Onde chutar pro mato não humilha ninguém

Por SÍNDICO | Em 11 de setembro de 2010

De uma coisa o Cruzeiro não pode se queixar neste Morrinhão. Por onde anda, o time recebe incentivo de sua imensa torcida.

Desconfio de que, se estivesse jogando apenas no Mineirão, as cornetas estariam tocando alto devido às retrancas armadas pelo Cuca.

Na interlândia mineira, o time tem sossego pra chutar a bola pro mato sem ouvir apupos dos torcedores sabidões da capitárrr.

E é assim que, como não se via a há séculos, o Cruzeiro tem a defesa menos vazada do torneio.

A propósito, lembro-me de uma conversa com o Oliveira, amigo flamengo de Uberlândia.

Ele arrastou o filho roqueiro pra ver o Cruzeiro x Corintiãs no Parque do Sabiá e ouviu uma pergunta esclarecedora:

– Pai, na televisão é diferente. Parece que tem gente no campo todo. Aqui, só tem perto da área do Cruzeiro. Até o 9 tá lá naquele cantinho da defesa, do outro lado.

Era o WP em noite de ala-esquerda.

O Oliveira explicou:

– É assim mesmo, filho. O treinador já avisou que não tem vergonha de defender. O que importa são os 3 pontos.

O garoto compreendeu e não cornetou. Mas também não se animou a voltar nos jogos seguintes.

Fosse em Belzonte, ele voltaria, mas vaiaria até perder a voz.

46 comentários para “Onde chutar pro mato não humilha ninguém”

  1. Marcelo P. disse:

    Quer saber, Jorge? Às vezes parece que você realmente quer que a torcida vaie muito o Cuca, só pra poder dizer “Eu não disse que o AB era o cara?”. O triste é que você sempre criticou esse tipo de comportamento…

    • Jorge Santana disse:

      Quer saber, Marcelo? Eu estou criticando você e seus pares, não o Cuca. E o triste, mesmo, é você nem ter percebido que, sendo um torcedor belzontino, foi o alvo da crítica.

    • Sobrinho disse:

      Em 2007 JS ficou revoltado com o não aproveitamento dos campeões da Copinha e por isso passou quase dois anos fazendo post criticando o Cruzeiro, o presidente, o diretor, os treinadores e de tabela qualquer comentarista do blog que de alguma forma defendesse isso. Ano passado a revolta foi com a venda do Ramires e tome post por mais de 6 meses com críticas e ai de quem tentasse defender a venda. Agora, ele está revoltado com torcedores e comentarista, principalmente com alguns que chegaram a ter comportamento anticruzeirense, você acha que estes ficaram livres de posts semanais com críticas? Pode tirar o cavalinho da chuva.

      • Jorge Santana disse:

        Podem mesmo. Continuo contra a sacanagem feita com os campeões brasileiros de 2007, contra a doação do Ramires e contra a aliança das toupeiras com os anticruzeirenses militantes da mídia na campanha contra o AB. Não tenho corpo, mas tenho memória de elefante. Só que o post não tem nada a ver com o Adílson. discute comportamento de torcedores, fundamentalmente.

      • Sobrinho disse:

        “Não tenho corpo” foi boa!!! hahah

      • Jorge Santana disse:

        Tenho corpo, é claro, mas nada que seja exagerado. Aliás, nem sei pq estou discutindo isto aqui. Este é um tema que só interessa a mim e à minha endocrinologista.

      • Matheus Reis disse:

        E à Larissa Riquelme, por supuesto.

      • Binho disse:

        Endocrinologista uma ova. Geriatra. Seja honesto.

      • Jorge Santana disse:

        Pra falar a verdade, o Evandro até me deu o telefone do geriatra dele, mas o cara disse que eu só precisarei aparecer daqui a 25 anos no consultório. Por enquanto, ficarei sob os cuidados da endocrinologista, mesmo.

  2. Quarta é a prova de fogo, estádio pequeno contra o bugre que sempre enche o saco…espero que haja sintonia entre time e torcida, e churrasco de língua a vontade…rsrsrs

  3. Marcus Oliveira disse:

    Os Estados Unidos acaba de avançar para as finais do mundial de basquete graças à sua defesa implacável. Se eles são os melhores do mundo e vencem seus jogos graças a defesa e não ao ataque, porque nosso time não pode fazer o mesmo? Lembro que o WL chegou no atlético dizendo que o time jogaria pra frente, que era um time pra ser respeitado etc… Muito disso para alfinetar o Cruzeiro que jogava com sua trinca de volantes, ofensivos diga-se de passagem. Pois bem, passados alguns meses, como é bom pegar as entrevistas… é um tal de bola pro mato pra ganhar ponto, jataí, jackson, 3 volantes, 4, até cinco. Nada com um dia após o outro.

    • tenho um amigo cocota, e ele me disse que não aguenta mais ouvir as entrevistas do WL, e que ontem ele teve a cara de pau de dizer que se ganharem amanhã o aproveitamento vai ser 76% aproveitamento de campeão… quanto ao post to com o Cuca melhor tres pontos do que nada, ou vamos voltar ao tempo do ataque indigena?

  4. Marcelo P., Adilson Batista passou pelo Cruzeiro e fez um bom trabalho. ponto. Agora nosso treinador é o Cuca. E é por ele que torcem os que são cruzeirenses, afinal ele é quem tem condições de nos ajudar a ter vitórias. Adílson hoje defende outro time… o Corinthians… Larga mão dele, né???

    • JCD mas o Marcelo está dizendo exatamente isso, tem que puxar é a orelha do síndico…kkk

      • Jorge Santana disse:

        Marcos, vc acha que o Síndico vai pensar no leitor antes de escrever? Vai escolher palavras e idéias em função do achismo alheio? isto é coisa de profissionais. o síndico é amador. Ter zero ou de mil leitores tanto faz. Capiscou?

      • Elias disse:

        Tem que ler…reler…procurar entender…sacudir a cachola…

      • Jorge Santana disse:

        Um texto aceita várias interpretações, pois, se tem um tema central, tem tb alguns secundários. O entrono, a discussão que rola no momento, às vezes, faz o leitor prestar mais atenção em aspectos secundários. Eu não sou contra a retranca do Cuca. Seria, se o Cruzeiro fosse o Barça. Mas reconhecendo as limitações do elenco, apóio qq sistema que nos dê três pontos por jogo. Agora, não dá é pra dizer que o time do AB era defensivo e do Cuca ofensivo. Isto não é o que a minha TV mostra.

      • Não depreendi que o Jorge tivesse feito alguma alusão ao Adilson no texto dele… Mas, o Marcos fez… Defender-se bem é também uma arte. E fazer com que um jogador faça uma função diferente das que a gente está acostumado a vê-lo fazer e este jogador se sair bem, para mim é mérito do treinador. Certamente, o Cuca sabia que o Wéllington Paulista teria pulmão e garra para fazer a ala esquerda. E o gol logo aos 2′ de jogo, facilitou isto. Para muitos WP é só um tosco, para mim é um cara de grupo. Podem meter o malho nele, eu não acredito que ele tivesse boicotado ao Adílson e nunca o vi chupando sangue. Se ele é chato dentro de campo, cai-cai, rpovocante, se é um atacante que toma mas devolve porradas, aí são outros 500 contos. Eu penso diferente destes.

      • Chiabi Jr. disse:

        João, é fato! O WP realmente ficava envenando e fazendo futrica com outos jogadores. Posso te afirmar que um dos arrependimentos do AB foi não ter dispensado o WP antes de sua saída.

  5. Só espero que quem for deixe o rádinho e o fone de ouvido em casa, e também esqueça de querer aparecer no seu none seu bairro…

  6. Amácio Gattuno disse:

    Vivemos em tempos confusos. A liberdade de expressão é desculpa para tudo. Os torcedores profissionais (aqueles que só faltam terem registro em carteira) deviam se envorgonhar em ficar apontando o defeito de forma tão cruel no trabalho dos outros. Ainda mais no futebol, um esporte que nem mesmo seus atletas levam tão à sério no Brasil. Somente a ingenuidade do torcedor criança que é bonita.

    • Cuné disse:

      Torcedor da capitárrr como diz JS é o tipo de cara que diz frases como: “O Cruzeiro perdeu o brasileiro mais fácil de todos os tempos”, ou “O Cruzeiro tem obrigação de ganhar tal jogo”... Acho que o ambiente tá realmente menos carregado, mas acho também que a torcida do interior devia dar uma força maior ao time, visto as baixas presenças de público. Mas tudo bem, tem time por aí que tá dando pastel, caldo de cana e ingresso por 5 pila e talvez nem encha o estádio.

      • Jorge Santana disse:

        Cuné, proporcionalmente, há mais gente indo ao estádio no interior do que na capitárrr. E é uma torcida que tem a cara da que frequentava o Mineirão por volta de 65, 66. Gente que vai se divertir, se inteirar das novidades, conhecer o time. Não tem o perfil maluco dos que torcem com o fígado ou são teleguiados. Por enquanto, Cruzeiro no interior é festa. com o tempo, isto pode mudar.

      • Amácio Gattuno disse:

        Eu não me iludo. Torcedor brasileiro está sempre a reboque do time. Duvido que se após um período jogando no interior a torcida não teria os mesmos vícios. Agora tudo é novidade. Aplaudem até troca de chuteiras na beira de campo. Não vejo nenhuma mudança real. A verdade é que enquanto os 3 pontos estiverem vindo (independente de sistema de jogo e etcs), está tudo certo. Do contrário…

  7. Sobrinho disse:

    Fique tranquilo, JS, hoje uma entrevista no Seu Nome Seu Bairro do Bola na Área foi sintomática, o torcedor disse: “É isso ai, se o Cruzeiro continuar jogando assim, ofensivo, para frente, vamos continuar ganhando”. Apoio o time terá durante todo campeonato, a rádio está do lado do Cuca e o apoia.

    • Jorge Santana disse:

      Não confie muito, Sobrinho. Por enquanto, estão consolidando a vitória que foi controlar e conduzir o torcedor. Depois, serão outros quinhentos. Se precisar, Cuca tb será derrubado.

  8. Elias disse:

    Pois é…o que vale são os três pts na contabilidade. Enquanto estiver ganhando, a bonança continua. Tomara que até o final do ano, com o campeonato ou a vaga da Libertadores. Fora isso, papo pros Lé.lios da vida continuar dando audiência prá rádia do seu Mané, pro programa da Dimara, pro Bola na Área, pro filho do narrador/edil/secretário ( e pro pai tb).Todo mundo empregadinho, faturando alto…

  9. Mauro França disse:

    Alguns não entenderam o espirito do post… Paciência. Não se trata de comparar fulano om sicrano. Aliás, tem muita gente procurando chfre em cabeça de cavalo. Ora, até pouco tempo, choviam criticas a um suposto defensivismo. Suposto, porque o time era tudo, menos retrancado. Ganhar de 1×0 era quase um pecado. Empatar fora era considerado vexame. Coisas do torcedor dito exigente da capital. Felizmente, no interior a coisa tem sido outra.

    • Mauro França disse:

      Curiosamente, e o comentario do Sobrinho ilustra bem, dizia-se (microfonistas e hienas, bem entendido) que com o Cuca o time seria ofensivo, que jogaria pra frente. O que estamos vendo é justamente o contrário. Ótimo que o time esteja ganhando. Mas também acho que se os resultados não aparecessem, os mesmos que vaiavam e xingavam ontem fariam o mesmo hoje.

      • Jorge Santana disse:

        A realidade do Cruzeiro impõe um estilo diferente do que se tornou marca registrada do clube nos 60 e 70. E jogar na retranca nem é tão novo assim. Vem dos tempos do Bengala. E até nos deu uma CB em cima do SPFC.

      • Walterson disse:

        Pois é, diziam que o time era defensivo porque jogava com 3 volantes, mesmo fazendo um caminhão de gols (e tomando um outro tanto). Agora, com o time jogando só com dois volantes e, às vezes, dois armadores, o esquema é mais defensivo ainda. E se aquele jogo contra o Curintia não é retranca, não sei mais o que é isto.

  10. Walterson,
    Joel Santana deu um prá trás na turma da numerologia. E disse que futebol é ocupação de espaços. Contra o Santos em pleno Pacaembú, entrou com Herrera e Maicossuel na frente, com 5 no meio e 3 beques… e ganhou o jogo…

    • Walterson disse:

      Ainda bem que ele colocou el Loco pra resolver o jogo. Mas tem gente que ainda se apega aos números das camisas pra determinar função em campo.

  11. Walterson disse:

    o Sport vence mais uma. Olha o Cruzeiro voltando a Recife no próximo ano.

  12. Jorge Santana disse:

    JCD, a comparação entre os treinadores é inevitável. DJ, AB e Cuca armaram o Cruzeiro de forma diferente, cada um levando em conta suas crenças. E cada um colhendo resultados que têm a ver com o elenco que dirigiam, mas tb com os adversários. Há muito o que se discutir sobre esquemas e elencos, por isto, volta e meia, o tema AB x Cuca reaparece. Mas ele é mais importante para microfonistas e teleguiados do que para a grande torcida. O diabo é que a grande torcida não se manifesta, apenas acompanha os relatores.

  13. A tá explicado o Amigo do Síndico o Oliveira é Flamengo aqui em Uberlândia. Agora entendi por que ele não consegui enxergar a grande torcida do Cruzeiro no Sábia kkk

  14. Naldo disse:

    O torcedor do inteiror não tem o Cruzeiro jogando em seus domínios com frequência principalmente em Campeonato Brasileiro. Esporadicamente ainda se joga em Ipatinga e só. Então, praquê perder tempo vaiando o time? Ainda mai este time que não é merecdedor de vaia. Eu, atualmente, considero Uberlândia a casa do Cruzeiro e vou adorar ver o Cruzeiro jogando a partida do título no Parque do Sabiá.

  15. Fabrício disse:

    Não entendo o motivo de insistir com a dúvida se a torcida do interior trata melhor o time do que a torcida da capital. Pelo menos por enquanto está comprovado. No quesito “tolerância” a galera do interior têm ajudado muito. Ou ninguém viu o time passando um ou outro aperto durante os jogos que ganhamos de 1×0? No mineirão, quantas vezes o time fazia 1×0, dava uma recuada, se sentia pressionado e a turminha ali do 7A decia a ripa? Quantas vezes no mineirão foi possível ver apenas uma parte gritando “torcidaaa…torcidaaa…” para tentar mobilizar a galera para ajudar ou ao menos não criticar antes do final do jogo? E uma organizada contra a outra?

  16. Fabrício disse:

    São tantos exemplos na arquibancada de gente que enxerga de maneira legal o futebol se desgastando com os teleguiados que está sendo muito boa esta ausência de jogos em BH para dar uma aliviada na tensão e quem sabe gerar uma reflexão por parte de alguns. Só não dá para esperar também que, quando o caldo entornar de vez (tomara que não aconteça), os torcedores do interior vão ficar calados e apoiar a todo custo.

    • Só de não haver vaias para jogadores com 5 minutos de jogo e nem de torcedor comemorando e vibrando com gols de adversários, já é um excelente negócio.
      Quando escrevia que a torcida do Cruzeiro era teleguiada e eu criticava (como aind critico) o torcedor que vai ao Mineirão de radinho e reproduz tudo que ouve, muita gente não entendeu e ficou indignada.
      Parece que, mesmo sendo minoria, o torcedor que vai ao estádio (que ia ao Mineirão) para vaiar, xingar e torcer contra o próprio time, era muito mais lesivo que se imaginava. Além de jogar contra o patrimônio, contaminava aqueles que querem torcer A FAVOR…