O Cruzeiro da 1ª Década do Século XXI

Encerra-se a 1ª década do Século XXI. Assim como na anterior, nesta também o Cruzeiro foi o Rei de Minas.

Foram 6 títulos estaduais, 2 copas Sul Minas, 2 copas do Brasil, 1 Brasileiro. E, por pouco, outra Libertadores.

Grandes jogadores vestiram a azul-estrelada desde 2000. Com os mais destacados, o Síndico formou uma Seleção Azul da Década (ou dos Anos Zero, como queiram).

De acordo? Não? Escale a sua, então.

  • Gomes – Entre 2002 e 2004, Heurelho da Silva Gomes (João Pinheiro-MG, 15fev81), o Homem-elástico, conquistou 3 títulos mineiros, uma Copa do Brasil e um Brasileiro. Descoberto por Wanderley Luxemburgo na base celeste, onde nunca chegou a ser um destaque, o goleiro prima pela boa colocação até mais do que  pela elasticidade, que usa somente quando se torna imprescindível uma ponte. O ótimo posicionamento ainda foi aprimorado nos 5 anos de Europa (PSV e Tottenham). Acima de qualquer consideração técnica, Gomes merece reconhecimento especial por ser cruzeirense desde a infância vivida em Três Marias-MG, onde seu pai era lavrador. 
  • Maurinho – Mauro Sergio Viriato Mendes nasceu em Fernandópolis-SP, em 11out78, em passou, além do time de sua cidade, por Rio Preto, Capivariano, Ituano, São Bento, Sertãozinho, Paulista e Santos, antes de ser contratado pelo Cruzeiro em 2003. No Mais Querido de Minas, sagrou-se campeão estadual em 2003 e 2004, da Copa do Brasil e do Brasileiro em 2003, antes de ser abatido por uma série de contusões, que fizeram ruir uma carreira que ele ainda tentou levar adiante no São Paulo, Goiás, novamente no Cruzeiro, e na Cabofriense. Bom marcador e apoiador incansável, Maurinho foi homenageado pelo colega de equipe, Deivid, com uma elogio pra lá de engraçado: “Nunca vi coirrer tanto, parece que esse cara tem dois pulmões!” Ele corria e cruzava com perfeição. Mas, fora de campo, era um descuidado. Sua passagem por Beagá rendeu casos incríveis, geralmente, devido a festas em seu apê que, dizem, servia até de pista de motocross. Mas o Maurinho que ficará na memória do torcedor celeste será o lateral moderno que deu excecpcional contribuição para a conquista da Tríplice Coroa.
  • Cris – Cristiano Marques Gomes (Guarulhos-SP, 03jun77) revelou-se no Corintiãs, antes de chegar ao Cruzeiro como contrapeso na venda do becão João Carlos, por US$4 milhões. Entre 1999 e 2004, ele jogou 128 partidas e fez 13 gols com raça e dedicação infinitas, algo que a imprensa paulista jamais perdoou, talvez pela manta levada por seu clube predileto na transação. Cris, literalmente, brigou pelo Cruzeiro. Na decisão de 2004, atacado covardemente pelo goleiro da Cocota ao final da partida, conseguiu se desvencilhar de um mata-leão para aplicar um soco no pobre diabo, que levantou a torcida celeste, mas lhe custou uma vingança terrível do TJD mineiro. Suspenso por  2 anos, impedido de trabalhar no Brasil, ele se transferiu para Lyon, pelo qual levantou 4 nacionais, uma copa e uma supercopa em 5 anos de militância. Cris é nome gravado no livro de ouro da história celeste ao lado dos becões Polenta, Rizzo, Nereu, Caieira, Azevedo, Bibi, William, Massinha, Fontana, Brito, Morais e outros malvados que, há 9 décadas, assustam os rivais.
  • Luisão – Nascido em Amparo-SP, em 13fev81, Anderson Luís da Silva, revelou-se no Juventus, de São Paulo, antes de ser contratado para o time de juniores do Cruzeiro em 2000. Como titular doa equipe principal, fez 48 partidas e 8 gols, entre 2002 e 2003, antes de transferir para o Benfica na metade da temporada da Tríplice Coroa. Alto, 1m93, ele reinava absoluto nas bolas aéreas. Ágil, sabia se antecipar aos atacantes. Seu futebol o levou à Seleção Brasileira, pela qual conquistou as copas América, em 2004, e das Confederações, em 2005 e 2009. Com a camisa celeste, levantou os estaduais de 2002 e 2003, o Brasileiro de 2003, as copas Sul Minas de 2002 e do Brasil de 2003.
  • Sorín – Juan Pablo Sorín, O Pássaro Azul, apodo que recebeu do locutor Alberto Rodrigues, da Itatiaia, nasceu em Buenos Aires, em 05mai76, começou sua carreira no Argentinos Juniors, passou pela Juventus, da Itália, e pelo River, antes de chegar a Belo Horizonte, em 2000. Teve uma recepção fria da mídia, que criticava seu futebol ultraofensivo. Mas ele ganhou apoio da torcida com sua disposição incomum e os treinadores trataram de arranjar cobertura de volantes pra suas escapadas ao ataque.Nas três passagens pela Toca (2000 a 2002, 2004 e 2009), Sorín fez 127 partidas e 18 gols. Venceu as copas do Brasil, em 2000, Sul Minas, em 2002 e 2003, e os estaduais, em 2002 e 2009. Torcedor do River na Argentina, ele se tornou também um cruzeirense pela incrível identidade com a torcida celeste.
  • Charles – Charles Fernando Basílio da Silva, o Leão Azul, nasceu no Rio de Janeiro, em 14fev85 e foi incorporado ao time de juniores do Cruzeiro em outubro de 2003. Em 2005, foi emprestado ao Ipatinga e sagrou-se campeão mineiro. Em 2006, disputou o Carioca pela Caborfriense e voltou pra jogar até 2007 no Ipatinga. Somente após o vexame no Mineiro de 2007, Charles retornou ao Cruzeiro onde, sob o comando de Dorival Júnior, formou com Ramires uma dupla de volantes que assombrou o país pela capacidade de marcação e disposição pra atacar. Em agosto de 2008, Charles foi vendido ao Lokomotiv Moscou. Em 67 jogos com a azul-estrelada, ele marcou 7 gols e foi campeão mineiro de 2008 fazendo da garra, do fôlego e do chute forte de média distância suas marcas pessoais.
  • Marquinhos Paraná – Antônio Marcos da Silva Filho, o Mestre Paraná, nasceu em Recife, em 20jul77, e começou a jogar nas divisões de base do Santa Cruz. Em 1996, assinou, com o Paraná Clube, seu primeiro contrato. Em 1998, ele defendeu o CRB em 1998 e, em seguida, Santa Cruz, CRB, Figueirense, Chunnam, da Coréia do Sul, Marília, Avaí, Figueirense. No Furacão catarinense, foi comandado por Adílson Baptista e elogiado por Muricy Ramalho, que o qualificou como o melhor meio-campista do futebol brasileiro. Em 2007, Paraná defendeu o Jubilo Iwata, do Japão. Em 2008, por indicação de Adílson Baptista, foi contratado pelo Cruzeiro. Na apresentação, desmaiou na Toca II e virou alvo de chacota da torcida, que o vaiou tão logo entrou em campo pela primeira vez. Uma estupidez histórica como se veria pela sequência de mais de 100 partidas excelentes que o polivalente fez defendendo o clube. Ao longo da carreira, Paraná adaptou-se às exigências de cada momento. Ao sofrer cirurgia no joelho, quando estava no Marília, abandonou o ímpeto ofensivo, parou de correr com a bola, passou a valorizar o passe preciso e o bom posicionamento, suas características marcantes nesta fase de maturidade técnica.  MP é um volante que não aplica carrinhos, cotoveladas nem chega atrasado parando jogadas com pontapés. Ao contrário, desarma silenciosamente e sai para o jogo com espantosa facilidade. O torcedor mediano, mais chegado a pirotecnias, não percebe sua alta qualidade tática e técnica. Ele dá de ombros: “Faço o que o treinador pede”. E faz muito bem feito. Como nenhum outro volante fez desde 2000 com a camisa celeste, a qual campeonou nos estaduais de 2008 e 2009.
  • Ramires – Ramires Santos do Nascimento nasceu em Barra do Piraí-RJ, em 24mar87. Revelado pelo Joinville, O Queniano chegou à Toca, como artigo a ser exposto na vitrine, e acabou, dois anos e fantásticas exibições depois, indo para o Benfica, em meio à Libertadores de 2009, e pouco antes de se tornar campeão da Copa das Confederações com a Seleção Brasileira. Foi titular indiscutível desde sua estréia no time devastado pelo fiasco no Mineiro de 2007. Torneio que, aliás, Ramires conquistou nas temporadas de 2008 e 2009. Força pra desarmar e fôlego extraordinário pra surgir no ataque, de surpresa, foram suas credenciais pra virar ídolo da torcida celeste. 
  • Alex – Alexandro de Souza ou, simplesmente, O Talento, nasceu em Curitiba, em 15set77. E foi no Coritiba que ele se revelou, antes de se tornar famoso no Palmeiras, pelo qual conquistou a Libertadores de 1999. Em 2000, teve curta passagem pelo Flamengo, que vivia uma de suas fases de absoluta avacalhação. O insucesso na Gávea o fez voltar depressa ao Parque Antártica. Em 2001, ele passou pelo Cruzeiro, foi dispensado pelo treinador Marco Aurélio, voltou ao Palmeiras e foi jogar no Parma em 2002. De volta ao Cruzeiro, na 2ª metade de 2002, agora sob o comando de Wanderley Luxemburgo, Alex teve bom desempenho mas, de novo, seria dispensado não fosse pela interferência do treinador, que fez dele a peça fundamental do time tríplice campeão de 2003. Alex foi o principal jogador do melhor time celeste na década. Quando deixou o clube em 2004, a equipe azul tinha um percentual de aproveitamento que, se mantido, teria garantido o bicampeonato barsileiro ao final da temporada. O Talento vestiu a azul-estrelada 121 vezes, deu 61 assistências e marcou 64 gols. Ao longo de 2003, sem obrigações defensivas, papel cumprido por Augusto Recife, Maldonado e Wendel, com sua canhota mágica, ele criou jogadas cinematográficas, fez gols de enciclopédia e entrou para a história do Cruzeiro. Alex campeonou nos estaduais de 2003 e 2004, a Copa do Brasil e o Brasileiro de 2003. Em suas passagens pelo Mais Querido de Minas, Alex conquistou o Troféu Telê Santana como o melhor meia de Minas (2002), o The Best Player in Americas (2003), a Bola de Ouro Fifa (2003),  as bolas de Prata e de Ouro, da Placar (2003), a Chuteira de Ouro do Campeonato Brasileiro (2003), o  Melhor Meia das Américas, e,m eleição promovida pelo El País, de Montevidéu (2003),  o Troféu Telê Santana de Craque do Ano em Minas (2003), o Troféu Guará de melhor meia e melhor jogador de Minas (2003) e gfanhou placa no hall do Mineirão pelo gol espetacular marcado no 2×2 contra o São Caetano, partida inaugural do Brasileiro de 2003.
  • Fred – Em 71 jogos, entre 2004 e 2005, Frederico Chaves Guedes, nascido em Teófilo Otoni-MG, em 03out83, centroavante revelado pelo América-MG, fez 56 gols e conquistou a Chuteira de Ouro da Placar em 2005. Alto, forte, bom cabeceador, exímio chutador, ele atormentava as bequeiras adversárias. Em 2005, foi artilheiro do Mineiro com 13 e da Copa do Brasil com a insuperável marca de 14 gols. Sua venda ao Lyon, em meio ao Brasileiro de 2005, causou prejuízo técnico imenso fazendo a equipe celeste despencar na tábua de classificação. Embora não tenha conquistado títulos, por suas atuações empolgantes, ele recebeu os apodos de Fredgol e O Predestinado. E permanece, 4 anos depois, como ídolo do torcedor celeste. Fred retribui se declarando cruzeirense desde os tempos de criança em Teófilo Otoni.  
  • EdílsonO Capetinha, Edílson da Silva Ferreira, nascido em Salvador, em 17set70, jogou apenas 20 partidas, nas quais fez 11 gols e conquistou a Sul Minas de 2002 com a azul-estrelada. Não há registro de uma só atuação apagada dele naqueles poucos meses. Tanto que, aos 32 anos, foi convocado por Luiz Felipe Scolari para a Copa do Japão / Coréia do Sul, ao final da qual, assinou com o Kashiva Reysol e nem apareceu em Beagá pra festejar o título mundial. Isto lhe custou o apreço do torcedor, mas não apaga o brilho de sua passagem pelo Mais Querido de Minas.
  • Adílson Baptista, técnico – Marco Aurélio tirou a Copa do Brasil 2000 do fundo da alma celeste. Felipão faturou a Sul Minas e foi pra Seleção, com a qual levantou o título mundial. Luxemburgo tem a insuperável tríplice coroa em seu acervo. Dorival Júnior recuperou o moral do clube, após o fiasco no Mineiro e o colocou na Libertadores 2008 com uma campanha correta no Brasileiro 2007. Mas o melhor da década foi o mais perseguido pela imprensa e pelos tropeiristas e amendonistas das arquibancadas. O que é uma credencial insuperável, pois jornalista e torcedor odeiam tudo o que não cheire a mofo. Com parcos investimentos, Adílson levantou dois títulos mineiros, chegou duas vezes ao G4 do Brasileiro, a uma decisão da Libertadores e aplicou surras monumentais no rival citadino, o que lhe garantiu o ódio eterno dos emplumados. Sinal de que faz um grande trabalho.
  • Alex, craque – O melhor do melhor time celeste da década, o de 2003.
  • Guilherme, revelação da base – Campeão da Copa SP de Juniores e do Brasileiro Sub20 em 2007, foi o único de um time vencedor a superar preconceitos contra a prata da casa e se tornar titular, ainda que de forma intermitente, no Cruzeiro. Ele soube aproveitar as oportunidades recebidas marcando gols decisivos em RapoCotas eletrizantes. Mas tão rapidamente quanto foi elevado à categoria de ídolo, foi vaiado e acabou na Ucrânia, de onde se transferiu para a Rússia.
  • Ramires, revelação da vitrine – Raçudo, resistente, sério, foi a maior revelação da década na Toca da Raposa.
  • Geovanni, autor do gol mais bonito – O gol do título da Copa do Brasil 2000, criação coletiva dele, de Muller, que deu as instruções sobre como bater a falta, e de Donizete Oliveira, autor do tranco que desarrumou a barreira tricolor, ficará gravado na história do futebol brasileiro. Mais até do que outros de estética mais apurada, pois, no futebol, a emoção está sempre um passo adiante da beleza.
0

172 Replies to “O Cruzeiro da 1ª Década do Século XXI”

  1. a minha seleção da década: Fábio, Maurinho, Cris, Luisão e Sorin; Charles, Maldonado, Ramires e Alex 10, Aristizabal e Fred.
    craque: Alex (disparado). técnico: Vanderlei Luxemburgo (disparado)

    0
    1. Estou contigo nessa.

      0
  2. G- Fabio – não ganhou os titulos do Gomes, mas nunca chegou a ter o time que o Gomes teve á sua frente. Não querendo diminuir os méritos do Gomes, mas naquele ano de 2003, o time do Cruzeiro era tão bom que nunca levava sufoco. E os frangos que o Gomes engolia vez ou outra eram compensados com gols e mais gols lá na frente com aquele time arrasador. Por isso, pra mim o Fábio leva essa. Está faltando um titulo de grande expressão com a camisa do Cruzeiro, quem sabe em 2010…
    LD- Jonathan – foi menos espetacular que o Maurinho, mas tem mantido uma boa regularidade ao longo dos ultimos anos. Enquanto o Maurinho se perdeu, o Jonathan só cresceu.
    Z- Cris e Luisão – indiscutíveis. Se eu achasse tipo um “gênio da lampada” que me permitisse escolher qualquer zagueiro do MUNDO pra reforçar..

    0
    1. … o Cruzeiro, eu escolheria o Cris. Nada de beque argentino, viu Sindico?
      LE- Sorín – nem precisa explicar.
      V- Maldonado, Ricardinho e Ramires – Maldonado eu sempre achei o primeiro volante perfeito pra qualquer time. Vendo o que ele ajudou o Flamengo esse ano, só comprovou minha “tese”. Ricardinho é um vencedor e tem muita historia. Ramires foi espetacular.
      M- Alex – o craque.
      A- Fred e Marcelo Moreno – Fred fazedor de gols nato que é, com um batalhador tipo o Moreno do lado, seria A dupla.
      T- Vanderlei Luxemburgo – montou a máquina de 2003.

      0
      1. Libera meu primeiro comentario aí Sindico, senão perde o sentido.

        0
  3. Eduardo Arreguy Campos says:

    Gomes, Maicon, Cris, Dracena e Sorín. Maldonado, Ricardinho, Ramires e Alex. Aristizabal e Fred. Vem nimim, barcelona!

    0
    1. Antes, temos de chamar o Estudiantes, esqueceu-se?

      0
      1. Eduardo Arreguy Campos says:

        Aquele timeco? Ganho com um pé nas costas. Aliás, um, não. Dois.

        0
  4. Mauro França says:

    Minha Seleção da década: Fábio, Maurinho, Cris, Luisão, Sorin; Maldonado, Paraná, Ramires, Alex; Fred, Geovanni. Tecnico: Adilson Batista. Craque: Alex. Revelação: Guilherme. Gol mais bonito: Alex, de letra, na primeira partida da final da CB-03, no Maracanã.

    0
    1. Só não concordo com o gol mais bonito, pra mim o mais bonito foi aquele contra o Fluminense nos 5×2, onde o Alex deu um “Lobby” no goleiro na linha da pequena área, sensacional.

      0
      1. Mauro França says:

        Outro golaço esse, com certeza. E tem muito mais, só o Alex fez um tanto deles em 2003.

        0
      2. Palmeira. says:

        Rogério, este gol mereceu uma coluna do Armando Nogueira, que o classificou como “Drop shot”, transferindo o lance do tenis para o futebol.

        0
      3. Palmeira. says:

        Aliás, hoje a Bandeirantes incluiu este gol como um dos mais bonitos da década.

        0
      4. Palmeira. says:

        A Band incluiu também outro gol do Alex contra o São Paulo, quando ele aplica um chapéu no zagueiro anderson e outro no Rogério Ceni, em jogo do Palmeiras x São Paulo. Para mim o mais bonito dele.

        0
      5. O que o Alex jogou em 2003 eu não vi jogador nenhum jogar, foi um absurdo o que ele fez, se esta eleição da Fifa fosse séria o Alex teria que ter levado o premio de melhor do mundo naquele ano, mas só elegem jogadores da Europa.

        0
      6. Eduardo Louback says:

        Dos meus 15 anos de vida, os dois maiores que já vi jogar foram:
        Alex, 2003
        Ronadlinho, 2004 – Abril/2006

        0
  5. Ernesto Araujo says:

    Feliz 2010, blog.

    Basicamente nota-se que a seleção da década é formada por uma mescla da base do time de 2003 adicionando-se um ou outro como no caso de Sorín, Ricardinho, Giovanni, Fred e Edílson por exemplo…

    Ou seja… Time MESMO, só uma vez em dez anos… Ainda que esse time tenha sido o melhor em várias décadas (minha opinião)… Muito pouco. Ou seja, das dezenas de jogadores do Cruzeiro nesse período, pouquíssimos deixaram saudade…

    0
    1. Ernesto Araujo says:

      Na questão do melhor técnico a briga é boa !
      Luxemburgo conquistou mais títulos de expressão e deu show tático diversas vezes. Porém com um elenco MUITO melhor. Além disso, desentendeu-se com a diretoria e foi muito mal na Libertadores.

      Oposto de ABAP que com o um elenco limitado em 2008 e 2009 conseguiu uma final de Libertadores, além de manter um bom relacionamento com a diretoria. Por outro lado, ABAP alternou momentos de brilhantismo estratégico com outros no mínimo polêmicos…

      Eu fico em cima do muro !!

      0
      1. Palmeira. says:

        O Luxemburgo não disputou a LA pelo Cruzeiro. Acho que ele saiu antes e assumiu o PC Gusmão. Ou estou enganado? Considero o VL como o técnico da década pelos resultados colhidos e por ter montado aquele belo time. Aliás, aquele time possuia os três melhores zagueiros da década: Cris, Dracena e Luizão.

        0
      2. Disputou sim, Palmeira. Ele saiu depois.

        0
      3. Na verdade ele saiu no meio da Libertadores.

        0
      4. Palmeira. says:

        Ele foi demitido no dia 27/02/04 deixando o Cruzeiro lider em seu grupo com duas vitórias.

        0
      5. Mauro França says:

        Luxemburgo não foi demitido. Pediu demissão, que foi aceita pela diretoria.

        0
      6. Palmeira. says:

        Deu no mesmo.

        0
      7. Mauro França says:

        Não, é diferente pedir demissão do que ser demitido.

        0
  6. Palmeira. says:

    Difícil formar uma seleção, porque um jogador poderia se encaixar melhor em outro time ou jogando com outros jogadores. Mas eu pegaria o time de 2003, trocando o Gomes pelo Fábio; o Leandro pelo Sorin e colocando o Fred como o centroavante daquele time. A revelação, sem dúvida, é o Guilherme.Se ainda estivesse no Cruzeiro, seria o craque deste ano e o maior matador de frangas. O Gol mais bonito, na verdade seriam três do Alex: Contra o São Caetano, Fluminense e Flamengo(pela CB citado pelo Mauro). O fiasco fica por conta do Kerlon. Só firula.

    0
  7. Sim, eu quis dizer que ele saiu depois da libertadores já ter começado.

    0
  8. Caro Jorge e amigos, a decada acaba esse ano, pois é do ano 1 ao ano 10.

    0
    1. Palmeira. says:

      André, esta questão é assunto para muito tempo. Diziam o mesmo por ocasião do bug do milênio em 2000. Eu fico em cima do muro.

      0
      1. Mil~enio começa no 0, decada no 1.

        0
    2. Eduardo Arreguy Campos says:

      Iiih, lá vem confusão…

      0
      1. Culpa de Jesus, que deveria ter nascido no Ano 0 e não no Ano 1. Por isto, o 1º milênio do André só teve 999 anos.

        0
    3. Ernesto Araujo says:

      Se for assim, então ainda dá pro Adílson Batista ganhar o Mineiro, a Libertadores, o Brasileiro e o Mundial e superar o Luxemburgo, sendo eleito assim o técnico da década !!!

      0
    4. Acho que ninguém tem dúvida que a década termina no ano 2010, acho que o Jorge quis dizer o melhor jogador dos últimos 10 anos.

      0
      1. Melhor jogador não, melhor time.

        0
      2. Palmeira. says:

        eu e milhões temos esta dúvida sim. Depende da abordagem.

        0
      3. Palmeira. says:

        A década de 10 começa hoje; a de 20 começará em 01/01/2020 e por aí vai.

        0
      4. Palmeira. says:

        Da mesma forma o século XXI começou em 2000.

        0
      5. Pois para mim é bem claro, o século 21 começou em 2001 e sua primeira década terminará em 2010.

        0
      6. Claro e obvio para quem busca saber, uma pequena pesquisa e descobre a verdade.

        0
      7. Palmeira. says:

        Rogério, este assunto é um bom tema para um post.

        0
      8. REalmente é um assunto interessante Palmeira.

        0
  9. Como estão a considerar que a decada estar acabando, também darei meus pitacos. Gomes foi o goleiro da decada por ter defendido bem e ter conquistado titulos. Cris é indiscutivelmente o zagueiro da decada, com sua dedicação e amor, que aprendeu a ter, pela camisa, além de qualidades tecnicas, encantou a todos os cruzeirenses. Edu Dracena e Luisão disputam o segundo poço, indentifico-me mais com Dracena, mas tenho duvidas por qual optaria. Sorín é sem descrição. Maurinho foi o melhor lateral direito que vi com a camisa estrelada, corria como poucos e cruzava muito bem, além de sua dedicação, apesar de ser cachaceiro, sua ultima passagem apaga em nada 2003. Na volancia fico com Paraná como destaque principal, calou a maioria, eu graças a Deus nunca o critiquei, sabia o que havia por vir.

    0
    1. Gostava muito do Ramires, sempre me agradou muito desde 2007, mas a imagem da final da Libertadores não sai da minha cabeça, por isso opto pelo Charles e Maldonado junto ao Paraná. Como craque e camisa 10 do time, Alex. Na frente coloco Ari, sou fã numero dele, e Fred que sempre se dedicou muito e levava o time nas costas. Como tecnico, Adilson Baptista, um cara trabalhador e que é perseguido injustamente pelos seus criticos, nunca teve um craque na frente, considero Parana um craque da parte da defensiva, e mesmo assim colocou o Cruzeiro sempre junto aos melhores.

      0
      1. Gol da “decada” não pode ser outro, se não o do Geovanni. Craque é o Alex. O idolo é o Sorín. E a revelação é Guilherme.

        0
  10. Jesus deveria ter nascido no Ano 0. Eu não tenho culpa se nasceu (ou o fizeram nascer) no Ano 1 e deixou a primeira década do Crstianismo com apenas 9 anos. Em caso de dúvida, digamos que esta é a Seleção dos Anos Zeros…

    0
    1. Como 9 anos? Do ano 1 ao ano 10 são 10 anos.

      0
      1. Do 1 ao 9. Melhor retificarem o calendário pra considerar os 3 meses anteriores à gestação de Jesus. Caso contrário, jamais poderemos falar em Anos 10, Anos 20 etc… Se não retificarem, a 1ª década do Cristinismo ficará, irremediavelmente incompleta, com apenas 9 anos. E o ano de preparação do Cristo ficará no limbo.

        0
      2. Já que ELE nasceu nos últimos dias do ano 01, a década fica incompleta mesmo, mas na verdade estas datas nunca bateram mesmo, melhor não aprofundarmos muito neste assunto.

        0
    2. Palmeira. says:

      Acho que agora não restam dúvidas.

      0
      1. Palmeira. says:

        Rogério, vamos fazer um exercício: o contagem dos anos D.C. começaram em 01/01/0000; quanto teriam completados 10 anos? Não seriam 01/01/0001? Seria preciso desenhar?

        0
      2. Palmeira. says:

        retificando: Não seriam em 0010?

        0
      3. Palmeira a contagem não começou no ano 00 e sim no ano 01.

        0
      4. Não conheciam o zero. O que não é motivo pra avacalhar o resto dos tempos.

        0
    3. Libera meu comentario, JS!

      0
  11. Das seleções propostas pelos amigos, fecharia com a do Dylan: Fábio, Maurinho, Cris, Luisão e Sorin; Charles, Maldonado, Ramires e Alex 10, Aristizabal e Fred. Craque: Alex (disparado). técnico: Vanderlei Luxemburgo (disparado). Apenas encaixaria o Dracena. Edu foi um dos grandes ídolos que tive. Tanto pelo talento quanto pela identificação com o Cruzeiro. Ficaria decepcionado em vê-lo no rival.

    0
  12. Perebas da década: Gleguer, Gabriel, Bruno Quadros, Argel e Patrick; Daniel Tijolo, Marabá, Bruno, Felyppe Garbiel; Soares e Rômulo. Téc: Ivo Wortman. Perebão: Bruno (DISPARADO!)

    0
    1. Vai comprar briga com os antiparanistas, que têm o Tijolo como ídolo…

      0
    2. Ernesto Araujo says:

      Se a lista de MELHORES gera polêmica a respeito de alguns poucos nomes, a lista de PIORES gerará muito mais pois tem MUITA gente pra entrar em cada uma das posições…

      0
    3. Acho que o Bruno entraria até em um lista de perebas de todos os tempos.

      0
    4. Vinicius Cabral says:

      Discordo do ataque. Adriano Louzada seria tiular absoluto, fazendo dupla com o Wando.

      0
    5. Eduardo Louback says:

      UM POSTE faz mais gols que o Rômulo ¬¬’

      0
    6. Mauro França says:

      Só discordo do ataque, que teria Adriano Chuva, Fabio Pinto, Ferreira, Tapia, Adriano Louzada, Wando como opções. E faltou na Seleção o “grande” Lopes Tigrão.

      0
  13. Flavio Carneiro says:

    Minha seleção da década:
    Gomes, Maurinho, Cris, Luizão e Sorin; Maldonado, M.Paraná, Ramires e Alex, Fred e Aristizábal. Tec: A.Batista. Craque: Alex. Revelação: Guilherme.

    0
  14. Vinicius Cabral says:

    Gomes, Maicon, Cris, Luisão, Sorin, Marquinhos Paraná, Fabrício, Ricardinho e Alex; Deivid e Fred. Treinador: Adílson Batista

    0
  15. Flavio Carneiro says:

    Gol mais bonito da década: Alex, contra o Fluminense, no jogo das faixas do Brasileiro de 2003. Gol mais importante da década: Giovanni, de falta, na final da Copa do Brasil de 2000.

    0
  16. Ernesto Araujo says:

    E qual a lista dos mais odiados da década? Odiados seriam aqueles que a torcida pegava no pé, mesmo o cara jogando. No time atual tem vários: Paraná, Henrique, Thiago Heleno, Jonathan, WP. Tem os anteriores também: Carlinhos Bala, Adriano Gabiru, Edmundo, Rincón…

    0
    1. Maicosuel, Alecsandro, Fábio, Araújo, Jefferson, Maicon…

      0
      1. Mauro França says:

        Jussiê… Mas se o critério é o cara ter sido vaiado, mesmo jogando bem, Bala e Gabiru não podem entrar nesta lista, porque não jogaram nada.

        0
  17. Eduardo Louback says:

    O time inteiro da década, com reservas inclusos seria:
    G: Fábio e Gomes
    LD: Maicon, Maurinho e Jonathan
    Z: Cris, Dracena, Luisão
    LE: Sorín, Diego Renan*
    V: Maldonado, Charles e Paraná
    M: Ramires, Alex, Ricardinho
    2ºA: Aristizabal, Kléber, Edílson
    Centro-Avante: Fred, Devid e M.Moreno

    * : alguém tem outra sujestão?
    Nu, ISSO que é elenco 🙂 – 22 jogadores.

    0
    1. Vc já deve estar considerando o potencial do Diego Renan, mas se for para considerar o já jogado, Leandro merece esta posição na reserva da LE.

      0
      1. Eduardo Louback says:

        nó, verdade, tava esquecendo dele.

        0
  18. Tem também os “amados” que mostraram muito pouco futebol, Apodi, Domingues, Alessandro Onibus, Jajá ( arrumei briga com o Hugo), Jadilson…

    0
    1. Mauro França says:

      Jajá foi o jogador mais sacaneado da década, porque até um copo d´água lhe foi negado durante um jogo…rsrsrs.

      0
    2. Eduardo Louback says:

      até que o Jadilson jogou um certa quantidade de partidas.
      Agora, Alessandro, o ônibus
      Ja…já foi.

      0
  19. eu diria até que pra mim o Luxemburgo é hour conscurs como treinador da década, tal o volume de títulos que ele conquistou num prazo táo curto. Sabe-se lá onde ele poderia ter chegado se ficasse mais tempo. A discussão pra mim já é em termos de ele ser ou não o maior treinador do Cruzeiro de todos os tempos.

    0
    1. Vinicius Cabral says:

      Dylan, acho que pelo investimento feito para aquele ano de 2003, a tríplice Coroa não surpreende, apesar de ter sido algo inédito no país. Os Perrella botaram a mão no bolso naquele ano, o que não fizeram com outro treinador. E a minha birra com o Luxemburgo é exatamente este curto prazo para as coisas. Ele não consegue dar continuidade a um trabalho. É impressionante. Ele chega em uma equipe, a diretoria investe em um time caro (a exceção foi esse Santos de agora), ele ganha algum título de expressão, mas pode-se dizer que, por via de regra, o ano seguinte é de crise para o clube. É briga com diretoria, ou com a torcida, ou com a estrela do clube e o time começa a desandar.

      0
    2. Vinicius Cabral says:

      Tanto é que na Libertadores de 2004 o Cruzeiro fez uma campanha pífea para o time que tinha. A minha defesa em relação ao Adilson é porque ele representa o oposto do Luxa. Consegue dar competitividade para uma equipe barata, não a ponto dos títulos de expressão serem dados como certos, mas nota-se no seu trabalho uma continuidade incrível. Pelo terceiro ano consecutivo estamos em uma Libertadores. Pelo segundo ano consecutivo, brigamos por título brasileiro até a penúltima rodada. Não se ouve falar mais em crise ou racha no elenco. Não se vê o time fazer corpo mole. O retorno financeiro que o Adilson dá para o clube também é muito grande. É só ver o que ele fez com Marcelo Moreno, Ramires, Charles e agora, o Jonathan. Ele soube tirar o que é de melhor destes atletas.

      0
      1. Cabral, o Cruzeiro já conquistou títulos muito mais significativos com elencos mais fracos do que este. O que eu nunca vi antes é um treinador ter tantas oportunidades de errar como Adilson tem. Não acho que disputar final de Libertadores e perder dentro de casa seja curriculo pra técnico nenhum. Quanto ao Luxemburgo ninguém sabe de fato o que ocorreu pra provocar a saida dele. sabemos dos títulos que ele deixou em pouco mais de um nao.,..veja bem,um ano de trabalho. O Adilson tá indo pra sua terceira temporada com dois mineiros pra mostrar.Pra mim é pouco.

        0
      2. Eduardo Louback says:

        E se o AB tivesse nos dado a 3ª Libertadores? Não seria pouco, seria MUITO, até porque se compararmos os elencos de 2003 com o de 2009 (e o time de 2003 com a idade de 2003), o AB seria campeão da Libertadores desse ano com certeza.

        Concordo, 2 mineiros em 3 anos é pouco, mas ele não teve o investimento disponível que o Luxa teve.

        0
      3. nao existe “se” em futebol. Se o Joaozinho tivesse chutado aquela bola na trave em 76 na decisão da Libertadores o Cruzeiro nao seria o que é hoje.

        0
      4. Vinicius Cabral says:

        O que fez esse elenco forte foi o Adilson, Dylan. O Jonathan não jogava com o Dorival, o Charles errava muitos passes, o Ramires era um mero marcador, o Marcelo Moreno, banco de reservas. Sinceramente, não vi o Cruzeiro conquistar títulos com elencos mais fracos. O Adilson está indo para sua terceira temporada com um elenco barato, duas goleadas históricas, um terceiro e um quarto lugar no brasileiro e um vice da Libertadores. Acho que temos que cair na real, pois o Cruzeiro não é uma potencia. Títulos expressivos não caem em nossas mãos todo ano. E particularmente prefiro manter uma regularidade do que gastar uma grana preta em um time, ganhar títulos, mas depois ter que pagar a conta durante anos.

        0
      5. desculpe Cabral, Charles e Ramires jogaram demais em 2007. O elenco de 96/97 era inferior ao atual. O Cruzeiro nao é uma potencia mas ate 2003 ganhava pelo menos um titulo nacional ou internacional a cada tres anos. Eu como torcedor prefiro ganhar titulos do que manter regularidade. O papel da diretoria é formular políticas para viabilizar isto. Ou voce preferia que 2003 nunca tivesse acontecido?

        0
      6. Vinicius Cabral says:

        Dylan, o Ramires era contestadíssimo em 2007. Muita gente o vaiava nos jogos. Ele não aparecia como elemento surpresa, apenas marcava. O Charles, idem. Diziam que errava passes demais e prendia muito a bola. A forma deles de jogar com o Dorival era completamente diferente, tanto é que por mais que o Adilson insistisse que o Ramires era mais meia do que volante, a torcida e imprensa dizia que ele era apenas um volante.

        0
      7. Vinicius Cabral says:

        Quanto ao time de 96/97, o Dida era muito mais goleiro que o Fábio. Célio Lúcio, Gelson Baresi e Gottardo batim de 10 nos zagueiros que temos hoje. Nonato, dispensa apresentações. O Vitor, jogou a Libertadores e já era campeão mundial pelo São Paulo. Donizete Oliveira era nosso carregador de piano, como o Paraná é hoje. Fabinho, no mínimo iguala sua garra ao Fabrício. Ricardinho foi o jogador que mais ganhou títulos com a camisa celeste. Palhinha, nos últimos 15 anos, só fica atrás de Alex e Valdo, como armador. Roberto Gaúcho (96) era muito melhor que Thiago Ribeiro. Marcelo Ramos era decisivo, inclusive em finais.

        0
      8. Vinicius Cabral says:

        Eu prefiro regularidade, Dylan. De nada adianta montar um super time como o do Palmeiras da Parmalat e, no final do ciclo, ser rebaixado. Sem contar que quando uma regularidade é mantida, as chances de campeonar tornam-se maiores. Quando falo em regularidade, não me refiro à do Atlético, que sempre briga por sul americana. Me refiro ao momento que estamos passando, disputando a 3a libertadores seguida, brigando por titulo brasileiro pelo segundo ano consecutivo. Quanto a 2003, outros treinadores poderiam vencer os campeonatos se tivessem um time como aquele nas mãos.

        0
      9. Dida de fato era um diferencial naquele time,mas o Fabio é um ótimo goleiro. Vitor sempre foi muito ruim. Celio Lucioe Gotado era uma duipla de zagueiros regular, prefiro Leo Silva e Caçapa. Acho os volantes equivalentes e acho o Palhinha bom mas nunca foi craque. Se equivalia ao Wagner e ao Gilberto. Na frente sou mais Kleber e Tribeiro do que Marcelo Ramos e Helivelton. Sem contar que ainda tinha o Cleisson que era ruim demais. Sou mais o Cruzeiro de agora.

        0
      10. Cabral, de uma olhada nas avaliações do JS sobre as participações do Charles e Ramires nas partidas do brasileirao 2007 e nos nossos comentários tb. O Adilson já os pegou como titulares absolutos. O Charles arrebentou naquele campeonato brasileiro. A exibição dele contra o Flamengo foi estupenda.

        0
      11. Vinicius Cabral says:

        Dylan, em um ponto você está sendo incoerente aos seus princípios. O principal fator que você cita para justificar que o Luxa é melhor que o Adílson, é o currículo. Um tem títulos e o outro não. Então, nesta linha de raciocínio não dá pra dizer que Baresi, Gottardo e Célio Lúcio são piores que os de hoje. Nem que o Vítor, campeão mundial pelo São Paulo sempre foi ruim. Comparar o Palhinha ao Wagner é soda. E o Marcelo Ramos é um dos melhores centroavantes que passaram por aqui. Muito mais importante para a história do Cruzeiro que o Sorin, por exemplo.

        0
      12. Vinicius Cabral says:

        Charles e Ramires jogaram ótimas partidas em 2007. Mas tiveram maus momentos também. Agora, que o Ramires não jogava com o Dorival como jogou com o Adilson, isso é fato. É só comparar quantos gols ele fez em 2007, quantos fez em 2008 e 2009.

        0
      13. Vinicius Cabral says:

        Fio, vou dormir. Amanhã (o dia só muda depois que dormimos… heheh) leio sua resposta. Um grande abraço!

        0
      14. Cabral, o argumento dos títulos em favor do Luxa não é o imperativo. Tem também visão de jogo, capacidade de imbuir um espirito de vitória de cada jogador, saber trabalhar as melhores qualidades de um jogador e utilizar aquelas qualidades em favor da equipe, não ser um escravo de disciplina tática, ser muito mais ousado e inteligente. Isso se traduziu na qantidade de títulos que ele ganhou. Eu acho um total absurdo ficar comparando AB com Vanderlei Luxemburgo, me sinto comparando Tostão com Tostão II.

        0
    1. Palmeira. says:

      Tomara que seja bom como o pai e seja referência no Cruzeiro.

      0
  20. E, aí, já se decidiram? Este é o melhor time da década ou dos Anos Zero?

    0
    1. Palmeira. says:

      Vamo bora tirar o capetinha desse time? Tem gente mais séria para colocar no lugar dele. Gente mais identificada com o clube.

      0
      1. A lista é de futebol jogado, não de beijo no escudo.

        0
      2. Palmeira. says:

        Mas, se não fosse a sua citação, creio que ninguém teria incluido este sujeitinho. No máximo entraria na minha seleção do ano em que jogou.

        0
      3. Por que tanta raiva do Capetinha, Palmeira?

        0
      4. Palmeira. says:

        Não é que eu tenha raiva dele. Eu acho que inclui-lo na seleção da década é muito, diante do pouco tempo que jogou no clube. Só isso. Ah, teve um lance dele deixar o clube aguardando o retorno dele, que nunca ocorreu. Acho ele muito moleque.

        0
      5. Uai, encerrado o contrato ele poderia jogar onde bem entendesse. E foi pro Japão ganhar mais do que no Cruzeiro. Onde está o problema?

        0
    2. Mauro França says:

      Da década.

      0
    3. Com certeza dos anos zero.

      0
      1. E segue a celeuma! Exijo uma definição, já!

        0
      2. Meu amigo wikipedia, pode tentar esclarecer.

        http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A9culo

        0
      3. E não é que voces tem razão, as décadas, por incrível que pareça não seguem a mesma lógica dos milênios, que vergonha. rs. rs.

        http://pt.wikipedia.org/wiki/D%C3%A9cada_de_2000

        0
      4. Não acredito que vocês usam Wikipedia como fonte. Darei tempo para corrigir a besteira ques estais a falar.

        0
      5. Palmeira. says:

        Rogério, agora que está esclarecido, vamos montar o time da década (2000/2009)?

        0
      6. Palmeira. says:

        Num tô falando, que este negócio de década, século e milênio é assunto para mais de um post?

        0
      7. De acordo com vocês então, nós já vivemos 2010 anos após escrito. Como faz?

        0
      8. após Cristo*

        0
      9. A discussão da decada ocorre, proque o senso comum acha que Jesus teria nascido no 0, mas na contagem não existe ano zero, logo Jesus nasceu no ano 01.

        0
      10. André, pelo que entendi agora, temos que separar totalmente, Século ou Milênio de Década, não faz muito sentido, mas parece que é assim mesmo. Como exemplo, a década 2000, começou em um milênio e terminou em outro.

        0
      11. Diz para mim o que aconteceu no ano 0 para encerrar a decada agora? A contagem começa do 1 e não do 0. Entendo que para alguns é dificil, mas é isso.

        0
      12. Palmeira. says:

        André e Rogério, façamos o seguinte: O Evandro não viu este post e, portanto, não soltou as voadoras sobre este tema. Vamos deixar por conta dele esclarecer o assunto e voltemos à seleção.

        0
      13. Palmeira, tem o texto que tá para ser liberado que esclarece completamente o tema.

        0
      14. Eduardo Arreguy Campos says:

        Eu falei…

        0
  21. A confusão do ano zero
    Quem está atento às regras matemáticas não comprou a discussão sobre quando se inicia o próximo milênio. Como não existe ano zero, o terceiro milênio começará no primeiro dia de 2001.

    Calendário. A confusão entre contar os anos e medir o tempo explica o fato de algumas pessoas pensarem que o milênio teve início no dia 1º de janeiro de 2000. Temos o costume de iniciar qualquer tipo de contagem a partir do número um. Foi isso que fez o monge Dionísio, em 533, quando iniciou a contagem da Era Cristã. Como a função do calendário é contar, todo início de década, século e milênio se dá no ano 1. E, porque não existiu ano 0, o 2000 não é o começo do século XXI, mas o fecho do século XX.

    Tempo. As pessoas erram a contagem dos séculos porque contam os anos a partir do zero. Ao fazerem isso, elas estão medindo o tempo e não contando os anos. A diferença entre medir e contar é que, normalmente, medir se faz a partir do zero e contar a partir do 1. Sendo assim, no ato de contar o tempo para completar o século, é necessário ir um ano além, pois o zero não é considerado. Outra situação parecida é a contagem do ano de vida de uma pessoa. Nem sempre dá para contar a idade de alguém. No caso de uma criança com meses de vida, o certo é dizer, por exemplo, que ela tem 3 meses e não 0,25 ano.

    0
  22. Se os europeus, inventores do calendário como o conhecemos – romano, depois, juliano e, finalmente, gregoriano – conhecessem o número zero (o que só correu na Idade Média), como outras civilizações mais antigas, não teríamos este problema. De qq forma, calendário é convenção, arbitrariedade na separação dos anos, que foi se ajustando aos conhecimentos de astronomia ao longo dos séculos. Melhor, portanto, ir no popular e dar às décadas dos números zero, dez, vinte etc.

    0
    1. Exato. Fica um troço esquisito, por ex, falar que o ano de 1990 pertence a decada de 80. A proposito, estou ouvindo CBN agora, na expectativa da brilhante (ou não) participação do Sindico no programa do JK. É hoje mesmo ne?

      0
      1. Não crie falsas expectativas, pois o Síndico não tem bocabilidade.

        0
      2. Tá indo bem, defendeu o titulo do Sport de 87 e foi a favor de jogos na altitude. Contrariou o outro Sindico, o da rádia.

        0
      3. Fui no meu radinho agora e não peguei o sindicio falando ainda. Já falou do grupo do Cruzeiro? Do que espera do Cruzeiro?

        0
      4. Gostei do que ouvir até agora. Jorge tá mando muito bem, melhor que todos os outros.

        0
      5. Vinicius Cabral says:

        Nossa, perdi o programa. Será que tem como ouvir de outra forma?

        0
  23. RAUL MIRANDA PENNA says:

    Não estou entendendo a razão de tanta discussão. É óbvio que 2010 é o último ano da primeira década do 3o milênio. Nenhuma contagem começa do 0 (zero) .

    0
    1. HEhhehehe. Deixa, eles não compreendem.

      0
  24. Jorge Santana na CBN. Já mostrou as travas da chuteira logo no início do programa.

    0
    1. opa. nao tive como acompanhar. Alguem pode fazer um resumo de como foi o programa ? perdi essa!

      0
    2. Gostei do que ouvir até agora. Jorge tá mandando muito bem, melhor que todos os outros.

      0
      1. E concordo com o JS, final esse ano é Cruzeiro contra um argentino, e que seja o melhor da America Estudiantes!!!!!!

        0
    3. Perdi.

      0
  25. Resumo:
    1. Questionou o hexa do Flamengo.
    2. É a favor de jogos em qualquer lugar deste planeta (inclusive em Potosí).
    3. Não teme o Cruzeiro enfrentar equipes brasileiras na Libertadores. Respeita apenas o Estudiantes e o Vélez. O resto é freguês de caderninho!
    4. Meteu o bedelho no futebol gaúcho apresentando a diferença entre o futebol jogado pelo Grêmio e Inter.
    5. Disse que não é contra a fórmula de pontos corridos: é a favor da fórmula que o Cruzeiro sempre vença.

    0
  26. Resumo do CBN Esporte Clube:
    6. Em 2010, prefere ver o Cruzeiro como campeão da Libertadores ao presenciar a seleção brasileira como campeã da Copa do Mundo. Que falta de patriotismo!
    7. Não perdeu a oportunidade de alfinetar o clube monotítulo.
    8. Mensagem Final do JS: Paz nos estádios, fazer amigos no futebol. Cruzeiro tem um bom time, fraco elenco! Final da Libertadores: Cruzeiro contra Vélez ou Estudiantes.
    9. JK falou que estava com saudades de ouvir o amigo Jorge Santana!
    10. Parabéns ao JS por representar tão bem a torcida do Cruzeiro!

    0
    1. Mauro França says:

      O Jorge realmente mandou bem.

      0
      1. Ouvi somente os 15 minutos finais (do pt 6 ao 10). Será q existe a possibilidade de baixar esse programa na íntegra?

        0
      2. Raf Lima, em breve, provavelmente amanhã, estará disponibilizado no site da CBN, na página do Juca Kfouri. Eu também estou no aguardo, pois não ouvi.

        0
    2. Walterson says:

      Valeu, Romarol. Não tinha visto os comentários antes de escrever a solicitação abaixo.

      0
  27. Flavio Carneiro says:

    Que pena, perdi essa entrevista. Não tenho dúvida que o JS soube representar muito bem a Maior Torcida de Minas.

    0
  28. Walterson says:

    Não estou conseguindo ouvir a CBN pela internet, pra ouvir a entrevista bate-papo do síndico. Se alguem puder escrever aqui o que rola no rádio, será uma boa (merece até post).

    0
    1. Esse ainda retorna ao Mequinha. Pode escrever..

      0
    2. Be Happy!

      0
  29. Na verdade, o programa contou com 05 ‘ilustres representantes dos times brasileiros na Libertas 2010. Lembro que sobre o SCCP, quem palpitava era o Washigton Olivetto, sobre o Mengo o Ruy Castro e Cruzeiro o JS.

    0
  30. Minha seleção: Fábio, Maurinho, Cris, Luisão, Sorín; Maldonado, M. Paraná, Ramires, Alex, Fred e Geovanni. Téc. Adilson Batista
    Para o banco eu escalaria: Gomes, Maicon, Dracena, Leonardo Silva, Leandro, Donizete Oliveira, Charles, Wendel, Muller, Deivid e Aristizabal.

    0
  31. Walterson says:

    O time da década é o de 2003, devidamente reforçado:
    G- Fábio
    LD – Maicon
    LE – Sorin
    V – Paraná e Ramires
    A – Fred
    Minha seleção seria: Fabio, Maicon, Dracena, Cris e Sorin; Maldonado, Paraná, Ramires e Alex; Ari e Fred.

    0
  32. Ano – 1 – 01/01/01 a 31/12/01
    Ano – 2 – 01/01/02 a 31/12/02
    Ano – 3 – 01/01/03 a 31/12/03
    Ano – 4 – 01/01/04 a 31/12/04
    Ano – 5 – 01/01/05 a 31/12/05
    Ano – 6 – 01/01/06 a 31/12/06
    Ano – 7 – 01/01/07 a 31/12/07
    Ano – 8 – 01/01/08 a 31/12/08
    Ano – 9 – 01/01/09 a 31/12/09
    Ano – 10 – 01/01/10 a 31/12/10
    A data de 25/12 é simbólica. Eu acho que isto ajuda a esclarecer um pouco as dúvidas.

    0
  33. Walterson says:

    Sobre a década, consta que Cristo teria nascido sete anos antes do 0001 (teria nascido no ano 6 A.C.), embora não exista qualquer registro histórico sobre ele.

    0
    1. Dizem até que Jesus teve um irmão; “Thiago, Filho de José, Irmão de Jesus”.

      0
  34. Gomes, Maurinho, Cris, Luizão, Sorin, Maldonado, Ricardinho, Ramires, Alex, Fred e Aristizabal. Técnico: Wanderley Luxemburgo. Craque: Alex. Gol mais bonito: Alex contra o Urubu, contra o Flu, contra o São caetano. O Alex sabe tudo de bola. Gol mais importante: Geovanni em 2000 e Zinho em 2003 contra o Paysandu. Revelação: Dúvida… Bernardo.

    0
    1. Concordo. Incluia o Klébler, Geovanni, Dracena.

      0
  35. Programa do JK com o Jorge. Alguém poderia transcrever a entrevista? Alguém poderia disponibilizar um link com a gravação?

    0
    1. Olha o Celso prestigiando o Juca.

      0
      1. Descobri a existência de JK através do JS, por isso o prestígio. Sinceramente, nunca antes tinha ouvido falar.

        0
  36. Um clube de operarios que não se fez com dinheiro ou glamour, mas com muito esmero.

    Um clube que não vive de uma tradição que é um factoide, mas sim de sua historia que é repleta de vitorias.

    Um que clube se fez e se faz grande não somente pelas conquistas, mas pela as pessoas que o fazem.

    Um clube que lutou pelo futebol mineiro e o dignificou.

    Um clube que tem 1921 o seu começo e a nem na eternidade terá seu fim.

    Um clube que lutou por si, sem ajuda de outros e venceu e vence, como 1926 no primeiro mineiro, como no primeiro em 1921 que foi 3×0 para nós, como 1966 na primeira conquista nacional, como 1976 na primeira conquista internacional.

    Um clube que aprende nas derrotas para vencer no futuro, como nos vices de 74 e 75 que tiveram como consequencia a conquista de 76.

    0
    1. Um clube que mostra que o impossivel é apenas uma palavra e não um ato.

      Um clube que traz o orgulho para todos os torcedores dele e para, no fundo, todos os brasileiros.

      Parabens, Cruzeiro!

      0
  37. Viva o CRUZEIRO, o motivo de minha familia.

    0
  38. Gustavo Barcellos says:

    Doni; Michel, Irineu, André Luís e Patrick; Daniel Tijolo, Élson, Francismar e Leandro Bonfim; Lima e Tápia.

    0
    1. Técnico: Leão

      0
      1. Gustavo Barcellos says:

        Ivo Wortmann.

        0
  39. simone b de castro says:

    O luxemburgo não teve só um ano de trabalho. Chegou no meio de 2002, se não me engano. E o que se fala é que mesmo durante a grande campanha de 2003, sempre que era contrariado, ele pedia para ser mandado embora. E aí, haja paciência para aguentar seus ataques de estrelismo… Já disse e repito: Ele não levou o time nas costas, ele não foi o único responsável pela campanha de 2003! “Ai se a diretoria não tivesse mergulhado nesse “projeto”, e “ai” se os jogadores não quisessem, ou fossem um pouco menos responsáveis! Vale lembrar também, que foi no Cruzeiro que ele se valorizou, a ponto de sair enganando um monte de clubes com seu “projeto” e pedindo salários astronômicos para ele e sua turma.

    0
  40. Moema (MFox) says:

    Alguém sabe se existe algum site em que seja possível consultar os elencos ano a ano?

    Fiz uma rápida pesquisa em alguns jogos no site Futpédia. Eis uma relação do que passou pelo Cruzeiro de 2000 a 2009 (peguei um ou dois jogos por ano + alguns nomes de memória). O que eu queria mesmo era uma divisão por semestre, para pelo menos identificar a base de cada time, mas acabei misturando tudo…

    2000

    André, Jeferson, Cléber, Cris, Sorin, Rodrigo, Marcos Paulo, Ricardinho, Donizete Oliveira, Viveros, Geovanni Muller, Jackson, Oséas, Fábio Júnior. Téc. Marco Aurélio e Felipão

    2001

    Bosco, Cris, Luizão, João Carlos, Cléber Monteiro, Alex, Sérgio Manoeal, Marcos Vinícius, Edmundo, Jussiê, Rincón, Jorge Wagner, Téc. Paulo Cesar Carpegiani, Marco Aurélio

    0
    1. Gustavo Barcellos says:

      Tem este, que é completaço: http://futpedia.globo.com/campeonatos/campeonato-brasileiro/2000/jogadores

      Você vai trocando os anos na url e se clicar em “time” o site te dá todos os jogadores do elenco, mesmo reservas e juniores, nome e posição.

      0
  41. Moema (MFox) says:

    2002

    Gomes, Ruy, Maicon, Cris, Luizão, Leandro Silva, Augusto Recife, Paulo Miranda, Alex, Jussiê, Wendell, Marcelo Ramos, Fábio Júnior. Téc. Marco Aurélio, Luxemburgo

    2003

    Gomes, Maurinho, Cris, Luizão, Dracena, Gladstone, Leandro Silva, Augusto Recife, Maldonado, Felipe Melo, Sandro, Wendel, Alex, Zinho, Marcinho, Aristizábal, Deivid, Mota, Márcio Nobre Tec. Luxemburgo

    2004

    Gomes, Artur, Doni, Maurinho, Cris, Dracena, Marcelo Batatais, Leandro Silva, Jardel, Martinez, Augusto Recife, Wendel, Maldonado, Alex, Rivaldo, Guilherme, Jussiê, Lima, Dudu, Tápia, Fred. Tec. Luxemburgo, PC Gusmão, Marco Aurélio

    0
  42. Moema (MFox) says:

    2005

    Fábio, Maurinho, Edu Dracena, Gladstone, Marcelo Batatais, Irineu, Moisés, Marabá, Ruy, Patrick, Fábio Santos, Martinez, Maldonado, Diogo, Lopes, Kelly, Francismar, Kerlon, Athirson, Weldon, Wágner, Diego Vaca Louca, Francismar, Adriano Gabiru, Fred, Jean, Alecssandro, Wando. Téc. Levir Culpi, PC Gusmão

    2006

    Fábio, Jonathan, Michel, Luizão II, Gladstone, Edu Dracena, Teco, Thiago Heleno, André Luis, Fábio Santos, Léo Silva, Júlio César, Leandro Bonfim, Martinez, Sandro, Francismar, Élson, Wagner, Geovanni, Kerlon, Alecsandro, Élber, Araújo, Ferreira. Téc. Oswaldo de Oliveira

    0
  43. Moema (MFox) says:

    2007

    Fábio, Lauro, Gatti, Gabriel, Mariano, Leo Fortunato, Thiago Heleno, Luizão, Gladstone, Fabio Santos (lat), Léo Silva, Paulinho Dias, Charles, Ramires, Leandro Domingues, Maicossuel, Felipe Gabriel, Ricardinho, Wagner, Kerlon, Geovanni, Guilherme, Araújo, Rômulo, Roni, Nenê, Alecsandro. Téc. Paulo Autuori, Dorival Júnior

    2008

    Fábio, Jonathan, Léo Fortunato, Thiago Heleno, Thiago Martinelli, Jadílson, Fernandinho, Espinoza, Elicarlos, Marquinhos Paraná, Fabrício, Charles, Ramires, Wagner, Henrique, Camilo, Gerson Magrão, Bruno, Guilherme, Weldon, Rômulo, Téc. Adílson Batista

    0
  44. Moema (MFox) says:

    2009
    Fábio, Jonathan, Léo Silva, Caçapa, Gil, Thiago Heleno, Diego Renan, Magrão, Marquinhos Paraná, Henrique, Fabrício, Elicarlos, Wagner, Fernandinho, Athirson, Bernardo, Kleber, W. Paulista, Thiago Ribeiro
    Claro que eu devo ter esquecido um monte de gente (acabei de notar que esqueci o Edílson, ele jogou foi em 2002?), mas é apenas para dar uma idéia (e ter calafrios com alguns times… afe, tá na hora de fazer outro time para ficar na história…) Com base nesta lista, meus eleitos são:
    Gomes (Fábio ainda precisa ganhar um título de expressão para superar o Gomes e enterrar fantasma do gol de costas)
    Maurinho
    Cris
    Luizão (Edu Dracena)
    Sorin
    Charles
    Ramires
    Wagner
    Alex
    Deivid
    Fred
    Técnico: Vanderlei Luxemburgo
    Melhor jogador: Alex
    Revelação: Ramires (vitrine), Guilherme e Gomes

    0
  45. Moema (MFox) says:

    Menção honrosa para Deivid, Guilherme, Aristizábal, Marquihons Paraná, Fabrício, Jonathan e Leandro Silva, que não estão no meu time principal, mas seriam reservas imediatos (assim como Fábio e Dracena). Adilson também precisa ganhar um título nacional e um internacional de peso para superar Luxemburgo, na minha modesta opinião.

    0

Comentários fechados.