Moema: “sofrimento em conta-gotas”

Por Jorge Angrisano Santana | Em 30 de novembro de 2019

PITACOS acerca do CRUZEIRO 0-1 CSA, no Mineirão, Belo Horizonte, 28nov19qui21h30, pela 35º rodada do Brasileiro 2019:

VALDIR BARBOSA: O presidente Wagner e o gestor de futebol Zezé Perrella estavam no estádio e foram ao vestiário antes do jogo, mas após não. Eles sempre vão, mas talvez até por essa tumulto não foram. Não sei se hoje atingiu o hall principal também, mas sempre atinge. A segurança está um pouco duvidosa aqui no Mineirão, conforme se viu no clássico, com invasão de camarote, invasão do setor de imprensa, invasão do hall. Eles não foram ao vestiário após o jogo, apenas mantiveram contato por telefone, dando ciência daquilo que está acontecendo. Estão extremamente preocupados. Amanhã, a partir das 9h está todo mundo outra vez de pé, cada um em seus postos na sede e na Toca, e qualquer decisão que houver será mais tranquila, com a cabeça mais fria. Nós pensamos sim, e quem decide é a diretoria, junto com a comissão técnica. O torcedor não está sendo desrespeitado pela falta de entrevistas. Quem acompanha as redes sociais viu que o torcedor não se revoltou porque os jogadores não estavam dando entrevista. Eles querem é futebol. A palavra do jogador é importante, mas o mais importante é vencer os jogos. E isso nós não estamos conseguindo.

CACÁ: Temos três jogos, ainda não acabou. O Cruzeiro é time grande, nunca caiu e temos que defender esse título aí, de que nunca caiu. Tentando a gente está, está todo mundo trabalhando, no dia a dia dos treinos. Sempre ali tem oportunidade clara que aparece, a gente não consegue colocar a bola pra dentro.

THIAGO NEVES: Não sei nem se foi desconcentração na perda do pênalti. Tentamos de várias formas. Coloca a culpa em mim e peço desculpas. Porém ainda temos três jogos e temos que correr atrás. Agora é ir para o Rio e vencer.

GLOBO ESPORTE: Henrique é quem mais tem chamado a responsabilidade em meio ao momento ruim. Tecnicamente, pode deixar a desejar, mas é quem mais se entrega, física e taticamente. Com o Csa recuado, achou passes que dificultaram a marcação adversária. 

FERNANDÃO ÁVILA: O time celeste é só ímpeto. Dá um longo tratado descrever a transformação de um time competitivo nisso. O time é só ansiedade e tensão. Fez um jogo muito ruim, limitando-se a levantar dezenas de bolas na área.

MARCUS OLIVEIRA: Ataque letárgico e meio campo omisso. Os volantes não acham uma alma viva para o passe vertical. Daí ficam rodando o jogo com os laterais, que insistem em cruzamentos para o meio da área, sem objetividade alguma. Equipe cria poucas oportunidades reais e ainda peca na finalização e assim o hol só sai por obra do acaso.

ZÉ DO CANADÁ: Estamos com um pé na cova e o outro na casca de banana, mas ainda estamos vivos.

MOEMA FOX: Devastada, mais pelo sofrimento em conta-gotas.

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.