DS & RG, MP, WM, MV: fez sucesso a sopa de letras do Mestre Cuca

Por Jorge Angrisano Santana | Em 18 de fevereiro de 2011

Atuações dos celestes e seus adversários no Cruzeiro 5×0 Estudiantes, na Arena do Jacaré, Sete Lagoas, pela 1ª rodada do Grupo 7 da Copa Libertadores 2011, em 16fev11:

  • Cuca – Ficou sem dormir depois do RapoCota. Deve ter sido quando resolveu jogar tudo no ventilador. Como bom mestre cuca, aprontou uma incrível sopa de letras que assustou, mas acabou dando certo. Obviamente, contou com um gol espírita a 50seg e com a falta de ritmo dos pinchas, que perderam tempo poupando titulares nas competições de verón, ops!, verão e entraram na Libertas relaxadões. Pouco importa. Mão cheia sobre adversário encardido sempre marca a passagem de treinadores pelo Cruzeiro. Taticamente, seu segredo foi “arrecuá os arfe”, desembolar a intermediária, dando mais espaço pra movimentação de Montillo e fechar a meiúca com Henrique e Marquinhos Paraná. De quebra, contou com uma noite de Natal do jovem Wally, que os gringos nunca sabiam onde estava.
  • Torcida – Bah… Onze mil? Bah… Jogar sapato na cancha? Bah… Ficou devendo. Ficamos devendo, pra ser mais preciso. Time 5×0 Torcida.

  • Fábio – Assustou a torcida com uma saída aloprada, que Verón quase tranformou em gol, fez duas defesaças  a foi correto nos demais lances.
  • Pablo – Como lateral ou terceiro beque, cumpriu bem as obrigações ofensivas deixando o ataque pra quem leva mais jeito pra coisa.
  • Gil – Dentro de seu  estilo “deixa que eu chuto” esteve bem. O cartão desnecessário no final, foi só pra não perder o costume. Importante é não ter comprometido.
  • Victorino – Boa estréia. Cometeu uma gafe no final, que teria sido relevante se o placar não estivesse definido. De resto, sobriedade e eficiência.
  • Gilberto – A lateral não é mais a dele. Pra não comprometer, ficou mais plantado.
  • Diego Renan – Entrou com fome de bola, querendo mostrar serviço. Participou do último gol.
  • Henrique – Ficou ali pela meiúca dando e levando porrada dos caciques Verón e Braña. Importante é que os argentinos não tiveram moleza com ele.
  • Marquinhos Paraná – Conhece os atalhos. Está sempre no caminho da bola. Congestionou o meio de campo ajudando a desarticular a armação dos pinchas, que é feita um pouco aquém da intermediária ofensiva do time de La Plata, justamente, onde Verón senta praça. MP aprendeu que, com o dono do time não se brinca, e tratou de podar seus ajudantes de ordem, Braña, Benítez e Perez.
  • Montillo – Jogou como em seus melhores dias. Participativo, com deslocamentos, passes de boa qualidade e conclusões perfeitas. Foi um dos nomes do jogo.
  • Roger Galera – Fez um belo gol, deu alguns passes precisos e ciscou um pouco pela banda esquerda do ataque. No final do 1º tempo, o cansaço o derrubou. Foi substituído e saiu aplaudido na etapa final.
  • Wallyson – Ponteiro direito, secretário de lateral, e centroavante eventual, cuidou bem de sua parte do gramado. De quebra, ainda estava virado pra luas nas conclusões.
  • Thiago Ribeiro – Entrou no 2º tempo querendo mostrar jogo e fez uma bela jogada que resultou no último gol.
  • Wellington Paulista – Deu um passe pra gol e aprontou o fuzuê de sempre: cai, levanta, volta a cair, reclama, leva cartão amarelo, tromba, sacode os braços, agita a galera, concede simpáticas entrevistas e assim vai levando, aos trancos e barrancos, sua vida de artilheiro.
  • Dudu – Animado aprontou correria, que os hermanos tristes e cansados não puderam controlar. Se tivesse mais tempo, teria aprontado alguma pra cima deles. Tá ficando enturmado e desinibido. Boa promessa.
  • Deborah Secco – Esteve na Arena para trocar idéias com o Síndico. Como, na hora do jogo, ele tinha um compromisso com uma sete-lagoana famosa, ela voltou pra casa acompanhada de um tal Galera Flores. Decepcionada, of course.
  • Dylan – Pegou carona na epifania do Mestre Cuca e não para de jactar-se, considerando-se o pai da matéria. Aguenta, Xina!
  • Juiz & Bandeiras – Bons. Sem mais.
  • Rogério Correia & Bob Faria – Contidos. Bons.
  • Estudiantes – Berizzo levou paliza. Mais: tomou cachetazo. Verón joga. Mesmo quando nada funciona, com a bola nos pés, ele sabe o que faz. Braña abriu a caixa de ferramentas e bateu com vontade em quem passava por perto. Orión? Fóóómmm! Pérez é o cara. Desabato é um gladiador. O resto, jacaré comeu.

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.