo x dois eixo? Libertadores para mineiros, gaúchos, paranaenses curtirem. Deixa os cariocas e paulistas com seus dois clubes.

    • ROMAROL disse:

      QUEM SÃO Vasco, Botafogo, Fluminense, Santos e até mesmo o São Paulo, em termos de organização, estrutura e torcida apaixonada, frente a esses clubes off-eixo. Esses clubes do eixo vivem de um mundo que não existe mais. A mídia está cada vez mais democrática. Você acessa de qualquer lugar do mundo informações dos seus clubes. O povo do nordeste pode acompanhar diariamente notícias de seus clubes. Podem compartilhar a paixão nas redes sociais. Podem esconder a Copa Nordeste, mas quem curte seu clube se mantém informado. A grande mídia perde, aos poucos, força e poder.

    • Matheus Penido disse:

      Ok, o torcedor nordestino pode curtir seu clube nas redes sociais. Legal. Mas do que adianta isso se o Palmeiras vai lá e contrata o craque do Bahia pra deixá-lo como terceiro reserva? Ou seja, até concordo que as mídias menores ajudam os clubes periféricos, mas até o momento não houve um impacto financeiro. Os poderosos órgãos de mídia e as grandes empresas continuam dando prioridade total ao eixo rio-SP.

  7. Matheus Penido disse:

    A maioria da torcida reage com o fígado e foca nas supostas intenções do comentarista: ele é bairrista, clubista, etc… Isso não interessa. O que vale é que a colocação bate com os dados da realidade e a boa fase do Cruzeiro nos últimos anos não muda a situação.

  8. SÍNDICO disse:

    ITAIR: “Ney Franco assumiu a Chapecoense agora e ligou querendo o Murilo, o Grêmio fez proposta, logo após o episódio do Thiago Neves. O procurador do Flamengo me procurou também. Então, o Murilo é um zagueiro que se precisar, ele resolve”.

  9. SÍNDICO disse:

    ITAIR: “Ofereceram o Everaldo, eu levei o nome para o Mano, ele aprovou, mas eu falei sobre o Pedro Rocha, que não ia desistir de trazê-lo, e o Mano então priorizou o Pedro Rocha. O Everaldo era a segunda opção, com todo respeito. A gente queria um jogador, que neste momento, se identificasse mais com a torcida”.

  10. SÍNDICO disse:

    ITAIR: “A folha deste ano é menor em relação a do ano passado, por incrível que pareça. Saíram muitos jogadores do Cruzeiro. As pessoas inventam muito, Rodriguinho não é o maior salário do Cruzeiro, ele veio com salário menor do que o Sobis.

  11. SÍNDICO disse:

    ITAIR: “O contrato do Mano ainda não está assinado, mas com certeza ele não assinou com outro clube. Eu acredito que para ele sair do Cruzeiro só se for para um projeto internacional. Mas as coisas mudam, ele que decide, mas acredito que ainda está cedo, porque treinador não é igual atleta que em julho pode ir embora, né. É ter tranquilidade, dar a ele condição necessária para manter esse ritmo de trabalho que nós estamos, porque ai dificilmente ele sairá”.

  12. SÍNDICO disse:

    ITAIR: “Quando assumi o Cruzeiro junto com o presidente, ele disse eu tinha a carta branca pra trabalhar no futebol. Eu disse que precisávamos saber, primeiro, qual a dívida real do clube, Quando soubemos foi desanimador. Eu falei para o presidente ”existem dois caminhos de você montar time forte pra trazer o dinheiro porque ninguém ajuda o coitadinho, jogador não quer ir pra clube coitadinho que está sem dinheiro, apertado e devendo todo mundo. Então, o projeto foi separar dívidas passadas de 2018 pra cá e isso deu certo, porque a gente prioriza o pagamento dos atletas e ganhar títulos, mas ao mesmo tempo vem solucionando uma divida ou outra. Montar o time não foi apenas por questão de empréstimo, até porque ele pode não sair, não é certo que o conselho aprovou e vai sair. O empréstimo na empresa não pede aprovação do conselho, por ter experiência de presidência de clube, inclusive endividado, pegaria a autorização do conselho pra ficar legitimado politicamente. Foi feito isso.

    • mrr disse:

      O que aconteceu com o último time que o Taí (refrigerante) dirigiu?

      • Paulo Souza disse:

        Acontece, que “dívidas passadas de 2018” também são exequíveis e podem triplicar o valor com acréscimos dos juros e atualização monetária, comprometendo as finanças do clube em médio prazo. A atual gestão passa e o clube fica. Pense nisso senhor IM.

  13. Rafael Freire disse:

    COMPETITIVIDADE nao é nada subjetivo. Basta pegar quem tá sempre chegando em finais e consequentemente beliscando uns troféus. Nos ultimos dez anos, com excecao do Corinthians, ninguem chegou mais em finais e levantou mais taças que o Cruzeiro. Tamanho de torcida é uma ladainha tão vaga e tão manipulável que nao pode ser levada a sério (assim como o especialista que fez tal levantamento). Quanto à capacidade de investimento, a chave pode virar de um ano pra outro. Quatro anos atrás o ataque do Palmeiras era Tobio e Dourado e, do nada, apareceu uma Crefisa no caminho.

  14. DOMÊNICO disse:

    Essa questão de angariar torcedores é outra falácia. Em 1930 ja havia pesquisa monstrando que a torcida do Palestra era pau a pau com a torcida do atletico mg.

  15. Fernandão disse:

    A entrevista do Itair é de um descolamento da realidade terrível. Pelo que eu entendi estamos f*didos se não revelar uns dois Vinícius Júnior no próximo triênio. A tal reestruturação da dívida é só um jeito de ganhar tempo. E a estratégia para ganhar mais dinheiro com marketing e day match é ganhar o Mineirão na marra. Em suma é isso. Torçamos para a crista da onda custar a quebrar, o que bem sabemos é improvável. Futebol é cíclico por essas bandas e nosso próximo vale será bem profundo.

    • SÍNDICO disse:

      Suas reflexões valem um post. Escreva-o.

      • Fernandão disse:

        Não quero ser o chato ou besta do apocalipse numa hora dessa, mas é impossível para quem tem um mínimo de preocupação com o Cruzeiro, apego aos números e conhecimento em gestão não se preocupar com o rumo das coisas.
        O estopim para as minhas preocupações ao ponto de externá-las em texto são as trágicas interações do nosso VP de Futebol com a imprensa.
        Concordo com o Itair em um ponto. Dinheiro gera dinheiro. Ao encolher o clube renegando o passado de conquistas e vitórias em busca da quitação dos passivos a qualquer preço o faturamento do clube cai junto e a crise se avoluma, vide os ex-grandes cariocas que pagam dívidas, revelam, vendem rápido, pagam dívidas – e a dívida aumenta, trazendo desalento e perda de relevância. A saída, portanto, seria manter o futebol vencedor, ampliando sempre que possível o faturamento, impedindo que as dívidas tornem-se mais urgentes com uma rolagem responsável e previdente e buscando com as receitas extraordinárias momentos para amortização.
        Ocorre que algumas coisas não andam certas pelos lados da Toca. Vou resumir em três aspectos mais preocupantes.
        1. A falta de responsabilidade com as dívidas: Como dito, a estratégia de tentar aumentar o faturamento e permanecer com o “nariz fora do cocô”, deve passar por ter atenção com as dívidas e priorizar as que devem ser pagas. Alguns credores inclusive aceitam renegociar valores ou dar descontos em juros e multas para receber sem maiores embaraços. O Cruzeiro teve duas receitas, em tese, excepcionais recentemente. A premiação da Copa do Brasil e a venda do Arrascaeta. Itair nos revelou que premiações são quase que integralmente consumidas pelas premiações em cascata (para jogadores e comissão técnica) assim como revelou que não utilizou o dinheiro do uruguaio para quitar dívidas. Além disso ainda foi revelado que o Cruzeiro corre riscos de perder pontos no campeonato se não quitar dívidas na Fifa (e que seriam antecipadas receitas para resolver isso, ou seja, o que entrou já saiu mesmo) e que o Cruzeiro corre risco de ficar sem o Mineirão por inadimplência.
        2. Falta de profissionalismo. Itair tem que falar do futebol. Mas fala de tudo. Pelos cotovelos. Lembro quando o Wagner assumiu que alguns caras do mercado privado toparam por a reputação em cheque para trabalharem no Cruzeiro. Gente profissional que vinha de grandes empresas. Aos pouquinhos a turma foi pulando do barco. Ficou, ao que parece, uma concentração de poder nas mãos do Serginho e do próprio Itair, que recentemente veio a contratar o filho do Perrela para dar uma mãozinha. O tempo e o mercado competitivo do futebol podem “perdoar” uma estratégia ousada com uma premiação alta, com algumas vitórias improváveis. Mas certamente os gestores do momento deverão aprender a aproveitar as oportunidades de negócio. Gente experimentada no mercado certamente ajuda nisso. Sentar à mesa para negociar com a Minas Arena, por exemplo, deveria ser prioridade, não jogar para a galera.
        3. Horizonte de médio prazo. As contas estão chegando e daí nosso Mitair saiu-se com essa hoje: “Acredito que o empréstimo vai sair. Se não sair, nós já temos o plano B, que é fazer um parcelamento a longo prazo com todos os credores do Cruzeiro. Acho que em 90 dias teremos a solução disso.” Certamente fazer um parcelamento de longo prazo com os credores é uma opção desde sempre. Talvez alternando com as amortizações em caso de receitas excepcionais. Quer dizer que vamos começar a pensar nisso agora? Ou melhor, se o empréstimo não sair? Nossa solução para a dívida do Mineirão é tentar virar a mesa? Mandar a torcida invadir? Além disso, o time do Cruzeiro tem a base envelhecida. As contratações estão sendo feitas com horizonte curto. Ou jogadores sem potencial de revenda ou empréstimo. Preocupa-me muito pensar que o próximo ciclo virá. E que quando ele vier o Itair sairá assobiando por aí, já que ele tem mercado, como ele mesmo disse.

        Fernandão, Gestor Público, 34.

    • Matheus Penido disse:

      Itair não sente o menor constrangimento en distorcer a realidade.

    • mrr disse:

      Está td maravilhoso! Time estável sem perder capaz de montar duas frentes para disputar todos torneios de 2019. Porém, dívidas vencendo, mais credores dando publicidade, nível de confiança do clube em futuras negociações indo para o ralo e se não vier canecos da copa o bicho vai pegar!

  16. SÍNDICO disse:

    MINAS ARENA notifica Cruzeiro por dívida e diz que chegou ao limite. Débito do clube celeste já atinge R$26 milhões. Só na administração Pires de Sá o Cruzeiro deixou de pagar quase R$2 milhões à administradora do Mineirão. (Superesportes)