Neves, o bode

Por Jorge Angrisano Santana | Em 29 de novembro de 2019

Estão fazendo um enorme carnaval por conta de um suposto áudio do Thiago Neves para Zezé Perrella cobrando salários atrasados. 

Eu me preocupo mais com o vazamento do que com o conteúdo do áudio. Quem vazou, seja Zezé , sejaoutra pessoa, é de um mau-cartismo fora do normal.

O jogador talvez não devesse cobrar salários neste momento, mas se o fez está em seu direito. Ele não bateu à porta do Gilvan pedindo emprego. Foi procurado. Se o clube lhe ofereceu o que não podia pagar, o problema não é dele. 

Thiago Neves treinou, concentrou, viajou, jogou, enfim, cumpriu suas obrigações contratuais. Conquistou quatro títulos, recebeu oferta para se transferir o que provavelmente teria feito o clube recuperar  o vestimento feito nele. O que mais precisaria fazer pra receber o que está no contrato?

Quem o chama de mercenário deve viver de mesada ou de renda de alguma herança, não precisa lutar pelo ganhame. Ou é, pura e simplesmente, um energúmeno precisando ser exorcizado pra parar de fazer futrica e semear discórdia.

O caso tá com jeito de criação de um bode expiatório. Zezé vai repetir o que já fez em 1995, no caso da festa em Sabará, oferecendo atletas em holocausto, por conta de uma fase ruim do time? Se o fizer se iguala aos piores torcedores e jornalistas. 

É preciso saber perder com dignidade, sem chafurdar na lama do safadeza e da esperteza.

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.