Mano: “Nos preparamos pra enfrentar o campeão da América”

Por Jorge Angrisano Santana | Em 25 de julho de 2019

PITACOS acerca do RIVER PLATE 0-0 CRUZEIRO, Monumental, Buenos Aires, ida das oitavas de final da Libertadores 2019:

MANO MENEZES: Nos preparamos para enfrentar o campeão da América em sua casa. Esperávamos o jogo com essa característica. Penso que poderíamos ter sido durante os 90 minutos o que fomos no segundo tempo, a equipe trabalhando melhor a bola, encontrando espaços. Erramos muito no primeiro tempo. Levamos um 0x0 que é a primeira parte do confronto, mas saímos daqui sabendo o quanto ainda falta para passarmos para as quartas de final. 

FÁBIO: Ele ia bater cruzado, mas em cima da hora virou o pé. Aí, qualquer força a mais, a bola pode subir. Se tivesse a intenção de bater no meio, é um chute com mais precisão e menos força. Acho que ele tinha em mente bater cruzado e em algum momento ali decidiu bater no meio. Graças a Deus deu certo, a gente conseguiu não tomar gol. É um bom resultado. Mas, vamos ter que fazer muito em Belo Horizonte para sairmos com a classificação.

DEDÉ: Bom resultado, mas acho que tem que ser comemorado apenas se houver a classificação. Até porque 0x0 é um resultado perigoso. O River tem história, está defendendo o título, mas fizemos um bom jogo. A pressão é normal, ainda mais na Argentina, mas creio que se tivéssemos um pouquinho mais de tranquilidade, dava pra sair com um resultado positivo. Nosso setor ofensivo ajudou bastante, principalmente ali atrás, é um ponto positivo. Saio contente com o que a equipe produziu taticamente.

DOUGLAS VELLOSO: No primeiro tempo o Cruzeiro foi prensado em seu campo de defesa, com pouco ou nenhum escape. Existia pelo lado esquerdo da defesa uma dificuldade que foi explorada pelo River, que preencheu o meio de campo e buscava sempre o gol, verticalmente – o Cruzeiro entrou com duas linhas de quatro e teve dificuldades na saída de jogo, sempre com um do adversário na ‘sobra’. Neves e Robinho pouco buscaram a bola para iniciar jogadas. Na segunda etapa a trinca do meio formada por Romero, Henrique e Cabral mudou o panorama da partida e o Cruzeiro passou a rodar a bola, fazendo o seu jogo, buscando o ataque – o defeito principal da partida de ontem, mesmo depois da evolução no segundo tempo, foi o excessivo erro de passes. Destaco Dedé, Orejuela, Romero, Ariel. 

MARC BSB: Achei que esse pênalti foi forçado pelo VAR. O jogador argentino empurra o Henrique, que meio no “instinto” acaba segurando. Lance que ninguém viu durante a partida. Enfim… melhor que não entrou e nós é que saímos com gostinho de vitória.

MARCUS OLIVEIRA: Primeiro tempo de angústia para o torcedor: time primando por fechar espaços e diminuir o ímpeto do River. Segundo tempo com ajustes: M Gabriel duplicando marcação com Egídio (que virou um terceiro zagueiro quando River atacava), David acelerando a saída de bola e Pedro Rocha aberto na esquerda para ter espaço em jogadas individuais. Orejuela e Romero muito bem pela direita. Henrique movimentando no espaço entre a linha defensiva e a dupla de meias (Cabral/Romero, depois Cabral/Jadson). Bom resultado! Que quase se foi em um lance infantil no fim…

ROSAN AMARAL: Então, o melhor time argentino da atualidade e atual campeão da Libertadores não é qualificado? Pode até torcer contra o Maior de Minas só para depois bradar  “eu não disse?”. Mas não brigue com os fatos!

JOTA DIAS: Dedé atrai a bola. Ela vai na cabeça dele o tempo todo.

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.