NFL 13-18 Green Bay demitiu Mccarthy

Por SÍNDICO | Em 3 de dezembro de 2018

New Orleans 10-13 Dallas

Baltimore 26-16 Atlanta

Denver  24-10 Cincinnati

LA Rams 30-16 Detroit

Arizona 20-17 Green Bay

Buffalo 17-21 Miami

Chicago 27-30 NY Giants

Carolina 17-24 Tampa Bay

Indianapolis 0-6 Jacksonville

Cleveland 13-29 Houston

NY Jets 22-26 Tennessee

Kansas City 40-33 Oakland

Minnesota 10-24 New England

San Francisco 16-43 Seattle

LA Chargers 33-30 Pittsburgh

Washington 13-28 Phildelphia

16 comentários para “NFL 13-18 Green Bay demitiu Mccarthy”

  1. SÍNDICO disse:

    MIKE McCARTHY, 55 anos, técnico do Green Bay Packers desde 2006, foi demitido após a derrota para o cardinals, neste domingo. Joe Philbin será o treinador interino até o final da temporada 2018. A campanha com 4v, 1e, 7d foi o motivo da demissão.

    • SÍNDICO disse:

      MIKE McCARTHY dirigiu os Packers em 203 jogos de temporada regular, com 126 vitórias, 76 derrotas e 2 empates. Em pleiofes, seu histórico é 10-8, Seu melhor resultado foi a conquista do Superbowl 10/11 contra os Steelers.

      • SÍNDICO disse:

        MARK MURPHY, o CEO da franquia, explicou a decisão. “A temporada de 2018 não correspondeu às nossas expectativas e aos padrões do Green Bay Packers. Como resultado, eu tomei a difícil decisão de dispensar Mike McCarthy de seu cargo de head coach, com efeito imediato. Mike foi um grande treinador e líder para os Packers por 13 temporadas, em que nós experimentamos um grande sucesso dentro e fora de campo. Nós queremos agradecer ao Mike, à sua esposa, Jessica, e aa toda a família McCarthy por tudo que eles fizeram pela comunidade dos Packers, de Green Bay e de Wisconsin. Nós começaremos imediatamente o processo para selecionar o próximo head coach do Green Bay Packers”.

  2. JULIM disse:

    O problema todo é que o McCarthy perdeu o grupo e seu playbook já não funcionava mais, nem o Rodgers defendeu sua permanência (usualmente o QB sempre se posiciona pró coach). Clima insustentável, acho que foi feito o inevitável.

  3. WALLACE disse:

    Se o head coach não vai bem, se a briga do Aaron Rodgers com ele passa pelo coordenador ofensivo, não será o coordenador ofensivo assumindo o papel de head coach que irá resolver. Mas como na NFL não tem rebaixamento isso não é problema. Já estão pensando na próxima temporada. É a mesma que mandar o Mano embora. e achar que o Sidnei Lobo q vai segurar a peteca. Claro que não dá certo!

  4. Mauro Franca disse:

    Briga acirrada na NFC Leste, com Cowboys, Eagles e Redskins com chances de levar o título. Redskins caiu depois de perder seu QB titular por contusão e ontem perdeu também o reserva. Cowboys vem em ascensão e na próxima rodada tem confronto com o Eagles, em casa.

    • Mauro Franca disse:

      Destaque para a vitória do Chargers sobre o Steelers. Chargers e Texans podem incomodar os favoritos na AFC.

  5. SÍNDICO disse:

    MARK SANCHEZ voltou! Com as lesões de Smith e McCoy, ele entrou no decorrer do jogo de ontem e não foi mal. O Redskins não perdeu por conta dele, como se pode imaginar ouvindo o repetitivo Paulo Mansur, comentarista da Iespien.

  6. SÍNDICO disse:

    SAINTS jogou mal pela segunda vez na temporada, mas continua um dos favoritos a disputar o Superbowl. Além dele, Rams, Chiefs e Patriots. Neste momento, pois nada impede que Chargers, Cowboys, Seahawks, Eagles, Steelers, Bears e Vikings apareçam de bicões na festa.

  7. SÍNDICO disse:

    CIDADES ITALIANAS CAEM NO RANKING DO TURISMO (Elsa Corsini, 04dez18ter, Secolo, Roma) Más notícias para a Itália. No ranking das 100 cidades mais visitadas do mundo em 2017, Roma não aparece entre as dez primeiras. O Euromonitor informa: na liderança está Hong Kong, com 27,8 milhões de visitantes internacionais. Bangkok e Londres aparecem na sequência. As quatro italianos da lista estão todas na descendente, mesmo com números absolutos em ligeiro crescimento: Roma caiu do 12º para o 15º lugar, Milão para o 32º, Veneza para o 41º e Florença para o 47º. A capital, com 9,5 milhões de visitantes e Milão, com 6,3 milhões, não alcançam os números de Londres e de Paris. A mesma tendência, que a Ansa publica em preview, também é esperada pra 2018. Roma provavelmente subirá pra quase 10 milhões de visitas, mas perderá outras 3 posições no ranking, caindo para o 15º lugar, devido ao crescimento de algumas metrópoles asiáticas. Wouter Geerts, analista do Euromonitor Internacional, explica que a Itália tem um turismo maduro e, graças a cidades icônicas, numerosos sítios da Unesco e seus lendários alimentos e vinhos, tende sempre a apresentar performances sustentadas. Infelizmente, durante a alta temporada, o problema da superlotação, especialmente em Roma e Veneza, cria transtornos pra turistas e moradores. Isto -conclui o analista- continuará a ser um desafio para os próximos anos, Veneza por exemplo, tornou-se um dos exemplos de cidades onde é difícil administrar o crescimento sustentável do turismo”.